Opinião
Atualizado em: 27/04/2012 - 11:00 am

O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu na noite desta quinta-feira (26), por 10 votos a zero, que o sistema de cotas raciais adotado em universidades brasileiras é constitucional.

Apesar da unanimidade dos magistrados, o tema é polêmico e ainda motiva algumas indagações, como mostra o blog do Wanfil, do Jangadeiro Online.

Reproduzo trecho:

“Como classificar um indivíduo por sua cor? As regras precisam ser objetivas e transparentes. A partir de que tonalidade de pele uma pessoa passa a ser considerada negra? Ou branca? Bastará ao candidato declarar a cor que acredita possuir? Como evitar o risco de que alguém se declare negro apenas para evitar a disputa por vagas com candidatos de outras cores? E quem fará a classificação? Será uma banca de professores? Será um magistrado? E se a banca for composta apenas de brancos, com poderes para definir quem é ou não negro? Será uma junta médica? Será alguma ONG?”

O texto completo pode ser lido aqui:

O Supremo e as cotas raciais em universidades: black or white?



0 comentários







0 comentários
Topo | Home