Bastidores
Atualizado em: 20/07/2011 - 7:29 am

O Ministério Público de Contas, órgão do Tribunal de Contas do Estado (TCE), irá investigar 56 convênios firmados em 2010 entre a Secretaria de Cidades do Ceará e associações comunitárias para a construção de unidades sanitárias. O anúncio foi feito pelo Procurador-Geral Gleydson Alexandre, durante sessão do pleno comandada pelo vice presidente da Corte, conselheiro Valdomiro Távora, realizada na terça-feira (19).

O presidente do Tribunal, Teodorico Menezes, tirou férias de 30 dias após as denúncias feitas na imprensa de que pelo menos cinco convênios foram celebrados com associações fantasmas comandadas por pessoas ligadas a ele, inclusive um filho e a esposa, além de funcionários de seu gabinete.

Precaução
O procurador adiantou ainda que o MP de Contas irá pedir a suspensão de todos os recursos da Secretaria das Cidades destinados à construção de novos kits sanitários, até que o caso seja esclarecido.

Para o presidente em exercício do TCE, Valdomiro Távora, o episódio é constrangedor e as denúncias graves, mas qualquer decisão sobre a conduta de Teodorico Menezes deve aguardar a conclusão das investigações que serão feitas pela Secretaria de Controle Externo do Órgão.

Leia também:
Presidente do TCE cancela férias e pede afastamento do cargo 
BNB envia esclarecimentos ao blog 
Vídeo: Denúncias de fraudes na construção de kits sanitários em 5 cidades 
Governo do Ceará financia esquema milionário de banheiros fantasmas   
Vídeo: Governo do Ceará pagou R$ 400 mil para construção de banheiros que não saíram do papel       

Resposta
Ainda de acordo com Távora, a sociedade exige uma resposta rápida sobre as denúncias, que serão apuradas pelo corpo técnico do órgão, composto “pelos melhores e mais idôneos profissionais”, todos concursados. Para o presidente em exercício, “o Tribunal está acima de interesses pessoais” e os casos apresentados pela imprensa deverão ter prioridade. Távora reforçou a importância de que todos os casos de convênios da Secretaria de Cidades do Estaco envolvendo entidades suspeitas e  kits sanitários devam ser investigados.

Com informações de Wanderley Filho



0 comentários







0 comentários
Topo | Home