Em Brasília
Atualizado em: 21/05/2012 - 6:32 pm

Foto: Agência Senado

A diretora da Oficina para América Latina da Associação para a Prevenção da Tortura da cidade do Panamá, Sylvia Dias, afirmou que o Brasil está quatro anos atrasado no combate à tortura. Segundo ela, o país assinou o acordo internacional em janeiro de 2007, se comprometendo a instaurar dentro de um ano o Mecanismo Nacional de Prevenção e Combate à Tortura (MNPCT), proposto pela Organização das Nações Unidas.

Sylvia Dias informou, que 7 países da America Latina já designaram seus MNPCT, dentre os 14 países que ratificaram o protocolo assinado com a ONU.

Leia ainda:
OAB leva morte de JK para Comissão da Verdade 
Dilma instala Comissão da Verdade e diz que não existirá revanchismo

Na Câmara
Para ela, o projeto de lei do executivo (PL 2442/2001), que tramita na Câmara dos Deputados, instituindo o Sistema Nacional de Prevenção e Combate à Tortura, é o resultado de um diálogo aberto e participativo.

“O protejo não está baseado em denúncias, ele vai fomentar uma discussão com enfoque das causas da tortura e como agir para evitar os maus tratos em casas de detenção de pessoas”, afirmou Sylvia Dias.

E ainda
A ativista dos Direitos Humanos participou de audiência pública da Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH), na qual foi debatido o Mecanismo Nacional de Proteção e Combate a Tortura.

Com informações da Agência Senado



0 comentários







0 comentários
Topo | Home