Bastidores
Atualizado em: 04/05/2011 - 8:35 am

A moção de solidariedade à prefeita de Fortaleza, Luizianne Lins (PT), divulgada pela cúpula nacional do Partido dos Trabalhadores, causou forte desconforto entre os aliados do governador do Ceará, Cid Gomes  (PSB).

Cid Gomes e Luizianne Lins.

Luizianne 2014?
O próprio Cid Gomes não fala sobre o assunto abertamente, mas políticos ligados a ele afirmam que a nota do PT não pegou bem. Isso porque na avaliação dos cidistas, o PT lançou a pré-candidatura de Luizianne Lins ao Governo do Estado em 2014.

Veja o trecho na nota em que o PT cita a possível candidatura de Luizianne para 2014:

Os ataques à pessoa da prefeita Luizianne objetivam tentar eliminá-la de sua posição de maior liderança popular de esquerda do Ceará, alcançada a partir de seus combativos mandatos de vereadora, deputada e prefeita em que sempre priorizou a defesa dos setores mais pobres e excluídos da sociedade.

Para as forças conservadores – à esquerda e à direita – a prefeita Luizianne incomoda política e ideologicamente. Farão de tudo para impedir que ela eleja seu sucessor e, não toleram a hipótese de que ela possa vir a disputar o governo do estado em 2014; o que é uma opção competitiva e com forte apoio do PT.

Desdobramentos
Na avaliação dos cidistas, o assunto pode influenciar na articulção para a eleição muninicipal em 2012.

2012 x 2014
A lógica é: se Luizianne quer o apoio dos aliados mais ligados a Cid para fazer o seu sucessor na prefeitura de Fortaleza, terá que se comprometer em apoiar a eleição do nome que será indicado por Cid para a sucessão do Palácio Iracema.

“Tem que fazer lá e cá. Caso contrário qual o sentido de manter o apoio?”, disse um deputado estadual que pediu reserva do nome.

Para ler a íntegra da moção de solidariedade do PT à prefeita Luizianne, clique aqui.



1 comentário







1 comentário
Topo | Home


carlos cabral | quarta-feira maio 4 2011 | 13:09

Espero que nos cearence possamos escolher melhor nossos governantes, hoje temos como prefeita de fortaleza uma pessoa que fere aclasse politica, sem a meno condiçoes de permanece no cargo.

cabral