Câmara Municipal
Atualizado em: 18/10/2017 - 9:01 am

O presidente da CCJ da Câmara dos Deputados, Rodrigo Pacheco, e o relator Bonifácio Andrada (PSDB-MG). Foto: Wilson Dias/Agência Brasil

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados retomará nesta quarta-feira (18) a discussão sobre a denúncia contra o presidente Michel Temer e os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil) e Moreira Franco (Secretaria-Geral).

O debate começou nesta terça (17) e, ao todo, 47 deputados já se pronunciaram, dos quais 35 contra o presidente e 12, a favor.

Para esta quarta estão previstos os discursos de mais 9 deputados (outros parlamentares ainda podem se inscrever).

Nesta fase, a CCJ discute o parecer do relator, deputado Bonifácio Andrada (PSDB-MG), que recomenda a rejeição da denúncia.

Etapas
Passada a fase a discussão, Bonifácio terá até 20 minutos para se pronunciar sobre o relatório. Em seguida, poderão falar os advogados de Temer, de Padilha e de Moreira. Concluída esta etapa, os deputados da CCJ passarão, então, a votar o relatório de Bonifácio Andrada. O parecer será aprovado ou rejeitado conforme a maioria dos votos, desde que estejam presentes à sessão, pelo menos, 34 parlamentares.

Plenário
Independentemente do resultado, a palavra final sobre o prosseguimento ou não da denúncia caberá ao plenário da Câmara. Temer foi denunciado pela Procuradoria Geral da República (PGR) ao Supremo Tribunal Federal (STF) pelos crimes de obstrução de Justiça e organização criminosa. Mas o STF só poderá analisar a acusação contra o presidente se a Câmara autorizar.

Primeiro dia 
Nesta terça, primeiro dia de discussão sobre a denúncia, deputados contrários ao governo chegaram três horas antes da sessão para marcar um lugar na fila de oradores. Alguns deputados da base aliada, por outro lado, chegaram a abrir mão dos discursos.

Oposição
A oposição focou no argumento de que Temer, Padilha e Moreira precisam responder pelos crimes atribuídos pela Procuradoria Geral da República. Primeiro deputado a falar na sessão, Alessandro Molon (Rede-RJ) defendeu que a Câmara autorize a instauração do processo.

Aliados
Entre os aliados de Temer, parlamentares defenderam que a denúncia é fraca e deram destaque para resultados na economia obtidos pelo governo Michel Temer. O deputado Mauro Pereira (PMDB-RS), por exemplo, disse que o governo melhorou índices da bolsa de valores, reduziu o desemprego e ampliou os níveis de confiança. Ele disse ter recebido pedidos de prefeitos e empresários de que o presidente consiga concluir o mandato.

Com informações do G1



0 comentários







0 comentários
Topo | Home