Câmara Municipal
Atualizado em: 14/03/2018 - 8:28 am

Usando a tribuna da Câmara, Salmito Filho defendeu uma política pública de segurança em nível nacional. Foto: Érica Fonseca

O presidente da Câmara Municipal de Fortaleza, vereador Salmito Filho (PDT), anunciou, na terça-feira (13), a criação de uma Frente Parlamentar Mista com a participação da Câmara Municipal de Fortaleza, Assembleia Legislativa do Estado, universidades, movimentos da juventude e representantes da sociedade civil para discutir a pauta de segurança pública.

Para o pedetista, só haverá uma “cultura de paz” quando o Brasil contar com uma política de segurança pública nacional e diminuir os índices de desigualdade social.

Segundo ele, não se resolve a situação com polícia. “Não vamos resolver isso com polícia. O papel da polícia ela está fazendo. Nas chacinas, a polícia cumpriu seu papel, investigou e prendeu, inclusive com agilidade e competência de forma exemplar. Portanto parabéns ao Governador, a Polícia Militar, a Polícia Civil e ao Secretário de Segurança”, destacou.

Desafio
O desafio, conforme apontou Salmito Filho, é como evitar que situações como as chacinas aconteçam na cidade.“A população não quer ser uma vítima em potencial de um homicídio e isso não será resolvido com polícia. O que temos que discutir é como podemos evitar que isso aconteça, e nesse aspecto é que isso se mostra como um grande desafio, pois grande parte dos autores que praticam essas ações são jovens, que muitas vezes são seduzidos pelas facções”, ressaltou.

Juventude
De acordo com Salmito Filho, a juventude, na procura por uma identidade e influenciada pela cultura de consumo, acaba se associando a “caminhos fáceis” para obter o que deseja. “Essa juventude, os nossos adolescentes da periferia, da Cajazeiras, do Bom Jardim, do Dendê, do Pirambu, eles precisam ter acesso à identidade. Porque é que as torcidas são tão fortes? Porque os jovens estão procurando uma identidade. E nessa cultura do mercado do consumo que é aceito pela nossa sociedade, é o que os nossos adolescentes estão buscando e acabam encontrando um caminho mais fácil, se associando as facções criminosas”, ponderou.

“Não existe uma política pública de segurança no Brasil. A política pública não é ação governamental, e sim uma construção com debate e participação da sociedade civil, estabelecendo um relatório e projeto com metas, objetivos, com legislação, avaliação, e recurso financeiro. Esse conjunto é uma política pública. Portanto, só teremos uma cultura de paz quando diminuirmos a desigualdade social e fazermos uma política pública nacional, construída com a sociedade civil brasileira, com metas a curto, médio e longo prazo”, defendeu.

Ações
Salmito destacou que medidas já estão sendo adotadas pela atual gestão, mas ressaltou que os resultados não serão a curto prazo. “O corpo do problema é uma herança histórica que o poder público tem com a população. Temos que ter escolas em tempo integral, equipamentos para a juventude, onde os jovens possam ter a oportunidade de fazer um curso profissionalizante, de conseguir um emprego e ganhar bem. E isso já está sendo trabalhado pela gestão do prefeito, Roberto Cláudio, seja com as Areninhas, com os Cuca’s, as escolas, entre outras iniciativas”, frisou.

Comissão
O presidente concluiu sua fala anunciando que a Câmara Municipal dará sua contribuição na pauta de segurança pública através da criação da Frente Parlamentar Mista. “A Câmara Municipal de Fortaleza pode sim fazer o debate sobre o papel do município na segurança e cultura de paz. E vamos criar uma Frente Parlamentar Mista e quero contar com todos os vereadores para unirmos forças e construirmos uma pauta e apresentarmos um relatório ao governador Camilo Santana”, ressaltou.

Com informações da CMFor



0 comentários







0 comentários
Topo | Home