Ceará, Sem categoria
Atualizado em: 16/04/2012 - 4:52 pm

A denúncia fala em tráfico de influência do secretário da Casa Civil, Arialdo Pinho, para favorecer negócios do genro, Antonio Valadares, conhecido como Zé do Gás.

A Secretaria de Planejamento do Estado marcou para o próximo dia 25 de abril (quarta-feira) uma audiência pública com os servidores estaduais que contraíram empréstimos consignados, afim de debater o novo modelo do sistema de consignados no Ceará.

A reunião está marcada para às 10 horas no auditório da Secretaria de Planejamento.

A informação foi confirmada pela assessoria de imprensa da Seplag e foi divulgada após reunião da mesa permanente de negociação dos servidores públicos com o secretário de Planejamento, Eduardo Diogo.

Sete meses
Na última sexta-feira (13) a Seplag anunciou que iria rescindir o contrato com a empresa ABC. A decisão foi tomada sete meses após denúncia de que o negócio beneficiaria o genro do secretário-chefe da Casa Civil, Arialdo Pinho. A ABC venceu a licitação, mas quem comandava o esquema era a Promus, empresa que tem como sócio o genro de Arialdo, Luiz Antonio Valadares.

Entenda o caso
A ABC (Administradora Brasileira de Cartões S.A.) venceu a licitação do governo para operar os empréstimos consignados aos servidores estaduais. Mas para fazer esse serviço em seu lugar, indicou a PROMUS, empresa que pertence a Luis Antonio Riberiro Valadares, conhecido como “Zé do gás”, genro do secretário Chefe da Casa Civil do governo.

Além da Promus, o serviço de empréstimo consignado também é oferecido aos servidores por alguns correspondentes bancários, cerca de 14, que podem ser empresa ou pessoa física. A Promus opera com o nome fantasia de Cartão Único. Para cada empréstimo contraído pelo servidor através do cartão único, a Promus ganha 19% de comissão, segundo denúncia feita pelo deputado Heitor Férrer (PDT).

E mais
A Promus também recebe o mesmo percentual de comissão para os empréstimos fechados através dos correspondentes bancários, o que provaria que a empresa do genro de Arialdo Pinho detém o controle exclusivo sobre os empréstimos consignados no Estado, com o banco Bradesco e com a Caixa Econômica Federal.

Ainda de acordo com a denúncia, os consignados movimentariam cerca de R$ 50 milhões por mês, o que renderia à Promus em torno de R$ 10 milhões mensais.

Notificação
O prazo de 90 dias para a recisão do contrato entre a Seplag e a ABC começou a contar a partir desta segunda-feira (16).

Leia mais:
Caso dos Consignados: Deputados cobram transparência na apuração de suposto esquema
Consignados: Governo anuncia rescisão do contrato com empresa

Caso dos Consignados: Férrer propõe CPI para investigar suposto esquema de tráfico de influência

Rescisão com operadora dos consignados não é reparação de erro, mas contenção de danos



0 comentários







0 comentários
Topo | Home




You must be logged in to post a comment.