Em Brasília
Atualizado em: 28/11/2012 - 6:20 am

Líder do governo na Câmara diz que resposta do governo à Operação Porto Seguro foi “cristalina”. Oposição quer convocar quatro ministros na Comissão de Segurança. Foto: Agência Câmara

O líder do governo na Câmara Federal, Arlindo Chinaglia (PT-SP), classificou como “brincadeira” da oposição o pedido para convidar o ex-presidente Lula para esclarecer a indicação de pessoas envolvidas com a Operação Porto Seguro, da Polícia Federal.

Foi Lula quem nomeou Rosemary Nóvoa de Noronha como chefe de gabinete da Presidência da República em São Paulo. Ela é ligada ao ex-presidente. Chinaglia demonstrou, na terça-feira (27), ser contrário à sua vinda ao Congresso para prestar esclarecimentos.

Vai e não vai
A intenção de convidar Lula a prestar esclarecimentos é do PSDB. O líder em exercício do partido na Câmara, Carlos Sampaio (SP), confirmou a intenção. No entanto, os tucanos acabaram recuando. Eles vão esperar o desdobramento das investigações para decidir se apresentam ou não o pedido de convite a Lula na Comissão de Fiscalização Financeira e Controle (CFFC).

“Convidar Lula é uma brincadeira”, resumiu Chinaglia. Para ele, a atuação do governo no caso “tem sido cristalina”. Rosemary foi exonerada do cargo, assim como o ex-adjunto da Advogacia Geral da União (AGU), José Weber Holanda. Os servidores concursados estão afastados das funções. Além disso, foram determinadas sindicâncias nas pastas envolvidas no caso.

Cardozo
Na terça-feira, Chinaglia fez acordo com parte da oposição para o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, falar da operação realizada pela Polícia Federal com autorização da Justiça. Ele estará na Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado (CSPCCO) na próxima terça-feira (4) para tratar da violência em São Paulo. Ficou definido que ele também vai prestar esclarecimentos sobre a Porto Seguro, no que deve ser uma sessão conjunta com a CFFC.

“Achamos apropriado que o ministro José Eduardo Cardozo venha, por meio de um convite, venha explicar toda a operação, suas implicações e dimensões. Na nossa opinião, isso é suficiente. Quanto aos demais, é público e notório que há exagero até porque querem chamar aqui pessoas que já estão demitidas. Na minha opinião, não faz sentido”, avaliou Chinaglia.

Ministros
Integrantes da oposição apresentaram requerimentos na comissão de Segurança para convocar quatro ministros do governo Dilma Rousseff. Além de Cardozo, querem esclarecimentos da ministra da Casa Civil, Gleisi Hoffman, do ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gilberto Carvalho, e do ministro-chefe da Advocacia-Geral da União, Luís Inácio Adams. Outro convidado é o ex-auditor do Tribunal de Contas da União (TCU) Cyonil da Cunha Borges de Farias Júnior.

Eles foram apresentados na comissão de Segurança por ser presidida pelo oposicionista Efraim Filho (DEM-PB). Na visão de deputados da oposição, é uma forma de conseguir colocar os requerimentos em votação. Os pedidos foram elaborados pelos deputados demistas Onyx Lorenzoni (RS) e Mendonça Filho (PE). Eles não têm data para entrar em votação. “É evidente que os desdobramentos já revelados justificam a atuação do Congresso”, disse Onyx em um dos requerimentos.

Com informações do Congresso em Foco



0 comentários







0 comentários
Topo | Home




You must be logged in to post a comment.