Ceará
Atualizado em: 13/09/2011 - 4:54 pm

Eliane Novais responsabiliza o "clã dos Ferreira Gomes" por racha no PSB. Foto: Paulo Rocha/Agência AL

A deputada Eliane Novais (PSB) reagiu as críticas do ex-deputado federal Ciro Gomes (PSB) sobre a atual situação do PSB em Fortaleza. Aos jornalistas, Ciro havia feito, no domingo (11), uma observação particular ao presidente municipal do partido, Sérgio Novais, ao dizer que “o partido não é mais uma sigla em que se resolve as coisas com a namorada na cama”.

Eliane Novais disse que tal comportamento “não condiz com a boa política, independente da figura pública para qual o comentário seja direcionado”. De acordo com Eliane, tais palavras “ferem o pensamento de igualdade social e reforçam a cultura do machismo e da intolerância”.

A parlamentar avaliou que tal agressão é um desrespeito às mulheres, “justo num momento em que o Brasil vive avanços importantes na luta pela afirmação dos direitos humanos e das mulheres”. “As declarações de Ciro não estão em sintonia com o que pensa nem com o que reivindica a sociedade”, defendeu.

Leia ainda:
Novais acusa Cid Gomes de promover golpe no PSB  
Eliane reclama de “perseguição” e Sarto rebate: a deputada “confunde alhos com bugalhos”  
Eliane Novais diz que definição sobre candidatura em Fortaleza cabe ao PSB municipal   

Eleições em Fortaleza: Racha no Diretório Municipal do PSB

Segundo a deputada, “ações desta natureza não têm precedentes na história do partido”. A deputada culpou os irmãos Cid, Ivo e Ciro Gomes pela “mancha lastimosa do PSB”. “Eles quebram acordos, ferem as bandeiras do partido e agridem a classe trabalhadora e o povo pobre do Estado”, afirmou.

Carlomano Marques defendeu a "licença poética" nas declarações de Ciro Gomes

Licença poética
O deputado Carlomano Marques (PMDB) defendeu o ex-deputado federal Ciro Gomes (PSB-CE) das  críticas feitas pela deputada Eliane Novais (PSB). Para o peemedebista, Ciro não quis diminuir nem humilhar ninguém. “Acontece que ele, muitas vezes se utiliza de uma licença poética para realizar um reducionismo, e tentar resumir a algo simples um assunto mais complexo”, explicou.

O problema, segundo Carlomano, é que, na tentativa de se fazer esse reducionismo, “ele pode, muitas vezes, como já aconteceu, não ser devidamente compreendido”.

“O que está estampado no jornal não é um ato de vilania, é apenas uma licença poética, e que na verdade, não ofende ninguém”, avaliou Carlomano. Para ele, os termos utilizados pela deputada Eliane foram exagerados e desproporcionais. “É preciso lembrar não só sua ética e honestidade na carreira política, mas a sua coragem física, civil e política”, concluiu.

Mesquita disse que Sérgio Novais sabia que aquela "familiazinha" ia dar trabalho, em referência aos Ferreira Gomes.

“Familiazinha”
Já o deputado Roberto Mesquita (PV), fez um pequeno histórico da entrada da família Ferreira Gomes no PSB, lembrando que, como não conseguiram no decorrer da história se fixar em um partido, “procuraram um ninho e o encontraram preparado naquela legenda”.

De acordo com ele, em 2005, os Ferreira Gomes saíram do PPS “porque o então presidente Roberto Freire não deixou que eles fizessem seu ninho ali”. “O então presidente do PSB, Sérgio Novais, já sabia que aquela ‘familiazinha’ ia lhe dar trabalho”, disse.

Por fim, Roberto Mesquita lembrou que, quando Ciro Gomes foi deputado federal, foi o parlamentar mais faltoso e que mais falava mal do Congresso Federal e da Câmara dos Deputados.

Com informações da AL



0 comentários







0 comentários
Topo | Home