Copa 2014
Atualizado em: 24/12/2011 - 8:28 am

Segundo Romário, acordo com a CBF garante os ingressos para os deficientes nos jogos da Copa do Mundo. Foto: José Cruz/ABr

Pessoas com deficiência e de baixa renda terão direito a 32 mil ingressos grátis durante os jogos da Copa do Mundo de 2014. Serão 500 entradas por partida, segundo anunciaram na sexta-feira (23) o membro do Comitê Organizador Local (COL) do Mundial Ronaldo Nazário, o deputado e ex-jogador Romário (PSB-RJ). A decisão é fruto de um acordo firmado na semana passada entre o presidente do COL, Ricardo Teixeira, e o deputado Romário (PSB-RJ), conforme informou a assessoria do deputado ao Congresso em Foco.

Pelo trato, os 32 mil ingressos serão doados ao governo, que definirá critérios para distribuição às pessoas de baixa renda. Na discussão do projeto da Lei Geral da Copa, os deputados criticavam o fato de a proposta não dizer como atender as pessoas com deficiência, jogando o problema para um convênio futuro. A assessoria de Romário disse que ele chegou a pedir que o relator da matéria, Vicente Cândido (PT-SP), incluísse a obrigação de a Fifa, uma entidade privada, doar os ingressos, mas isso seria inconstitucional.

Leia ainda:
Primeiro Plano especial – A Copa do Mundo Também é nossa – estreia nesta terça
Ricardo Teixeira diz que se aposenta após a Copa de 2014
Presidente da CBF grava para Primeiro Plano especial sobre a Copa 2014

Com a negociação à parte, o problema fica resolvido. “O Ricardo Teixeira informou que, independentemente da Lei Geral da Copa, a CBF, como entidade privada, doaria para essa classe 32 mil ingressos para os jogos da Copa do Mundo. É uma vitória muito grande”, disse Romário hoje, no Hotel Sheraton, no Rio de Janeiro.

Hoje, existem 45 milhões de deficientes no Brasil, de acordo com a deputada Rosinha da Adefal (PTdoB-AL), militante dos direitos das pessoas com deficiência e uma das presentes ao anúncio do COL.

Próximos Passos
A assessoria de Romário afirmou ao Congresso em Foco que o próximo passo da Frente Parlamentar em Defesa das Pessoas com Deficiência é se reunir com membros do governo federal, como a ministra Ideli Salvatti (Relações Institucionais). A ideia de políticos como Romário, Rosinha e Mara Gabrili (PSDB-SP) é pedir que o governo receba os ingressos dos organizadores da Copa e estabeleça critérios para definir quem é de baixa renda ou não, o que certamente vai incluir pessoas beneficiárias do programa Bolsa Família.

O governo poderá fazer a distribuição direta ou repassá-la a entidades que representam os deficientes. A medida evitaria a comercialização ilegal de sobras de ingressos ou mesmo a entrega a pessoas não autorizadas. Para garantir o acordo, Romário ainda pretende tentar uma conversa com o presidente da Fifa, Joseph Blatter, e tratar dos 32 mil ingressos gratuitos.

Postura
Durante o evento, o ex-jogador negou que vá mudar sua postura crítica perante os cartolas do futebol. A suspeita se deu após uma reunião com Ricardo Teixeira, que tem recebido reprimendas por parte de Romário. “Não mudo de lado, não mudo de bandeira. Sou deputado federal e vou continuar fiscalizando. Não apenas a CBF, o Ricardo Teixeira ou o Ronaldo, que é um grande amigo e um ex-companheiro”, disse o deputado.

Estudantes sem meia
O projeto de lei da Copa não dá direito a meia-entrada para estudantes e idosos, ao contrário d que prevêem leis federais e estaduais. Em vez disso, a proposta reserva uma cota de 300 mil ingressos a preços populares, de cerca de R$ 50, para estudantes, pessoas com mais de 65 anos, índios, beneficiários do Bolsa Família e aqueles que aceitarem trocar armas por entradas.

Do Congresso em Foco



0 comentários







0 comentários
Topo | Home




You must be logged in to post a comment.