Corrupção, Nacional
Atualizado em: 09/08/2011 - 5:35 pm

Investigação apura mais um caso de corrupção para desviar dinheiro dos cofres públicos

O esquema de desvio de recursos do Ministério do Turismo investigado pelo Ministério Público Federal (MPF) e pela Polícia Federal (PF) podem ter causado um prejuízo aos cofres públicos de cerca de R$ 4 milhões.

Segundo o procurador da República no Amapá, Celso Leal, o valor é relativo ao dinheiro liberado por meio de emenda parlamentar para um convênio firmado pelo ministério, em 2009, com o Instituto Brasileiro de Desenvolvimento de Infraestrutura Sustentável (Ibrasi). Convênio que ele classifica como “uma grande fraude para desviar dinheiro do ministério”.

De acordo com o procurador, os fortes indícios de irregularidades motivaram-no a expedir 19 mandados de prisão preventiva (sem prazo determinado), 19 mandados de prisão temporária e sete de busca e apreensão, que levaram a PF a deflagrar, na manhã de hoje (9), a Operação Voucher, que resultou na prisão de 38 pessoas.

Leia mais:
Secretário Executivo do Ministério do Turismo e mais 37 pessoas são presas em operação da PF
Ministério do Turismo assina contratos de R$ 52mi com ONG de empresário indiciado

Ministérios do Turismo e Cidades são os novos alvos de Dilma 

“As prisões estão fundamentadas basicamente no desvio de verbas, ou seja, no pagamento pela execução de um convênio que não foi executado, mesmo o dinheiro tendo sido liberado”, declarou o procurador, por telefone, à Agência Brasil.

Da Agência Brasil



0 comentários







0 comentários
Topo | Home