Lava Jato
Atualizado em: 12/05/2017 - 6:22 pm

Dilma ligou pessoalmente para avisar sobre mandado de prisão, diz Mônica Moura

A então presidente Dilma Rousseff telefonou para João Santana para avisar que ele e sua mulher, a empresária Mônica Moura, seriam presos, disse Moura em seu depoimento que integra a delação premiada.

De acordo com Mônica, em fevereiro de 2016, o casal estava na República Dominicana e recebeu uma mensagem enviada por Dilma, por meio do e-mail secreto que usavam para se comunicar, com o pedido de conseguir uma linha segura para falar.

“O João [Santana] falou com ela [Dilma] por telefone, na noite do dia 20 ou 21 de fevereiro. Fomos avisados que foi visto um mandado de prisão assinado contra a gente”, disse a empresária.

Prisão
Mônica reiterou que Dilma apenas deu o aviso e não passou nenhuma orientação ao casal ou pediu que tomassem alguma providência. “Nossa reação foi de desespero absoluto. Mas jamais fugiríamos.” No dia 22, a prisão dos dois foi decretada. Eles foram detidos ao retornar ao Brasil, no dia 23 de fevereiro de 2016.

Sem comunicação
Segundo Mônica, depois disso, a comunicação com Dilma e seus emissários foi suspensa. “Nunca mandaram nenhum recadinho de apoio, ou de ameaça, ou de medo, nada, zero. Nem nossos filhos nos procuraram na prisão”. Os dois obtiveram liberdade provisória em agosto de 2016.

Lava Jato
A delatora também disse que foi procurada por Marcelo Odebrecht para tentar convencer Dilma a tentar parar as investigações da Lava Jato. Mônica disse que chegou a falar com a ex-presidente sobre isso, mas que a petista ficou “muito irritada”. “Ela disse: ‘Eles são loucos. Não posso fazer nada’.”

Com informações da Folha



0 comentários







0 comentários
Topo | Home