Eleições 2014
Atualizado em: 03/10/2014 - 2:32 pm

Ailton Lopes, Camilo Santana, Eliane Novais e Eunício Oliveira disputam  a eleição para o governo do Ceará

Ailton Lopes, Camilo Santana, Eliane Novais e Eunício Oliveira disputam a eleição para o governo do Ceará

Ao todo, foram 90 dias de campanha eleitoral, 44 dias de propaganda gratuita no rádio e na TV, seis debates eletrônicos, e estamos apenas a dois dias para a eleição. Nesta reta final, os quatro candidatos ao Governo do Estado, Ailton Lopes (Psol), Camilo Santana (PT), Eliane Novais (PSB) e Eunício Oliveira (PMDB) avaliaram todo o processo eleitoral, e a conclusão não poderia ser outra: A eleição, de fato, ganhou ares de “guerra”.

A disputa que levará o ganhador a governar o Estado do Ceará pelos próximos quatro anos, está cercada de estratégias, com “guerras psicológicas”, informações plantadas, confrontos judiciais, e troca de acusações que, em muitos casos, ultrapassaram as barreiras das candidaturas e feriram a moral dos candidatos.

Camilo
Ao avaliar todo o processo, Camilo Santana afirma que foi “gravemente atacado”. O petista cita o caso dos banheiros como uma das acusações que feriu sua honra. “Pode até ser que o cearense não vote em mim, mas eu vou sair dessa eleição da mesma forma que entrei. Com um nome honrado, porque eu sou um servidor público, um pai de família e venho servindo o Estado do Ceará e não admito que vá sujar o meu nome e jogá-lo na lama”, desabafou Camilo à imprensa, em um evento que reuniu milhares de correligionários e prefeitos dos municípios no início da semana, no Marina Park Hotel.

O candidato da oposição, Eunício Oliveira (PMDB), usou em suas inserções o escândalo, vinculando o caso ao petista. “Agressões a mim e ao governador Cid [Gomes] foi o que teve nessas eleições. Parece desespero de adversário que está vendo só eu crescendo e ele caindo [nas pesquisas] e quer tentar agora influenciar no final com mentiras e calúnias de forma difamatória”, comentou, dando conta de que procurou não fugir de apresentar suas propostas ao longo da campanha.

“O candidato Eunício entrou com uma ação, em julho de 2013, para tirar notícias do portal da Google, que relaciona o seu nome com o da Petrobras. Por que ele fez isso? O que ele quer esconder do povo do Ceará?”, retrucou. O peemedebista é acusado de ter assinado, sem licitação, contratos milionários da empresa Manchester Serviços Ltda., com a Petrobras.

Eunício
Já Eunício Oliveira afirma que foi “vilipendiado” nessa campanha e citou, que dentre os ataques sofridos, teve um de seus patrimônios em Goiás invadido, por cerca três mil sem-terras do MST, no ultimo dia 31 de agosto, o que considera ter sido orquestrado por políticos cearenses. “Há 30 dias, invadiram uma propriedade, para que eu sujasse minhas mães de sangue. Invadiram uma empresa da minha família. Para que? Até isso fizeram para me pressionar”, disse.

O peemedebista comentou ainda os ataques realizados pelo secretário de Saúde, Ciro Gomes, em sua rede social. Sem expor provas, afirmou que sua família também sofreu ataques, e uma das vítimas foi uma de suas filhas. “Eu ganhei direito de resposta em relação ao Facebook do desequilibrado secretário de Saúde, que acorda meus filhos de madrugada. Não sei se você é pai e tem uma filha com problemas, ser acordada quatro horas da manhã para receber desaforo”, denunciou.

Ailton Lopes
O candidato Ailton Lopes, que mais atacou do que foi atacado no processo, questionando, por exemplo, os arranjos políticos e os financiamentos de campanha, ressaltou que todo o processo eleitoral foi“injusto”, principalmente, o programa eleitoral de rádio e na TV. “A minha avaliação do programa eleitoral é que este é profundamente injusto, antidemocrático, como todo o processo. É injusto com o eleitor, que não tem acesso ao mesmo ponto de vista de equilíbrio de todos os candidatos. Faz parte dessa sociedade injusta que tem uma classe de dominantes e dominados”, reverberou. Ailton tinha menos de dois minutos no Horário Eleitoral Gratuito.

Eliane Novais
Entre as suas queixas do processo eleitoral, a socialista Eliane Novais criticou, principalmente, as pesquisas de intenção de voto, que classificou de “maldosas” e “injustas”. Além de se sentir prejudicada, declarou que “alguém está por trás disso tudo”. Eliane criticou os gastos de campanha de Eunício e Camilo, onde ressaltou gastarem R$ 1 milhão por dia. Para a socialista, a polarização nas pesquisas relaciona-se com os gastos de campanha. “Correm as notícias que está rolando dinheiro dentro de carros de candidatos. É isso é o que nós estamos vendo e vamos vivenciar mais uma vez na campanha eleitoral, que tem cheiro de corrupção”, lamentou.

Com informações do OE



0 comentários







0 comentários
Topo | Home