Bastidores, Eleições 2014
Atualizado em: 01/03/2013 - 7:00 am

O seminário do PT com Lula conseguiu reunir no mesmo palco, Luizianne Lins, Cid Gomes, Lúcio Alcântara, Roberto Cláudio e Eunício Oliveira. Em entrevista, Luizianne dispara contra Cid: "Meu maior erro político foi ter acreditado nele"; Governador silencia: "Sem comentários". Foto: Kézya Diniz

O seminário do PT com Lula conseguiu reunir no mesmo palco, Luizianne Lins, Cid Gomes, Lúcio Alcântara, Roberto Cláudio e Eunício Oliveira. Em entrevista, Luizianne dispara contra Cid: “Meu maior erro político foi ter acreditado nele”; Governador silencia: “Sem comentários”. Foto: Kézya Diniz

O Partido dos Trabalhadores realizou na noite de quinta-feira (28), aqui em Fortaleza, o primeiro de uma série de dez seminários que serão realizados por diferentes capitais brasileiras para comemorar os dez anos do governo do PT no governo federal.  Um encontro que reuniu no mesmo palco Lula, Luizianne Lins, Roberto Cláudio, Cid Gomes, Eunício Oliveira e Lúcio Alcântara. E teve de tudo: vaias, farpas contra adversários, faixas de protesto e muita articulação nos bastidores com vistas a eleição de 2014.

Cid x Luizianne
Logo na chegada ao seminário, Luizianne atacou Cid Gomes. “Meu maior erro político, até hoje, foi ter acreditado nele”, disse. “Fiquei muito chocada com o que aconteceu em 2012, até porque veio de um antigo aliado. Foi um processo muito duro e, para mim, desonesto.”

Questionado sobre a declaração da prefeita, o governador limitou-se a responder: “Sem comentários”.

Vaias
O prefeito Roberto Cláudio e o governador Cid Gomes, ambos do PSB, chegaram juntos ao evento. Os dois foram vaiados ao serem anunciados para a composição da mesa de autoridades. Roberto Cláudio ficou ao lado de Luizianne Lins durante toda a solenidade. Um clima visivelmente desconfortável. Cid foi novamente vaiado ao ser chamado para discursar. Ele não citou Luizianne Lins nos cumprimentos. Um grupo de militantes do PT exibiu para os dois uma faixa com a seguinte inscrição “Nem no luxo do hotel o PT aceita coronel”.

Vice de Dilma
Na entrevista à imprensa, Cid Gomes falou sobre a manutenção da aliança com o PT em 2014 e cobrou mais espaço para o PSB. O governador disse que a legenda deveria ficar com a candidatura à vice-presidência na chapa de Dilma Rousseff. “Hoje, diante de um quadro em que o PMDB já ocupa as presidências do Senado e da Câmara, o PSB pode ampliar seu espaço no cenário nacional”, avaliou.

Leia ainda:
Cid Gomes defende que Eduardo Campos seja vice de Dilma em 2014

Loira
A ex-prefeita de Fortaleza também falou com os jornalistas, rebateu as críticas à sua gestão e lamentou os ataques. “Quando as pessoas não conseguem fazer as coisas, elas têm de culpar os outros. Acho que, nesse momento, [da administração de Roberto Cláudio] é falta de saber o que fazer. Você passa o tempo reclamando e não apresenta nada à sociedade”, disparou.

A pedidos
Luizianne ainda confirmou que, atendendo a pedido de Lula, fica na presidência do PT do Ceará até fevereiro de 2014.

Lula foi o último a discursas e não falou com os jornalistas.

Lula foi o último a discursas e não falou com os jornalistas.

Pró PT
No caminho até o auditório do hotel, um paredão de televisores exibiu imagens de marcos dos governos de Lula e Dilma Rousseff. Centenas de políticos, entre vereadores, deputados e prefeitos lotaram o espaço preparado para receber mil convidados.

Plural
Mas o que chamou a atenção foi a pluralidade de dirigentes de outros partidos que também estiveram presentes. A sucessão de 2014 dominou os bastidores.

Aliança
O presidentes do PR no Ceará, o ex-governador Lúcio Alcântara, lembrou que a aliança com o PT em 2012 aconteceu em uma situação política específica e que ainda é cedo para dizer se os dois partidos vão marchar juntos agora. Já o senador Eunício Oliveira (PMDB) disse que em plano nacional o PMDB tem uma posição sólida de apoio ao PT.

Lula
Em discurso, Lula alfinetou os adversários e, sem citar nomes, fez referência a uma das principais propostas administrativas do senador Aécio Neves, possível candidato do PSDB à Presidência da República. “Quando você ouvir falar que ‘vamos dar um choque de gestão’, não se iluda. Significa mandar peão embora”, disparou.



0 comentários







0 comentários
Topo | Home