Em Brasília
Atualizado em: 29/08/2013 - 7:49 am

Em votação secreta, Câmara livra Donadon de perda de mandato; Deputado está preso há mais de 2 meses. Foto: Agência Brasil

Em votação secreta, Câmara livra Donadon de perda de mandato; Deputado está preso há mais de 2 meses. Foto: Agência Brasil

A Câmara dos Deputados livrou de cassação o deputado federal Natan Donadon (sem partido/RO) — condenado a 13 anos, 4 meses e 10 dias por peculato e formação de quadrilha. Na noite de quarta-feira (28), dia em que o deputado completou dois meses preso no Complexo Penitenciário da Papuda, a votação sobre a perda do mandato teve 233 votos a favor, 131 contra e 41 abstenções, mas eram necessários 257 votos para a cassação, o que configuraria a maioria dentro do total de 513 parlamentares da Casa. O voto nesse tipo de sessão é secreto.

Afastado
Diante da situação, presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), considerou o deputado afastado do cargo e decidiu convocar o suplente de Donadon para assumir a função enquanto ele estiver preso.

“Sofrimento”
Vestido de terno e gravata, sem algemas e com o cabelo curto, Donadon fez sua própria defesa e jurou inocência. Reclamou do sofrimento do encarceramento, disse que nunca roubou “um centavo” da Assembleia Legislativa de Rondônia e que foi condenado porque a Justiça queria atender às “vozes das ruas”. “Não é justo condenar um inocente”, declarou. Com a família em plenário, Donadon se emocionou ao reencontrar antigos funcionários e foi cumprimentado por parlamentares enquanto esteve em plenário.

Votação
Com 459 parlamentares na Casa, a sessão se estendeu para que todos os deputados votassem, mas só 405 registraram voto. “Quem não está comparecendo está revelando seu voto”, observou o deputado Chico Alencar (PSOL-RJ). O próprio Donadon chegou a registrar seu voto, mas o presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), ao ser alertado, avisou que o voto do “julgado” não seria computado. Durante a espera, Donadon fez uso da palavra no microfone e reclamou da comida no presídio. “A xepa não é de boa qualidade”, criticou.

Condenado
Donadon foi condenado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) pelo desvio de recursos da Assembleia Legislativa de Rondônia, onde ele ocupava o cargo de diretor financeiro. Segundo o Ministério Público, o esquema funcionou de 1995 a 1998, por meio de contrato simulado de publicidade por serviços que não eram prestados. Os desvios, segundo o MP, somam R$ 8,4 milhões.

Com informações do Estadão.com

Siga-nos e curta-nos:
RSS
Follow by Email
Twitter
Visit Us
Follow Me