Nacional
Atualizado em: 22/06/2013 - 6:44 pm

Entidades criticam contratação de médicos estrangeiros para trabalhar no Brasil

Entidades criticam contratação de médicos estrangeiros para trabalhar no Brasil

Em resposta ao pronunciamento feito na sexta-feira (21) pela presidente Dilma Rousseff, diversas entidades ligadas à categoria de médicos do país divulgaram neste sábado (22) nota onde criticam a intenção do governo em trazer médicos estrangeiros para atender a regiões carentes desses profissionais, localizadas no interior do país.

Na pele
Na carta, dirigida à população brasileira, as entidades lembram que a presidente foi “vítima de grave problema de saúde”, e que fez tratamentos em “centros de excelência do país e sob a supervisão de homens e mulheres capacitados em escolas médicas brasileiras”. E acrescenta: “O povo quer acesso ao mesmo [tipo de tratamento] e não quer ser tratado como cidadão de segunda categoria, tratado por médicos com formação duvidosa e em instalações precárias”.

Imediato
Durante o pronunciamento, a presidente disse que, entre as medidas estudadas pelo governo, está a de “trazer de imediato milhares de médicos do exterior para ampliar o atendimento do SUS [Sistema Único de Saúde]”.

Entidades
Assinada pelas associações Médica Brasileira (AMB), Nacional de Médicos Residentes (ANMR), pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) e pela Federação Nacional dos Médicos (Fenam), a carta diz que as entidades usarão “todos os mecanismos possíveis para barrar a decisão, inclusive na Justiça”.

Vergonha
Segundo as entidades, a “importação” de médicos simboliza uma “vergonha nacional”. De acordo com as entidades, a medida submeteria a parcela mais vulnerável da população “à ação de pessoas cujos conhecimentos e competências não foram devidamente comprovados”, escondendo “os reais problemas” que afetam o Sistema Único de Saúde (SUS).

Decepção
Contatado pela Agência Brasil, o presidente do Conselho Federal de Medicina (CFM), Roberto d’Ávila, se disse decepcionado com o anúncio feito pela presidenta. “Ela tinha prometido, em audiência que tivemos, que não tomaria qualquer medida sem antes conversar com as entidades, e que instituiria, antes, um GT [grupo de trabalho] para discutir assunto”, disse o médico.

Com informações da Agência Brasil



1 comentário







1 comentário
Topo | Home


ivandi | domingo junho 23 2013 | 09:30

sinto muito mais o brasil esta muito deficiente de médicos em geral se o povo paga, pode contratar, vai acabar com a banca de muito médicos brasileiro,que atende os doentes como deve atender , nos hospitais publicos, o povo não aguenta mais a falta do amor a profissão dos médicos brasileiros esta com muita banca ,






You must be logged in to post a comment.