Bastidores, Ceará
Atualizado em: 22/11/2011 - 11:49 am

Caiu na rede. Um vídeo com uma conversa entre o governador Cid Gomes (PSB) e empresários vem causando polêmica no mundo virtual e no meio político. Na filmagem, o governador conversa com dois empresários sobre como fazer para desapropriar terrenos em Fortaleza para a construção de estações do metrô e ainda sugere um modelo para o processo. “Então vê se a gente faz um rolo aí. Eu desaproprio e depois a gente vê tipo uma indenização. Vocês pagam o Estado…”, diz Cid Gomes

Segundo mostra o vídeo, Cid Gomes diz que há três pontos – um na rua Nunes Valente, outro na Leonardo Mota, ambos no bairro Aldeota, e outro no bairro Papicu – que devem ser desapropriados para construção das estações. “Dá para fazer. Você faz a estação em baixo, eu vou ter que desapropriar, porque a estação vai ser fora da rua, provalvelmente”, declara o governador.

Proposta
Na conversa, Cid propõe que o Estado desaproprie as áreas dos locais onde vão ser construídas as estações, e os empresários deêm o dinheiro referente a essas desapropriações. Em troca, eles poderão “verticalizar”. Ou seja, poderão construir prédios nesses locais ou próximos a eles.

Então vê se a gente faz um rolo aí. Eu desaproprio e depois a gente vê  tipo uma indenização. Vocês pagam o Estado e isso (…)”, diz antes de ser interrompido por um dos empresários que sugere: “vamos imaginar, vamos imaginar”. 

Cid Gomes então continua:  “Eu tô imaginando assim: o Estado é mais fácil de desapropriar. Eu desaproprio. Eu construo a estação, tenho dinheiro para isso”, diz Cid Gomes. “O dinheiro da desapropriação vocês me dão e isso fica como uma coisa para ser… compensada”, completa o governador aos empresários.

Tatuzão
No fim da conversa, um dos empresários diz que vai passar o tatuzão. O governador, por sua vez, replica:  “Eu vou atrás do tatuzão“. Tatuzão é o nome de uma máquina escavadeira de 95 metros de comprimento e 1.800 toneladas de peso que é usada na construção civil para cavar túneis de metrôs.

A declaração foi feita após um evento realizado na última quinta-feira (17) em Fortaleza, em que o governador foi homenageado.

Veja o vídeo postado na internet:

Resposta do Governo
O Jangadeiro Online procurou a assessoria de Comunicação do Governo do Ceará, que pediu um e-mail com as informações, mas até agora não deu um retorno com o posicionamento sobre as declarações dadas pelo Governador e registradas no vídeo.



5 comentários







5 comentários
Topo | Home


Henrique Sampaio | quinta-feira novembro 24 2011 | 17:46

“eu desaproprio, eu tenho dinheiro…” e ” agente faz um rolo aí…” é dessa forma que o nosso governador Cid Gomes trata a coisa pública, vergonha…

Josuel de Maracanaú | sexta-feira novembro 25 2011 | 14:17

Camarada Cid, nós lhe elegemos e reelegemos para que voçê e as outras pessoas, que estão em posição administrativa na estrura do governo do nosso estado pudessem nos dá o direito de acreditar
na possibilidade de termos servidores públicos consciente e ciente de suas responsabilidades para com os quase 8 milhoes de pessoas, que apredenderam a respeitar às autoridades constituídades e
legitimadas pelo voto, mais que tambem, aprederam que este respeito deva ser reecíproco!

Cidadão Crítico | domingo novembro 27 2011 | 11:16

Esse é o nosso Rei Sol!
Acredita mesmo que o Estado é ele!!!!

Alison | domingo novembro 27 2011 | 22:36

Muito interessante, quando o “Nosso” belo governador quer, ele da um jeito para se beneficiar. agora, aprovar uma lei federal (piso salarial aos professores) na qual o beneficio é para o social, não tem conversa, alega que o estado não tem verba, mesmo sabendo do fundo nacional que auxilia ele nesta empreita, se fosse o caso, expressando de forma explicita o pensamento de seu governo que é : vamos deixar o povo mais burro, pois assim se torna mais fácil manipula-los.

Lina Oliveira | quinta-feira dezembro 1 2011 | 22:37

O problema da impunidade aqui no Brasil é uma coisa vergonhosa, absurda. Na verdade, os responsáveis por esse ato criminoso (escândalo dos banheiros) têm que ressarcir não o Governo do Estado e sim, os cofres públicos. Um dinheiro que é produzido com sangue, suor e lágrimas do trabalhador que, além de sustentar todos os presidiários, a corrupção todos os dias come à sua mesa. Que vergonha!!!