ALEC, Banheiros Fantasmas, Ceará, Corrupção
Atualizado em: 13/09/2011 - 1:13 pm

Fernando Hugo (PSDB) cobrou explicações sobre convênios firmados pelo Estado

Durante pronunciamento na sessão plenária desta terça-feira (13) na Assembleia Legislativa, o deputado Fernando Hugo (PSDB) disse que encaminhou requerimento para que a Comissão de Fiscalização e Controle da Assembleia Legislativa convoque os três ex-funcionários da Secretaria das Cidades, exonerados nesta segunda-feira pelo secretário da pasta, Camilo Santana.

De acordo com as investigações, o caso, que ficou conhecido como o escândalo dos banheiros fantasmas, desviou milhares de reais liberados pelo Governo do Estado para a construção de kits sanitários no interior do Ceará. Apesar do pagamento feito através de convênios firmados com associações,  nenhuma obra foi executada.

Ainda durante pronunciamento, Fernando Hugo cobrou maior atenção do governador Cid Gomes aos convênios firmados pelo Executivo com associações em diversos municípios cearenses.

“Não pode continuar”
O parlamentar comentou ainda que 65 convênios do Estado estão sem a devida prestação de contas. Ele disse ainda que R$ 7,6 milhões foram liberados para 54 associações e 11 prefeituras, que se encontram inadimplentes com nove secretarias estaduais.

Não pode continuar assim. É preciso evitar a eclosão de escândalos deste tipo, por isso encaminhamos requerimento à Comissão [de Fiscalização e Controle], esperando que ela não se exima de seu papel e questione os responsáveis”, protestou o deputado.

Comissão se isenta
Sobre o trabalho da Comissão de Fiscalização, o deputado Heitor Férrer (PDT) acrescentou que, na opinião dele, mesmo diante de tantos desvios e escândalos, ela continua se isentando do poder de pressionar gestores do Executivo e buscar explicações sobre os indícios de irregularidades nos convênios.

“Boi de Piranha”
O deputado Roberto Mesquita (PV), por sua vez, fez vários questionamentos sobre a responsabilidade do Estado no “Escândalo dos Banheiros” e defendeu que a Comissão promova um debate sobre o tema. “Se a Comissão rejeitar este requerimento, estaremos colocando estes três indicados pela Secretaria como boi de piranha neste episódio. A Comissão precisa nos permitir ouvir estes ex-funcionários.

É fato que existiram os convênios e alguém do Governo autorizou”, rebateu Mesquita.

Leia mais:
Banheiros Fantasmas: Camilo nega envolvimento mas exonera três servidores após sindicância  
Agora vai? Secretaria das Cidades promete divulgar sindicância sobre escândalo dos banheiros nesta segunda 

Téo Menezes adia pela segunda vez depoimento no caso do escândalo dos Banheiros 
Banheiros Fantasmas: promotor diz que Bradesco sonega informações 

Assista à reportagem exibida no Jornal Jangadeiro:

Com informações da AL



2 comentários







2 comentários
Topo | Home


rabelo | terça-feira setembro 13 2011 | 21:27

“Escândalo dos Banheiros”.Onde alguns politicos e gestores do dinheiro do povo chegaram, é ridículo.Uns sendo exonerados,demitidos sem explicar porque,e o dinheiro sendo distribuido para associações não se sabe de quem ou de que,explicações sem nexo,ou coerência, ninguem ta se entendendo ou se fazendo entender.É tudo um gaudério de babel.E o dinheiro do povo entrando num ralo enorme.E as tais instalações sanitárias para a higiene pessoal das famiílias dos sertões do Ceará, é de fato-fábula,será que dessa vez saberemos a verdade?,que o pai de todas as sabedorias ilumine os honestos,e afaste de vez os funestos.

Eduardo | terça-feira setembro 13 2011 | 22:44

“Boi de piranha”! Ótima definição! Entregam alguns para o “sacrifício” na tentativa de livrar os “maiores” da investigação!