Corrupção, denúncias
Atualizado em: 27/03/2012 - 6:32 pm

Heitor Férrer voltou a criticar o modelo de empréstimos consignados do Governo do Estado (Foto: Site AL)

O deputado estadual Heitor Férrer (PDT) voltou a criticar o modelo de empréstimos consignados do Governo do Estado durante da Assembleia Legislativa desta terça-feira (27). O parlamentar afirmou ter recebido novas provas que ratificam as denúncia de enriquecimento ilícito dos proprietários da empresa envolvida nos processos, que vieram a público em 2011.

Segundo ele, um contrato irregular foi assinado com uma empresa que seria responsável pela gestão das consignações. “O problema está no fato do dono da empresa suspeita de irregularidade ter envolvimento com um integrante do primeiro escalão do Governo”, denuncia Férrer referindo-se ao chefe da Casa Civil, Arialdo Pinho, e ao genro dele.

Leia mais:
Férrer entrega documentos sobre denúncias no caso dos “consignados” ao governador Cid Gomes
Férrer denuncia que Genro de Arialdo Pinho, secretário do governo Cid, opera esquema de consignado no CE

Milhões
O pedetista afirma que a movimentação mensal decorrente desses empréstimos chega a R$ 94 milhões. “É um esquema de enriquecimento ilícito através do suor e da espoliação do servidor público”, classifica. Ele lamenta ainda a derrubada de requerimento de autoria dele que solicitava a nulidade da parceria e adianta que enviou documentação, à Procuradoria Geral de Justiça (PGJ), para que o Executivo seja convocado a prestar esclarecimentos.

“Miúdo, raquítico e repetitivo”
Diante das denúncias, o deputado Carlomano Marques (PMDB) qualificou o discurso do pedetista de “miúdo, raquítico e repetitivo”. O peemedebista afirma que as denúncias de Férrer são uma forma de promover uma possível candidatura dele à Prefeitura de Fortaleza. Heitor, por sua vez, rebateu, dizendo ser esse um sinal de falta de argumentos para contestar as novas provas.

“Café requentado”
Em aparte, o deputado Roberto Mesquita (PV) criticou o silêncio do Governo sobre o problema dos consignados. Já o líder do Governo na Assembleia Legislativa, deputado Antônio Carlos (PT), classificou o pronunciamento de Heitor de “café requentado” e ponderou: “eu defendo o Governo por uma concepção programática; por uma aliança política”.

“Falha grave”
Reforçando o discurso, o deputado Wellington Landim (PSB), líder do bloco PT-PSB, declarou que não existe nenhuma ilegalidade. “É uma falha grave Vossa Excelência [Heitor Férrer] dizer que o Governo tira dinheiro do servidor. São praticados juros de mercado. Mas, se existe alguma dúvida ainda evidentemente, Vossa Excelência tem o direito de questionar”.

Leia ainda:
Servidores Públicos pedem investigação de empréstimos consignados
MP solicita envio de documentos para prosseguir investigações dos empréstimos consignados
Comissão rejeita pedido de audiência para discutir empréstimos de servidores
Novos indícios de irregularidades no caso dos empréstimos consignados



4 comentários







4 comentários
Topo | Home


carlos | terça-feira março 27 2012 | 20:45

eu sou servidor e tenho um emprestimo de 25.000,00 e vou pagar quase 80.000,00

Comunidade Unidas | terça-feira março 27 2012 | 21:59

É lamentavel que esse pronunciamento nao aparece no site da Assembleia Legislativa, é triste…!

rabelo | terça-feira março 27 2012 | 22:41

O dr.Heitor tem todas as razões,os fortes indícios são gritantes,alguém muito sabichão esta botando a mão na massa do dinheiro dos incautos.Uma pena,pois o verdadeiro ladrão é aquele que é rico e rouba os pobres,para ficar mais rico.Um gaudério.Até agora vc tem meu voto.

JUNIOR | terça-feira março 27 2012 | 22:45

É SÓ UM LUTANDO CONTRA O BANDO DE SANGUESSUGAS DO GOVERNO! QUEM QUER DINHEIRO?!!!