Entrevista
Atualizado em: 30/11/2015 - 10:27 am

Senador que disputará com Ciro a indicação do PDT para a presidência, diz que cearense deve deixar base aliada. Foto: Foto: Geraldo Magela/ Agência Senado

Senador que disputará com Ciro a indicação do PDT para a presidência, diz que cearense deve deixar base aliada. Foto: Foto: Geraldo Magela/ Agência Senado

O senador Cristovam Buarque (PDT-DF) fez duras críticas ao Governo da presidente Dilma Rousseff e argumentou que o País “caminha num mar de lama” com parlamentares “impotentes” diante das incertezas.

Cristovam anunciou, ainda, que quer disputar com o ex-ministro e ex-governador do Ceará, Ciro Gomes, a indicação do partido para a sucessão da presidente Dilma Rousseff, em 2018. A informação foi confirmada pelo próprio pedetista ao jornal O Estado, em entrevista exclusiva. O partido, segundo ele, terá dois ou três nomes no páreo da disputa interna pela corrida presidencial.

“O Brasil está sem rumo. Um Governo sem credibilidade, sem projeto, sem vida, e, além disso, sob suspeição. Imagine uma pessoa perdida caminhando no mar de lama, assim vive o Governo”, disse o senador, acrescentando que o Congresso Nacional assiste “quase paralisado” as medidas anunciadas, tentando encontrar “como participar para que o País reencontre seu rumo”.

Impeachment
Para Cristovam, só existe uma maneira de o Governo recuperar sua credibilidade: que os parlamentares discutam a proposta de impeachment da presidente Dilma. “Só vejo uma maneira, debatermos se há ou não razão para o impeachment da presidente Dilma Rousseff. Se houver, substituí-la e começarmos tudo de novo. Se não houver, ela recebe um voto de confiança e começa tudo de novo. Aí, ela enfrenta a crise e define um novo rumo. Essa discussão pendurada na cabeça está fazendo muito mal”, ponderou.

Tá ruim!
O senador destacou, ainda, que o Governo da presidente Dilma está desgastado devido aos problemas econômicos e as denúncias de corrupção, e lamentou que, “se continuar do jeito que está, são três anos desastrosos”. “Mas, se ela continuar, após o voto de confiança, ela pode começar um novo governo e fazer como o Itamar [Franco], chamar oposição e refazer seu Ministério”, salientou.

Ciro Gomes
Com o discurso declarado de que vai disputar a indicação do PDT para concorrer à presidência em 2018, Cristovam anunciou que quer disputar com Ciro a indicação, em breve, logo porque, segundo ele, esperar até 2018 para discutir o assunto seria “naufragar no mediterrâneo que é o atual Governo”. E aconselhou Ciro a deixar base aliada ou, caso contrário, o PDT corre o risco de ter um candidato “pisando na lama do Governo atual”.

“Ela [a disputa] é necessária, sobretudo, em virtude do candidato do presidente [Carlos Lupi, presidente nacional do PDT], o Ciro Gomes, é uma pessoa vinculada ao Governo. Se chegarmos, ao final de tudo isso, tendo como candidato o Ciro, vamos ter um candidato perdido e pisando na lama do governo atual. Precisamos tirar o próprio Ciro de dentro deste governo e só tem um jeito, tendo uma prévia e debatermos todas as alternativas dentro do partido”, assegurou.

Com informações do OE



0 comentários







0 comentários
Topo | Home