Greve
Atualizado em: 19/02/2015 - 3:29 pm

Categoria quer aprovação de novo plano de carreira para recompor perdas superiores a 50% acumuladas com a inflação desde 2006. Servidores no Ceará também pararam atividades

Categoria quer aprovação de novo plano de carreira para recompor perdas superiores a 50% acumuladas com a inflação desde 2006. Servidores no Ceará também pararam atividades

A greve nacional dos servidores do Ministério Público da União (MPU) entra, nesta quinta-feira, 19 de fevereiro, na terceira semana. No Ceará, participam da paralisação analistas e técnicos de dois ramos do MPU – Ministério Público Federal (MPF) e Ministério Público do Trabalho (MPT). 

Plano
Os servidores do MPU querem assegurar a aprovação de um novo plano de cargos e salários que já está em tramitação no Congresso Nacional e que os recursos necessários para a implementação dele sejam incluídos no Projeto de Lei Orçamentária Anual (PLOA) de 2015, ainda a ser aprovado por parlamentares.

Reivindicações
O último plano plano de cargo e salários da categoria foi aprovado em 2006 e desde então, segundo os grevistas, os vencimentos de técnicos e analistas do MPU já acumulam perdas superiores a 50% com a inflação, já que os reajustes concedidos posteriormente não evitaram a grande desvalorização. Diferente de outras categorias, servidores do MPU não têm data base e consequentemente deixam de ter aumentos anuais, como acontece, por exemplo, com funcionários da Prefeitura de Fortaleza e do Governo do Estado.

E mais
A categoria quer ainda que o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, cobre da presidente Dilma Rousseff a inclusão no PLOA da previsão orçamentária para implementação do plano de carreira. Dilma cortou os recursos que estavam previstos na proposta encaminhada por Janot ao Congresso Nacional, desrespeitando a autonomia financeira e orçamentária do MPU.

Com informações do Sinasempu



0 comentários







0 comentários
Topo | Home