Ceará, Sem categoria
Atualizado em: 11/04/2012 - 5:16 pm

Deputado Antonio Carlos diz que o Estado prende, mas os bandidos voltam às ruas.

O líder do Governo na Assembleia Legislativa, deputado Antonio Carlos (PT), pediu, na sessão plenária desta quarta-feira (11), que os comprovadamente culpados por crimes cumpram as penas para as quais foram designados de forma mais rigorosa. “O estado faz a sua parte, prende, mas com uma semana a pessoa está solta”, reclamou o petista numa crítica velada ao Judiciário.

Pentecoste
O parlamentar avalia que a ausência de rigor favorece que episódios como o ocorrido ontem em Pentecoste, no Vale do Curu, se repetirão, por mais que o Executivo invista em segurança pública.

Durante a madrugada de ontem, cerca de 15 homens dinamitaram a única agência do Banco do Brasil na cidade. O grupo fez reféns e metralhou a viatura do destacamento policial. Fugiu com parte do dinheiro. Até agora, ninguém foi preso.

Recurso e resultados
Antonio Carlos disse que nunca se aplicou tanto dinheiro em aparato de segurança no Ceará. Ele citou a entrega de novas delegacias, aumento de efetivo policial e concessão de melhorias salariais e laborais. E avaliou que, se isso tivesse sido feito em governos anteriores, os índices de violência de hoje seriam bem menores.

“Acontece que o cidadão comete o crime e vai preso, mas a facilidade com que é libertado nos causa estranheza. E sem ter pago o mínimo de uma pena. Não estou tirando a responsabilidade das instituições federais, mas o estado faz a sua parte, prende, mas com uma semana a pessoa está solta”, observou.

Migração do crime
O petista também fez ponderações sobre a migração de facções criminosas do Sudeste para o Nordeste brasileiro. Ele lembrou que o recrudescimento das medidas repressivas ao banditismo ocorreu muito antes lá do que aqui. “O Governo tem agido. Não se consegue fazer na sua totalidade, mas o Governo tem feito muito na área da segurança”, frisou.

Com informações do site da AL



0 comentários







0 comentários
Topo | Home




You must be logged in to post a comment.