Greve
Atualizado em: 19/09/2011 - 5:44 pm

Foto: Wanderley Filho/TV Jangadeiro

O Tribunal de Justiça negou na tarde desta segunda-feira (19) o recurso dos professores da rede pública estadual contra a suspensão da greve.

No ultimo dia 26 de agosto, o desembargador Emanuel Leite decidiu que a categoria deveria retornar às salas de aula no prazo de até 48 horas, sob pena de pagar multa de R$ 10 mil por cada dia de descumprimento. Entretanto, o sindicato Apeoc entrou com um recurso no TJ para que a decisão fosse reavaliada.

Segundo o diretor do sindicato Apeoc, Anízio Melo, a categoria vai esperar a decisão ser divulgada no Diário Oficial. Caso a veiculação aconteça antes da sexta-feira (23), data em que está prevista a Assembleia Geral da categoria,  uma nova reunião será convocada para discutir com os próximos passos da greve. Além do pagamento da multa de R$10 mil por dia pelo sindicato, os salários dos professores podem sofrer descontos por dia de paralisação.

Mediação
O presidente da Apeoc, Anízio Melo e uma comissão de professores estão em audiência com o presidente da OAB para pedir ao órgão para mediar uma conversa entre  o governador, Cid Gomes, e a categoria para discutir as reivindicações e o pagamento do Piso Nacional do Magistério.

Próximos passos
Os professores da rede pública estadual vão realizar na próxima quarta-feira (21) uma manifestação na Assembleia Legislativa. A categoria vai se concentrar na Praça da Imprensa, a partir das 8h e seguirá, em caminhada, até a AL.

Caso a decisão do TJ não seja divulgada no Diário Oficial antes da sexta-feira (23), a Assembleia Geral será mantida e deve acontecer no Ginásio Aércio de Borba. A categoria vai discutir os próximos passos da greve.

Leia mais:
Legalidade da greve ainda será julgada, explica desembargador
Professores da rede pública estadual realizam vigília no TJ
Professores da rede pública estadual realizam manifestação e exibem o “Lovecard”
Vídeo: Justiça decide sobre suspensão da greve dos professores estaduais
Batalhão de Choque bloqueia entrada de professores no plenário da AL 



0 comentários







0 comentários
Topo | Home