Eleições 2014
Atualizado em: 09/10/2014 - 4:56 pm

A lei Foto: Divulgação

A portaria que determina a Lei Seca foi assinada pelo secretário de Segurança, Servilho Paiva. lei Foto: Divulgação

O desembargador Jucid Peixoto do Amaral, do Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE), negou pedido de liminar impetrado pelo Carrefour Comércio e Indústria Ltda. requerendo a liberação da venda e consumo de bebidas alcoólicas no dia de votação do segundo turno do pleito eleitoral. A decisão foi proferida nesta quinta-feira (09/10).

Lei seca
Desta forma, estão mantidos os efeitos da Portaria nº 1.386/2014, assinada pelo secretário de Segurança Pública e Defesa do Estado, Servilho Silva de Paiva. O Carrefour defende ser arbitrário o ato administrativo, pois afronta os princípios constitucionais da legalidade e da livre iniciativa. Ainda segundo o estabelecimento, outros estados como São Paulo, Distrito Federal, Paraná e Pernambuco já aboliram a Lei Seca.

Alegou ainda que somente por meio de lei se poderia proibir o comércio e consumo de bebidas alcoólicas em cada eleição. Sob esse fundamentos, impetrou mandado de segurança com pedido de liminar (nº 0627074-50.2014.8.06.0000) no TJCE contra a portaria do secretário.

Sem ilegalidade
Ao analisar o pedido, o desembargador entendeu não estar configurada ilegalidade no ato administrativo, “uma vez que os agentes da administração podem, no exercício do Poder de Polícia e em casos excepcionais como o que se apresenta nos autos, restringir o comércio de bebidas alcoólicas, a bem do interesse público”.

Ainda segundo o desembargador, “o objetivo do ato combativo é, na verdade, evitar a ocorrência de desordem, conferir maior rigidez ao processo democrático, além de assegurar a plenitude do exercício do voto livre e consciente”.

Com informações do TJCE



0 comentários







0 comentários
Topo | Home