Nacional
Atualizado em: 24/07/2013 - 9:08 am

Lula diz que vai colocar as "unhas de fora" contra adversários. Foto: Agência Brasil

Lula diz que vai colocar as “unhas de fora” contra adversários. Foto: Agência Brasil

Em um discurso repleto de ataques a vários setores, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta terça-feira (23) que está disposto a continuar na vida política e que resolveu voltar a deixar as unhas crescerem já que a presidente Dilma Rousseff é alvo de preconceito de conservadores.

Críticas
Numa fala de mais de uma hora durante Festival da Mulher Afro, Latino-Americana e Caribenha, em Brasília, o ex-presidente disparou reclamações contra as manifestações, o PMDB –principal aliado do governo–, a oposição e a imprensa.

“Eu acho que a gente tem que dizer que a Dilma não é nada mais do que uma extensão da gente lá. Nós somos responsáveis pelos erros e acertos. Portanto, o que a gente percebe é que mais uma vez os setores conservadores começam a colocar as unhas do lado de fora e eu, que já estava cortando as minhas com os dentes, vou deixar a bichinha crescer”, afirmou arrancando aplausos da plateia.

Defesa
Em meio à pressão de parte dos aliados para que volte ao governo, Lula disse que está disposto, mas defendeu a gestão de Dilma. “Eu não fiz tudo que fiz na vida para agora achar que estou errado, estou mais motivado. E se alguém pensar que lulinha está com 67 anos já pegou câncer, eu não tenho tempo para parar e não preciso ser governo para fazer as coisas nesses país. Vou continuar incomodando, falando ajudando a companheira Dilma”, completou.

Lula saiu em defesa de parte das propostas lançadas por Dilma em resposta às manifestações de junho e rebateu às críticas das classe médica contra o programa Mais Médicos, que prevê a importação de profissionais para atuar no interior e na periferia do país.

Volta?
Questionado sobre o volta Lula, ele disse que “não existe essa possibilidade”. “Eu, se pudesse, ia votar a jogar bola, mas o Felipão acho que não está me olhando com bons olhos”.

Preconceito
Ele também minimizou eventuais divergências com a presidente. Segundo o petista, sua sucessora sofre mais preconceito do que ele no Planalto. “Tentaram fazer a Dilma diferente do Lula. Tentaram criar uma divisão entre nós. Ela deu um chega para lá. Depois tentaram sempre mostrar diferença, mas depois que viram que não tinham, eles estão com preconceito contra ela maior do que tinham contra mim, maior falta de respeito, uma mulher da qualidade da Dilma”, disse.

Com informações da Folha.com



Comment closed







Comment closed
Topo | Home


Comments are closed.