Câmara dos Deputados
Atualizado em: 20/08/2013 - 8:10 pm

Manifestante invadem plenário da Câmara Federal e votação fica suspensa por meia hora

Manifestante invadem plenário da Câmara Federal e votação fica suspensa por meia hora. Foto: Agência Brasil

Policiais que defendem a votação da PEC 300 (criação de piso nacional para policiais e bombeiros) e manifestantes contrários e favoráveis aos vetos do projeto do ato médico invadiram o Plenário da Câmara durante a votação da Medida Provisória 614/13 por cerca de meia hora, na sessão desta terça-feira (20). Os policiais lideraram a invasão e foram seguidos pelos profissionais de saúde.

Pressão
Os manifestantes pressionam pela votação em segundo turno da proposta (PECs 300/08 e 446/09), que ainda depende de votação em segundo turno. O texto foi aprovado em primeiro turno em 2010.

Opa!
O presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves, condenou a invasão. “Desse jeito [com a invasão] não se conquista nem o respeito nem o voto do Plenário”, disse. Ele ressaltou que já se reuniu com representantes dos policiais e pediu prazo até o dia 16 de setembro para chegar a um acordo sobre o tema. “Esse gesto impensado de uma minoria pode comprometer a maioria.”

Na aflição
Outros deputados intercederam, e os manifestantes saíram do Plenário, mas permaneceram protestando no Salão Verde. O deputado Chico Alencar (Psol-RJ), que acalmou os invasores, disse que os policiais agiram “no desespero e na aflição”, mas afirmou que o ato deixa lições aos deputados. “Esse protesto mexe conosco, com as nossas tradicionais enrolações. Precisamos reavaliar os nossos compromissos”, disse. Ele lembrou que os deputados esperam há anos a votação em segundo turno da PEC.

PEC
Segundo a proposta, caberá ao Executivo estabelecer um piso nacional para policiais civis e militares e bombeiros militares. O texto também prevê a criação de um fundo para compensar os estados. Governadores são contrários à PEC, que afetaria os orçamentos estaduais. Alguns manifestantes dizem que, se o piso não for votado, vão inviabilizar a realização da Copa do Mundo no próximo ano.

Outros protestos
Nesta terça-feira, a Câmara foi tomada por vários manifestantes com diferentes causas. Além dos policiais e dos profissionais de saúde contrários ou favoráveis ao ato médico, estiveram no Salão Verde produtores rurais contra os vetos da MP 610, que renegocia dívidas; e papiloscopistas que defendem a derrubada do veto ao projeto que elevou a categoria a perito. Eles tomaram o Salão Verde no início da tarde na expectativa de influenciar as votações.

Com informações da Agência Câmara



0 comentários







0 comentários
Topo | Home




You must be logged in to post a comment.