Nacional
Atualizado em: 04/05/2011 - 8:31 pm

Marina Silva (PV) diz que o mais sensato seria adiar a votação do novo Código Florestal que, segundo afirma, é um retrocesso.

A ex-ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, voltou a criticar o relatório do deputado Aldo Rebelo (PCdoB-SP) sobre o Código Florestal Brasileiro.

“Lamentavelmente, a proposta que está aí não é aquela que coloca o Brasil na agenda do século 21. É a agenda que continua olhando para traz, antes da Constituição de 1988”.

Retrocesso
Segundo Marina, dizer que as atividades agrícolas podem ser consideradas de interesse social e que por isso não precisam respeitar a reserva legal, nem as áreas de preservação permanente, é um retrocesso.

“Lamentavelmente, nós estamos olhando para traz, para o retrocesso, não para o futuro. Não para a sociedade que aponta ganho do encontro entre economia e ecologia de uma agricultura, que cria uma nova narrativa para se combinar a preservação das nossas bases naturais de desenvolvimento e aumento de produção por ganho de produtividade e não por flexibilização na legislação ambiental”, disse Marina.

Pegadinhas
Para Marina Silva, o sensato é não votar hoje o Código Florestal até mesmo porque o texto apresentado contém várias “pegadinhas” e precisa ser amplamente analisado e discutido com a sociedade.

Ela denunciou que só a perspectiva de aprovação do texto já levou ao aumento do desmatamento no Mato Grosso, no sul do Amazonas e em Rondônia.

Da Agência Brasil.



0 comentários







0 comentários
Topo | Home