Ceará
Atualizado em: 15/03/2012 - 10:27 am

Bismarck Maia é secretário de Turismo do Ceará

A licença para instalação do Acquario Ceará entrou em questão pelo grupo “Quem Dera ser um Peixe”, que é contra a realização do projeto. De acordo com o grupo, que realizou reunião nesta terça-feira (13) com o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), o Estudo de Impacto Ambiental e o Relatório de Impacto Ambiental (EIA/Rima) estão incompletos.

Para esclarecer a atual situação da licença para construção do oceanário, o secretario de Turismo do Ceará, Bismark Maia, informou ao Jangadeiro Online nesta quarta-feira (14) que toda a documentação para as obras do investimento foram cumpridas, incluindo o EIA/Rima, que é emitido pela Secretaria do Meio Ambiente (Semace).

“O EIA/Rima foi aprovado durante reunião com o Ministério Público e o Conselho Estadual do Meio Ambiente (Coema), em 15 de dezembro de 2011. Os estudos realizados apontaram que no terreno é absolutamente arenoso e não foram encontrados materiais arqueológicos”, diz Bismark.

Ainda em relação ao terreno onde vai ser construído o empreendimento, na Praia de Iracema, o secretário disse: “O Acquario será construído no mesmo local do antigo prédio do Dnocs, onde já havia sido feita evacuação e fundação. Para a preservação do meio ambiente, vamos manter uma equipe de arqueólogos”.

Sobre os questionamento em torno do oceanário, Bismark ressalta a importância econômica do investimento: “É uma obra especial, e deve ser tratada de forma especial. Em outros países onde aquários foram instalados, o retorno enconômico, turístico, foi totalmente positivo, tenho certeza que em Fortaleza não vai ser diferente”.

O Jangadeiro Online entrou em contato com o Iphan e foi informado que nesta quinta-feira (15) o órgão deve publicar uma nota de esclarecimento sobre o assunto.

Leia mais:
Coema discute linceça prévia do Acquario Ceará
Licença para instalação do Acquario Ceará é emitida



2 comentários







2 comentários
Topo | Home


Luís Barroso | quinta-feira março 15 2012 | 11:47

Oh Srº Bismark, você quer comparar Fortaleza com Cidades de Países bem desenvolvidos? Caramba cai pra realidade amigo, pois Fortaleza essa cidade precisa melhora muito em questão ds outros Países que tem acquario. Uma delas é educação, saúde, segurança. você acha pense bem, que fortaleza esta preparada pra um acquario de cidade de primeiro mundo? É PIADA! Só pode ter estrangeiro por trás desse fornecimento.

joão | sexta-feira março 16 2012 | 11:26

taí que eu num sabia que o nosso secretário de turismo era arqueólogo! (e dos ruins)
de onde foi que o bismarkmaia tirou, além da cabeça dele, que “‘obras especiais’ merecem ‘tratamento especial'”?
por outro lado, pelo rumo das coisas, “tratamento especial” seria a realização de TODOS os estudos prévios, que avaliassem de forma ética os muitos impactos – ambientais, ao patrimônio e, principalmente, à sociedade –, a tomada de opinião de toda a população sobre os destinos do dinheiro público (melhor dizendo, do nosso dinheiro), uma comunicação transparente de todas as transações feitas nessas obras…
eunãovisitoacquarionenhum!






You must be logged in to post a comment.