Opinião
Atualizado em: 06/06/2013 - 4:08 pm

Fernando Hugo volta a falar sobre irregularidades envolvendo o Bolsa Família

Fernando Hugo volta a falar sobre irregularidades envolvendo o Bolsa Família

O deputado estadual Fernando Hugo (PSDB) enviou nota para o Blog em que fala sobre as denúncias de improbidade administrativa envolvendo representantes de partidos políticos e do poder Público na utilização do Bolsa Família.

Com o título “Improbidade no Bolsa Família é sujeira petista”, o tucano relembra o caso da esposa do vereador Leonelzinho Alencar (PTdoB), que recebia indevidamente o benefício (fato confirmado pelo vereador após denúncia) e diz que o benefício está financiando cabos eleitorais em campanhas políticas. Acompanhe:

“Sem dúvida alguma minha preocupação com o Bolsa Família não é somente quanto ao mérito assistencialista que atende a necessidade premente, porém não extingue a referida e “chagásica” necessidade, mas principalmente pelo fato de que o petismo transformou o programa em um bolsão político-partidário eleitoreiro, com milhões de pessoas cadastradas e recebendo sem inserir-se na exigência basal da mísera pobreza necessária para as exigências estimadas do programa.

Lembram-se da esposa Adriana do vereador Leonelzinho Alencar? Lembram-se da denúncia feita pela servidora Renata Rafaele, da SER VI, sobre cadastramentos indevidos? Lembram-se dos comerciantes e funcionários públicos de Ibaretama, também beneficiários pelo Bolsa Família? Lembram-se também do mal programado boato sobre a extinção do programa bolsista?

Tive coragem de postar-me em defesa da probidade ampla, geral e irrestrita do programa, não servindo para o pagamento de cabos eleitorais de todo o Brasil. Agora o jornalista Carlos Brickmann mostra quão grave é a falta de monitorização do ‘bolsão petista’.

‘No tumulto do Bolsa-Família, a Caixa descobriu que 692 mil famílias têm dois cadastros e recebem dois auxílios (talvez seja por isso que, como disseram à TV, haja quem compre jeans de R$ 300 para a filha e pingue mensalmente algum na poupança). Custo do pagamento ilegal? R$ 100 milhões por mês.'(Carlos Brickmann)”



1 comentário







1 comentário
Topo | Home


mauro | quinta-feira junho 6 2013 | 18:10

quero ver quando isso vai chegar em general Sampaio,que tudo e usado como bolsao politiqueiro