Opinião, Partidos
Atualizado em: 12/10/2011 - 8:33 am

Por Wanderley Filho

A criação do PSD no Ceará seguiu o mesmo roteiro que marcou a identidade da nova sigla em âmbito nacional: a reunião de oportunismo com malandragem.

Oportunismo denunciado na adesão automática de políticos dispostos a embarcar em qualquer governo, independentemente de linha ideológica ou ações pregressas dos mandatários de plantão. Malandragem evidenciada pela manobra para evitar que parlamentares eleitos por seus partidos de origem não percam seus mandatos ao migrarem para o PSD. É que a legislação não considera infidelidade partidária mudar para partidos novos.

Criado pelo prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, o PSD surge sem posição definida no espectro ideológico – ele já declarou que o partido não é nem de direita, nem de esquerda, muito menos de centro – foi um duro golpe para quem ainda acreditava na decantação do sistema político partidário brasileiro.

No Ceará o caso é pior ainda. É verdade que sempre existiram siglas de aluguel a serviço dos partidos governistas, cujos membros eram atraídos na maior parte dos casos pelos cálculos do coeficiente eleitoral, embora seus dirigentes sempre tivessem tentado negar ou disfarçar a prática. Mas agora a coisa é explícita e a imoralidade institucional serve mesmo de justificativa para a criação do partido, admitida publicamente pelos seus operadores estaduais sem o menor pudor.

O presidente da sigla no Ceará, Almircy Pinto, figura ligada à família Ferreira Gomes (“só a family”, diriam as más línguas) , afirmou: “O partido veio pelas mãos, realmente, do governador Cid Gomes. Nós tivemos o apoio velado dele”.

Ocorre que Cid Gomes, além de ser governador, é o presidente estadual de outro partido, o PSB. Temos a inusitada sombra do chefe do Executivo e líder de um partido patrocinando a criação de outra agremiação que nasce da cooptação de parlamentares que resolveram sair do armário e subir no trem da alegria do governismo, deixando as legendas pelas quais se apresentaram ao eleitor na hora de pedir votos.

Wanderley Filho é historiador e jornalista



1 comentário







1 comentário
Topo | Home


Maria L. F . Carvalho | quarta-feira outubro 12 2011 | 13:56

A Marcha é muito importante. É sinal que nosso povo acordou e quer vida decente.Parabéns a todos(as) pela iniciativa magnífica> Veja este meu poema. Ele diz tudo que vocês estão fazendo em forma de POESIA:
PROPINA NO BRASIL
Você já viu
Que moda pra pegar
Na área de governar ?
Aqui no Brasil é assim,
Propina pra aqui,
Propina pra lá,
A onda agora
É subornar.
Suborna daqui,
Suborna de lá,
E o povo a se enganar.
Tudo isso porque no Brasil,
Tem dinheiro demais,
Que a moda é carregar,
Em mala, cueca, meia, paletó,
O dinheiro é tanto,
Que chega até o gogó,
Só não chega no bolso do pobre,
Que sofre de fazer dó.
Para enganar o pobre,
Vem por meio de bolsa
Que não dar
Nem pra chegar no bolso.
Que vergonha brasileira!!!
Ver tanto dinheiro sobrando
E o povo pobre mendigando,
O bolsa família de um “PAÍS DE TODOS”.
É, POIS É , pode ser de todos,
Na arte de trabalhar,
Mas na arte de ganhar dinheiro,
Isso é pros mensaleiros de Brasília
Que brincam com o dinheiro,
Suor do pobre brasileiro,
Que não tem dinheiro no bolso,
Pelo fato de TANTO IMPOSTO PAGAR,
Eita país de “KOISA FEIA”, na arte de governar!.
O povo não agüenta mais,
Ouvir e ver nos jornais,
Tanta corrupção e tanta CPI,
Sem ter nenhuma punição
Isso é um desrespeito à natureza,
Usando tanto papel
Pra não dar em nada essas tal de CPI.
O exemplo de governar o BRASIL
Não está a se imitar
Pois só trata de “Koisa Feia”
E corrupção pra danar
Está se tornando sem crédito o ato de governar .
Uns passam tanto tempo lutando
Pra se chegar no poder,
Mas fazem o esforço valer
Fazendo uma história brilhante!!!
Mas outros metem os pés pelas mãos
E fazem da “ UNIÃO” ,
Um lugar de corrupção e de muita banalização,
E muita enganação com os pobres dessa nação brasileira.
Está na hora da mudança
E o povo voltar a ter confiança
Nos governantes desse Brasil
Que clama por um Partido da Justa Sociedade Brasileira ,
Que não trata de um “País de Todos”,
Mas um “PAÍS PARA TODOS”,
Viverem numa cidadania
De participação e justiça
Dignidade para todos
É que merece o povo brasileiro.
Nos espelhemos nos governantes da SUÉCIA
Que trabalham pro bem comum,
Sem ganhar propina alguma.
Tratam da nação,
Com amor no coração
Como se fosse um filho(a) seu,
Assim como DEUS lhe deu
De graça O DOM DA VIDA!!!.