Nacional
Atualizado em: 07/09/2011 - 8:00 am


A recente absolvição da deputada Jaqueline Roriz (PMN-DF) por colegas na Câmara, deu novo impulso às marchas e aos manifestos contra a corrupção

Mais de 300 manifestações marcadas pela internet estão previstas para este 7 de setembro em todo o país. Descontentamento com absolvição de Jaqueline Roriz incentiva marcha em Brasília. O apanhado é do Congresso em Foco. Acompanhe!

Fraudes, desvios de verbas públicas, uso de laranjas para destinar dinheiro de emendas parlamentares. O brasileiro já está acostumado a ver diariamente escândalos nos jornais e a reclamar deles também. As redes sociais se tornaram o principal fórum de debate e discussão informal, em que cidadãos indignados despejam suas críticas e trocam informações. Apesar da agitação que certos temas geram nas redes, a mobilização nas ruas ainda não reflete o entusiasmo demonstrado no mundo virtual.

Roriz
No entanto, a recente absolvição da deputada Jaqueline Roriz (PMN-DF) por colegas na Câmara, deu novo impulso às marchas e aos manifestos contra a corrupção marcados para hoje (7), dia em que se comemora a Independência do Brasil. Flagrada em vídeo recebendo dinheiro do delator do escândalo que ficou conhecido como Caixa de Pandora, no ano passado, a parlamentar se livrou da cassação com o aval de 265 deputados, que votaram por sua permanência na Casa. Porém, como o voto foi secreto, não é possível saber quem a defendeu no plenário.

300 eventos
Até o final da tarde de ontem (6), mais de 300 eventos haviam sido convocados em todo o país com o mesmo objetivo: protestar contra a corrupção. Alguns deles contavam com milhares de confirmações. Não há uma pauta definida em comum, mas todos pedem o fim do voto secreto e criticam a absolvição de Jaqueline Roriz. Uma parte apoia a “faxina” que a presidenta Dilma Rousseff começou a fazer nos ministérios e defende a criação da CPI da Corrupção, preterida até o momento pelo governo.

A maioria das manifestações é chamada pelo Facebook. Mas também é possível acompanhar a preparação pelo Orkut e pelo Twitter. Na rede de microblogs, os chamados são feitos por meio de expressões como #todoscontraacorrupcao, #lutopeloBrasil e #setembronegro.

“Estamos cansados de ver tantos casos e nada acontecer. Se todo mundo se encontra para tomar uma cerveja ou ver os amigos, por que não nos encontrarmos para reivindicar nossos direitos?”, questiona Lucianna Kalil, uma das organizadoras da “Marcha contra a corrupção”, evento divulgado pelo Facebook que já conta com mais de 24 mil confirmações de presença, até o fim da tarde de terça-feira (6).

Marcha contra a corrupção
A ideia de organizar a marcha surgiu da insatisfação com a proliferação de denúncias contra políticos dos mais diversos partidos. “Antes do acontecimento da Jaqueline Roriz, nós não tínhamos muitas adesões. A gente estava com cerca de 5 mil apoiadores, mas depois da absolvição dela é que deu uma disparada geral mesmo. Ninguém gostou da decisão da Câmara”, conta Lucianna.

Apesar do grande número de adeptos na rede social, Lucianna espera que cerca de 10 mil pessoas compareçam ao evento. “Muita gente diz que vai, mas, no fundo, é só para mostrar para os outros. Espero que desta vez as pessoas tenham disposição e participem mesmo”, afirma.

Sem bandeiras partidárias
Sem lideranças pré-estabelecidas, o movimento criado há dois meses define-se como totalmente apartidário e pede que ninguém estampe em bandeiras ou camisetas símbolos de partidos ou políticos. “Nossa ajuda de custo veio apenas de colaboradores. Fizemos tudo no esquema de vaquinha mesmo. Muita gente abraçou a causa e nos ajudou doando materiais e mão-de-obra para confeccionar os cartazes”, afirmou Lucianna.

O intuito dos manifestantes é pedir o fim do voto secreto no Congresso e mais transparência nas ações governamentais. “Só assim para podermos exercer o nosso direito de cidadania que é cobrar dos nossos políticos o que eles prometem. Como a gente vai cobrar se a gente não sabe quem votou a favor ou contra. Então é complicado de exercer a cidadania por debaixo do pano”, ressalta Lucianna.

Mobilização virtual
Apesar do entusiasmo com as mobilizações marcadas para este feriado, o funcionário público e bacharel em Relações Internacionais André Dutra ainda é cético em relação à disposição dos cidadãos em mudar algo na política. “A internet é a melhor ferramenta de mobilização que existe, mas ainda é preciso ter um propósito final de conscientização”, afirma.

Ficha Limpa
Também nesta quarta-feira, o Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE) pretende intensificar a coleta virtual de assinaturas para pedir à presidenta Dilma Rousseff que indique ao Supremo Tribunal Federal (STF) um ministro favorável à aplicação da Lei da Ficha Limpa a partir das eleições de 2012. O movimento é responsável pela coleta de assinaturas que permitiu a apresentação do projeto de lei de iniciativa popular que resultou na norma que proíbe a candidatura de políticos com condenações em órgãos colegiados ou que renunciaram ao mandato para escapar da cassação.

“A presidente Dilma se comprometeu em lutar contra a corrupção. Vamos fazer deste dia 7 de setembro o Dia da Independência da Corrupção”, defende a carta. Em apenas dez horas, mais de 50 mil pessoas assinaram a petição nesta quarta-feira.

Do Congresso em Foco










Bastidores, Partidos
Atualizado em: 07/09/2011 - 7:39 am


O governador da Bahia, Jaques Waner. Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil

O PMDB da Bahia anunciou na segunda-feira (5) a expulsão de três deputados estaduais depois de eles apoiarem uma proposta do governador do Estado, Jaques Wagner (PT), que alterou o plano de saúde dos servidores públicos. A informação é da Folha.com.

As expulsões são mais um capítulo da briga regional entre os partidos, que são aliados na esfera nacional e compõe o núcleo do governo da presidente Dilma Rousseff.

A direção estadual do PMDB expulsou os deputados Alan Sanches, Ivana Bastos e Temóteo Brito por não seguirem orientação da bancada e votarem a favor do polêmico projeto de lei que instituiu limite de atendimento para os segurados do Planserv –que cobre os servidores estaduais.

O partido fechou questão contra as alterações propostas por Wagner, que conseguiu aprová-las por 39 votos a 20 na semana passada.

A saída dos deputados do PMDB, contudo, já estava anunciada. Os três integrarão o PSD, legenda liderada nacionalmente por Gilberto Kassab e que na Bahia integrará a base do governo petista.

No domingo, a Folha mostrou que a operação política para criar o PSD na Bahia dará a Jaques Wagner uma base de 49 dos 63 deputados estaduais, formando uma hegemonia numérica superior à alcançada pelo grupo do senador Antonio Carlos Magalhães no auge de seu poder na política baiana na década de 1990.

Em nota, Ivana Bastos diz que ficou surpresa com a decisão do partido e disse que o PMDB tem agido para “isolá-la politicamente, de fragilizá-la e menosprezá-la diante dos seus eleitores”.

O presidente regional do PMDB-BA, deputado federal Lúcio Vieira Lima, nega que a votação tenha sido um pretexto para retaliar os deputados que estão aderindo ao PSD.

“Por uma questão meramente fisiológica, eles disseram que estavam indo para o PSD, mas a lei permite [que mudem para uma nova legenda] e não houve retaliação. A questão é que votaram para afrontar uma decisão do partido [contra o projeto] e a comissão de ética decidiu expulsá-los porque não podia deixar o desgaste contaminar o PMDB”, disse.

Da Folha.com










Presidência
Atualizado em: 07/09/2011 - 5:51 am


Reprodução da TV

Em pronunciamento oficial, na noite de terça-feira (06), por meio da rede nacional de rádio e TV, a presidente Dilma Rousseff disse que a inflação está controlada e que o Brasil tem plenas condições de combater os efeitos da crise econômica que atinge o mundo. Foi o terceiro pronunciamento de Dilma em rede nacional.

“Aqui o emprego e a renda batem recordes históricos, nossas reservas internacionais estão mais sólidas do que nunca, o crédito continua crescendo e a inflação está sob controle. Os juros voltaram a baixar e estabilidade da economia esta garantida”, disse Dilma.

A presidente enfatizou que é necessário que o conceito de independência, comemorado nesta quarta-fera (07), precisa ser “renovado” para que o país possa dar resposta à crise. “Temos uma grave crise econômica que cobra respostas novas para seus problemas”.

Na defesa do mercado interno
A crise, de acordo com a presidente, será uma oportunidade de ampliar o mercado interno. Segundo ela, o governo não vai permitir ataques à indústria nacional e aos empregos e a concorrência desleal de produtos estrangeiros.

“No caso da atual crise internacional nossa principal arma é ampliar e defender nosso mercado interno, que já é um dos mais vigorosos do mundo, por isso quero deixar claro que meu governo não irá permitir ataques às nossas indústrias e aos nossos empregos. Não vai permitir que artigos estrangeiros venham concorrer de forma desleal com os nossos produtos”.

Dilma disse ainda que é decisão de seu governo continuar investindo em infraestrutura e em programas sociais. Segundo a presidente, a situação do Brasil diante de muitos países é privilegiada, mas ela reconhece que “estamos aquém do que podemos e necessitamos. É preciso crescer na melhoria de qualidade e ampliação do serviço público”.

Corrupção
Sobre as denúncias de corrupção que atingiram ministérios, ela disse que o combate à corrupção é um valor. “Um país em que com o malfeito não se acumplicia jamais, e que tem a defesa da moralidade e o combate à corrupção uma ação permanente, inquebrantável”.

Dilma disse ainda que as áreas de saúde, educação e segurança não podem ser “motivo de insônia”, mas de um motivo de “despertar de uma nação”.

“Saúde, educação e segurança tem que deixar de ser motivo de insônia dos brasileiros, para ser motivo de um novo despertar desta nação. O círculo virtuoso que precisamos implantar no nosso país é o da qualidade dos nossos serviços públicos, pois já implantamos o grande círculo virtuoso do crescimento com inclusão social e distribuição de renda”, destacou.

Da Agência Brasil










Nacional
Atualizado em: 06/09/2011 - 8:27 pm


O Plenário da Câmara Federal aprovou, nesta terça-feira (6), a Medida Provisória 534/11, que reduz a zero o PIS e a Cofins incidentes sobre a venda de tablets produzidos no Brasil. A redução do preço final ao consumidor pode ser de 31%, segundo estimativa do Ministério das Comunicações.

A matéria, aprovada na forma do projeto de lei de conversão da deputada Manuela D’ávila (PCdoB-RS), será analisada ainda pelo Senado. A votação foi possível graças a um acordo da relatora com os líderes da oposição e do governo. Ela aceitou retirar do texto três temas, que deverão ser tratados em outras medidas provisórias ou em projeto de lei.

Um deles era a permissão para o Centro de Excelência em Tecnologia Eletrônica Avançada (Ceitec) constituir subsidiárias no Brasil ou no exterior. Ligado ao Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT), o Ceitec é uma empresa pública federal que fabrica semicondutores, usados na produção de equipamentos eletrônicos.

Detalhes
O trecho retirado também previa que o Executivo poderia editar, por decreto, um regulamento simplificado para licitações. O líder do PSDB, deputado Duarte Nogueira (SP), protestou. “Criar um regime especial de licitações para o Ceitec não tinha o menor cabimento, assim como não tem o menor cabimento a falta de agilidade e de eficiência dessa estatal.”

Segundo a relatora, a ministra das Relações Institucionais, Ideli Salvati, comprometeu-se a enviar o tema por meio de outra medida provisória em 60 dias.“O governo reconheceu a necessidade de aperfeiçoar a estrutura da empresa para que ela continue a produzir semicondutores”, afirmou D’ávila.

Outros pontos retirados são novos incentivos fiscais para empresas de software investirem na qualificação de seus empregados e mudanças na estrutura da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), também ligada ao MCT.

Sensível ao toque
Os tablets são computadores portáteis com tela fina e sensível ao toque. Por meio de decreto, o governo também reduziu o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) e o Imposto de Importação (II).

A redução de tributos é uma das condições para que esses dispositivos sejam produzidos no Brasil, conforme negociações feitas pela equipe da presidente Dilma Rousseff em sua visita à China no início do ano.

Produção
A Foxconn, empresa de Taiwan, pretende começar a produção do iPad, da Apple, no Brasil a partir do segundo semestre deste ano, em sua fábrica localizada em Jundiaí (SP). A Asus e a Motorola também anunciaram que pretendem produzir tablets no País.

Da Agência Câmara de Notícias










Fortaleza
Atualizado em: 06/09/2011 - 6:16 pm


O vereador Jaime Cavalcante (PP) denunciou nesta terça-feira (06) a ausência de informações no portal da transparência da Prefeitura de Fortaleza conforme o previsto na Lei de Responsabilidade Fiscal. Segundo ele, a busca por dados no site constitui-se numa “verdadeira gincana”. “Na relação de pagamentos do Estádio Presidente Vargas, você tem que adivinhar quem é a construtora.”

O vereador sugeriu que a Prefeitura siga o exemplo do portal da transparência do Governo do Estado, que detalha as contas com a disponibilização do número dos processos, do serviço prestado, da pessoa (física ou jurídica) beneficiária e do processo licitatório, entre outros dados, seguindo o que está disposto na Lei de Responsabilidade Fiscal.

Jaime deixou o alerta para que o portal da Prefeitura seja reestruturado, sob pena de ser alvo de denúncia ao Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) e ao Ministério Público. Segundo ele, a Lei de Responsabilidade Fiscal diz que o cidadão e os entes da sociedade civil são parte legítima para denunciar o descumprimento da legislação.

Do site da CMFor










Partidos
Atualizado em: 06/09/2011 - 5:41 pm


Deputado Roberto Mesquita (PV)

O deputado Roberto Mesquita (PV) criticou  nesta terça-feira (06) a criação da Contribuição Social para a Saúde, taxação que deve suceder a extinta CPMF. De acordo com o parlamentar, o brasileiro já paga muitos impostos, suficiente para o custeio da máquina pública e melhorias no setor de saúde.

Críticas a Cid
Para o deputado, é estranho que o governador Cid está capitaneando a criação do novo imposto. “Ele devia iniciar fazendo o dever de casa. Em uma viagem, a São Paulo, ele gasta R$ 85 mil em jatinho. Ele poderia ir de primeira classe e economizar R$ 83 mil. Somente os contratos mensais com empresas de táxi-aéreo chegam a R$16 milhões por ano. Se gasta com isso o suficiente para abrir a emergência do Hospital das Clínicas e melhorar a do IJF”, avaliou.

Arrecadação de impostos
Mesquita explicou que o “impostômetro”, instalado na cidade de São Paulo, já registrou neste mês uma arrecadação superior a R$ 970 bilhões e vai chegar até o final do ano a R$ 1,4 trilhão. Segundo o deputado, em 2005, o fisco arrecadava R$ 732 bilhões. “Seis anos depois, vamos dobrar a arrecadação de impostos e, mesmo assim, querem contrariar a proposta de campanha de Dilma Roussef, que dizia, em outubro do ano passado, que iria aprovar a PEC 29, sem recriar a CPMF”, avisou.

O parlamentar avalia que o Brasil tem a mais alta taxa tributária do mundo e prevê que a nova contribuição irá recair principalmente sobre as faixas menos favorecidas da população. “Quem tem muito dinheiro não usa cheque pré-datado. Só no Beco da Poeira e na feira de Messejana é que se compra com este tipo de crédito”, assinalou.

Proposta
Em vez de se criar novo imposto sobre cheques, Roberto Mesquita defendeu a taxação do lucro dos bancos e aumento dos impostos sobre produção e venda de cigarros e a bebidas alcoólicas. “A Saúde está doente”, afirmou. O parlamentar refutou a declaração do governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, quando ele disse que extinção da CPMF foi uma covardia contra o povo brasileiro. Mesquita considera que a imensa maioria da população vive na periferia, que seria o principal alvo da nova taxação.

FHC
O deputado Fernando Hugo (PSDB) disse que fica absorto em não entender como pessoas que se diziam contra impostos agora defendem a CSS. “A CPMF de Adib Jatene foi desviada. Agora, criar novo imposto é tirar do povo sofrido, que vai pagar a mais na compra de todos os bens”.

Lula
De acordo com o deputado Lula Morais (PCdoB), o povo que mais precisa de saúde é o povo que menos pagou a CPMF. “Quem ganha até R$ 3.500 não pagava. A grande economia é quem custeava a contribuição. Quem ganha R$ 10 mil por mês pagava 38 reais, menos que uma rodada de cerveja”, disse.

Com informações da Assembleia Legislativa do Ceará










Articulação, Partidos
Atualizado em: 06/09/2011 - 3:36 pm


Membros da Executiva Estadual do Partido dos Trabalhadores se reúnem nesta terça-feira (06), às 18h,  na sede da sigla aqui no Ceará, para debater diferentes assuntos.

O prédio do PT no Ceará está localizado na Av. da Universidade, 2189, bairro Benfica.

Na pauta do encontro estão os seguintes temas:
– Conjuntura política;
– Balanço do 4º Congresso do PT;
– Preparativos para a realização do Fórum de presidentes do PT do Nordeste;
– Atuação do Grupo de Trabalho Eleitoral; e
– Organização partidária (PED Extraordinário e Encontros Setoriais).










Eleição
Atualizado em: 06/09/2011 - 3:26 pm


A atuação policial nas eleições suplementares realizada no último domingo (4), no municipio de Jardim, distante 536 Km de Fortaleza, repercutiu na sessão dessa terça-feira (6), na Assembleia Legislativa. O deputado Wellington Landim (PSB) voltou a criticar a abordagem de PMs por terem parado o carro do ex-prefeito da cidade Fernando Luz, cassado do cargo.

O deputado, que estava em outro veículo, se irritou com a vistoria no carro do ex-prefeito. No momento da confusão, Landim chegou a fazer insinuaçãoes sobre o trabalho policial, ao chamar jornalistas que estavam próximos ao local e pedir “que filmassem a busca dos policiais para garantir que não roubassem nada do veículo”. Fernando Luz é tio do prefeito eleito, Antônio Roriz Neves (PMDB) que venceu Cremilda Bringel (PSDB) por uma diferença de 252 votos.

Em seu discurso, Landim disse que houve abuso por parte de alguns PMS ao revistar o carro do ex-prefeito, acusando-os de supostamente agirem prepotência. “Nunca meu carro foi vistoriado. Nunca andei com armas na vida. Não tenho inimigos para ser necessário andar com arma. Tenho adversário e não tenho medo de nada”, afirmou Landim, pedindo que se “restabelecesse a verdade”. “Nem juiz mandou, nem policiais se aproximaram do meu carro. Mas eles foram prepotentes sim e revistaram seis vezes o do ex-prefeito Fernando da Luz. Não houve, em nenhum momento, nada comigo. A não ser reação de indignação”, esclareceu.

Desacato
O Jangadeiro Online entrou em contato com a Secretaria da Vara Única de Jardim, que informou a instauração, por determinação da a juíza eleitoral Alexsandra Lacerda, de procedimento para apurar se houve desacato do deputado Welington Landim a um policial  do município.

Também em contato com o Jangadeiro Online, o deputado Wellington Landim disse que agiu “em solidariedade a um amigo que estava sendo humilhado como se fosse um bandido”.

Eleição
Foram utilizadas 77 seções, além de 11 agregadas em 32 locais de votação, com 308 mesários. Foram às urnas 16.151 eleitores. O novo prefeito – Antônio Roriz Neves, 22, é estudante de Administração e também vereador do município de Jardim. Sua candidata à vice-prefeita é Maria Neide Filgueira Piancó (PPS), filha do ex-prefeito do município, Valmir Piancó. A posse deverá acontecer no próximo dia 19 e o mandato vai até o dia 31 de dezembro do próximo ano porque em outubro de 2012 haverá nova eleição no município.

Veja vídeo da eleição no município de Jardim










Greve
Atualizado em: 06/09/2011 - 2:49 pm


Os professores da rede pública estadual vão realizar nesta quarta-feira (7), feriado do dia da Independência do Brasil, uma “Marcha da Educação e pela Paz”. O ato público será uma manifestação paralela às comemorações de 7 de setembro. A categoria vai se concentrar, a partir das 8h, no Habbibs da avenida Abolição e percorrerá as ruas da cidade até o Clube Náutico.

Professores continuam em greve
Mesmo com a notificação da ilegalidade da greve e multa diária de R$10 mil , a categoria decidiu dar continuidade à greve durante uma Assembleia Geral Extraordinária realizada na última sexta-feira (02), no Ginásio Aécio de Borba, em Fortaleza.

Segundo o presidente da sindicato Apeoc, Anízio Melo, a categoria entrou com o recurso de Agravo de Instrumento no Tribunal de Justiça na última quinta-feira (1°). A proposta de Anízio é a assinatura de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) entre o sindicato e o governo do Estado para que os diretos estabelecidos na Lei do Piso Nacional do Magistério, com repercussão em todas as faixas da categoria, sejam respeitados.

Próxima Assembleia
Está prevista para a próxima sexta-feira (10), no Ginásio Aécio de Borba, em Fortaleza, uma nova assembleia geral com a categoria para decidir os rumos da greve.

Leia mais:
Professores da rede pública estadual decidem continuar a greve
Presidente da Assembleia condena ações de manifestantes e pede abertura de inquérito
Batalhão de Choque bloqueia entrada de professores no plenário da AL

Redação Jangadeiro Online, com informações da Apeoc










Articulação, Em Brasília
Atualizado em: 06/09/2011 - 2:44 pm


O líder do PSDB na Câmara Federal, deputado Duarte Nogueira (SP), anunciou que o partido decidiu apoiar o fim das votações secretas no Plenário. Nogueira fez menção à votação secreta da semana passada que manteve o mandato da deputada Jaqueline Roriz (PMN-DF). Na ocasião, segundo ele, os deputados tucanos votaram pela perda do mandato da deputada.

“Foi uma questão exaustivamente debatida na bancada e resolvemos trazer agora o resultado para conhecimento da sociedade”, disse o líder do PSDB.

A postura dos tucanos foi elogiada pelo deputado Ivan Valente (Psol-SP). Na semana passada, o Psol lançou uma campanha em defesa do voto aberto, com o recolhimento de assinaturas para a retomada da Frente Parlamentar pelo Fim do Voto Secreto.

Voto secreto em plenário, uma proposta que não é de hoje.

Secreto
A ideia não é nova. No dia cinco de setembro de 2006, exatos cinco anos atrás, os deputados federais chegaram a aprovar, em primeiro turno,  com 383 votos a favor e quatro abstenções, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que estabelecia o fim do voto secreto no Congresso.

A matéria ainda deveria passar pelo segundo turno na Câmara e por outras duas votações no Senado. A proposta englobava os processos de cassação de mandato, as eleições das mesas diretoras da Câmara e do Senado e diversas outras situações como os vetos presidenciais.

É. Mas a proposta não parece ter apoio suficiente quando a votação é “pra valer”. Vamos aguardar mais essa tentativa com atenção para ver se “agora vai!”

Com informações da Agência Câmara de Notícias e do O Globo










Articulação, Corrupção
Atualizado em: 06/09/2011 - 12:51 pm


O presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Ophir Cavalcante.

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) , a Associação Brasileira de Imprensa (ABI) e um grupo de senadores anunciaram oficialmente “total apoio” à Marcha contra a Corrupção que será realizada na quarta-feira (07/09), Dia da Independência, na Esplanada dos Ministérios em Brasília, paralelamente às comemorações da Independência do Brasil.

“É necessário que o Executivo, o Legislativo e o Judiciário ouçam a voz das ruas. É necessário que cada vez mais combatamos esse grande mal, esse grande câncer que está a assolar o Brasil há muito tempo, desviando recursos da educação, da saúde, da segurança, que é a corrupção”, disse o presidente nacional da OAB, Ophir Cavalcante.

Leia ainda: OAB lança na internet o Observatório da Corrupção

Preocupações
O grupo elencou uma pauta de preocupações do movimento com as questões que, conforme análise, levam ao enraizamento e proliferação da corrupção no País. Celeridade nos julgamentos de processos envolvendo casos de corrupção parados na Justiça; reforma política; transparência nos gastos públicos; fim das emendas parlamentares individuais e corte nos numerosos cargos comissionados nas administrações públicas federal e estaduais foram algumas das bandeiras elencadas e que serão trabalhadas pelo comitê.

 “A OAB, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e a Associação Brasileira de Imprensa (ABI) sempre tiveram um papel relevantíssimo dentro da construção da democracia neste País. Mais uma vez se reúnem para combater agora esse grande mal, essa grande chaga que é a corrupção”, enfatizou Ophir Cavalvante.

Expectativa
A convocação do protesto contra a corrupção vem sendo feita pelas redes sociais e tem apoio em diversas capitais brasileiras. De acordo com Rodrigo Montezuma, organizador da marcha, a expectativa é que o evento reúna 30 mil pessoas.

“Nosso objetivo já foi alcançado, que era ter mais inscrições que a Corrida da Cerveja. Temos 22 mil pessoas confirmadas pelas redes sociais, e acreditamos que mais pessoas irão aparecer na hora”, disse.

Com informações da OAB










Opinião
Atualizado em: 06/09/2011 - 10:58 am


Acompanhamos a mobilização dos governos e dos políticos pelo aumento dos impostos, de mais arrecadação, segundo eles, para financiar o sistema público de saúde falido. Acompanhamos também pelo noticiário crianças e adultos morrendo à míngua por falta de atendimento nos hospitais, que alegam falta de condições. A presidente Dilma afirma que faltam recursos para o setor e transfere para seus aliados no Congresso Nacional a tarefa de arrancar o dinheiro, saia de onde sair.

É claro que com esse tipo de convocação, os políticos atrelados ao governo, profissionais que abocanham supersalários sem nunca ter trabalhado e que não derramam o suor e lágrimas do contribuinte, não vão medir as consequência para dar a solução que a presidente cobra. Vemos aqui mesmo no Ceará, os jornais anunciando que o governador Cid Gomes lidera uma articulação de governadores que apoiam a criação de novo imposto para a saúde.

Duvidamos que se mobilize esse tipo de apoio regional e nacional para reaver os bilhões desviados da própria saúde pelos mesmos aliados que se anunciam agora empolgados para meter a mão no bolso do contribuinte, o único que vai terminar apenado por crimes que não cometeu. Duvidamos que governadores, inclusive o do Ceará, se movimentem em prol da CPI que se tentou instalar no Congresso, depois da queda em série de ministros e gestores envolvidos nas denúncias de corrupção no governo.

Duvidamos que os aliados do governo desistam da ideia do financiamento público para as campanhas eleitorais, rejeitada pela maioria da população em pesquisa nacional, mas que continua sendo defendida inclusive aqui na tribuna da Assembléia Legislativa por deputados do PT. Bem que esses recursos que sobram para esse tipo de proposta poderiam ser canalizados para o problema da saúde pública. Por que os bilhões propostos para aumento dos salários dos ministros de tribunais não são poupados para financiar a saúde pública em insolvência?

O governador Cid Gomes teria o apoio de todos os cearenses, se mobilizasse seus colegas governadores, com o seu prestígio e liderança, não para sangrar ainda mais o contribuinte debilitado, mas para ir direto às fontes capazes de bancar a solução do grave problema, mas que continuam sendo toldadas e esgotadas ardilosamente pelas mãos sujas e ambiciosas dos seus aliados. É disso que se precisa cuidar para acabar com as “explosões” que sucedem impunemente dos caixas-fortes públicos do País pelas quadrilhas oficiais.

Wanderley Pereira é jornalista da TV Jangadeiro










Polêmica
Atualizado em: 06/09/2011 - 10:34 am


Eduardo Campos ao lado do governador do Ceará

“O grande controle da mídia vai ser feito pela cidadania. Se vejo uma mídia defender uma causa em que não acredito, simplesmente não consumo aquela mídia, falo mal dela e passo para outra. O grande controle que podemos fazer é dar consciência à sociedade, melhorar a educação e a inclusão para que o cidadão faça este controle, não consumindo a mídia que trabalha com valores que não são de interesse do País”.

A declaração acima é do governador de Pernambuco e presidente nacional do PSB, Eduardo Campos, ao comentar a discussão sobre regulação da mídia, proposta no Congresso do PT.

Leia ainda: PT quer marco regulatório para veículos de comunicação de massa

Campos evitou comentar a decisão afimando que o PT é um “partido parceiro”, mas acabou revelando que “a posição do PSB não é a posição que o PT tomou”.

“Entendemos que a construção de democracia no Brasil foi feita a muito custo e um dos valores importantes da democracia é a imprensa livre”, disse.

Com informações do Estado.com










Articulação, Bastidores, Ceará
Atualizado em: 06/09/2011 - 10:07 am


Da Redação do Jangadeiro Online

Ex-deputado Sérgio Novais (PSB)

Foi convocada, para a próxima quinta-feira (15), uma reunião do diretório municipal do Partido Socialista Brasileiro (PSB), para decidir sobre a renovação da atual direção.

A maioria do diretório do PSB de Fortaleza quer o afastamento do ex-deputado federal Sérgio Novais, irmão da deputada estadual Eliane Novais (PSB), do comando partidário.

Na reunião, que ocorre às 19 horas na sede do PSB em Fortaleza, a atual Comissão Executiva Municipal será destituída, e uma nova eleição será realizada.

Com informações do PSB










Em Brasília
Atualizado em: 06/09/2011 - 9:36 am


Cândido Vaccarezza diz que os gastos permitidos são os investimentos em aeroportos, saúde, educação e projetos sociais.Foto: Larissa Ponce/Agência Câmara

O líder do governo na Câmara Federal, Cândido Vaccarezza (PT-SP), disse que vai conversar com representantes dos servidores do Judiciário de todo o País no dia 21 de setembro sobre as propostas de aumento para os funcionários do Poder Judiciário e do Ministério Público (PLs 6613/09 e 6697/09).

Vaccarezza ressaltou, no entanto, que “não é possível” aprovar o aumento desejado por eles diante do cenário de crise internacional, que pede o controle dos gastos. As propostas preveem um reajuste médio de 56% para as categorias.

“Nós não queremos fazer nenhum gasto que comprometa a administração do País. Os gastos permitidos são os investimentos em portos, aeroportos e aqueles relacionados à saúde, educação e aos projetos sociais”, disse Vaccarezza.

Orçamento
O relator do Orçamento, deputado Arlindo Chinaglia (PT-SP), também considera inviável o aumento. Ele disse que o impacto de R$ 7,7 bilhões causado pelo aumento dos salários prejudicaria a aplicação de recursos em outras áreas e o ajuste fiscal do governo. “O Congresso não está alheio à crise. A prioridade é o equilíbrio fiscal”.

Na opinião do relator, o reajuste beneficiaria apenas uma parcela dos servidores públicos. “Não vejo possibilidade de beneficiar um só Poder com todo este montante”, disse Chinaglia.

Pra todos
O presidente da Câmara dos Deputados, Marco Maia, afirmou que o ideal seria que todas as categorias tivessem o poder de compra recuperado com o reajuste da inflação, mas até isso parece estar distante dos funcionários do Judiciário. “Não sei se nós teríamos condições hoje de reajustar [os salários] de acordo com a inflação, porque o valor é astronômico”. No ano passado a inflação foi 5,9%.

Com informações da Agência Brasil e da Agência Câmara de Notícias.