ALEC, Ceará
Atualizado em: 08/09/2011 - 12:33 pm


Da Redação do Jangadeiro Online

A Comissão de Agropecuária da Assembleia Legislativa do Ceará aprovou, nesta quinta-feira (8), projeto de indicação nº 172/11 que sugere, ao Governo do Estado, a criação do Programa de Incentivo ao Cultivo de Plantas Medicinais e Fitoterápicos na Agricultura Familiar.

Segundo a deputada Fernanda Pessoa (PR), autora do projeto, a população poderá sentir os efeitos benéficos da inserção de hábitos mais saudáveis e naturais nos tratamentos de saúde no Estado, com o conhecimento de plantas utilizadas tradicionalmente pela população.

“A vocação para o desenvolvimento de projetos agrícolas do nosso Estado possibilitará não só a melhoria da qualidade do serviço de saúde como o aumento na renda do agricultor familiar”, justificou a parlamentar.

SUS
Ainda de acordo com a deputada, já existe uma política nacional que prevê o tratamento com plantas medicinais e fitoterápicas no Sistema Único de Saúde (SUS). Isso, segundo Fernanda Pessoa, representa um incentivo ao mercado interno no País.

Leia mais:
Situação financeira do Hospital Universitário Walter Cantídio é pauta de audiência pública

Com informações da AL










Articulação, Ceará
Atualizado em: 08/09/2011 - 11:39 am


Da Redação do Jangadeiro Online

Servidores do Departamento Estadual de Trânsito (Detran) se reuniram, em assembleia, na manhã desta quinta-feira (8), para avaliar os resultados da reunião de negociação com o Governo do Estado na última quarta-feira (6).

De acordo com a categoria, houve quebra de acordo e retrocesso nas negociações, pois o Governo não apresentou uma proposta concreta, como havia sido acordado entre os servidores e a Secretaria do Planejamento (Seplag) na reunião do dia 17 de agosto.

Empecilho jurídico
Segundo Eliane Uchôa, presidente do Sindicato dos Trabalhadores na Área de Trânsito do Ceará (Sindetran), o Governo do Estado não apresentou a proposta, afirmando haver um empecilho jurídico, que prevê Plano de Cargos e Carreiras somente para servidores que possuem cargos.

Por conta disso, os representantes do Governo pediram um novo prazo até o dia 15 de novembro, para que possam discutir o caso com a Procuradoria Geral de Justiça do Estado (PGE). A categoria, no entanto, acredita que esse período é muito extenso.

Novo prazo
Diante disso, os servidores decidiram que vão propôr um novo prazo para que o Governo apresente uma proposta de negociação. A data sugerida será o dia 3 de outubro. “Um mês é mais do que suficiente”, justificou a presidente do Sindetran, Eliane Uchôa.

Mobilização continua
Os servidores do Detran entraram em greve no dia 12 de julho, mas já suspenderam a paralisação desde o dia 21 de julho. Apesar disso, os trabalhadores continuam a mobilização. A categoria reivindica a reestruturação do Plano de Cargos e Carreira e melhores salários.

Leia mais:
Servidores do Detran suspendem a greve até o dia 6 de setembro

Com informações do Sindetran










Nacional
Atualizado em: 08/09/2011 - 10:50 am


O Banco Central abrirá mão de R$ 18,6 bilhões para que os bancos Econômico, Banorte, Mercantil e Nacional, que quebraram nos anos 1990, quitem suas dívidas. A informação é do jornal O Estado de S.Paulo.

Essas instituições estão inscritas no Programa de Estímulo à Reestruturação e ao Fortalecimento do Sistema Financeiro Nacional (Proer).

Muitos bilhões
Em dezembro de 2010, a dívida dos bancos, que estão em liquidação, somava R$ 61,705 bilhões. Com os descontos proporcionados pelo Refis da Crise, eles podem quitar os débitos por R$ 43,048 bilhões. Os bancos, no entanto, discordam dos valores. Eles argumentam que a Lei do Refis garante abatimento de R$ 25,186 bilhões.

Governo
O procurador-geral do BC, Isaac Sidney, diz que as contas feitas pelo governo impedem perda de R$ 6,529 bilhões para os cofres públicos. Segundo ele, “o BC não está fazendo acordo com os bancos, mas apenas aplicando a lei”.

Com o Congresso em Foco










Nacional
Atualizado em: 08/09/2011 - 8:34 am


O aumento do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) sobre os cigarros foi adiado para o início de 2012, segundo informou o Ministério da Fazenda. Inicialmente, o novo sistema de cobrança do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) entraria em vigor em dezembro.

O comunicado não diz em que mês o reajuste passará a vigorar e nem explicou o motivo do adiamento. Regulamentado no fim do mês passado, o novo sistema de tributação faria o preço do cigarro subir 20% antes do fim do ano.

Atual
No sistema atual de tributação, o IPI varia de R$ R$ 0,764 a R$ 1,30 por maço, dependendo do tipo de embalagem e do tamanho do cigarro. No novo modelo, haverá dois regimes, um geral, que valerá para todos os fabricantes, e um opcional.

Geral
No regime geral, a alíquota será 45% sobre o preço de venda no varejo. No regime opcional, o IPI será cobrado de duas formas: uma alíquota percentual mais um valor fixo por maço ou caixa.

Específico
No regime específico, as alíquotas serão reajustadas gradualmente até 2015. Do momento em que o novo regime entrar em vigor até 31 de dezembro de 2012, haverá cobrança de 6% sobre o preço de varejo, mais R$ 0,90 por maço ou R$ 1,20 por caixa. Em 2013, o IPI será 7% mais R$ 1,05 por maço ou R$ 1,25 por caixa. As alíquotas subirão para 8% mais R$ 1,20 por maço ou R$ 1,30 por box em 2014. A partir de 2015, o imposto vai para 9% mais R$ 1,30 por maço e por box.

Novas alíquotas
Com as novas alíquotas, a Receita espera praticamente dobrar a arrecadação do IPI sobre cigarros. A previsão é passar dos atuais R$ 3,7 bilhões anuais para R$ 7,7 bilhões anuais a partir de 2015. A carga tributária sobre o produto, atualmente entre 58% e 60% em média, passará para 81% no regime geral e ficará entre 68% e 70%, em média, no regime especial.

Da Agência Brasil










Ceará
Atualizado em: 07/09/2011 - 6:49 pm


Flagrante da superlotação no HGF em 30.09.2010 / Reprodução TV Jangadeiro

O governo do Ceará é um dos estados cuja aplicação de recursos na Saúde é menor do que determina a Constituição Federal. É o que informa reportagem do jornal O Globo desta quarta-feira (7), baseada em informações do Ministério da Saúde, relativas aos anos de 2008 e 2009.

A Emenda Constitucional 29, em vigor desde 13 de setembro de 2000, define que os estados devem gastar 12% de suas receitas em Saúde, enquanto os municípios devem aplicar 15%. O Ceará, de acordo com a matéria, investe apenas 9,84%. Outros 12 estados também não aplicam o valor legal: Santa Catarina (11,74% da receita), Mato Grosso (11,28%), Paraíba (11,25%), Alagoas (10,77%), Rio de Janeiro (10,75%), Espírito Santo (10,39%), Maranhão (9,86%), Paraná (9,84%), Goiás (9,51%), Piauí (9,01%), Minas Gerais (8,85%) e Rio Grande do Sul (4,37%).

Maquiagem
Para tentar driblar a legislação, de acordo com o levantamento junto ao Ministério da Saúde, esses estados, incluindo o Ceará, maquiariam os números, contabilizando despesas com servidores, aposentadorias, e até gastos com merenda escolar. Só assim conseguiram apresentar números para afirmar que cumprem o percentual exigido por lei.

Leia mais: Quem paga a Conta? Cid Gomes se diz fiel escudeiro de Dilma na luta por criação de imposto para saúde  

Para ler a matéria completa no O Globo, clique aqui.










Fortaleza
Atualizado em: 07/09/2011 - 3:03 pm


Foto Divulgação

Representantes da Ordem dos Advogados do Brasil no Ceará participaram da marcha contra a corrupção nesta quarta-feira, 7 de setembro, cumprindo determinação da OAB nacional de fazer uma mobilização a partir do movimento iniciado nas redes sociais.

Dezenas de advogados estiveram presentes à marcha que aconteceu na avenida Beira Mar. Eles se misturaram à caminhada dos professores da rede pública estadual, em protesto pela implantação da Lei Nacional do Piso do Magistério com repercussão em todas as faixas da categoria. 

Leia mais
Professores fazem protesto na marcha da Independência
Saindo do virtual: Internautas tentam ganhar as ruas contra corrupção

O presidente da Comissão dos Direitos Humanos da OAB, Fernando Férrer, Conselheiro Seccional do Ceará, disse que foi agredido a empurrões por um policial. No primeiro momento, o pelotão de choque tentou impedir a passagem dos manifestantes em frente ao palanque onde estavam autoridades, incluindo o vice-governador do Ceará, Domingos Filho. Mas um coronel da PM desceu do palanque e acabou liberando a passagem dos manifestantes.

Direito livre manifestação
Fernando Férrer explicou ao Jangadeiro Online, que os advogados tinham direito de fazer a manifestação no local, pois “o movimento era pacífico”.

O governador em exercício, Domingos Filho, disse à imprensa que as manifestações no desfile cívico da independência representaram a democracia do Estado, pois, mesmo com a presença de toda a força policial não houve impedimento para a realização dos protestos.

Os policiais estavam armados com gás lacrimogêneo, armas de borracha, cacetete e armas de fogo.










Fortaleza
Atualizado em: 07/09/2011 - 1:07 pm


Manifestantes saíram às ruas nesta quarta-feira (07) para protestar na 10ª edição do Grito dos excluídos. A mobilização foi realizada nos bairros Lagamar e São João do Tauape, em Fortaleza. A caminhada pelas ruas dos bairros foi puxados por um carro de som e palavras de ordem. Os integrantes do movimento levavam faixas em favor da causa sociais e críticas ao governo.

Reivindicações
Este ano os manifestantes que participaram do Grito dos Excluídos denunciaram, o que avaliam como, prejuízos que grandes eventos como a Copa do Mundo de 2014 podem trazer à população, especialmente da periferia de Fortaleza.

O local escolhido para o protesto é justamente onde ficam comunidades que seriam afetadas diretamente pela desapropriação de áreas a serem usadas em projetos como o Veículo Leve sobre Trilhos (VLT). Por conta da obra, os moradores terão de abandonar o endereço onde vivem há anos.

O Grito do Excluídos é formado por manifestantes de vários movimentos populares que defendem os direitos das minorias.

Leia também:
Professores fazem protesto na marcha da Independência

Redação Jangadeiro Online, com informações da repórter Kamilla Ladeira

Acompanhe a reportagem do Jornal Jangadeiro










Greve, Vídeos
Atualizado em: 07/09/2011 - 12:25 pm


Os professores da rede estadual de ensino aproveitaram a marcha cívica de 7 de setembro para protestar pela valorização da categoria. Eles se mobilizaram em frente ao palanque para serem vistos pelas autoridades presentes.

Professores e alunos fazem protesto e manifestam críticas ao governador Cid Gomes que está na Europa

Vestidos com camisetas pretas, os educadores desfilaram levando faixas com frases que denunciam o descontentamento da categoria com a falta de valorização dos profissionais, por parte do governo Cid Gomes.

Os manifestantes furaram o cerco policial, logo após a passagem dos militares pela avenida Beira Mar e se posicionaram, por cerca de 3 minutos, em frente ao palanque onde estava o vice-governador do Estado, Domingos Filho.

Sem Cid
Durante o protesto, os educadores exibiram faixas com críticas diretas ao governador Cid Gomes, que não participou do evento, por estar em viagem oficial à Europa.

Os professores repetiam a todo momento frases como: “Cid ditador, respeite o professor!”; “Aluno na rua, Cid a culpa é sua!”, e “Não tem dinheiro para a educação, mas tem dinheiro para o Aquário e o Castelão!”.

Leia mais:
Cid Gomes não participa de desfile de 7 de setembro 
Professores da rede pública estadual realizam “Marcha da Educação e pela Paz” neste feriado 
Professores da rede pública estadual decidem continuar a greve

Reivindicações
Os professores, que estão em greve há mais de um mês, reivindicam que a Lei Nacional do Piso Salarial seja implantada para toda a carreira do magistério, em todos os níveis salariais.

Veja outras fotos da mobilização:

Da Redação do Jangadeiro Online com informações do repórter Paulo Campelo.

Acompanhe o vídeo com as imagens da manifestação:










Opinião
Atualizado em: 07/09/2011 - 11:23 am


Por Wanderley Pereira

Não temos nada contra o deputado Wellington Landim (PSB) e até o incluímos entre os políticos mais sensatos, com um bom relacionamento com a imprensa e uma atuação sóbria no parlamento. Achamos inclusive que ele seria mais útil, para a sua comunidade em Brejo Santo, como médico do que na política, porque para o cidadão, para o trabalhador, antes os bons médicos do que os maus políticos predadores dos recursos públicos e protagonistas dos escândalos que o País coleciona.

Mas achamos que o deputado saiu da sua normalidade e se exacerbou no seu confronto com a PM que, dentro do seu papel na segurança pública, entendeu de vistoriar o carro do seu correligionário e ex-prefeito cassado de Jardim, Fernando Luz. Pelo noticiário sobre o episódio (leia aqui), o deputado tomou as dores pelo amigo e transformou a imunidade parlamentar em abuso de autoridade ao reagir contra a abordagem dos PMS com termos humilhantes e ofensivos aos policiais, em vez de recorrer aos seus supostos direitos como qualquer cidadão comum deve decorrer.

Foi uma crise de carteirada comum nos tempos do coronelismo do sertão e dos regimes autoritários que não se coadunam mais com a nova ordem legal, nem com a modernidade. A autoridade, o mandato político, os títulos, o prestígio e o poder são aumento de responsabilidade e compromisso com a segurança e o bem-estar da sociedade e não instrumentos de opressão e de humilhação das classes inferiores. Esses maus exemplos encobertos pela impunidade servem exclusivamente para deturpar o sentido de autoridade e estimular a violência que é o grande câncer da atualidade.

Fica na cabeça do cidadão comum a sensação de que a polícia, instituição que representa o Estado na preservação da ordem e da segurança públicas, nada pode contra os poderosos infratores e prende apenas os humildes, os simples, que não têm para quem apelar, nem dispõem dos títulos nem mandatos que lhes garantam a imunidade. A Assembleia Legislativa e o Governo do Estado aos quais se filia politicamente o deputado Wellington Landim, sinalizam mal com o profundo silêncio que adotaram diante desse e de outros episódios de arrogância e abuso semelhantes.

Wanderley Pereira é jornalista e escritor.










Vídeos
Atualizado em: 07/09/2011 - 11:23 am


As denúncias de ameaças sofridas por servidores do Ministério Público e casos simbólicos com o da juíza Patrícia Acioli, executada no Rio de Janeiro no mês passado, acenderam o alerta quanto à violência contra esses profissionais em todo o País.

No Ceará, o Núcleo de Segurança Institucional e Inteligência foi reestruturado para reforçar o trabalho de investigação e proteger procuradores e promotores de justiça do Estado.

Acompanhe a reportagem exibida no Jornal Jangadeiro:










Partidos
Atualizado em: 07/09/2011 - 9:20 am


A reunião da Executiva Estadual do Partido dos Trabalhadores (PT), que estava marcada para esta terça-feira (06), foi adiada para quinta-feira (08), às 18h. O encontro vai acontecer na sede do partido (Av. Da Universidade, 2189, Benfica).

Leia mais:
Executiva do PT Ceará tem encontro de avaliação e preparativos

Na pauta estão os seguintes temas: conjuntura política, balanço do 4º Congresso do PT, realização do Fórum de presidentes do PT do Nordeste, atuação do Grupo de Trabalho Eleitoral e organização partidária (PED Extraordinário e Encontros Setoriais).

Com informações da assessoria de comunicação do PT










Ceará
Atualizado em: 07/09/2011 - 8:57 am


Este ano Cid Gomes não participa das comemorações pelo Dia da Independência

O governador Cid Gomes não vai participar das comemorações pelo Dia da Independência, na Avenida Beira Mar. O chefe do executivo está em viagem oficial a Europa e vai ser representado no desfile cívico militar pelo vice-governador, Domingos Filho.

Leia ainda:
Saindo do virtual: Internautas tentam ganhar as ruas contra corrupção

Veja a programação desse 7 de setembro

De acordo com o protocolo, o governador do Estado passa em revista às tropas antes de começar o desfile. Ato que será feito esse ano por Domingos Filho. O vice e outras autoridaes do Governo vão assistir à parada de 7 de setembro em um palanque especial, montado em frente ao Náutico Clube Cearense.

Redação do Jangadeiro Online, com informações da repórter Camila Rocha










Nacional
Atualizado em: 07/09/2011 - 8:00 am


A recente absolvição da deputada Jaqueline Roriz (PMN-DF) por colegas na Câmara, deu novo impulso às marchas e aos manifestos contra a corrupção

Mais de 300 manifestações marcadas pela internet estão previstas para este 7 de setembro em todo o país. Descontentamento com absolvição de Jaqueline Roriz incentiva marcha em Brasília. O apanhado é do Congresso em Foco. Acompanhe!

Fraudes, desvios de verbas públicas, uso de laranjas para destinar dinheiro de emendas parlamentares. O brasileiro já está acostumado a ver diariamente escândalos nos jornais e a reclamar deles também. As redes sociais se tornaram o principal fórum de debate e discussão informal, em que cidadãos indignados despejam suas críticas e trocam informações. Apesar da agitação que certos temas geram nas redes, a mobilização nas ruas ainda não reflete o entusiasmo demonstrado no mundo virtual.

Roriz
No entanto, a recente absolvição da deputada Jaqueline Roriz (PMN-DF) por colegas na Câmara, deu novo impulso às marchas e aos manifestos contra a corrupção marcados para hoje (7), dia em que se comemora a Independência do Brasil. Flagrada em vídeo recebendo dinheiro do delator do escândalo que ficou conhecido como Caixa de Pandora, no ano passado, a parlamentar se livrou da cassação com o aval de 265 deputados, que votaram por sua permanência na Casa. Porém, como o voto foi secreto, não é possível saber quem a defendeu no plenário.

300 eventos
Até o final da tarde de ontem (6), mais de 300 eventos haviam sido convocados em todo o país com o mesmo objetivo: protestar contra a corrupção. Alguns deles contavam com milhares de confirmações. Não há uma pauta definida em comum, mas todos pedem o fim do voto secreto e criticam a absolvição de Jaqueline Roriz. Uma parte apoia a “faxina” que a presidenta Dilma Rousseff começou a fazer nos ministérios e defende a criação da CPI da Corrupção, preterida até o momento pelo governo.

A maioria das manifestações é chamada pelo Facebook. Mas também é possível acompanhar a preparação pelo Orkut e pelo Twitter. Na rede de microblogs, os chamados são feitos por meio de expressões como #todoscontraacorrupcao, #lutopeloBrasil e #setembronegro.

“Estamos cansados de ver tantos casos e nada acontecer. Se todo mundo se encontra para tomar uma cerveja ou ver os amigos, por que não nos encontrarmos para reivindicar nossos direitos?”, questiona Lucianna Kalil, uma das organizadoras da “Marcha contra a corrupção”, evento divulgado pelo Facebook que já conta com mais de 24 mil confirmações de presença, até o fim da tarde de terça-feira (6).

Marcha contra a corrupção
A ideia de organizar a marcha surgiu da insatisfação com a proliferação de denúncias contra políticos dos mais diversos partidos. “Antes do acontecimento da Jaqueline Roriz, nós não tínhamos muitas adesões. A gente estava com cerca de 5 mil apoiadores, mas depois da absolvição dela é que deu uma disparada geral mesmo. Ninguém gostou da decisão da Câmara”, conta Lucianna.

Apesar do grande número de adeptos na rede social, Lucianna espera que cerca de 10 mil pessoas compareçam ao evento. “Muita gente diz que vai, mas, no fundo, é só para mostrar para os outros. Espero que desta vez as pessoas tenham disposição e participem mesmo”, afirma.

Sem bandeiras partidárias
Sem lideranças pré-estabelecidas, o movimento criado há dois meses define-se como totalmente apartidário e pede que ninguém estampe em bandeiras ou camisetas símbolos de partidos ou políticos. “Nossa ajuda de custo veio apenas de colaboradores. Fizemos tudo no esquema de vaquinha mesmo. Muita gente abraçou a causa e nos ajudou doando materiais e mão-de-obra para confeccionar os cartazes”, afirmou Lucianna.

O intuito dos manifestantes é pedir o fim do voto secreto no Congresso e mais transparência nas ações governamentais. “Só assim para podermos exercer o nosso direito de cidadania que é cobrar dos nossos políticos o que eles prometem. Como a gente vai cobrar se a gente não sabe quem votou a favor ou contra. Então é complicado de exercer a cidadania por debaixo do pano”, ressalta Lucianna.

Mobilização virtual
Apesar do entusiasmo com as mobilizações marcadas para este feriado, o funcionário público e bacharel em Relações Internacionais André Dutra ainda é cético em relação à disposição dos cidadãos em mudar algo na política. “A internet é a melhor ferramenta de mobilização que existe, mas ainda é preciso ter um propósito final de conscientização”, afirma.

Ficha Limpa
Também nesta quarta-feira, o Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE) pretende intensificar a coleta virtual de assinaturas para pedir à presidenta Dilma Rousseff que indique ao Supremo Tribunal Federal (STF) um ministro favorável à aplicação da Lei da Ficha Limpa a partir das eleições de 2012. O movimento é responsável pela coleta de assinaturas que permitiu a apresentação do projeto de lei de iniciativa popular que resultou na norma que proíbe a candidatura de políticos com condenações em órgãos colegiados ou que renunciaram ao mandato para escapar da cassação.

“A presidente Dilma se comprometeu em lutar contra a corrupção. Vamos fazer deste dia 7 de setembro o Dia da Independência da Corrupção”, defende a carta. Em apenas dez horas, mais de 50 mil pessoas assinaram a petição nesta quarta-feira.

Do Congresso em Foco










Bastidores, Partidos
Atualizado em: 07/09/2011 - 7:39 am


O governador da Bahia, Jaques Waner. Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil

O PMDB da Bahia anunciou na segunda-feira (5) a expulsão de três deputados estaduais depois de eles apoiarem uma proposta do governador do Estado, Jaques Wagner (PT), que alterou o plano de saúde dos servidores públicos. A informação é da Folha.com.

As expulsões são mais um capítulo da briga regional entre os partidos, que são aliados na esfera nacional e compõe o núcleo do governo da presidente Dilma Rousseff.

A direção estadual do PMDB expulsou os deputados Alan Sanches, Ivana Bastos e Temóteo Brito por não seguirem orientação da bancada e votarem a favor do polêmico projeto de lei que instituiu limite de atendimento para os segurados do Planserv –que cobre os servidores estaduais.

O partido fechou questão contra as alterações propostas por Wagner, que conseguiu aprová-las por 39 votos a 20 na semana passada.

A saída dos deputados do PMDB, contudo, já estava anunciada. Os três integrarão o PSD, legenda liderada nacionalmente por Gilberto Kassab e que na Bahia integrará a base do governo petista.

No domingo, a Folha mostrou que a operação política para criar o PSD na Bahia dará a Jaques Wagner uma base de 49 dos 63 deputados estaduais, formando uma hegemonia numérica superior à alcançada pelo grupo do senador Antonio Carlos Magalhães no auge de seu poder na política baiana na década de 1990.

Em nota, Ivana Bastos diz que ficou surpresa com a decisão do partido e disse que o PMDB tem agido para “isolá-la politicamente, de fragilizá-la e menosprezá-la diante dos seus eleitores”.

O presidente regional do PMDB-BA, deputado federal Lúcio Vieira Lima, nega que a votação tenha sido um pretexto para retaliar os deputados que estão aderindo ao PSD.

“Por uma questão meramente fisiológica, eles disseram que estavam indo para o PSD, mas a lei permite [que mudem para uma nova legenda] e não houve retaliação. A questão é que votaram para afrontar uma decisão do partido [contra o projeto] e a comissão de ética decidiu expulsá-los porque não podia deixar o desgaste contaminar o PMDB”, disse.

Da Folha.com










Presidência
Atualizado em: 07/09/2011 - 5:51 am


Reprodução da TV

Em pronunciamento oficial, na noite de terça-feira (06), por meio da rede nacional de rádio e TV, a presidente Dilma Rousseff disse que a inflação está controlada e que o Brasil tem plenas condições de combater os efeitos da crise econômica que atinge o mundo. Foi o terceiro pronunciamento de Dilma em rede nacional.

“Aqui o emprego e a renda batem recordes históricos, nossas reservas internacionais estão mais sólidas do que nunca, o crédito continua crescendo e a inflação está sob controle. Os juros voltaram a baixar e estabilidade da economia esta garantida”, disse Dilma.

A presidente enfatizou que é necessário que o conceito de independência, comemorado nesta quarta-fera (07), precisa ser “renovado” para que o país possa dar resposta à crise. “Temos uma grave crise econômica que cobra respostas novas para seus problemas”.

Na defesa do mercado interno
A crise, de acordo com a presidente, será uma oportunidade de ampliar o mercado interno. Segundo ela, o governo não vai permitir ataques à indústria nacional e aos empregos e a concorrência desleal de produtos estrangeiros.

“No caso da atual crise internacional nossa principal arma é ampliar e defender nosso mercado interno, que já é um dos mais vigorosos do mundo, por isso quero deixar claro que meu governo não irá permitir ataques às nossas indústrias e aos nossos empregos. Não vai permitir que artigos estrangeiros venham concorrer de forma desleal com os nossos produtos”.

Dilma disse ainda que é decisão de seu governo continuar investindo em infraestrutura e em programas sociais. Segundo a presidente, a situação do Brasil diante de muitos países é privilegiada, mas ela reconhece que “estamos aquém do que podemos e necessitamos. É preciso crescer na melhoria de qualidade e ampliação do serviço público”.

Corrupção
Sobre as denúncias de corrupção que atingiram ministérios, ela disse que o combate à corrupção é um valor. “Um país em que com o malfeito não se acumplicia jamais, e que tem a defesa da moralidade e o combate à corrupção uma ação permanente, inquebrantável”.

Dilma disse ainda que as áreas de saúde, educação e segurança não podem ser “motivo de insônia”, mas de um motivo de “despertar de uma nação”.

“Saúde, educação e segurança tem que deixar de ser motivo de insônia dos brasileiros, para ser motivo de um novo despertar desta nação. O círculo virtuoso que precisamos implantar no nosso país é o da qualidade dos nossos serviços públicos, pois já implantamos o grande círculo virtuoso do crescimento com inclusão social e distribuição de renda”, destacou.

Da Agência Brasil