ALEC, Greve
Atualizado em: 07/12/2011 - 5:08 pm


Um grupo de policiais civis em greve foi impedido de entrar no plenário da Assembleia Legislativa na tarde desta quarta-feira (7). Eles queriam discutir as exigências da categoria com o Governador Cid Gomes. Os servidores estão em greve desde o dia 15 de outubro.

“O governador tem dinheiro para carros caros e prédios caros, mas não investe no ser humano”, afirmou Inês Romero, presidente do Sindicato dos Policiais Civis do Estado do Ceará (Sinpoci). “Eu faço um apelo para que o Governador receba a categoria para debater”, completou Inês.

Reivindicações
As reivindicações incluem a contratação de novos policiais aprovados em concurso público, o pagamento de 60% do salário de delegado para os demais agentes e a dispensa de curso superior para promoção na carreira.

Greve
A paralisação dos inspetores e escrivães havia começado em julho e foi suspensa em agosto. Haveria um acordo com o Governo, mas as negociações não evoluíram e os policiais retomaram o movimento. Na época, a greve foi decretada ilegal pela Justiça. Nesta segunda paralisação do ano, a decisão foi tomada em assembleia da categoria no Sinpoci.

Com a greve, o Sinpoci tem elaborado um plano operacional em que relaciona as delegacias que funcionarão em regime de plantão (24 horas) e as que estarão abertas no horário do expediente (das 8h às 18 horas).

Leia mais:
Assembleia geral discute rumos da greve dos Policiais Civis nesta quinta
Policiais civis em greve protestam na Assembleia Legislativa


Da Redação do Jangadeiro Online










Ceará
Atualizado em: 07/12/2011 - 4:21 pm


Cid Gomes na Tribuna da Assembleia. Foto: Kézya Diniz

Se dizem que o ataque é a melhor defesa, o governador Cid Gomes está respaldado para possíveis denúncias que surgirem nos próximos dias. O socialista surpreendeu deputados estaduais de oposição e a imprensa ao comparecer a sessão da Assembleia Legislativa, nesta quarta-feira (07). Ao falar sobre denúncias contra o governo, repetiu em diferentes momentos. “Eu não sou desonesto!”.

Cid Gomes admitiu que só incluiu compromisso na agenda, na noite anterior. A visita durou mais de três horas entre discursos, debate e entrevistas.

Já em plenário, o governador apresentou projetos de mobilidade urbana para a Copa do Mundo de 2014 e fez um desabafo ao comentar denúncias de corrupção e tráfico de influência envolvendo representantes do governo estadual. O governador citou o caso dos banheiros fantasmas, o vídeo em que  conversa com empresários sobre a linha leste do metrô de Fortaleza e o sistema de empréstimos consignados aos  servidores públicos do Ceará.

Surpresa
Por volta das 11 horas da manhã a movimentação nos corredores da Casa começou a ficar diferente. Seguranças assumiram pontos estratégicos e aos poucos secretários de Estado começaram a chegar. Não demorou para que o governador adentrasse o plenário. O governador admitiu que decidiu passar pela Assembleia na noite anterior.

Consignados
Ainda durante discurso na tribuna da AL, Cid Gomes falou sobre a denúncia do suposto esquema de empréstimos consignados. Ele explicou a participação do Estado para negociar vantagens para os servidores públicos e negou que algum representante do governo tenha atuado de forma irregular em benefício próprio ou de terceiros.

Ao citar o possível envolvimento do secretário Chefe da Casa Civil, Arialdo Pinho, que segundo a denúncia teria beneficiado o próprio genro, Cid Gomes disparou: “Se o parente de algum secretário tem envolvimento com a empresa, o governo não tem nada a ver com isso. A Coelce é uma concessionaria pública, e o irmão do deputado Heitor Férrer trabalha lá e isso não quer dizer nada”, sugeriu.

Cid x Férrer
“Eu nunca lhe chamei de desonesto. O mesmo não posso dizer do seu governo”, disse o deputado Heitor Férrer ao usar a palavra para questionar o governador sobre os 19% que seriam repassados pelos agentes financeiros para o genro de Arialdo Pinho.

Cid Gomes respondeu primeiro em tom de alerta.“Cuidado para não morder a língua. Cuidado para não ser vítima do mesmo oportunismo caso planeje assumir um espaço no Executivo”, disse Cid ao deputado.

Depois, o governador desmonstrou um misto de indignação e incredulidade diante das denúncias.
“Eu não acredito, eu não acredito!” disse para em seguida completar afirmando que “Eu estou absolutamente tranquilo. Uma coisa que incomoda é a indicação de suspeição, de desonestidade. Há quem defenda a tese de que eu não devia remoer porque esse assunto já saiu do noticiário, mas eu não tenho nada a temer. Em nome de que eu vou ser cúmplice com qualquer ato de desonestidade? Isso fere de morte, tira a credibilidade de um governo. Se eu não sou desonesto, não vou permitir que meu governo seja. Eu não roubo nem deixo roubar. Se alguém está roubando, me diga, mas me diga mesmo”, desafiou.

Cid Gomes na entrevista coletiva após visita a AL. Foto: Kézya Diniz

O governador ainda disse que estaria disposto a chamar o banco Bradesco para saber se a instituição estaria pagando comissão, como afirma a denúncia, ao genro do secretário Arialdo Pinho. “Eu sou capaz de chamar o Bradesco aqui. Mas eu não acredito, eu não acredito que o Bradesco faça isso, se tiver é um imbecil. Se tivesse, [o Bradesco] já teria procurado o secretário [da Fazenda] Mauro Filho para dizer que alguém [do governo] estava querendo extorquir”, disparou.

Banheiros
O deputado Fernando Hugo (PSDB) disse que ainda existem muitas dúvidas sobre os empréstimos consignados e no caso dos banheiros fantásmas, mas lamentou que a oposição não receba esclarecimentos através dos secretários de estado.

Cid Gomes respondeu: “Não quero que meu desabafo se confunda com desejo de não ter oposição. Longe de mim ter restrições ao papel da oposição. Não há papel mais nobre”, afirmou ao lembrar que mudou de partido várias vezes para fazer parte da oposição.

“O meu interesse na questão é apenas que o banheiro seja feito. Ministério Público, Justiça, polícia, que vá atrás das outras coisas. O que aconteceu ali na prática? Todos os convênios são padrões. Se faz um convênio e se libera uma parcela. Um funcionário que não secretário [das Cidades] recebeu uma prestação de contas (…) que depois se descobriu que era falsa. De má fé, a parcela foi liberada. Repito, meu interesse é que o banheiro seja feito”, reafirmou.

Acompanhe a reportagem exibida no Jornal Jangadeiro 2ª Edição:










Polêmica
Atualizado em: 07/12/2011 - 3:17 pm


José Eduardo Cardoso, ministro da Justiça. Foto: Agência Brasil

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, disse nesta quarta-feira (7) ter total confiança no ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel, alvo de reportagem do jornal O Globo, que o coloca como suspeito de receber R$ 2 milhões como pagamento de serviços de consultoria para empresas entre 2009 e 2010.

O dinheiro, segundo o jornal, foi recebido depois que ele deixou a prefeitura de Belo Horizonte e antes de Pimentel assumir o cargo de ministro.

Na avaliação de Cardozo, não há irregularidade na prestação do serviço pois, segundo ele, esse é um fato que corresponde à vida particular de Pimentel.

“Li a notícia no jornal. Eu, pessoalmente, tenho uma confiança muito grande no ministro Pimentel. Esses fatos não dizem respeito a sua atuação na vida pública e, sim, à esfera privada. Portanto, a minha confiança no ministro Pimentel é total, integral como sempre foi”, disse Cardozo, depois de cerimônia de lançamento de ações governamentais para combate ao crack, no Palácio do Planalto.

A reportagem apurou que as consultorias foram prestadas pela P-21, Consultoria e Projetos Ltda, empresa do ministro, à Federação das Indústrias de Minas Gerais (Fiemg) e com a QA Consulting, uma empresa de informática.

Leia ainda:
Nos jornais: Pimentel tem outro contrato suspeito

Pimentel negou que tenha influenciado o resultado de licitação na prefeitura de Belo Horizonte, para favorecer o grupo Convap, para o qual prestou consultoria em 2010, como mostrou a reportagem.

Com informações da Agência Brasil










Corrupção
Atualizado em: 07/12/2011 - 1:28 pm


Cartaz em alusão ao Dia Internacional contra a Corrupção

Na manhã desta quinta-feira (8), a Controladoria Regional da União do Ceará (CGU) e o Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) realizam, em Fortaleza, um encontro em alusão às comemorações do Dia Internacional contra a Corrupção – 9 de dezembro – instituído em 2003, à época da aprovação da Convenção da Organização das Nações Unidas contra a Corrupção.

Na ocasião, serão apresentados um balanço sobre os trabalhos de mobilização para a I Conferência Nacional sobre Transparência e Controle Social; dados atualizados do Portal da Transparência, do Governo Federal; informações sobre o Portal das Licitações do TCM; e as ações que serão realizadas nos dias 9 e 11 de dezembro em alusão à data comemorativa.

Serviço
Encontro em alusão ao Dia Internacional contra a Corrupção
Data: 8 de dezembro de 2011
Hora: 8h
Local: Hotel Sonata – Salão Harmonia
Endereço: Avenida Beira Mar, 848 – Praia de Iracema – Fortaleza, CE

Leia mais:
Centenas de fortalezenses participam de Marcha contra a Corrupção
Fim da corrupção é discutido em seminário na AL

Com informações CGU










Tribunais
Atualizado em: 07/12/2011 - 11:33 am


Valdetário Monteiro, presidente da OAB Ceará

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) não conheceu o pedido de providências interposto pela Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional do Ceará (OAB-CE) contra o Tribunal de Justiça do Estado.

Atendimento aos advogados
A OAB-CE ingressou com o pedido alegando que os advogados não estão sendo bem atendidos no Fórum Clóvis Beviláqua, em razão da reforma realizada no local. Sustentou que o atendimento aos profissionais vem ocorrendo “em pequenos guichês improvisados” e solicitou o acesso dos advogados à parte interna das Secretarias das Varas.

Reformas
O Tribunal, em contestação, explicou que a situação é provisória e que a reforma tem como objetivo ampliar e melhorar as instalações do Fórum, adequando-o ao projeto de virtualização. Afirmou ainda que, por conta da implementação do processo eletrônico, já foram realizadas reuniões com as instituições e profissionais interessados, inclusive com a OAB-CE.

Ao analisar o caso, o conselheiro Ney José de Freitas não conheceu o pedido de providências porque a matéria já havia sido objeto de análise anterior no Plenário do CNJ. Naquela ocasião, o Conselho entendeu pela impossibilidade de intervenção, em razão de a questão “estar dentro do juízo exclusivo de conveniência e oportunidade da Administração local, não devendo o CNJ sobrepor-se à autonomia dos tribunais locais em questões que não possuam repercussão nacional”.

Leia mais:
Justiça nega liberdade a condenado por tráfico de drogas
Ex-capitão da PM acusado de matar irmãos em Iguatu será julgado nesta quarta-feira

Da redação do Jangadeiro Online com informações do TJCE










Greve
Atualizado em: 07/12/2011 - 10:26 am


Os policiais civis realizam, na tarde desta quarta-feira (7), uma nova manifestação. De acordo com o vice-presidente do Sindicato dos Policiais Civis de Carreira do Ceará (Sindipoci), Francisco Xavier de Farias Junior, a categoria vai estar na Feirinha da Avenida Beira-Mar a partir das 16 horas, pedir dinheiro principalmente para os turistas.

Como já antecipado pelo Jangadeiro Online, a ação é uma forma de protestar contra o corte salarial da categoria, confirmado pelo governador Cid Gomes. O sindicato afirma que a manifestação é pacífica e tem por objetivo sensibilizar o Governo a respeito de algumas exigências dos servidores, como reajuste salarial e melhoria nas condições de trabalho.

De acordo com o Sinpoci, a categoria também tinha previsto pedir dinheiro no semáforo em frente ao Palácio da Abolição, na Avenida Barão de Studart, no bairro Meireles. O protesto iria acontecer na manhã desta quarta-feira (7), mas, por conta de um atraso na entrega do material gráfico, a manifestação teve de ser cancelada.

Reunião cancelada
A categoria deveria ter se reunido com Cid na última sexta-feira (2), mas o encontro foi cancelado. Segundo o secretário geral do sindicato, Hernani Dantas, um assessor disse que o governador teve de fazer uma viagem às pressas para Brasília e não poderia atender o grupo.

Greve
Os policias civis cearenses estão em greve desde o dia 15 de outubro. A paralisação dos inspetores e escrivães havia começado em julho e foi suspensa em agosto. Haveria um acordo com o Governo, mas as negociações não evoluíram e os policiais retomaram o movimento.

Em contato com a produção do Jornal Jangadeiro, a assessoria da Casa Civil do Estado informou que não há data prevista para uma nova reunião.

Assista a matéria do Jornal Jangadeiro:

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=Z3zBhl3SfQ4&feature=player_embedded[/youtube]

Da Redação Jangadeiro Online, com informações do Sindipoci










Ceará
Atualizado em: 07/12/2011 - 9:24 am


Buracos nas rodovias federais que cortam o Ceará causam estragos e prejudicam motoristas

O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) apresenta o projeto de recuperação e conservação de rodovias cearenses, nesta quarta-feira (7), às 10 horas, na sede do órgão. A previsão é de que sejam investidos cerca de R$ 429 milhões nas obras.

Devem receber as intervenções do DNIT, trechos das BR-116, BR-222, BR-230, BR-020, BR-226, BR-402, BR-304, BR-404 e BR-122.

Problema Antigo
Os buracos são uma dor de cabeça para quem trafega pelas rodovias federais que cruzam o estado. A crise no Ministério dos Transportes teve reflexo direto no Ceará. Depois das denúncias de corrupção, que provocaram inclusive a saída do ministro Alfredo Nascimento, as licitações de novas obras foram suspensas provisoriamente.

Verba Retida
Parte do pacote de um bilhão de reais prometido pelo ex-ministro foi retido pela Controladoria Geral da União. Enquanto a indefinição continua, os motoristas são obrigados a conviver com as péssimas condições das estradas.

Leia mais:
Luizianne faz pouco caso do rally protesto contra os buracos nas ruas da Capital
Dilma reconhece situação precária das rodovias cearenses 
Cid lança “Rally dos buracos”, classifica ministério dos Transportes de “laia” e Dnit de “quadrilha”

Nova Promessa
A primeira etapa do projeto, que faz parte do Programa de Contratos de Restauração e Manutenção de Rodovias (Crema), visa uma imediata melhora nas condições da pista de rolamento e acostamento das estradas. Esta parte da obra deve durar um ano.

No segundo ano, haverá a manutenção das rodovias com a realização de limpeza de acostamentos, desobstrução de bueiros e conservação da faixa de domínio.










Articulação, Partidos
Atualizado em: 07/12/2011 - 8:45 am


Com a licença, a vaga do tucano João Jaime será preenchida pelo deputado do PSD, Neném Coelho.

A presidência da Assembleia Legislativa decidiu que as vagas ocupadas pelos deputados do PSDB,  que se licenciarem, serão preenchidas por parlamentares eleitos pela sigla e que agora estão no PSD. É o caso de  Neném Coelho e Cirilo Pimenta que assumem os mandatos nesta quarta-feira (07), com as licenças de João Jaime (PSDB) e Rogério Aguiar (ex-PSDB e hoje no PSD).

A decisão da Assembleia segue o entendimento de que a vaga é da coligação. O detalhe é que o PSD nem existia na época da eleição.

Consulta
Ainda na primeira quinzena de novembro, o PSDB do Ceará enviou ofício ao presidente da Assembleia Legislativa do Estado, deputado Roberto Cláudio (PSB), solicitando informações sobre a convocação de suplentes na Casa. Na ocasião, os tucanos queriam saber quem assumiria a vaga do deputado estadual João Jaime (PSDB), que planejava pedir afastamento por 120 dias para tratar de assuntos particulares.

No ofício, assinado pelo presidente estadual da sigla, Marcos Cals, o PSDB indaga se com o eventual afastamento de João Jaime quem assume é Neném Coelho (PSD) ou quarto suplente da sigla, Thiago Campelo Nogueira.

Ex-tucanos
Cirilo Pimenta e Nenem Coelho, respectivamente segundo e terceiro suplentes eleitos pelo PSDB, migraram recentemente para o PSD, sigla criada pelo prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, e que no Ceará é indiretamente controlada pelo governador Cid Gomes, presidente o PSB estadual.

Leia mais:
Dirigente do PSD no Ceará admite que criação da sigla foi orientada por Cid Gomes
 
PSD acolhe aliados do governo e já nasce com bancada na Assembleia do Ceará
 










Congresso
Atualizado em: 07/12/2011 - 6:26 am


Kátia Abreu comemorou a aprovação do Código Florestal: "Fim da ditadura ambiental. Foto: Luiz Alves/Senado

Com o Plenário do Senado isolado da ação de manifestantes, 58 senadores votaram favoravelmente ao Projeto de Lei da Câmara 30/2011, que promove alterações no Código Florestal Brasileiro, com novas regras sobre a exploração de terras em todo o país. Oito senadores votaram contra a aprovação do PL, sem abstenções registradas e com rejeição declarada dos dois representantes do Psol – Marinor Brito (PA) e Randolfe Rodrigues (AP) – e do senador recém-empossado João Capiberibe (PSB-AP). Alterado em comissões temáticas, a matéria retorna para a análise da Câmara, que a aprovou em 24 de maio.

A matéria recebeu dezenas de emendas de plenário (textos extras sugeridos para integrar o texto-base), a grande maioria delas rejeitada e sem grandes alterações ao texto original (26 emendas foram acatadas, das quais 3 de redação, e 56 foram rejeitadas). Se os deputados acolherem as alterações dos senadores, o projeto segue para sanção presidencial. Caso contrário, toda a tramitação será reiniciada.

O texto aprovado é de autoria dos senadores Luiz Henrique (PMDB-SC) e Jorge Viana (PT-AC), em substitutivo ao texto aprovado pela Câmara, de autoria do ex-deputado Aldo Rebelo (PCdoB-SP). Senadores favoráveis à redação do novo código acreditam ter alcançado consenso, embora as divergências manifestadas principalmente pelo Psol. Em revezamento de discursos na tribuna do plenário, a maioria deles disse que foi o melhor que o Senado pode fazer em relação à legislação ambiental, conciliando interesses de ruralistas e ambientalistas.

Polêmico, o projeto já contava com o aval de ruralistas e da base governista e provocou na Câmara a primeira derrota do governo Dilma Rousseff no Congresso. O Código Florestal estabelece normas gerais para a preservação da vegetação nativa e as diversas atividades econômicas que implicam ocupação do solo e exploração de recursos naturais.

O que estabelece o texto-base
O texto do novo Código Florestal Brasileiro define onde a vegetação nativa deve ser mantida e onde pode haver diferentes tipos de produção rural. Desde o início da nova legislatura, em fevereiro, o assunto tem se mostrado um dos mais controversos e debatidos no Congresso, com participação intensa da sociedade civil. No Senado, o texto ficou seis meses em discussão, tendo passado pelas comissões de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ), de Agricultura e Reforma Agrária (CRA), de Ciência e Tecnologia (CCT) e de Meio Ambiente (CMA). O código atualmente em vigor data de 1965, com modificações pontuais desde então. Veja abaixo alguns dos principais pontos do projeto.

Reserva Legal – É a parcela de cada propriedade que deve ser preservada. A lei em vigência estabelece que a área preservada seja de 20%, exceto na Amazônia Legal, onde chega a 80% em áreas de floresta, e em zonas de cerrado, que é de 35%. O novo texto muda a área de conservação obrigatória. Se a propriedade estiver em estados com mais de 65% do território ocupado por unidades de conservação ou terras indígenas, a área de reserva legal cai para 50%.

APPs- São locais frágeis, como beiras de rios, topos de morros e encostas, e que não podem ser desmatados para evitar erosão, deslizamentos, destruição de nascentes, entre outros problemas. São 30 metros de faixa de mata que deve ser conservada na beira de rios. O projeto aprovado permite o cultivo em APPs para alguns tipos de cultivo. Em encostas de até 45º, ficaria permitida a pecuária. São necessários 15 metros de faixa de mata para os cursos d’água;

Reflorestamento – O projeto estabelece que propriedades de qualquer tamanho podem compensar multas por desmatamento ilegal feito antes de 2008, com reflorestamento. Produtores rurais com até quatro módulos fiscais podem ficar isentos de recompor reserva legal.

Do Congresso em Foco










Fortaleza
Atualizado em: 06/12/2011 - 8:02 pm


O vereador João Alfredo (PSOL) apresentou uma análise do Projeto de Lei Orçamentária Anual e apontou distorções.

A discussão sobre a Lei Orçamentária chegou ao plenário da Câmara Municipal de Fortaleza. A proposta encaminhada ao Legislativo prevê que o orçamento de Fortaleza, em 2012, será de R$5 bilhões. Mas a aplicação desses recursos gera polêmica.

Segundo a matéria, o orçamento da Saúde será fixado em cerca de R$1,3 bilhão, (R$ 1.383.975.586,00) o que representa 27,3% do valor total.

Educação e Urbanismo
Já a Educação deve ficar com cerca de R$905 milhões (exatos R$ 905.275.000,00), ou 17,9% do orçamento. Percentual praticamente igual ao de0stinado para ações de Urbanismo que vai receber perto de R$ 906 milhões (R$ 905.900.712,00), ou 17,91% do total.

Social
Números inferiores aos previstos para a secretaria Municipal de Direitos Humanos (R$ 24.567.850,00) e para o Fundo Municipal de Assistência Social (R$ 32.994.241,00) que não chegam a um porcento do orçamento.

“Se o Orçamento já era uma peça de ficção científica, agora é um filme de terror porque são muitas as distorções”, ironizou o vereador Ciro Albuquerque (PTC).

Análise
O vereador João Alfredo (PSOL) apresentou uma análise do Projeto de Lei Orçamentária Anual e apontou disparidades em dotações para áreas importantes, como direitos da criança e do adolescente e assistência social. De 2006 a 2012, o orçamento cresceu 154% e chegará ao próximo ano a mais de R$ 5 bilhões.

A aplicação, segundo o vereador, precisa ser examinada para que o retorno para a população seja satisfatório. Ele apontou, por exemplo, que assistência social, direitos da cidadania e cultura têm um dos menores percentuais de aplicação. Estão previstas para essas áreas, respectivamente, 2%, 0,5% e 1,8%.

Regionais
Ainda segundo o vereador, a Secretaria Executiva Regional VI, com 600 mil habitantes e 42% do território de Fortaleza, vai receber R$ 133.110.620,00, enquanto a SER II, com 325 mil habitantes deve ficar com R$ 116.392.530,00.

O menor orçamento é da SER III que, com 378 mil habitantes, deve garantir um orçamento de R$ 42.639.644,00.

Conselhos x Cerimonial
Outra comparação feita por João Alfredo diz respeito ao orçamento previsto para os conselhos tutelares, que sofreu redução de 47% em relação a 2011. O cerimonial da Prefeitura, por outro lado, terá 31% a mais de recursos que os conselhos em 2012.

Para João Alfredo, é preciso corrigir essas e outras distorções no orçamento para que áreas prioritárias possuam mais recursos.

Líder
O vereador Ronivaldo Maia (PT), líder da prefeita na Câmara de Fortaleza, afirma que os números estão corretos e apesar de considerar o discurso da oposição como “legítimo” diz que não existem distorções na proposta da prefeitura.

Prazos
Os vereadores tem até a sexta-feira (09) para apresentar emendas que modifiquem o texto. A votação do Orçamento está prevista para a próxima terça-feira (13).

Acompanhe a reportagem exibida no Jornal Jangadeiro 2ª Edição:










Ceará
Atualizado em: 06/12/2011 - 7:19 pm


O paciente chegou a passar pela triagem, mas não resistiu a espera por atendimento. Foto: reprodução TV Jangadeiro

Um homem morreu na porta da Santa Casa de Misericórdia, no Centro de Fortaleza, nesta terça-feira (6), à espera de atendimento médico. De acordo com informações dos familiares da vítima, Sérgio Norberto Teixeira, de 39 anos, passou mal em sua casa no bairro Álvaro Weyne e foi levado pela esposa, Kátia Oliveira, ao hospital.

O detalhe é que, ainda segundo familiares, o paciente só foi avisado de que não havia médicos na unidade após a realização de uma triagem. Ele também foi informado de que teria de esperar mais de uma hora pela consulta.

A esposa de Sérgio Norberto resolveu procurar atendimento em outro hospital quando o paciente sofreu uma crise convulsiva e desmaiou na calçada da Santa Casa. O homem  foi colocado em uma cadeira de rodas e passou por procedimentos de reanimação, mas veio a óbito minutos depois.

Explicações
O Diretor Clínico da Santa Casa de Misericórdia de Fortaleza, Wilson Mourão, confirmou que apenas um clínico prestava atendimento na unidade de saúde nesta terça-feira (6). Ele disse que Sérgio Norberto passou pela triagem do hospital e foi orientado a aguardar o atendimento, já que existiam outros casos prioritários. O diretor afirmou também que será aberta uma sindicância para apurar o caso.

Segunda morte
Este foi o segundo caso de morte por negligência registrado nos últimos dias. No dia 29 de novembro, Reginaldo Barbosa de Sousa, de 32 anos, morreu após ter socorro negado no Hospital Geral de Fortaleza.

Segundo o relato do irmão da vítima, Luiz Carlos, devido a demora do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), Reginaldo foi levado até o HGF em um carro de um vizinho. Chegando ao local, os acompanhantes da vítima foram informados que o Hospital não atendia esse tipo de caso.

A orientação dada pelos funcionário do HFG foi levar o doente para o Instituto José Frota (IJF). Ao pedir uma Ambulância, o irmão da vítima foi informado que o hospital não tinha carros disponíveis para a remoção. No caminho para o IJF, Reginaldo morreu.

Leia mais:
Deputados fazem nova visita ao HGF, reafirmam denúncias e dizem que cirurgias estão suspensas 

Deputados confirmam irregularidades durante visita surpresa ao HGF 
Deputados visitam HGF após denúncia da TV Jangadeiro
 
Deputados vão enviar relatório sobre a situação no HGF
 

Comento
Este é um caso absolutamente inaceitável. Simplesmente, não há desculpas. O cidadão que paga impostos elevados morrer na porta de um hospital, por falta de médicos, é um crime. Nada pode reparar a perda de uma vida nessas circunstâncias, mas cumpre identificar falhas e punir os responsáveis, como medida preventiva, para que outros não morram. Especialmente em um Estado que anuncia seguidos recordes de arrecadação e milionários projetos grandiosos.

Nada contra obras como o Acquário e o Centro de Feiras e Eventos, mas é neste momento a inversão de prioridades esbarra na ética. Por que a propagada competência verificada na reforma do Castelão, orgulhosamente festejada, não é repetida na gestão de hospitais públicos? Repito: são vidas humanas em jogo!

E é nessa hora que a gente se pergunta: onde estão os nossos representantes? Vereadores, deputados, senadores…. Quem vai comprar a briga para impedir que casos como o registrado hoje se repitam? Fica o misto de dúvida, indignação e esperança.










Câmara Municipal, Ficha Limpa
Atualizado em: 06/12/2011 - 6:51 pm


Vereador Ciro Albuquerque (PTC) quer aplicação dos critérios da Lei da Ficha Limpa na nomeação de cargo públicos

O vereador Ciro Albuquerque(PTC) chamou atenção, na manhã desta terça-feira (6) para um projeto de lei de sua autoria, que encontra-se na Comissão de Legislação, Justiça e Cidadania da Câmara Municipal de Fortaleza e que tem como objetivo implantar os mesmos critérios da Lei da Ficha Limpa na nomeação de cargos da administração municipal.

O projeto trata sobre a proibição de nomeação à cargos públicos do Executivo e do Legislativo, de pessoas condenadas na justiça, mesmo que o trâmite do processo não tenha sido concluído no judiciário. Para o parlamentar, com este projeto, tem o objetivo de implantar a moralidade no serviço público do Município.

Na AL
Projeto semelhante, de autoria do deputado Heitor Férrer (PDT), tramita na Assembleia Legislativa e pelo menos por enquanto, sem prazo para ir a votação.

Leia ainda: Ficha limpa para administração pública começa a tramitar na Assembleia

Com informações da CMFor










Articulação, Vídeos
Atualizado em: 06/12/2011 - 6:25 pm


O ex-presidente da República Fernando Henrique Cardoso lançou na noite de sexta-feira (02/12) uma página na rede social Facebook. A intenção do tucano é transformar o perfil em um observatório político. A página traz informações sobre a agenda do Instituto Fernando Henrique (iFHC), presidido pelo ex-presidente.

Em vídeo publicado em sua conta no Youtube, ele comenta a importância da internet na vida política contemporânea e explica os objetivos da sua conta virtual. “O Facebook me permitirá conversar com vocês”, diz FHC. “Vocês podem curtir, saber o que estou fazendo, reagir.”

Essa é mais uma iniciativa do tucano de interação pela internet. Em julho, ele lançou um portal colaborativo, o Observatório Político. Ele tem se esforçado para levar aos debates do PSDB a questão de falar aos eleitores em uma linguagem acessível e clara.

Veja ainda:
Lula lança site para “falar bem e falar mal dos outros”

Acompanhe o vídeo:










Ceará
Atualizado em: 06/12/2011 - 5:46 pm


A lei Maria da Penha, que entrou em vigor em 2006, foi transformada em cordel pelo artista popular Tião Simpatia. O resultado do trabalho será lançado nesta terça-feira (6), às 19h, na Livraria Cultura, em Fortaleza.

O livro “A Lei Maria da Penha em Cordel” tem ilustrações de Meg Barros e visa contribuir com a popularização da lei, que pune crimes de violência contra a mulher.

A ativista cearense que dá nome à lei, Maria da Panha, participa do lançamento, que também contará com diversas autoridades que trabalham pelo combate aos crimes domésticos.

Leia mais:
Literatura de cordel ganha espaço em São Paulo
CTN realiza Festival de Cordel

Arte e cultura! Crianças aprendem na escola a fazer cordel

Da Redação do Jangadeiro Online










Ceará
Atualizado em: 06/12/2011 - 5:29 pm


Pleno do TCE

O pleno do Tribunal de Contas do Estado do Ceará (TCE-CE) aprovou, por unanimidade de votos, em sessão realizada nesta terça-feira (6), a suspensão do Edital da secretaria de Educação do Estado (Seduc) que tinha como objetivo a contratação de professores por tempo determinado para as escolas da rede pública estadual de Fortaleza.

A suspensão havia sido aplicada cautelarmente na última quinta-feira (1º de dezembro), por meio de despacho proferido pelo relator, conselheiro substituto Paulo César de Souza.

Fora da Lei
A medida foi adotada em processo de Representação formulado pela 5ª Inspetoria de Controle Externo (5ª ICE), que ao realizar acompanhamento sistemático de publicações realizadas pelos órgãos da administração pública estadual, constatou a publicação do Edital e seu desacordo com a Lei Complementar nº 22/2000, que regula a contratação de professores em regime temporário.

Pedido de Informações
Ao acolher os argumentos apresentados pela Inspetoria, o relator determinou a suspensão, do Edital, bem como prazo de 5 (cinco) dias para que secretária da Educação do Estado, Izolda Cela, apresente os esclarecimentos e informações.

Leia também:
Assembleia geral dos professores termina em confusão 
Em Sobral e no Cariri: professores da rede pública estadual nova greve 
Professores denunciam pressão de governo e sindicato 

Também foi determinado que, no prazo de 15 (quinze) dias, a titular da Seduc disponibilize ao Tribunal todas as seleções realizadas para contratações de professores temporários a partir de 22 de março último.

Com informações da Assessoria do TCE