Greve
Atualizado em: 05/10/2011 - 12:12 pm


Um enterro do Banco Bradesco, com direito a carro fúnebre e caixão. É essa a programação da greve dos bancários do Ceará na manhã desta quarta-feira (5). De acordo com o Sindicato da categoria, o cortejo saiu da sede da instituição e está percorrendo agências do Bradesco no Centro de Fortaleza, seguindo até a sede no banco na Avenida Desembargador Moreira, onde o “enterro” vai ocorrer.

O protesto é realizado pelo fato da direção do banco ter proibido os funcionários de participar da greve, por meio de um instrumento legal chamado “interdito proibitório”. Segundo o Sindicato, na prática, a decisão proíbe que os grevistas entrem nas agências do Bradesco. Por conta disso e por medo de demissões, os funcionários do Banco acabam não aderindo à greve.

Paralisação continua
A previsão é de que a paralisação continue. É que, em assembleia geral realizada nesta terça-feira (4), os bancários do Ceará decidiram manter o movimento grevista por tempo indeterminado. Na tarde desta quinta-feira (6), está marcada uma nova assembleia geral da categoria, para decidir os rumos da greve. O encontro ocorre às 17 horas, na sede do Sindicato.

Adesão
Em todo o Ceará, segundo o Sindicato, das 447 agências, 305 foram fechadas – o que representa um percentual acima de 68% das unidades. O destaque foi o fortalecimento da adesão dos bancos privados em Fortaleza, como o HSBC e o Safra – que tiveram 100% das agências fechadas nesta terça (4) – e o Santander e o Itaú, que tiveram, respectivamente, 95% e 75% das unidades paralisadas.

Já na Região Metropolitana, mais especificamente nos municípios de Caucaia e Maracanaú, também houve forte paralisação tanto dos bancos privados, com destaque para o Bradesco, Itaú e Santander, quanto dos bancos públicos, como Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal e Banco do Nordeste.

Greve
Os bancários estão em greve há nove dias (desde o dia 27 de setembro), após rejeitarem proposta dos banqueiros que previa aumento real de apenas 0,56%. Segundo o Sindicato da categoria, após cinco rodadas de negociações, os banqueiros, além de oferecer proposta insuficiente para o reajuste salarial, disseram “não” a todas às demais reivindicações.

Leia mais:
Sindicato diz que greve dos Correios deve continuar
MP tenta conciliar acordo entre Governo e professores

Da Redação do Jangadeiro Online, com informações do SEEB/CE










Primeiro Plano
Atualizado em: 05/10/2011 - 10:25 am


O programa Primeiro Plano desta quarta-feira (5) recebe o vereador Acrísio Sena, do PT, e o deputado federal Danilo Forte, do PMDB. 

A nova série especial de entrevistas para o programa Primeiro Plano – “Se as eleições fossem hoje?” –  discute os caminhos para a administração pública de Fortaleza, tendo como pano de fundo as eleições municipais do ano que vem.

Os convidados foram escolhidos pelos internautas do Jangadeiro Online e da Coluna Polítika, que votaram em nomes dos principais partidos que já anunciaram a possibilidade de ter candidatura própria para concorrer à prefeitura da capital cearense, a quarta maior do País em número de habitantes. Para ver o resultado da enquete, clique aqui.

Programa
Nesta série especial, serão quatro programas, com dois entrevistados em cada um. Os internautas podem participar através do Twitter e do Portal Jangadeiro Online. Os programas serão exibidos ao vivo pela internet e no canal 37 da Net, às 15 horas, e reexibidos às 21h30, nos dias 4, 5, 6 e 7 de outubro.

FAÇA A SUA PERGUNTA.

Leia mais:
Aparelhamento da máquina atrapalha gestão em Fortaleza, afirmam convidados do Primeiro Plano
Renato Roseno e Marcelo Mendes são os primeiros convidados do programa Primeiro Plano

Os convidados do primeiro programa, exibido nesta terça-feira (4), foram o vereador Marcelo Mendes (PTC) e o advogado Renato Roseno (PSOL).

Confira os vídeos clicando aqui.










Greve
Atualizado em: 05/10/2011 - 10:10 am


Professores em greve analisam alternativas de conciliação com o Governo. Foto: Omar Jacob

Governo e professores vão tentar, mais uma vez, conciliação em relação às reivindicações da categoria. É que na manhã desta quarta-feira (5), às 9 horas, ocorre uma reunião entre membros da Secretaria de Educação do Estado e representantes do sindicato dos professores. O encontro acontece na Sede da Promotoria de Defesa da Educação do Ministério Público, em Fortaleza.

A reunião foi solicitada pela Conselho estadual do Fundeb em parceria com a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e com o Ministério Público. O objetivo é propor uma conciliação entre as partes e garantir o fim da greve dos professores da rede estadual de ensino, que, nesta quarta-feira (5), completa dois meses de duração. A audiência será mediada pelo promotor José Aurélio da Silva, da 15ª Vara de Defesa da Educação.

Além dos professores e de membros da Secretaria de Educação, também foram chamados para a reunião representantes do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb ). Segundo os docentes, a entidade seria capaz de arcar com a diferença do piso solicitada pelos manifestantes.

Reunião
Nesta terça-feira (4), representantes dos professores se reuniram com o chefe de Gabinete do Governo do Estado, Ivo Gomes, no Palácio da Abolição. Mesmo após cinco horas e meia de reunião, as partes envolvidas não entraram em acordo. Os representantes do Governo deixaram claro que não é possível atender integralmente ao pedido da categoria em greve.

O motivo apontado pelo Governo é de que, para proporcionar o aumento solicitado, haveria um crescimento de 170% nas despesas, com o pagamento dos funcionários públicos. Apesar disso, o Governo se mostrou disposto a renegociar os valores do aumento e criar uma tabela de salários globais, que inclua os professores de nível médio e fundamental.

Nova assembleia
Após a reunião, os professores decidiram adiar a assembleia geral da categoria, que estava marcada para a tarde desta terça-feira (4). O encontro, agora, ficou para a próxima sexta-feira (7), no Ginásio Paulo Sarasate. Na ocasião, os educadores pretendem avaliar as propostas discutidas com o governo e definir sobre a continuidade da paralisação.

Leia mais:
Mais de cinco mil professores participam de passeata em Fortaleza

Em assembleia, professores da rede pública estadual decidem continuar greve
Polícia e professores entram em confronto na AL

Da Redação Jangadeiro Online, com informações da Apeoc










Ceará
Atualizado em: 05/10/2011 - 8:34 am


O expressivo número de empresas de energia eólica no Ceará será discutido, nesta quarta-feira (5), em audiência pública da Comissão de Viação, Transporte e Desenvolvimento Urbano da Assembleia Legislativa. O debate foi solicitado pelo deputado Heitor Férrer (PDT) e será realizado no Complexo de Comissões da AL.

Atualmente, o Estado possui 17 usinas de energia eólica em operação. Destas, 14 são do Programa de Incentivo à Produção de Energias Alternativas (Proinfa).

Segundo a Secretaria da Infraestrutura do Ceará, as unidades representam 518,33 MW de capacidade instalada. Além disso, o potencial eólico registrado pelo Estado atinge 25 mil MW em terra e 10 mil MW no mar.

Participam do debate representantes da Superintendência do Patrimônio da União no Estado; da Comissão de Rerratificação e Demarcação da Linha Preamar Média; além de promotores, professores universitários, entre outras entidades ligadas ao setor.

Leia mais:
Participação da energia eólica na matriz nacional pode chegar a 15% em 2020, diz associação
Aumento de produção da energia eólica vem viabilizando o custo da geração, avalia a Abeeólica

Redação Jangadeiro Online, com informações da AL










Greve
Atualizado em: 04/10/2011 - 7:46 pm


A reunião, a portas fechadas, entre representantes do Governo e dos professores durou cerca de cinco horas. Foto: Divulgação

O Chefe de Gabinete do Governador do Estado, Ivo Gomes, e representantes dos professores da rede pública estadual, em greve desde o dia 5 de Agosto, estiveram reunidos durante toda a tarde desta terça-feira (4) no Palácio da Abolição. Mesmo após cinco horas e meia de reunião, as partes envolvidas não entraram em acordo.

Novos Valores
O Governo se mostrou disposto a renegociar os valores do aumento e criar uma tabela de salários globais, que inclua os professores de nível médio e fundamental.

Mesmo com a retomada das negociações, os representantes do Governo deixaram claro que não é possível atender integralmente ao pedido da categoria em greve, visto que para proporcionar o aumento solicitado, haveria, segundo o governo, um crescimento de 170% nas despesas com o pagamento dos funcionários públicos.

Demissões
Ao deixarem a reunião, representantes do Comando de Greve e do Sindicato Apeoc  manifestaram preocupação com possíveis demissões. Segundo Anísio Melo, o governo ameaçou cortar pontos e abrir procedimentos adminstrativos que podem resultar na demissão dos educadores, caso a categoria não retorne às salas de aula acatando a suspensão da greve, imposta pelo Tribunal de Justiça do Ceará no dia 26 de agosto.

A medida poderá ser aplicada, segundo o sindicalista, após a assembleia geral da categoria marcada para a próxima sexta-feira (7) caso os educadores decidam manter a greve. 

O secretário Ivo Gomes disse que o governo está disposto a negociar e pediu o fim a greve dos professores das rede pública estadual. Foto: Divulgação

Sem greve
Durante a reunião, Ivo Gomes pediu aos professores do sindicato Apeoc que trabalhassem no sentido de suspender a greve. “O Governo já fez vários gestos para que a paralisação terminasse. Passamos cinco anos para corrigir o calendário escolar e veio a greve. A nossa angústia é verdadeira. Educação é prioridade no nosso Governo”, destacou o secretário.

Sem multa
Já a secretária de Educação do Estado, Izolda Cela, disse, durante entrevista, que,  caso a categoria suspenda a greve até sexta-feira (7), o governo do Estado estaria disposto a dispensar a multa determinada pela Justiça ao sindicato dos educadores pelo descumprimento da determinação de suspender a paralisação.

Na sexta-feira a multa já deve estar acumulada em R$300 mil, segundo estimativa do Governo.

Nova Assembleia
Após a reunião, os professores decidiram adiar a assembleia da categoria que estava para a tarde desta terça-feira. O encontro ficou para a próxima sexta (7), no Ginásio Paulo Sarasate. Na ocasião, os educadores pretendem avaliar as propostas discutidas com o governo e definir sobre a continuidade da paralisação.

Reunião de conciliação
Na quarta-feira (5), às 9 horas, será realizada mais uma reunião entre membros da Secretaria de Educação do Estado e do Sindicato dos Professores e Servidores do Ceará (APEOC). O encontro vai ser realizado na Sede da Promotoria de Defesa da Educação do Ministério Público, em Fortaleza.

Desta vez, encontro foi pedido pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e o próprio Ministério Público com o objetivo de propor uma conciliação entre as partes e garantir o fim da greve dos professores da rede pública estadual.

Leia mais:
Vídeo: Professores em greve fazem passeata até o Palácio Abolição
Tensão continua após confronto entre professores e policiais na Assembleia Legislativa

Redação Jangadeiro Online, com informações da repórter Kamilla Ladeira










ALEC
Atualizado em: 04/10/2011 - 6:42 pm


Deputado diz que falta vontade política do governo do Estado para acabar com a criminalidade no Ceará.

O deputado Capitão Wagner Sousa (PR) criticou, na sessão plenária desta terça-feira (04/10) da Assembleia Legislativa, a logística de segurança pública do governo Cid Gomes. Para ele, falta vontade política no sentido de acabar com a onda de criminalidade no Ceará. “O que precisa acontecer para resolvermos esse problema?”, indagou.

Segundo o republicano, a pacificação da favela do Alemão, no Rio de Janeiro, foi fruto desse arranjo político. “Aqui, criaram o Território da Paz no Bom Jardim. De paz, só tem o nome”, comparou, lamentando a evasão de quadros da Polícia Militar para outras instituições.

Sem motivação
Wagner disse que muitos PMs preferem sair da Corporação a continuar trabalhando sem incentivo, sobretudo salarial e de melhorias nas escalas de plantão. “Tem homem trabalhando 98 horas semanais no Interior. Por ano, mais de 100 saem”, citou, contabilizando a morte em serviço de 14 policiais só neste ano.

Faixa de Gaza em Fortaleza
O deputado Roberto Mesquita (PV) informou que no bairro Pan Americano, em Fortaleza, a situação assemelha-se à Faixa de Gaza, no Oriente Médio. “Muito sangue já escorreu naquele asfalto. As ruas separam inimigos e as crianças são ensinadas a serem inimigas das outras. Todo dia tem assassinato”, frisou.

O deputado Fernando Hugo (PSDB) alertou para o alto número de morte de PMs durante expediente. “É tempo de deixarmos de pensar em mostrarmo-nos como país de primeiro mundo, com viaturas de altíssima qualificação, e a remuneração ser cotada com país de quarto mundo. Isso envergonha-nos e corta o estimulante cívico de qualquer ser humano”, opinou.

Por fim, a deputada Dra. Silvana (PMDB) disse que também levantará a bandeira de uma segurança pública melhor. “Os policiais fazem porte de uma categoria que não faz greve. Arriscam a própria vida ao nosso favor”, sublinhou.

Comento
A crítica desta terça-feira (04) soou como uma espécie de anúncio sobre o que o governo do Estado pode esperar da postura deputado Capitão Wagner. O repúblicano assumiu a vaga da deputada Fernanda Pessoa (PR) e, ao que tudo indica, está disposto a disparar críticas contra uma assunto sensível na administração estadual.

A Segurança Pública é considerada um dos calcanhares de Aquiles da gestão Cid Gomes e Wagner Sousa tem números e conhecimento de fatos. O deputado tem treze anos de experiência como policial militar e é o atual presidente da Aprospec, Associação dos profissionais de Segurança Pública do Estado do Ceará.

No jargão policial a mensagem para o governo é a seguinte: “Vem chumbo grosso por aí”

Com informações da Agência de notícias da AL










Eleições 2012, Primeiro Plano
Atualizado em: 04/10/2011 - 6:05 pm


O primeiro programa da edição especial do Primeiro Plano Se as eleições fossem hoje? contou com a presença de Marcelo Mendes (PTC) e Renato Roseno (Psol). Foto: reprodução da TV Jangadeiro

Em Fortaleza, problemas de gestão são agravados pela exploração política da máquina pública. Pelo menos esse é o ponto de convergência nos discursos do vereador Marcelo Mendes (PTC) e do advogado Renato Roseno (PSOL), que participaram da nova série especial de entrevistas do Programa Primeiro Plano. Com o tema Se as eleições fossem hoje?, a conversa foi exibida nesta terça-feira (4), com mediação da jornalista Kézya Diniz.

Para Marcelo Mendes, o aumento na contratação de servidores terceirizados pela Prefeitura de Fortaleza, prova que o maior problema da cidade é a má administração dos recursos.

 “A prefeitura de Fortaleza quadruplicou os gastos com terceirizados. O gasto anual, que era de 14 milhões de reais com cinco mil terceirizados, subiu na atual gestão para 72 milhões de reais, com a contratação de quase 15 mil terceirizados. É preciso dizer que esses empregos foram utilizados para aparelhar politicamente a máquina da prefeitura, distribuídos, infelizmente, entre pessoas indicadas por políticos da base da prefeita”.

Já Renato Roseno, mesmo ressaltando divergências ideológicas com o vereador do PTC, concorda com o aparelhamento e diz que aos problemas de gestão são somados os problemas estruturais na capital. 

“Por que a gestão é ruim? Porque ela é profundamente afetada por uma lógica de fazer política que é muito convencional. As unidades básicas de saúde são completamente aparelhadas nessa lógica de governabilidade com a Câmara Municipal. Não é só a saúde! Tem a educação… A população que faz uso do serviço público às vezes encontra com problemas de gestão, falta de pessoal, porque tem aí uma lógica de troca-troca entre o Executivo e sua base na Câmara municipal, que é muito ruim”.

Em resposta a uma indagação feita por um internauta, Roseno afirmou ainda a atual gestão, do PT, representa “uma profunda decepção”.

” Quando esse gestão ela foi vitoriaso, havia uma excpectativa muito grande de que pelo menos se tentasse um padrão de gestão em favor das maiorias sociais. Mas já no segundo turno [da primeira eleição de Luizianne Lins], as cartas estavam colocadas, de qual seria esse padrão, que é de distribuir a máquina pública para a manutenção de alianças, que já existiam desde a gestão Juraci Magalhães”.

Para Marcelo Mendes, “o que mais magoa é que não é uma questão de recurso, é uma questão, principalmente, de gerência, de gestão”. E conclui:

 “Gestão é uma questão técnica! É claro que não é algo completamente separado da questão política, mas é em grande medida técnica. Você não pode gerenciar a cidade, manter uma base, fazendo politicagem, fazendo troca de cargos e favores, repartindo a cidade como a faz atual gestão. As Regionais foram divididas entre partidos! A Regional I ficou o PC do B, a Reginal II ficou o o PSB… É algo que choca”.  

 Acompanhe a íntegra do Programa Primeiro Plano clicando aqui










Primeiro Plano
Atualizado em: 04/10/2011 - 5:41 pm


O Primeiro Plano Especial desta semana aborda os rumos da administração de Fortaleza. Os convidados do primeiro programa, exibido nesta terça-feira (4), foram o vereador Marcelo Mendes (PTC) e o advogado Renato Roseno (PSOL).

Nesta quarta-feira (5), Danilo Fortes (PMDB) e Acrísio Sena(PT) serão os convidados do segundo programa.

Leia mais:
Aparelhamento da máquina atrapalha gestão em Fortaleza, afirmam convidados do Primeiro Plano 
Renato Roseno e Marcelo Mendes são os primeiros convidados do programa Primeiro Plano

Confira os vídeos:










ALEC
Atualizado em: 04/10/2011 - 4:48 pm


A Assembleia Legislativa aprovou, na manhã desta terça-feira (04/10), o projeto de lei da Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJR) que concede licença ao deputado Sineval Roque (PSB), para tratar de interesse particular por um período de 120 dias. Assim, a deputada Ana Paula Cruz (PMDB), suplente pela coligação, assume o cargo no lugar do deputado socialista.

Outra mudança na composição da Assembleia vem do PMN. Com a aprovação de licença para o deputado Mário Hélio (PMN), a Mesa Diretora da Assembleia Legislativa empossou nesta terça-feira (04) o suplente imediato do partido. Tomaz Holanda assume a cadeira do correligionário.

Com informações da Agência de Notícias da AL










Nacional
Atualizado em: 04/10/2011 - 4:29 pm


Cid Gomes e o Ministro da Educação, Fernando Haddad conversam com reitores de universidades cearenses na inauguração da Unilab. Foto: arquivo

A greve dos Correios não prejudicará a aplicação do Exame Nacional do ensino Médio (Enem) nem a entrega dos cartões de inscrição, de acordo com o ministro da Educação, Fernando Haddad. Segundo ele, a estatal presta o serviço de forma independente das demais operações.

“As operações [de logística] dos Correios são diferentes para o nosso caso. São operações dedicadas e não têm nada a ver com as demais operações”, disse Haddad após participar de uma audiência pública no Senado Federal.

Dedicação
Segundo ele, a partir desta terça-feira (5), o portal do Ministério da Educação terá uma área dedicada a auxiliar os inscritos no exame a solucionar eventuais problemas. “Os estudantes com dificuldades para acessar o local de prova ou que estejam receosos de não receber a correspondência poderão imprimir o cartão de inscrição a partir do portal do MEC”, garantiu o ministro.

Percentual
Durante a audiência pública, Haddad defendeu o aumento da taxa de participação mínima, atualmente em 2%, do percentual de estudantes de cada escola inscrito no Enem. A ideia é evitar que as escolas inscrevam apenas os melhores alunos no exame, o que pode resultar em uma falsa imagem da qualidade da instituição de ensino.

“Quem decide isso é o Inep [Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais]. No entanto, me parece que a colocação de que 2% seja uma taxa baixa procede”, disse o ministro sem precisar qual é o percentual defendido pelo governo.

Na audiência, Haddad reiterou a posição do governo em favor das aulas em tempo integral para o ensino médio das escolas públicas, nas condições previstas pelo Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec). Esse programa busca expandir, interiorizar e democratizar cursos, escolas técnicas e cursos profissionalizantes de nível médio em todo o país, assim como cursos de formação inicial e continuada para trabalhadores.

Com informações da Agência Brasil










ALEC
Atualizado em: 04/10/2011 - 3:08 pm


Deputado Lula Morais (PCdoB) na tribuna da AL.

O deputado Lula Morais (PCdoB) disse, na manhã desta terça-feira (04/10), durante a sessão da Assembleia Legislativa, que os professores da rede pública estadual ganharam força política com a greve da categoria. “Com este capital político, eles precisam negociar com o Governo para obter o ganho financeiro. Queremos que impere a sensatez para alcançarmos uma solução para o fim da greve”, afirmou.

Lula Morais lamentou, ainda, a violência registrada na semana passada, na Assembleia, no conflito entre educadores e a Polícia. “Depois do que aconteceu, a sociedade passou a ter uma opinião a favor da luta dos professores”, comentou. Para ele, os professores têm razão em reivindicar a implantação do piso nacional, “fruto de uma luta de mais de 50 anos”.

Na Lei
Segundo o parlamentar comunista, seu partido teve participação na proposta de elaboração do piso. A Lei Nacional do Piso, conforme ele, também garante que um terço da carga horária dos professores seja dedicada a atividades fora da sala de aula. “Eles têm direito a essas horas para preparação e planejamento dos seus trabalhos”, comentou.

No Voto
O detalhe é que o deputado Lula Morais votou com a base de apoio ao governo Cid Gomes aprovando a mensagem, rejeitada pelos educadores em greve, que criou uma nova tabela de vencimentos apenas para os professores de nível médio.

Leia mais:
Greve dos Correios pode terminar nesta terça
Em assembleia, professores da rede pública estadual decidem continuar greve
Polícia e professores entram em confronto na AL

 










Primeiro Plano
Atualizado em: 04/10/2011 - 2:58 pm


Foto: Marlos Araújo

O vereador Marcelo Mendes (PTC) e o advogado Renato Roseno (PSOL) são os convidados do programa Primeiro Plano desta terça-feira (4), que vai discutir os caminhos para a administração pública de Fortaleza, tendo como pano de fundo as eleições municipais do ano que vem.

Para o vereador Marcelo Mendes, os 45 dias de campanha eleitoral não são suficientes para a população conhecer a biografia de um candidato. O programa é uma ótima oportunidade para mostrar aos fortalezenses as ideias de melhorias municipais. Já para o advogado Renato Roseno, a oportunidade é primordial para discutir a cidade de Fortaleza, soluções para problemas socieconômicos e mobilidade urbana.

Programa
Nesta série especial, serão quatro programas, com dois entrevistados em cada um. Os internautas podem participar com perguntas pelo Twitter (@jangaonline, #primeiro plano) e também por meio do formulário Jangadeiro Online. Os programas serão exibidos ao vivo pela internet e no canal 37 da Net, às 15 horas, e reexibidos às 21h30, nos dias 4, 5, 6 e 7 de outubro.

Leia mais:
Primeiro Plano especial sobre eleições 2012 começa com Renato Roseno e Marcelo Mendes
Vote na enquete para escolher os convidados do programa Primeiro Plano especial – Se a eleição fosse hoje?










Pesquisa
Atualizado em: 04/10/2011 - 1:35 pm


Congresso e políticos têm o pior índice de confiabilidade, segundo Ibope

Bombeiros, Igrejas e Forças Armadas são as instituições com melhor avaliação. Em meio às denúncias de casos de corrupção que dominam o noticiário, a população brasileira indica que confia menos em partidos políticos e no Congresso Nacional do que em 16 instituições, segundo o Índice de Confiança Social, elaborado pelo Ibope Inteligência, divulgado ontem.

A polícia, escolas públicas e Forças Armadas são mais confiáveis do que as instituições políticas. Numa escala de zero a cem, os partidos políticos obtiveram a pior nota (28); os bombeiros tiveram a melhor (86), pela terceira vez consecutiva.

Pesquisa
A pesquisa é feita anualmente desde 2009. Os entrevistados são perguntados sobre grupos como a família e amigos e sobre empresas. Na composição do índice, há uma escala de quatro pontos, em que é possível o entrevistado avaliar cada ponto com “muita confiança, alguma confiança, quase nenhuma confiança ou nenhuma confiança”.

Foram entrevistadas 2.002 pessoas; 18 instituições e quatro grupos sociais foram avaliados.

Presidente
A instituição Presidente da República obteve índice de 66 pontos em 2009, passou para 69 em 2010 e, em 2011, caiu para 60. Embora tenha diminuído, o índice é muito superior ao do Congresso Nacional (35) e dos partidos políticos (28).

Menos
Com menos pontos do que os bombeiros, aparecem as Igrejas e as Forças Armadas, ambas com 72 pontos. De acordo com o índice, a população brasileira está menos confiante no sistema público de Saúde, nas escolas públicas e nos meios de comunicação.

Mais
O grupo social de maior confiança é a família (90), seguido de amigos (68), cidadãos (60) e vizinhos (59). Na análise dos três anos, a instituição sistema público de Saúde foi a que apresentou maior queda (de 49 pontos, em 2009, para 47, em 2010, e 41 este ano), seguida por escolas públicas (tinham 62, passaram para 60 em 2010 e obtiveram 55 este ano) e meios de comunicação (de 71 pontos, em 2009, chegaram a 67 no ano passado e, agora, atingiram 65 pontos).

Fonte: Congresso em Foco










Câmara Municipal
Atualizado em: 04/10/2011 - 1:28 pm


O Colégio de Líderes da Câmara Municipal de Fortaleza aprovou, nesta segunda-feira (3), mudanças no procedimento para a realização das sessões do Legislativo Municipal. A alteração prevê a administração do tempo disponível para pronunciamentos de vereadores da oposição e da bancada governista.

A reunião com a participação de vereadores representantes da Maioria e da Minoria dos partidos tem a função de negociar a agenda parlamentar, portanto, pode resultar em decisões como a  que limitou os pronuncimentos da oposição e da situação. Com isso cada bloco só terá acesso à tribuna, por meio de um revezamento, às quartas e quintas-feiras.

Crítica da oposição
O vereador Plácido Filho, líder do PDT, considera a mudança “um retrocesso na política” e uma forma de “calar a oposição”. O parlamentar disse, ao Jangadeiro Online, que não faz diferença se a bancada governista falar todos os dias, ou não, já que “a única função deles é elogiar a administração da prefeita”. Já a oposição perde, pois, “todos os dias há críticas ao governo, que fazem toda a diferença”.

Segundo Plácido, não houve como mudar a decisão do Colégio de Líderes, já que este é composto por um representante de cada sigla, o que contabiliza cinco vereadores de oposição e 12 da bancada do governo. Para ele, a alteração “ingessou o parlamento. Tirou o sentido das sessões. É melhor fechar a Câmara”.

Avaliação de especialista
O cientista político e professor da UFC, André Haguetti, criticou a mudança. Para ele, “fala-se, quando se tem o que falar”, portanto não seria correto fazer a limitação, “assim não tem mais oposição”.

O especialista disse ainda que “a situação não precisa falar, isso é uma maneira de calar a oposição”

Outras limitações
Não é a primeira medida tomada este ano para restringir a comunicação na Câmara de Vereadores da capital. No dia 3 de fevereiro, foi aprovada mudança no regimento interno da Casa, proibindo a veiculação de vídeos, imagens e depoimentos nas sessões plenárias, cujo conteúdo “venha a ofender autoridades constituídas e atentem contra o decoro parlamentar”, como diz o site da Câmara Municipal.

O outro lado
O Jangadeiro Online tentou ouvir a manifestação dos aliados da prefeita Luizianne Lins. Por telefone, foram feitos contatos com as assessorias dos vereadores Guilherme Sampaio (PT, líder da bancada petista na CMFor); Ronivaldo Maia (PT, líder da prefeita na CMFor) e com o presidente da Câmara, vereador Acrísio Sena.

Segundo a assessoria de Ronivaldo Maia, o vereador estava em reunião com o presidente do Legislativo e, por isso, não poderia atender a imprensa. Já o vereador Guilherme Sampaio não foi localizado através do telefone celular.

O que diz a CMFor
A Assessoria de comunicação da Câmara Municipal de Fortaleza informou à Culuna, por telefone, que a decisão do Colégio de Líderes foi consensual e que a proposta não partiu da Mesa Diretora e sim dos próprios vereadores. A ideia, de acordo com a assessoria, é organizar a participação dos convidados da chamada “Tribuna Livre” e permitir a maior manifestação dos mesmos.

A assessoria informou ainda que, segundo a decisão do Colégio de Líderes, fica regulamentada a participação dos convidados na Tribuna Livre a cada 15 dias e apenas nessas ocasiões não haverá o espaço reservado para as falas das lideranças de situação, oposição e partidárias.










Eleições 2012, Partidos
Atualizado em: 04/10/2011 - 12:55 pm


O presidente estadual do PSDB, Marcos Cals, coordena a articulação da sigla de olho nas eleições de 2012.

O PSDB promoveu reunião nesta terça-feira (4), na sede do partido, para inicar os preparativos para as eleições municipais de Fortaleza. Para o presidente estadual da sigla, Marcos Cals, o momento é propício para os tucanos.

“Os nossos filiados estão empolgados e com o sentimento de que o PSDB será vitorioso nas eleições em Fortaleza, pois as pessoas estão decepcionadas com a atual gestão”, explica. 

Bancada
Marcos Cals informou que a perspectiva dos tucanos é fazer três ou quatro vereadores na capital, e que para isso o partido já conta com 47 filiados pré-candidatos a uma vaga na Câmara. “Queremos chegar a 55 nomes que serão lançados para disputar as vagas na Câmara Municipal de Fortaleza”, disse.

Formação
O PSB pretende realizar dois encontros mensais para trabalhar suas candidaturas. A formação dos candidatos vai contar com cursos de formação política, oratória, consultoria jurídicas e contábeis. A próxima reunião está marcada para o dia 29 de agosto, às 9 horas, na sede do partido em Fortaleza.

Prefeitura
Os tucanos também pretendem lançar candidatura própria para a Prefeitura de Fortaleza, mas o nome ainda não foi definido. Entre os cotados estão Marcos Cals, Fernando Hugo, Maia Júnior e Pedro Fiúza.