Ceará, Greve
Atualizado em: 22/08/2011 - 7:49 pm


Professores cobram a implantação imedidata da Lei do Piso Nacional do Magistério. Foto: Caroline Ribeiro

Da Redação do Jangadeiro Online

Os professores da rede pública estadual, em greve, decidiram, em assembleia geral, dar continuidade a paralisação, que já dura 21 dias. A decisão foi tomada nesta segunda-feira (22), às 15h, no ginásio Paulo Sarasate.

Nesta terça-feira (23), os representantes da categoria vão se reunir com o presidente da Assembleia Legislativa do Ceará, Roberto Cláudio. O objetivo é discutir uma possível intermediação do deputado em uma reunião entre a categoria e o governador Cid Gomes.

Próximos passos
De acordo com o presidente do Sindicato APEOC, Anízio Melo, os professores vão realizar vigília nesta quinta-feira (25), na sede da Assembleia Legislativa. Na próxima segunda-feira (29), os integrantes da categoria se reunirão em assembleia geral, no Ginásio Aécio de Borba, às 15h, para decidir os rumos da greve.

Reivindicação
A principal reivindicação da categoria é que a Lei Nacional do Piso Salarial repercuta em toda a carreira do magistério, em todos os níveis salariais.

Leia mais:
Professores estaduais realizam assembleia geral nesta segunda
Professores da rede pública estadual decidem entrar em greve por tempo indeterminado










Partidos
Atualizado em: 22/08/2011 - 7:27 pm


Líder do governo Dilma, Rome Jucá

A orientação na base governista no Senado é acelerar a votação do projeto que altera o Código Florestal brasileiro. A expectativa do líder do governo na Casa, Romero Jucá (PMDB-RR), é que a matéria esteja pronta para apreciação em plenário já em setembro. Para cumprir esse calendário, Jucá destacou que os relatores Luiz Henrique da Silveira (PMDB-SC) e Jorge Viana (PT-AC) trabalham “em regime fechado e em plena carga” para colocar os pareceres em votação o mais rápido possível, sem prejudicar o andamento dos debates previstos.

Cronograma
Na quarta-feira (24), Luiz Henrique da Silveira, relator da matéria na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), deve apresentar o parecer para análise dos senadores. Caberá à CCJ analisar a constitucionalidade e a admissibilidade do texto. Luiz Henrique disse que, uma vez aprovado nessa comissão, o relatório servirá de base para o parecer que ele apresentará na Comissão de Agricultura e Reforma Agrária, em que também relata o projeto.

Além da reunião da CCJ, nesta semana, estão previstas duas audiências públicas conjuntas das comissões de Agricultura e de Meio Ambiente. Para a de quarta-feira (24), foram convidados cinco ex-ministros de Meio Ambiente: Marina Silva, Carlos Minc, Rubens Ricupero, José Goldemberg e José Carlos Carvalho.

Na quinta-feira (25), será a vez de ex-ministros da Agricultura debaterem com os senadores sobre seus pontos de vista sobre a proposta do Código Florestal. Foram convidados Reinhold Stephanes, Roberto Rodrigues, Pratini de Moraes, Francisco Turra, Arlindo Porto, José Eduardo de Andrade Vieira e Alysson Paulinelli.

Para Romero Jucá, apesar ser “matéria complexa”, o projeto “precisa ser votado rapidamente no Senado”. Ele acrescentou que o fato de os dois relatores trabalharem conjuntamente facilita a elaboração de um parecer que possa ser aprovado nas comissões de Constituição e Justiça; Meio Ambiente; Agricultura e Reforma Agrária; e Ciência e Tecnologia.

Denúncias
Na terça-feira (23), a Comissão de Agricultura se reunirá para ouvir o ministro do Desenvolvimento Agrário, Afonso Florence, e o presidente do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), Celso Lisboa de Lacerda. Eles devem falar sobre denúncias veiculadas na imprensa de venda irregular de lotes destinados à reforma agrária. O requerimento é de autoria dos líderes do PT, Humberto Costa (PE), e do PMDB, Renan Calheiros, além do senador Walter Pinheiro (PT-BA).

Da Agência Brasil










Fortaleza, Serviço
Atualizado em: 22/08/2011 - 4:23 pm


Unidade móvel do TRE/CE

A unidade móvel do Tribunal Regional Eleitoral do Ceará(TRE-CE) atenderá aos eleitores do bairro Autran Nunes nesta semana. O ônibus ficará estacionado de terça-feira (23) até sexta-feira (26), no CAIC, na rua Raimundo Ribeiro, s/n, de 9h às 15h.

No próximo sábado (27), a Unidade Móvel fará um atendimento extraordinário no polo de lazer do bairro Álvaro Weyne. Este atendimento fará parte da programação de aniversário do bairro.

O serviço da unidade móvel foi implantado para facilitar o atendimento ao eleitor que encontra dificuldades de se deslocar ao Fórum Eleitoral Péricles Ribeiro, na Praia de Iracema, principalmente no caso dos idosos e deficientes físicos.










Agenda, Ceará, Corrupção
Atualizado em: 22/08/2011 - 2:16 pm


Secretário das Cidades, Camilo Santana. / Foto: Kézya Diniz

A Comissão de Fiscalização e Controle da Assembleia Legislativa segue a agenda de visitas aos órgãos que realizam investigação no caso do esquema dos banheiros fantasmas. Os deputados estarão nesta terça-feira (23), às 11h, no Ministério Público Estadual e, às 14h, na Secretaria das Cidades.

O Ministério Público apura o desvio de recursos do governo Estadual para a construção de kits sanitários que nunca saíram do papel. Segundo a denúncia, esquema de corrupção usou dinheiro dos cofres do Estado a partir da Secretaria das Cidades.

Na Chegada
No Ministério Público, os deputados serão recebidos por promotores da Procap (Promotoria de Crimes contra a Administração Pública). Já na Secretaria das Cidades, Camilo Santana, titular da pasta, vai apresentar aos parlamentares as ações que adotou para apurar as irregularidades que permitiram o financiamento do esquema de corrupção com o desvio de dinheiro público.

Leia mais:
Aniversário do escândalo dos banheiros é comemorado com bolo na AL 
Escândalo dos banheiros: Camilo Santana reconhece irregularidades e promete rigor na apuração 
Vídeo: Cid defende Camilo Santana e diz que secretário “assina o que recomendam” 
Ex-secretários prestam depoimento sobre Escândalo dos Banheiros 

O objetivo das visitas é dar continuidade ao acompanhamento das investigações sobre as denúncias com relação ao escândalo dos kits sanitários. Os parlamentares já visitaram também o Tribunal de Contas do Estado (TCE).

Serviço:
– 11h de terça-feira (23) – Visita ao Ministério Público Estadual
– 14h de terça-feira (23) – Visita à Secretaria das Cidades.

Acompanhe também:
Sistema Jangadeiro faz série de programas especiais sobre o escândalo dos banheiros fantasmas










Denúncia
Atualizado em: 22/08/2011 - 1:25 pm


Luizianne Lins foi denunciada por usar Guarda Municipal na segurança da própria mãe

Há indícios suficientes de que a prefeita de Fortaleza Luizianne Lins praticou ato de improbidade administrativa ao usar agentes da Guarda Municipal para fazer a segurança na casa da mãe dela. É o que afirma o Ministério Público do Estado (MP).

O MP esclareceu, nesta segunda-feira(22), que a Ação Civil Pública por Ato de Improbidade Administrativa contra a prefeita contém todos os documentos que comprovam os indícios de desvio de função da Guarda Municipal.

A prefeita Luizianne Lins não é a única citada na ação, também respondem o chefe da Guarda Municipal, José Arimá Rocha Brito; e a mãe de Luizianne, Luiza Maria de Oliveira Lins.

Além de conter os documentos, a ação contempla os devidos procedimentos administrativos que apontam os indícios da existência de improbidade em relação à má utilização e desvio de função da Guarda Municipal de Fortaleza (GMF).

Extravio de provas
Na última sexta-feira (19), servidores do Setor de Protocolo do Fórum Clóvis Beviláqua, teriam perdido o conjunto de provas que sustentam a Ação Civil Pública.

Leia mais:
Juíza pede ao Ministério Público que envie documentos que incriminam Luizianne Lins

Na manhã desta segunda (22), o promotor Ricardo Rocha foi informado de que as provas foram encontradas, encaminhadas para digitalização e depois encaminhadas para a 9ª Vara da Fazenda Pública.

Redação Jangadeiro Online, com informações do MP










Corrupção, Denúncia, Nacional
Atualizado em: 22/08/2011 - 1:00 pm


Foram publicadas, nesta segunda-feira (22) no Diário Oficial da União, as exonerações de mais cinco servidores do Ministério do Turismo. Perderam os cargos os funcionários Antônio dos Santos Júnior, Freda Azevedo Dias, Kátia Terezinha Patrício da Silva, Kérima Silva Carvalho e Ana Carolina Silva Moreira.

Na última sexta-feira (20), o ministro do Turismo, Pedro Novais, já havia informado a decisão de exonerar quatro funcionários investigados pela “Operação Voucher”, da Polícia Federal. De acordo com o ministério, Novais também pediu à ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, a demissão da diretora de Qualificação, Certificação e Produção Associada ao Turismo, Francisca Regina Magalhães Cavalcante.

Na Operação, foram presas 38 pessoas (Foto: Agência Brasil)

Leia mais:
Procurador pede bloqueio de bens de 18 dos investigados do Ministério do Turismo
Ministro do Turismo deve ser ouvido nesta semana sobre irregularidades na pasta 

Presos por esquema de corrupção no Ministério do Turismo já estão em liberdade 

A Operação
A Operação Voucher investiga o desvio de dinheiro de um convênio firmado entre o Ministério do Turismo e o Instituto Brasileiro de Desenvolvimento de Infraestrutura Sustentável (Ibrasi) para a capacitação profissional de 1,9 mil pessoas no Amapá.

Dos R$ 4,4 milhões do contrato, a Polícia Federal estima que cerca de R$ 3 milhões foram desviados. A ação da PF levou à prisão 38 pessoas, entre elas o ex-secretário executivo Frederico Silva da Costa, o qual pediu demissão do cargo na última quarta-feira (17).

Com informações da Agência Brasil










Primeiro Plano
Atualizado em: 22/08/2011 - 12:00 pm


Especial Primeiro Plano aborda o caso dos banheiros fantasmas

O Programa Primeiro Plano, da TV Jangadeiro, inicia nessa semana uma série de três programas especiais sobre as irregularidades na construção de kits sanitários em municípios do interior do Ceará.

Os programas serão exibidos ao vivo pela internet, às 16 horas, e também pelo canal 37 da Net, nessa terça, quarta e quinta-feira pelo Portal da Jangadeiro Online. Os internautas podem participar mandando comentários e perguntas para através do formulário disponível no Portal Jangadeiro Online.

Já a gravação será veiculada na TV Jangadeiro, após o jornal do SBT e no canal 37 da Net.

Banheiros Fantasmas
O escândalo começou por Pindoretama, na região metropolitana de Fortaleza, mas já foi rastreado em mais de 40 municípios cearenses. Segundo o Ministério Público Estadual, foram desviados pelo menos R$16 milhões dos cofres públicos que deveriam ter sido usados para reduzir o drama de 187 mil residências do Ceará que ainda não tem banheiros em suas casas, de acordo com dados do IBGE.

As denúncias envolveram até agora um deputado estadual, Téo Menezes (PSDB), e levaram o pai dele, Teodorico Menezes, a pedir afastamento da presidência do Tribunal de Contas do Estado (TCE), órgão responsável por fiscalizar e garantir a boa aplicação dos recursos públicos estaduais. Funcionários do TCE foram doadores de campanha do deputado.

Convidados
Além de uma reportagem aprofundada sobre o tema, cada programa terá dois entrevistados. Confirmaram participação os promotores Luiz Alcântara, da Procuradoria dos Crimes contra a Administração Pública (Procap), e Marcelo Pires, de Pindoretama, os deputados Heitor Férrer (PDT) e Eliane Novaes (PSB), o sociólogo André Haguette, e presidente do Tribunal de Contas do Estado, Valdomiro Távora.

Para assegurar a oportunidade de manifestarem-se, a TV Jangadeiro convidou todos os citados no episódio a participarem dos programas. Entre eles o atual secretário de Cidades, Camilo Santana, e os dois ex-titulares da pasta no período das irregularidades, Jurandir Santiago, atual presidente do Banco do Nordeste, e Joaquim Cartaxo; Teodorico Menezes, presidente afastado do Tribunal de Contas do Estado (TCE), Teo Menezes, deputado estadual do PSDB e o governador Cid Gomes (PSB).

Leia ainda:
Primeiro Plano: corrupção está no colo do Governo do Ceará, afirma Heitor Ferrer
Após escândalo dos banheiros fantasmas, Secretaria das Cidades anuncia mudanças










Articulação, Partidos
Atualizado em: 22/08/2011 - 10:55 am


O partido organizado por Kassab recebe apoio em 22 estados

Com o número 55, o pedido de registro para o Partido Social Democrático (PSD) será protocolado nesta segunda-feira (22/08) no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) pelos aliados do prefeito Gilberto Kassab, presidente da sigla. O secretário-geral da comissão provisória do PSD, Saulo Queiroz, afirmou no domingo (21) que o partido conseguiu 539 mil assinaturas, 47 mil a mais que o mínimo de 492 mil exigido para a obtenção do registro.

A nova legenda diz ter certificado as assinaturas em 22 Estados. No Maranhão, Pará, Amapá, Sergipe e Rio Grande do Sul, os aliados de Kassab não conseguiram assinaturas suficientes. “Não deu tempo de mobilizar as pessoas nesses Estados. Talvez em Sergipe ainda dê tempo até quarta-feira”, disse Queiroz. “Juridicamente não existe mais problema algum. O atraso no registro ocorreu pela demora da análise das assinaturas nos cartórios País afora, não foi por causa de ações nos tribunais.”

Prazo
O TSE tem 15 dias para aceitar ou não o registro, e outras siglas, como o DEM, podem contestar o pedido em até três dias. Kassab espera que as filiações comecem na semana de 7 de setembro. Ao todo, o partido deve ter 44 deputados (seis de São Paulo), dois senadores, dois governadores e seis vice-governadores.

Estratégia
Segundo o deputado Guilherme Campos (SP), que será o líder da bancada do PSD na Câmara, a sigla quer ter candidaturas próprias nas principais metrópoles. “Está tudo certo para o registro amanhã (hoje), conseguimos mais de 500 mil assinaturas.”

Kassab disse no sábado que o PSD deve disputar sua sucessão com candidatura própria, embora o próprio prefeito tenha incentivado o secretário Eduardo Jorge (PV) a disputar o cargo. “É prematuro falar nisso agora, mas tudo indica que o PSD terá candidatura própria (em São Paulo)”, destacou, sem citar nomes.

O prefeito já vinha afirmando que a estratégia do novo partido é conquistar o maior número possível de prefeituras em 2012. Isso fortaleceria a sigla para as disputas à Presidência da República e ao governo de São Paulo em 2014.

Fonte: O Estado de S.Paulo

No Ceará
O PSD no Ceará só será oficializado após os trâmites burocráticos para sua estrutura em nível nacional. O partido é considerado uma sigla alternativa aos aliados do governador Cid Gomes (PSB).

Tanto que, Almircy Pinto, gestor do Gabinete do governador cearense, vai ser o presidente da comissão provisória do PSD no Ceará. Segundo informações de bastidores, Almircy vai contar com a ajuda do empresário cearense Chiquinho Feitosa, presidente estadual do DEM, na organização do partido.

Composição
Já são citados como possíveis integrantes do PSD no Ceará, o ex-prefeito de Fortaleza, Antônio Cambraia, até então filiado ao PSDB; o advogado Hélio Parente; a secretária de Justiça do Estado, Mariana Lobo; e o secretário de Planejamento, Eduardo Diogo.

Além disso, o PSD já nasce com deputados estaduais graças a migração de parlamentares eleitos por outros partidos, quase todos saídos do PSDB. Até o momento, nenhum deputado confirmou oficialmente a futura mudança, o que só deve ocorrer no fim do ano.










Agenda, ALEC, Câmara dos Deputados
Atualizado em: 22/08/2011 - 10:22 am


 O Seminário Estadual de Combate às Drogas que será realizado nesta segunda-feira (22/08) tem como objetivo conhecer a realidade das drogas, debatendo ações e soluções para o problema no Ceará. O evento acontece das 8h às 14h, no Plenário 13 de Maio, da Assembleia Legislativa do Ceará.

Cearenses
No Estado, o encontro é coordenado pelo deputado federal Domingos Neto (PSB-CE) e tem como relator o deputado federal Artur Bruno (PT-CE). O evento conta com o apoio do Pacto pela Vida, desenvolvido pelo Conselho de Altos Estudos e Assuntos Estratégicos da AL.

A ideia é reunir proposições possíveis de legislação federal no enfrentamento às drogas.

Câmara Federal
O evento é uma proposta da Comissão Especial de Políticas Públicas de Combate às Drogas (Cedroga), organizada pela Câmara Federal, e vem percorrendo todos os estados da Federação.

Convidados
Participam da iniciativa entidades estaduais que desenvolvem trabalhos sobre drogas, entre elas, representantes da classe política, religiosa, empresarial, sociedade e população em geral, além de prefeituras do Interior. As discussões serão organizadas em grupos nos eixos de Prevenção; Tratamento e Acolhimento; Repressão ao Tráfico.

Com informações da Agência de Notícias da AL










Nacional, Presidência
Atualizado em: 22/08/2011 - 8:59 am


Dilma Rousseff

A presidente Dilma Rousseff afirmou, nesta segunda-feira (22), que o governo tem como meta alcançar 1,2 milhão de matrículas em universidade federais até 2014. Na semana passada, foi anunciada a criação de quatro unidades em estados do Norte e do Nordeste, entre eles o Ceará. Com a expansão, a rede federal passou a contar com 63 universidades.

Cidades priorizadas
Dilma lembrou que cidades com mais de 50 mil habitantes foram priorizadas na escolha dos locais para as universidades. Segundo ela, tratam-se de microrregiões onde não existiam unidades da rede federal, sobretudo no interior do país. Também foram considerados municípios com elevado percentual de pobreza e com mais de 80 mil habitantes, onde as prefeituras têm dificuldade de investir em educação.

Enfrentamento da crise
Para a presidente Dilma Rousseff, um salto na educação brasileira pode contribuir para o enfrentamento da crise econômica que atinge países como os Estados Unidos e os da União Europeia.

“Temos que ter consciência de que estamos vivendo uma situação mundial de muitas turbulências lá fora. Estamos preparados para atravessar esse momento de instabilidade econômica mundial, mas não podemos descuidar. Temos que enfrentar os desafios de hoje sem tirar os olhos do amanhã.”

Leia mais:
AL debate proposta de implantar universidade federal em Ubajara

Com informações da Agência Brasil










Primeiro Plano
Atualizado em: 21/08/2011 - 5:07 pm


O programa Primeiro Plano do último sábado (20) abordou o tema tráfico de pessoas, que envolve uma série de crimes como aliciamento, exploração sexual, tráfico de órgãos e trabalho escravo.

Em muitos casos, vítimas são atraídas pela promessa da realização de um sonho, como uma viagem para o exterior ou um emprego bom. A jornalista Kézya Diniz conversou com a Procuradora Regional dos Direitos do Cidadão, Nilce Cunha, que falou sobre o assunto. Assista na íntegra:

Parte 1

Parte 2










Nacional
Atualizado em: 21/08/2011 - 4:21 pm


Da Redação do Jangadeiro Online

A presidente da Frente Parlamentar Mista da Cultura do Congresso, deputada federal Jandira Feghali (PCdoB-RJ), disse que é preciso apressar a votação do Programa Nacional de Fomento e Incentivo à Cultura (ProCultura), projeto que reforma a Lei Rouanet e cria fundos de incentivo direto à produção cultural.

O ProCultura propõem mudanças na Lei Rouanet com o objetivo de regularizar o financiamento de projetos do setor e de garantir mais recursos para pequenos empreendimentos culturais. A nova lei prevê a criação de comissões formadas por representantes do governo e da sociedade para avaliar o mérito artístico dos projetos que pleiteiam benefícios fiscais.

Incentivos
Além do ProCultura, tramitam no Congresso Nacional outros projetos que pretendem oferecer benefícios à produção e ao consumo de produtos culturais, como o que cria o vale-cultura. Semelhante aos vales-refeição, o vale-cultura prevê um crédito de R$ 50 para que os trabalhadores possam adquirir ingressos de cinema, teatro, museu e shows, e também comprar livros e outros produtos culturais. O Parlamento brasileiro também deve apreciar este ano o projeto de emenda à Constituição (PEC) que estabelece os pisos de 2% do Orçamento federal; 1,5% dos orçamentos estaduais; e 1% dos municipais para a cultura.

Segundo a deputada Jandira Feghali, é preciso rever a Lei Rouanet para que o governo tenha o poder de decisão sobre quais políticas e projetos de cultura vai patrocinar. “Não pode ficar a cargo do mercado escolher o que financiar. Até porque existem projetos que o mercado jamais financiará”, explicou a deputada.

Com informações da Agência Brasil










Em Brasília
Atualizado em: 21/08/2011 - 2:02 pm


Contrária às mudanças na ECT, por considerar que elas abrem as portas para a privatização da empresa, oposição quer anular dispositivos do texto da MP aprovada pelo Plenário na última quarta-feira.

A votação dos destaques da oposição à Medida Provisória 532/11 será o principal ponto da pauta do Plenário da Câmara Federal nas sessões de terça (23) a quinta-feira (25). A MP amplia as áreas de atuação da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) e a oposição quer anular dispositivos do texto aprovado na semana passada. 

Mudanças
Com a medida, os Correios poderão explorar serviços postais eletrônicos, financeiros e de logística integrada, e passarão a ter a mesma estrutura prevista para empresas de sociedade anônima, com decisões tomadas por uma assembleia geral. A MP também atribui à Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) a fiscalização e a regulamentação do setor produtivo de etanol, antes considerado um subproduto agrícola.

Os deputados já aprovaram o projeto de lei de conversão do relator, deputado Arnaldo Jardim (PPS-SP), e um acordo entre as lideranças prevê a votação nominal de dois destaques.

Destaques
O destaque do PPS pretende excluir do texto a permissão dada aos Correios para adquirir o controle acionário de outras empresas ou participar de seu capital. Já o destaque do DEM quer excluir essa permissão e também a de constituir subsidiárias.

Da Agência Câmara de Notícias










Corrupção, Denúncia, Nacional
Atualizado em: 21/08/2011 - 7:42 am


Em guerra para retomar o controle do Partido Progressista (PP), o ministro das Cidades, Mário Negromonte ofereceu pagamentos de 30.000 reais a parlamentares da legenda. As denúncias foram encaminhadas à ministra Ideli Salvatti por correligionários de Negromonte e estão sendo apuradas pelo Governo. As informações estão na edição da revista Veja que chegas às bancas de todo o país esta semana. Acompanhe os principais trechos abaixo.

Depois dos escândalos que derrubaram os ministros dos Transportes e da Agricultura, o radar do Palácio do Planalto está apontado desde a semana passada para o gabinete do ministro Mário Negromonte (PP), das Cidades. A edição de VEJA que chega às bancas neste sábado traz informações levadas à ministra das Relações Institucionais, Ideli Salvatti, por um grupo de parlamentares do PP.

Cooptação
Em guerra aberta com uma parte da legenda pelo controle do partido, Negromonte estaria transformando o ministério num apêndice partidário e usando seu gabinete para tentar cooptar apoio. Segundo relatos dos deputados que foram convocados para reuniões na pasta, a ofertas em troca de apoio incluem uma mesada de 30.000 reais para quem aderir.

Ministro Mário Negromonte

O PP é o terceiro maior partido da base aliada, com 41 deputados e cinco senadores. Controla há anos o Ministério da Cidade, que dispõe de um orçamento de 22 bilhões de reais e programas de forte apelo eleitoral em todos os cantos do país.

Na formação do governo Dilma, Negromonte foi indicado mais por suas relações com o PT da Bahia do que pelo trânsito junto aos colegas. Uma parcela do PP queria manter Márcio Fortes, ministro por mais de cinco anos no governo Lula. Há duas semanas, o grupo ligado ao ex-ministro conseguiu destituir da liderança do partido o deputado Nelson Meurer, aliado de Negromonte. Colocou no lugar dele Aguinaldo Ribeiro, aliado de Márcio Fortes.

Mesada
Ao perceber o poder se esvaindo, Negromonte contra-atacou montando um bunker numa sala anexa ao seu gabinete, onde quatro aliados de sua inteira confiança – os deputados João Pizzolatti, Nelson Meurer, José Otávio Germano e Luiz Fernando Faria – tentam persuadir os deputados a se alinhar novamente com o ministro. Apenas na última terça-feira, doze parlamentares estiveram no ministério. Sob a condição do anonimato, três deles revelaram que ouviram a proposta da mesada de 30.000 reais.

Intriga
Confrontado, o ministro atribui tudo a um jogo de intrigas e aponta o rival Márcio Fortes como responsável: “Sei que há boatos de que pessoas vieram aqui para fazer isso e aquilo, da mesma forma que o pessoal estava dizendo que o Márcio Fortes foi lá na liderança fazer promessa, comprometer-se na tentativa de arranjar assinatura. Não me cabe ficar comentando boato”. Fortes, por sua vez, rebate de maneira lacônica: “No dia 31 de dezembro, deixei o cargo de ministro e me afastei das atividades partidárias”.

Mensalão
A compra de votos não de parlamentares não é algo novo na história do PP, um dos protagonistas do escândalo do mensalão – que, aliás, envolvia pagamento de mesada. Na ocasião, líderes da legenda receberam 4,1 milhões de reais em propina e quatro integrantes do partido estão denunciados no processo que tramita no Supremo Tribunal Federal.

Governo
O Ministério das Relações Institucionais confirma ter recebido as denúncias e está acompanhando a guerrilha do PP com muita atenção. A presidente Dilma Rousseff também já foi informada do problema.

Leia ainda: 
Wagner Rossi pede demissão da Agricultura e já é o quarto ministro a sair do governo em oito meses
Corrupção na Agricultura: Ministro Wagner Rossi coleciona problemas e escândalos, diz revista 
  

“Alí só tem bandido”, diz irmão de Romero Jucá ao denunciar corrupção no Ministério da Agricultura    
Exoneração de Alfredo Nascimento é publicada no Diário Oficial   
   
Agora é oficial: Jobim pede demissão e Celso Amorim assumirá a Defesa 
A Casa caiu: Palocci pede demissão  

Da Veja.com










Nacional
Atualizado em: 20/08/2011 - 6:18 pm


O ministro do Turismo, Pedro Novais. Foto: Valter Campanato/Agência Brasil.

O ministro do Turismo, Pedro Novais, decidiu exonerar mais quatro servidores comissionados investigados pela Operação Voucher da Polícia Federal. A portaria com as exonerações será publicada na próxima semana. Perderam os cargos os funcionários Antônio dos Santos Júnior, Freda Azevedo Dias, Kátia Terezinha Patrício da Silva e Kérima Silva Carvalho.

Segundo o ministério, Novais também pediu à ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, a demissão da diretora de Qualificação, Certificação e Produção Associada ao Turismo, Francisca Regina Magalhães Cavalcante.

PF
A Operação Voucher investiga desvio de dinheiro de convênio firmado entre o Ministério do Turismo e o Instituto Brasileiro de Desenvolvimento de Infraestrutura Sustentável (Ibrasi) para captação profissional de 1,9 mil pessoas no setor de turismo no Amapá. Dos R$ 4,4 milhões do contrato, a Polícia Federal estima que cerca de R$ 3 milhões foram desviados.

A ação da Polícia Federal levou à prisão 38 pessoas, entre elas, o número dois do ministério, o ex-secretário executivo Frederico Silva da Costa. Costa pediu demissão do cargo na última quarta-feira (17).

Com informações da Agência Brasil