Nacional
Atualizado em: 11/11/2011 - 5:33 pm


Aldo Rebelo e Cid Gomes chegaram juntos ao evento no Castalão. Foto: Kézya Diniz

Questionado pela repórter da TV Jangadeiro, Kézya Diniz, se faria uma declaração como a do ministro do Trabalho e Emprego, Carlos Lupi, à presidente Dilma Rousseff , o ministro do Esporte Aldo Rebelo disse: “eu só não diria ‘eu te amo’ [à presidente Dilma] para não causar ciúme”.

O ministro do Esporte visitou Fortaleza nesta sexta-feira (11) para a inauguração da primeira etapa das obras do estádio Plácido Aderaldo Castelo, o Castelão, para a Copa do Mundo de 2014. Na mesma data, também, é comemorado, o aniversário de 38 anos de construção do estádio.

“Eu te amo”
Durante depoimento no Congresso, na quinta-feira (10), o ministro Calos Lupi, declarou: “Presidente, desculpe se eu fui agressivo, não foi minha intenção, eu te amo”. E afirmou ainda: “como vou desafiar a presidente Dilma? Eu a conheço há 30 anos. Não é cargo que nos guia na vida, é a causa”.

Assista ao vídeo:

Da Redação Jangadeiro Online, com informações da repórter Kézya Diniz










Denúncia
Atualizado em: 11/11/2011 - 5:25 pm


O Ministério Público de Contas (MPC) enviou nesta sexta-feira (11) uma representação para a Presidência do Tribunal de Contas do Ceará solicitando liminar de urgência para a suspensão de todos convênios celebrados entre o Governo do Estado e a Confederação Brasileira do Desporto Escolar (CBDE).

A medida foi tomada após reportagem da Coluna Polítika, do Jangadeiro Online, revelando que o vice-presidente do vice-presidente do Conselho do Desporto do Ceará, Carlos Sérgio Rufino Moreira, comanda ONGs que recebem dinheiro público por meio de convênios com Sesporte. Entre essas entidades está a CBDE. Para o procurador-geral do MPC, Rholden Queiroz, é preciso verificar se há “violação ao princípio do controle” no caso.

Leia mais: Vice-presidente do Conselho de Desporto do Ceará comanda entidades que recebem dinheiro do Esporte

O pedido também questiona informação publicada no no Portal da Transparência do Estado, que mostra a CBDE em situação de inadimplência com a Secretaria do Esporte (Sesporte). Nessa condição, a legislação estadual proíbe o repasse de qualquer verba para a entidade.

Outro fato que reforça a solicitação é que o próprio TCE, no final do mês de setembro, aprovou medida cautelar determinando a suspensão de outros dois convênios da CBDE, um com a Secretaria da Educação (Seduc) e outro com a Sesporte.

Modelo federal
Na representação, o MPC alega ainda que a iniciativa tem respaldo na decisão do Governo Federal, que no dia 31 de outubro suspendeu os repasses de dinheiro público da União a entidades privadas sem fins lucrativos, como organizações não governamentais (ONGs), após sucessivos escândalos de desvios em fraudes envolvendo convênios.

Reportagem de Wanderley Filho










Ceará
Atualizado em: 11/11/2011 - 3:22 pm


O novo prefeito de Icapuí, no Litoral Leste do Estado, será conhecido neste domingo (13). De acordo com o Tribunal Regional Eleitoral (TRE-CE), 14.801 eleitores vão às urnas para eleger o gestor municipal. O município possui 46 seções com urnas em 20 locais de votação.

Leia mais:
TRE confirma impugnação de dois candidatos à Prefeitura de Icapuí
Prefeito de Icapuí denuncia rombo de R$ 19 mi nos cofres do município

TSE suspende eleições em Antonina do Norte e Ararendá

Candidato único
Jerônimo Felipe Reis de Souza (PT) aparece como candidato único na disputa, depois da impugnação das candidaturas de Raimundo Lacerda Filho (PMDB) e Marcus Rebouças (PTN). A decisão foi tomada pelo TRE-CE que constatou crime de infidelidade partidária.

Segundo o Tribunal, os impugnados preferiram recorrer ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e não apresentaram novos nomes para suas chapas.

Eleições acontecem após cassação
As novas eleições no município foram determinadas pelo TRE após a cassação do ex-prefeito José Edilson da Silva (PSDB) e seu vice, Heverton Costa Silva, que haviam sido empossados em janeiro de 2009.

Os políticos foram condenados por abuso de poder político e econômico durante as eleições de 2008. Desde então, o presidente da Câmara Municipal, Manoel Jeová da Silva, assumiu a Prefeitura.










Ceará
Atualizado em: 11/11/2011 - 12:07 pm


Policiais protestam na entrada do Castelão (Foto: Kézya Diniz)

Um grupo de policiais civis realizou um protesto na entrada do Estádio Castelão, nesta sexta-feira (11). Os manifestantes buscam sensibilizar o Governador Cid Gomes para que ele retome as negociações com a categoria.

Ao mesmo tempo, acontecia a inauguração da primeira etapa das obras de reforma do estádio para a Copa do Mundo de 2014, que conta com a presença de diversas autoridades, incluindo o ministro do Esporte, Aldo Rebelo.

“Se ele não resolver, eu resolvo”
Cid Gomes afirmou, em entrevista coletiva, que se reuniu com o secretário de Segurança, Coronel Francisco Bezerra, nesta quinta-feira (10) e pediu que o responsável pelo caso convocasse os policiais para uma nova rodada de negociações.

Caso as conversas não avancem, o governador garantiu que assumirá o comando das negociações. “Se ele (o secretário) não resolver, eu resolvo”, disse.

Manifestantes impedidos de entrar no evento
Os policiais Civis em greve foram impedidos de participar do evento. Eles ficaram cercados por uma barreira de proteção sob a vigilancia de policiais militares.

Nenhuma proposta apresentada
Segundo o Sindicato dos Policiais Civis de Carreira do Ceará (Sinpoci), o Governo ainda não apresentou nenhuma proposta à categoria para o fim da paralisação, contrariando a informação de que Cid Gomes teria concordado com parte das exigências dos grevistas.

Alguns manifestantes disseram que o governador trata com “descaso” o movimento dos policiais que entraram em greve há mais de quatro meses.

Leia mais:
Policiais civis confirmam protesto em inauguração de obras do Castelão
Policiais civis decidem em assembleia retomar a greve

Cid bate boca com policiais após inauguração de delegacia no Eusébio

Assista à reportagem exibida no Jornal Jangadeiro 2ª Edição:

Redação Jangadeiro Online, com informações da repórter Kézya Diniz










Ceará
Atualizado em: 11/11/2011 - 9:14 am


Nesta sexta-feira (11), a Comissão de Orçamento, Finanças e Tributação da Assembleia Legislativa realiza seminário no município de Bela Cruz, para discutir a Lei Orçamentária Anual (LOA) de 2012 e o Plano Plurianual (PPA) do Estado para 2012-2015. O debate será às 9 horas, na Câmara Municipal da cidade.

Durante o evento, autoridades e lideranças políticas de Bela Cruz e de outros municípios da região do Litoral Oeste do Ceará vão discutir a proposta orçamentária do Governo do Estado.

Ciclo de seminários
Os encontros fazem parte de um ciclo de seminários que ocorrem durante o mês de novembro e se encerrará em 1º de dezembro, em Fortaleza. Prefeituras, câmaras e entidades da sociedade civil de todos os municípios que compõe a macrorregião Sobral/Ibiapaba vão poder discutir e apresentar emendas às peças orçamentárias.

Os próximos municípios a receberem o seminário são Crato (18/11), Baturité (22/11), Quixadá (25/11) e Crateús (29/11).

Leia mais:
Comissão discute lei orçamentária e plano plurianual no município de Graça
MP recomenda que Câmara aborde educação nas reuniões da LOA

Redação Jangadeiro Online, com informações da AL










Fortaleza
Atualizado em: 11/11/2011 - 9:09 am


Plenário da CMFor - Foto: Genilson de Lima/CMFor

A Câmara Municipal de Fortaleza recebeu um ofício do Ministério Público Estadual, na manhã desta quinta-feira (10), recomendando que os vereadores deem mais importância às discussões sobre educação durante a votação dos projetos da Lei Orçamentária Anual (LOA).

Segundo o ofício, existe um procedimento administrativo que investiga a adequação da oferta de vagas na educação infantil em Fortaleza. O assunto foi tema de pronunciamento do vereador Jaime Cavalcante (PP), no dia 3, no qual ele apontou que somente 10% das crianças, de até três anos, estão matriculadas nas creches municipais.

A promotora Elizabeth Maria Almeida recomenda que os vereadores discutam “as metas pertinentes ao incremento do número de vagas nas unidades de educação infantil, bem como à construção, ampliação e reforma das unidades de educação infantil e ao incremento de verbas orçamentárias, inclusive com a oferta de emendas.”

Com informações da CMFor










Ficha Limpa
Atualizado em: 11/11/2011 - 8:01 am


O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luiz Fux, relator das ações que tratam da legalidade da Lei da Ficha Limpa, pode mudar seu voto sobre a questão da renúncia de políticos para escapar de processo de cassação. Ele disse na quinta-feira (10) que vai reanalisar a matéria, já que o julgamento ainda não acabou. Caso entenda que sua proposta abre brechas para impunidade, pretende modificar o voto.

Fux defendeu na última quarta-feira (9), em seu voto, que a Lei da Ficha Limpa deveria ser alterada para que a renúncia só pudesse tornar o parlamentar inelegível se já houvesse processo de cassação aberto contra ele. Atualmente, a Lei da Ficha Limpa diz que o político já fica inelegível se renunciar quando houver uma representação para abertura do processo que pode levar a cassação.

“Vamos refletir e recolocar, porque o julgamento não acabou”, ressaltou Fux, ao sair do STF. “E se nós entendermos que de alguma maneira essa proposição abre alguma brecha que tira a higidez desse item da Lei da Ficha Limpa, vamos fazer uma retificação.”

O ministro disse ainda que seu voto tinha o objetivo de manter todas as restrições da Lei da Ficha Limpa. Para ele, não lhe parecia razoável que a renúncia a partir de uma simples petição pudesse tornar alguém inelegível. “Posso mudar. Você sempre reflete sobre a repercussão da decisão. Então, até o termino do julgamento, a lei permite que o próprio relator possa pedir vista e mudar o seu voto. É uma reflexão jurídica e fática.”

OAB
O voto de Fux provocou reações de entidades que entenderam que se criou uma brecha para impunidade. De acordo com a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), o voto de Fux contém uma “excrecência”. “A se manter esse ponto do voto do ministro Fux, ficarão elegíveis todos os políticos que já renunciaram antes da abertura do processo pelo Conselho de Ética para escapar de cassações” assinalou o presidente da entidade, Ophir Cavalcante.

Os primeiros dois casos analisados no STF sobre a Lei da Ficha Limpa – os registros de Joaquim Roriz e de Jader Barbalho – dizem respeito ao item que trata da renúncia. Jader entregou o mandato de senador, em 2001, em meio a denúncias de desvio de verbas no Banpará. Joaquim Roriz fez o mesmo em 2007, depois de ser acusado de negociar a partilha de R$ 2,2 milhões com o ex-presidente do Banco de Brasília (BRB) Tarcísio Franklin de Moura. Roriz e Jader renunciaram antes da abertura do processo, o que poderia levar à cassação do mandato parlamentar.

Mais cedo, o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, disse que a proposta de Fux certamente seria analisada pelos demais ministros e que a discussão sobre o momento em que passa a valer a inelegibilidade por renúncia sempre foi objeto de contestação. “Mas, no geral, o voto foi animador, porque proclama a constitucionalidade da lei”.

Com informações da Agência Brasil










Ceará
Atualizado em: 10/11/2011 - 7:45 pm


Deputados estaduais que fazem oposição ao governo Cid Gomes (PSB) voltaram a cobrar explicações sobre o sistema de empréstimos consignados, na sessão desta quinta-feira (10), na Assembleia Legislativa. Durante o debate, os parlamentares acusaram a base aliada do governo de barrar investigações ao rejeitar pedidos de informações sobre contratos da administração. Segundo a oposição, os aliados trabalham para “blindar” o governo.

No caso dos consignados, a oposição quer ouvir no ambiente formal da Assembleia Legislativa o que os servidores públicos estaduais têm a dizer sobre os empréstimos descontados em folha. A denúncia agora é de que os bancos (Bradesco e Caixa Econômica Federal) que emprestam dinheiro, com a permissão do governo Cid Gomes, estariam descontando além do limite de endividamento permitido por lei que é de 40%.

Heitor Férrer, Eliane Novais, Augustinho Moreira e Roberto Mesquita se revezaram nas críticas à base aliada do Governo

A deputada Eliane Novais (PSB) diz que o Fórum Unificado dos Servidores teria informações sobre 90 mil funcionários endividados e que em alguns casos “Os bancos descontam as prestações com valores acima do descrito no contra-cheques. Tem servidor recebendo R$10 no final do mês”, disse.

Denúncia
A empresa que tem a exclusividade de operar empréstimos consignados com os servidores do estado é ligada ao genro do secretário chefe da Casa Civil, Arialdo Pinho. Segundo a denúncia, exibida pela TV Jangadeiro no final de Setembro, a empresa ABC (Administradora Brasileira de Cartões de Crédito) venceu a licitação, mas é a Promus de propriedade de Antonio Carlos Ribeiro Valadares, genro de Arialdo,  que opera o sistema e cobra juros acima da média de mercado.

A oposição diz que a base de apoio do governo está organizada para barra a realização da audiência pública com os servidores endividados. Além disso, na sessão desta quinta-feira os requerimentos que solicitavam informações sobre o sistema de empréstimos consignados foram rejeitados em votação no plenário.

Blindagem
Os deputados Augustinho Moreira e Roberto Mesquita (ambos do PV) afirmam que a base de apoio, composta por 40, dos 46 parlamentares, está unida para “blindar” o governo.

Mas se na Assembleia Legislativa os deputados de oposição não encontram espaço para garantir acesso as informações sobre o possível esquema de favorecimento e tráfico de influência, a alternativa é buscar outros caminhos e os parlamantares avaliam que a melhor saída é o Ministério Público.

“A base aliada pode blindar o governo, mas não vai blindar o Ministério Público”, disse Heitor Férrer (PDT) ao comentar que já protocolou ações pedindo investigação sobre os consignados.

E mais
E não é só no caso dos empréstimos consignados que a oposição reclama da falta de informações. O grupo simplesmente não consegue aprovar requerimentos para ter acesso a contratos e aprofundar a análise dos gastos da administração estadual. Fato que praticamente impede uma das principais funções de um deputado: que é justamente fiscalizar o governo.

Requentada
Apesar da reclamação dos parlamentares de oposição, o líder do governo na Assembleia, deputado Antonio Carlos (PT), nega que a base de apoio esteja orientada, dentro de uma estratégia de proteção, para blindar o governo Cid. O governista avalia que as críticas “são notícias requentadas  toda quinta-feira, dia de votação dos requerimentos na Assembleia”, para tentar criar desgastes contra o governo.

Assista à reportagem exibida no Jornal Jangadeiro 2ª Edição:










ALEC
Atualizado em: 10/11/2011 - 7:08 pm


Governador Cid Gomes no comando do VLT, durante viagem teste.

A Comissão de Viação Transporte e Desenvolvimento Urbano da Assembleia Legislativa se reuniu na tarde desta quinta-feira (10) com as comunidades de Fortaleza que são atingidas pelos projetos de infraestrutura para a Copa de 2014. O encontro foi solicitado por iniciativa do presidente da comissão, deputado Heitor Férrer (PDT).

O foco da reunião foi o projeto de implantação de um novo tipo de transporte coletivo em Fortaleza, o Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT), um braço do Metrofor. A obra atinge 22 comunidades de Fortaleza que reclamam dos valores oferecidos como indenização para a remoção de suas casas.

Segundo o deputado Heitor Férrer, presidente da comissão, a insatisfação dos moradores se deve, principalmente, à distância das novas moradias. “O Governo deve minimizar este impacto dando condições iguais ou melhores de habitação”, afirmou.

Comunidades
De acordo com a representante da comunidade Trilha do Senhor, na Aldeota, Rita de Cássia Laurindo, os moradores não são contra o projeto do VLT, mas não concordam com a imposição do Governo. “As autoridades têm que levar em consideração o povo pobre. Temos nossos direitos e eles estão sendo violados”, enfatizou.

Defensoria Pública
A representante da Defensoria Pública do Estado, Amélia Rocha, propôs um diálogo entre o Governo e os moradores das 22 comunidades atingidas. “Há uma diferença entre direito à moradia e direito à habitação. E o que essas pessoas querem é a manutenção dos laços comunitários já estabelecidos”, destacou.

Leia mais:
Assembleia debate impactos da Copa 2014 na população de Fortaleza
Exposição retrata comunidades que serão atingidas por obras da Copa

Com informações da Assembleia Legislativa










Primeiro Plano
Atualizado em: 10/11/2011 - 5:46 pm


Em entrevista exclusiva concedida ao programa Primeiro Plano, da TV Jangadeiro, Ricardo Teixeira, presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), disse que a Copa do Mundo de 2014 deixará um legado positivo para as cidades que sediarão os jogos e anunciou que pretende se aposentar após a competição para “cuidar da família”.

Teixeira também acredita que o consenso prevalecerá no caso das divergências entre a FIFA e o governo brasileiro, como a venda de bebidas alcoólicas nos estádios e a validade da meia entrada nos ingressos para a Copa.

Em relação à Seleção Brasileira, o presidente da CBF aposta que essa é a chance para o país superar a decepção da Copa de 1950, no rio de Janeiro, quando o Brasil perdeu a final para o Uruguai. No entanto, cauteloso, Teixeira lembrou que ‘”oje em dia o futebol não tem resultado antecipado“, pois as seleções estão equilibradas.

A entrevista foi a terceira e última da série especial “A Copa também é nossa”, que o Sistema Jangadeiro produziu com suas equipes de televisão, rádio e internet.

Assista à entrevista na íntegra:










Copa 2014
Atualizado em: 10/11/2011 - 5:05 pm


Ministro Aldo Rebelo

O ministro do esporte, Aldo Rebelo, visita o estádio Presidente Vargas nesta sexta-feira (11). O chefe da pasta estará acompanhado do diretor técnico da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Virgílio Elísio, e do presidente da Federação Cearense de Futebol (FCF), Mauro Carmélio. A visita, previstapara as 15h, será guiada pelo titular da Secretaria de Esporte e Lazer de Fortaleza, Evaldo Lima, e pelo prefeito de Fortaleza em exercício, Acrísio Sena.

Na oportunidade, o ministro conhecerá as reformas realizadas no estádio, que foi totalmente modernizado e reinaugurado em setembro último. O objetivo é mostrar também que o Novo PV está apto a funcionar como centro de treinamento para as seleções que participarão, em Fortaleza, da Copa do Mundo de 2014.

Castelão
Antes, o ministro acompanha a festa de inauguração da primeira e segunda etapas das obras de reforma do Estádio Castelão. Na ocasião, o governador Cid Gomes (PSB) comanda solenidade para entrega oficial da praça em frente ao estádio, das 1.900 vagas de estacionamento e da nova sede da Secretaria do Esporte.

1ª vez
Esta será a primeira vez que o comunista Aldo Rebelo visita o Ceará como ministro do Esporte. Ele ocupa a pasta desde que o colega de PCdoB, Orlando Silva, foi afastado do cargo envolvido em denúncias de corrupção.

Leia ainda: Policiais civis confirmam protesto em inauguração de obras do Castelão

Redação Jangadeiro Online, com informações da Secel










Ceará
Atualizado em: 10/11/2011 - 3:48 pm


O Governo do Estado assinará na próxima segunda-feira (14) o ato de nomeação de 300 professores concursados. O documento será assinado pelo governador em exercício Domingos Filho, no Palácio da Abolição.

Os professores nomeados foram aprovados no último concurso para magistério, realizado em 2009. O Sindicato APEOC afirmou que irá acompanhar a efetivação do compromisso e a agilidade das lotações dos educadores nas escolas da rede estadual de ensino.

Leia também:
Professores da rede estadual decidem suspender a greve

Professores recebem proposta de reajuste salarial do Governo do Estado

Professores da rede estadual decidem manter greve
Professores estaduais em greve protestam contra Governo no aeroporto


Redação Jangadeiro Online, com informações do APEOC










Nacional
Atualizado em: 10/11/2011 - 1:35 pm


Depois de dizer que só deixaria ministério "abatido a bala", Lupi dispara: “Dilma, me desculpe, eu te amo”.

O ministro do Trabalho, Carlos Lupi, voltou a pedir desculpas à presidente Dilma Rousseff por suas declarações na última terça-feira (8), quando disse que só sairia do ministério “abatido à bala”. “Eu gosto de fazer o debate, às vezes exagero. Peço desculpas públicas. Presidente Dilma, me desculpe, eu te amo”, disse. “Eu exagerei, a gente está sob muita pressão. Foi um momento infeliz”, completou. Segundo o jornal O Globo de hoje, as declarações irritaram o Palácio do Planalto, que exigiu uma retratação e praticamente selou sua saída na reforma ministerial, no início do próximo ano.

Lupi participa de audiência pública na Comissão de Fiscalização Financeira e Controle (CFFC) da Câmara desde as 10h desta quinta-feira (10). O ministro negou veementemente que seu ex-chefe de gabinete Marcelo Panella esteja envolvido em irregularidades na pasta. Ao comentar que eles se conhecem há 25 anos, Lupi disse que não existe “título mais importante que a lealdade”. Por conta disso, aposta seu cargo na inocência do ex-subordinado. “Não tem possibilidade de o Marcelo estar envolvido em irregularidades”, afirmou.

Propina
A reunião desta manhã foi motivada por reportagem da revista Veja desta semana. De acordo com a semanal, caciques do PDT comandados por Lupi transformaram órgãos de controle da pasta em instrumento de extorsão. Segundo a revista, o ministério contrata entidades para dar cursos de capacitação profissional, e depois assessores exigem propina de 5% a 15% para resolver ‘pendências’ que eles mesmos criariam.

Na defesa
De acordo com Veja, Marcelo Panella, ex-chefe de gabinete de Carlos Lupi e tesoureiro do PDT, estaria à frente do esquema. Panella nega as acusações. “Coloco minha função, minha vida por ele”, declarou Lupi. O ministro do Trabalho informou que os convênios são fiscalizados simultaneamente pela Controladoria-Geral da União (CGU) e pela pasta. Segundo Lupi, cada contrato tem sua regra própria e seu acompanhamento.

“Se alguém fez algo no Ministério do Trabalho, é individual e que pague”, afirmou, negando as denúncias veiculadas recentemente. No início da audiência, Lupi criticou a imprensa e as matérias divulgadas, qualificando as reportagens como “vazias”. “Apareça a prova, apresente-se quem levou dinheiro. Eu não compactuo com a corrupção. Quero corruptor e corrupto na cadeia”, disse.

Bancada
A audiência de Lupi é acompanhada pelos principais líderes governistas na Câmara. Além de uma parte da bancada pedetista, estão presentes os líderes do governo, Cândido Vaccarezza (PT-SP), do PT, Paulo Teixeira (SP), e do PMDB, Henrique Eduardo Alves (RN). Entre os pedetistas, estavam os deputados Paulinho da Força (SP), Brizola Neto (RJ) e Paulo Rubem Santiago (PE).

Já os parlamentares que foram até o Ministério Público Federal (MPF) pedir investigações, como Reguffe (PDT-DF) e Miro Teixeira (PDT-RJ), não compareceram. Eles foram alvos de críticas de parlamentares que participaram da sessão, assim como a imprensa. “Quando o ministro Orlando esteve aqui, o PCdoB inteirinho compareceu para dar apoio. Cadê o seu partido?”, questionou o deputado Silvio Costa (PTB-PE), fazendo referência ao ex-ministro do Esporte Orlando Silva.

Com informações do Congresso em Foco










ALEC
Atualizado em: 10/11/2011 - 12:15 pm


Livre acesso de ministros de cultos religiosos evangélicos nos presídio, celas de delegacias e instituições de recuperação de menores infratores. É isso que propõe o projeto de lei 302/11 que começou a tramitar nesta quinta-feira (10) na Assembleia Legislativa do Ceará (AL).

O projeto, que é de autoria da deputada Dr. Silvana (PMDB), prevê ainda que as instituições fiquem obrigadas a colocar placas indicativas da permissão de assistência religiosa em locais de ampla visibilidade, como nas recepções.

A proposta segue agora às comissões técnicas para apresentação de parecer. Após esses pareceres, a proposição segue para apreciação dos deputados. Caso seja aprovado na AL, o projeto de lei segue para ser sancionado ou não pelo governador Cid Gomes (PSB).

Leia mais:
Audiência pública discute campanha pela lei da Economia Solidária

Redação Jangadeiro Online, com informações da AL










Greve
Atualizado em: 10/11/2011 - 12:15 pm


Funcionários terceirizados da Secretaria do Meio Ambiente e Controle Urbano (Semam), da Prefeitura de Fortaleza, paralisaram suas atividades nesta quinta-feira (10). Eles estão na sede da empresa responsável pelos seus contratos, Instituto Terra Social (ITS), na Aldeota, e reclamam da falta de pagamento dos salários referentes ao mês de setembro.

De acordo com os coordenadores do movimento, os representantes da empresa ainda não definiram um prazo para efetuar o pagamento. O grupo também pressiona a Prefeitura de Fortaleza para que tome providências que levem à solução do problema.

Continuidade do movimento
Os manifestantes devem permanecer acampados no Instituto Terra Social até o final do dia, quando será realizada uma reunião, no local, para definir a continuidade da paralisação.

Instituto não se pronunciou
A produção do Jangadeiro Online entrou em contato com o ITS, mas nenhum representante da empresa quis se pronunciar. Os funcionários também afirmaram que não estavam autorizados a dar qualquer esclarecimento.

Leia mais:
Semam estaria funcionando em prédio irregular
Estudantes fecham rotatória da Aguanambi em apoio aos professores
Trabalhadores terceirizados da Seman paralisam atividades nesta quinta-feira

Com a Redação do Jangadeiro Online