Primeiro Plano
Atualizado em: 19/10/2011 - 4:10 pm


Senador Pedro Simon (PMDB/RS) recebeu a equipe do Primeiro Plano em seu gabinete em Brasília.

Na segunda entrevista da série especial “Como varrer a corrupção do Brasil”, do Sistema Jangadeiro de Comunicação, o programa Primeiro Plano foi à Brasília conversar com o senador Pedro Simon (PMDB/RS), um dos parlamentares mais experientes do Congresso Nacional, e que lançou no mês de agosto uma frente suprapartidária contra a corrupção e a impunidade.

Os males da governabilidade
O parlamentar destaca como principais causas da corrupção a impunidade e as barganhas que os governos fazem para manter a maioria no Legislativo, a chamada governabilidade.

“A governabilidade no Brasil é um escândalo, uma imoralidade, uma indecência. Governabilidade é um termo bonito da política. O que é? O governo se elege e para governar precisa ter maioria no Congresso. Então ele vai dialogar buscando um entendimento. Isso se chama governabilidade. Agora, no Brasil, a governabilidade se transformou em ilicitude“.

“A presidente Dilma disse recentemente que não aceita malfeito. Primeiro ela falava em faxina, mas aí o termo foi mal aceito. ‘Quer dizer que o Lula deixou uma herança maldita?’ Se você der uma olhada no ministério que deram para ela, tem muita gente sem ficha limpa – a começar pelo chefe da Casa Civil que caiu um mês depois – e muita gente que não tem competência. Por que eles fazem isso? Porque ela precisa de maioria”.

Impunidade
Para Simon,  a corrupção existe em todo lugar, mas enquanto outros países punem os corruptos exemplarmente , no Brasil ninguém é condenado, o que causa descrédito perante a população.

O grande problema do Brasil é a impunidade. Hoje, 40% da renda nacional é levada pela corrupção. A diferença do Brasil para outros países do mundo não é, como alguns imaginam, que o Brasil seja um pais corrupto, enquanto isso não acontecem em outros países. Nos Estados Unidos, na Inglaterra, na França, na China, no Japão e na Rússia, tem tanta corrupção ou mais do que aqui; a diferença é que lá tem punição. A diferença se chama impunidade“.

“No Brasil, o cidadão comete um crime, o político rouba, o banqueiro faz uma vigarice, é processado e é condenado por um juiz. Aí ele recorre. É condenado cinco, seis vezes! Mas sempre fica solto. Porque aqui no Brasil se diz: ‘Enquanto não for condenado em definitivo, ele fica solto’. (…) Se dependesse de mim, a tese que nós faríamos para o povo ter um finalidade [nos protestos], é terminar com a impunidade. É condenado a primeira vez? É condenado a segunda vez? Pode recorrer mais cinco vezes, mas vai para a cadeia”.

Ninguém no Brasil acredita que vá para a cadeia alguém que não seja ladrão de galinha. Quando pegaram um banqueiro e ele apareceu algemado na televisão, preso. No Senado, uns 20 falaram. Parecia que tinham derrubado uma bomba atômica. (…) O povão, cansei de ver algemado e preso e nunca ninguém gritou! Agora porque é um banqueiro, vira escândalo”.

Cadeia para políticos corruptos
Simon prega ainda que uma das formas de inibir a impunidade é  acabar com o foro privilegiado para políticos, que deveriam, a seu ver, ser julgados de forma mais célere. Em caso de condenação, ele cobra cadeia para os envolvidos.

É uma coisa escandalosa o foro privilegiado. Só o Procurador Geral da República me denuncia perante o Supremo. Os casos vão acumulando, são onze ministros… Esse foro privilegiado, na minha opinião, deveria ser ao contrário. Nós políticos deveríamos ter foro privilegiado determinando para quem roubou o Estado ser julgado em primeiro lugar. Na gaveta do delegado de polícia tem um montão de processos, e entre eles de algum político, esse vai em primeiro lugar”.

“Eu creio que um movimento de conceituação, de credibilidade, de respeitabilidade, tem que ser feito. Agora, como é que eu faço isso? Punindo o Joãozinho? Punindo o vereador? Punindo o batedor de carteira? Não! Tem que começar botando na cadeia o Pedro Simon. O Pedro Simon, metido a sério, honesto? Foi ver, é um malandrão. Pega, descobre a malandragem e prende! Tem que botar na cadeia o cara que está em cima. Tem que dar exemplo e começar a mostrar que a punibilidade existe.

Pressão popular contra a corrupção
Para o senador Pedro Simon, somente a pressão popular e o exercício da cidadania podem forçar alguma mudança nessa estrutura que hoje é complacente com a corrupção. “Do Pedro Simon, do Senado, do Congresso, não espere nada. Do Executivo, menos ainda. E do Judiciário menos ainda. Só muda se você pressionar”.

Nesse sentido, o parlamentar gaúcho incentiva as manifestações contra a corrupção e faz um apelo aos brasileiros.

Você meu irmão, vá para as ruas. Semana que vem, amanhã ou depois, vai ter um movimento, vá espontaneamente. Vá na internet, se interesse e debata. A Ficha Limpa só foi votada no Congresso porque teve hum milhão e quinhentas mil assinaturas. Os deputados e senadores não queriam votar! Mas um projeto popular, começou a causar dúvidas. O povo cercou o Congresso e o Senado votou por unanimidade. Essa foi uma grande conquista do povo. (…) Faça isso, não por mim, faça pelo teu filho, pela sociedade”.

Assista ao programa na íntegra:

Parte 1

Parte 2

Parte 3










Vídeos
Atualizado em: 19/10/2011 - 3:22 pm


Na segunda reportagem da série sobre corrupção, exibida no Jornal Jangadeiro, a lei da ficha limpa, que não valeu nas últimas eleições e ainda há dúvidas se vai estar em vigor no próximo pleito.

O instrumento de combate aos políticos corruptos é defendido pela população e pelo Ministério Público.

Acompanhe a reportagem do Jornal Jangadeiro:










Serviço
Atualizado em: 19/10/2011 - 1:41 pm


Um convênio entre o Governo do Estado e a Associação dos Prefeitos do Ceará (Aprece) será assinado nesta quarta-feira (19) garantindo aos municípios cearenses com menos de 20 mil habitantes planos de saneamento básico.

O documento será assinado durante uma reunião entre a Secretaria das Cidades e representantes da Aprece. Também participam do evento integrantes do Programa Minha Casa Minha Vida.

As cidades que atendam aos critérios passam a receber recursos do Governo para custear a elaboração dos projetos.

Leia mais:
Você sabia que investimentos em saneamento básico podem melhorar a área da saúde do Estado?
O drama de quem mora nas áreas de risco
Caucaia: população denuncia falta de saneamento básico nas ruas do município

Da Redação do Jangadeiro Online com informações da Secretaria das Cidades










Denúncia
Atualizado em: 19/10/2011 - 1:11 pm


O relatório do CNJ foi apresentado pela OAB na manhã desta quarta-feira (Foto: Kézya Diniz)

Um relatório do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), apresentado na manhã desta quarta-feira (19), identificou possíveis irregularidades nos procedimentos de virtualização e digitalização de processos e na reforma do Fórum Clóvis Beviláqua, em Fortaleza. A suspeita é de que parte das obras, que já se arrastam por um ano, tenham sido pagas, sem que tenham saído do papel.

Sem contratos
O que mais chamou atenção dos técnicos do CNJ foi a divisão dos serviços de reforma e ampliação do Fórum Clóvis Beviláqua em diferentes contratos, o que, segundo o Conselho, dificulta o planejamento e a fiscalização dos recursos públicos gastos na obra. Após a inspeção, o CNJ recomendou à Justiça cearense que realize uma apuração rigorosa para identificar quanto do valor pago foi realmente executado.

Irregularidades na virtualização
O Conselho Nacional de Justiça também identificou irregularidades nos processos de virtualização e digitalização do judiciário. O relatório mostra que o Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE) já desembolsou, desde 2009, cerca de R$ 60 milhões sem nenhum processo de licitação. A diferença entre as propostas oferecidas e a contratada chegaria a R$ 10 milhões, segundo o relatório do CNJ.

Cobrar respostas
De posse do relatório do CNJ, a OAB decidiu cobrar respostas. Para isso, encaminhou oficios à Assembleia Legislativa do Ceará (AL), aos ministérios Público Estadual (MPE) e Federal (MPF) e aos órgãos de controle externo. Segundo o presidente da OAB Ceará, Valdetário Mota, a demora no julgamento dos processos vem favorecendo práticas de corrupção na Justiça cearense.

Leia mais:
Relatório revela alta taxa de congestionamento na Justiça do Ceará










Greve
Atualizado em: 19/10/2011 - 12:27 pm


Servidores paralisam atividades por tempo indeterminado

Os servidores da Justiça Federal no Ceará decretaram greve por tempo indeterminado nesta terça-feira (19), após assembleia realizada na sede do Sindicato dos Trabalhadores da Justiça Federal do Ceará (SINTRAJUFE/CE).

O movimento segue a tendência de mais 13 Estados que também terão os trabalhos paralisados a partir da próxima segunda-feira (24). São eles: Bahia, Mato Grosso, São Paulo, Amazonas, Roraima, Maranhão, Paraíba, Rio Grande do Sul, Pernambuco, Rio de Janeiro, Piauí, Mato Grosso do Sul e Alagoas.

Os manifestantes exigem a implantação do Plano de Cargos e Salários, que tramita no Congresso desde 2009. Serviços como o recadastramento biométrico de eleitores e o andamento de processos trabalhistas podem ser prejudicados. Uma nova reunião para avaliar a continuidade da greve está marcada para o dia 27 de outubro.

Leia mais:
Médicos municipais decidem adiar greve
Sindicato dos Bancários rejeita proposta apresentada pelo BNB
Greve da Polícia: 22 delegacias funcionam nesta terça

Redação Jangadeiro Online, com informações do SINTRAJUFE/CE










Primeiro Plano
Atualizado em: 19/10/2011 - 12:03 pm


Jornalista, Kézya Diniz, entrevista senador, Pedro Simon

O senador Pedro Simon é o segundo entrevistado do programa Primeniro Plano especial “ Como Varrer a Corrupção no Brasil” . A entrevista vai ao ar nesta quarta-feira (19), a partir das 15h no Jangadeiro Online e no canal 37 da Net .

Assunto abordado no programa
A tolerância zero contra a corrupção deveria ser regra. Diferente disso, nas cartilhas do Executivo, Legislativo e Judiciário a corrupção tem capítulo garantido. Um problema que toma de assalto os cofres públicos, corrompe, desfalca programas sociais, tirando dos que mais precisam.

Quais os instrumentos que a sociedade dispõe para enfrentá-la? E quem está disposto a isso? Esse é assunto do Primeiro Plano desta quarta com o senador Pedro Simon, que lançou no Senado a Frente de Combate à Corrupção e à Impunidade.

Última entrevista
O último entrevistado do programa Primeiro Plano especial contra a corrupção será o Conselheiro do CNJ, Jorge Hélio. A matéria será exibida nesta quinta-feira (20), a partir das 15h, no Jangadeiro Online e no canal 37 da Net.

Assista ao primeiro programa especial “Como varrer a corrupção no País”

Gilmar Mendes no Primeiro Plano: “Não temos só uma democracia, mas uma partidocracia”










Corrupção
Atualizado em: 19/10/2011 - 10:28 am


Ministro dos Esportes nega envolvimento em desvio de verbas

O ministro do Esporte, Orlando Silva, vai explicar na tarde desta quarta-feira (19), no Senado Federal, o suposto envolvimento em desvio de recursos do programa Segundo Tempo.

Na terça-feira (18), ele prestou esclarecimentos na Câmara Federal e disse que não participou das irregularidades.O depoimento no Senado acontece em audiência integrada das comissões de Educação, Cultura e Esporte (CE) e de Meio Ambiente, Defesa do Consumidor e Fiscalização e Controle (CMA) às 14h.

Acusações
Segundo reportagem da revista “Veja”, o policial militar João Dias Ferreira, preso pela Polícia Civil de Brasília em 2010, disse que Silva recebeu um pacote de dinheiro na garagem do ministério e teria comandado um esquema de desvio de verbas destinadas ao programa Segundo Tempo.

Em entrevista à revista Veja, o policial militar e ex-militante do PCdoB, confirma o favorecimento do partido nos contratos e afirma que o ministro recebeu pessoalmente remessas de dinheiro do esquema. A entrega, segundo a reportagem, foi feita dentro da garagem do Ministério do Esporte por Célio Soares Pereira, que servia de motorista e mensageiro do grupo.

À revista, Pereira afirmou que esteve pelo menos quatro vezes entregando dinheiro na garagem do ministério, além da ocasião em que repassou diretamente ao ministro maços de notas de R$ 50 e R$ 100 em uma caixa de papelão.

Leia Mais

Ministro Orlando Silva é acusado de liderar fraude no Esporte

Nos jornais: Governo cobra de ONGs R$ 26,5 mi por desvios no Esporte

Oposição pede investigação de denúncia contra ministro do Esporte










Primeiro Plano
Atualizado em: 19/10/2011 - 9:08 am


Senador Pedro Simon (PMDB/RS) recebeu a equipe do Primeiro Plano em seu gabinete em Brasília.

No programa Primeiro Plano Especial – “Como Varrer a Corrupção no País”, desta quarta-feira (19), a jornalista Kézya Diniz conversa com o Senador Pedro Simon (PMDB/RS), um defensor da Lei da Ficha Limpa. O parlamentar considera a Lei uma das possíveis soluções para livrar o Brasil dos corruptos que atuam na política brasileira.

Durante o programa, gravado em Brasília, o senador ainda fala sobre a faxina no Executivo; critica as trocas de cargos da chamada ‘governabilidade’; e incentiva as manifestações populares contra a corrupção e a impunidade.

O Primeiro Plano Especial vai ao ar nesta quarta-feira (19), às 15h, no Portal Jangadeiro Online, e no Canal 37 da NET, e ainda à noite, na TV Jangadeiro, logo após o Jornal do SBT.

As entrevistas do programa especial foram feitas em Brasília, a primeira delas foi exibida nesta terça-feira (18), e teve como convidado o Ministro do STF, Gilmar Mendes.

A Lei da Ficha Limpa
A Lei da Ficha Limpa foi criada para melhorar o perfil dos candidatos e candidatas a cargos eletivos do país. Sancionada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva a Lei dia 4 de junho de 2010, a lei ainda é alvo de críticas como a lentidão na tramitação de propostas que tipificam os crimes praticados por políticos e aumentam as penas para os autores.

O projeto surgiu de uma iniciativa popular, que coletou mais de um milhão e trezentas mil assinaturas de eleitores favoráveis ao “controle de qualidade” dos candidatos. Apesar da união popular contra a eleição de políticos corruptos, muitos que estão hoje no cenário político são contra a Lei da Ficha Limpa.

Uma ação da OAB pede que o STF, Supremo Tribunal Federal, declare a constitucionalidade da lei. No ano passado a suprema corte decidiu que a Lei da Ficha Limpa não pederia ser aplicada às eleições de 2010. No entanto, não há nada definido sobre a validade para o próximo pleito municipal de 2012.

Assista à matéria especial sobre a Ficha Limpa exibida no Giro das Ruas










Opinião
Atualizado em: 19/10/2011 - 9:01 am


*Por Wanderley Filho

Ao falar no programa Primeiro Plano a respeito da corrupção no Brasil, o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, lançou luz sobre um ponto pouco explorado quando o tema é desvio de dinheiro público, mas que deveria ser central nas sociedades democráticas: o papel do eleitor na luta contra a corrupção.

Indagado se a Lei da Ficha Limpa, que impede a candidatura de indivíduos que tenham sido condenados em segunda instância, seria um bom instrumento de decantação dos quadros políticos que disputam cargos públicos, o ministro foi certeiro ao lembrar que a obrigação de avaliar o passado dos postulantes é dos partidos políticos e do próprio eleitor.

Gilmar Mendes trata eleitores como adultos. E assim deve ser. Cabe aos representados zelar pela qualidade da ficha de quem os representa. Claro, outros fatores contribuem para o quadro de degeneração política e institucional do Brasil, e isso é dito na entrevista, mas é bom ter em mente que o caminho mais rápido e legítimo para mudar é e sempre foi o voto.

Completo a constatação de Mendes com duas observações: 1) é preciso educar o eleitor; 2) não pode haver condescendência com o erro. Educar o eleitor não significa induzi-lo a votar em determinado partido ou doutriná-lo ideologicamente, como bem pensam milhares de professores que assediam alunos em sala de aula. Significa ensiná-lo a pensar no candidato como sua (dele) responsabilidade, assim como um empregado é responsabilidade de seu empregador. Não condescender com o erro significa tolerância zero mesmo. Saiu da linha, não tem perdão. Não importa o carisma, o potencial de votos, a relevância histórica, as promessas ou o passado. Na Alemanha, o chanceler Hemult Koll, que comandou a reunificação do país, popular, um dos mentores da União Européia, herói nacional, foi escorraçado da vida pública após 16 anos de mandato com a revelação de que o seu partido operava um caixa dois. ele alegou que não sabia, mas os alemães o consideraram beneficiário do ilícito. Com 70% da população exigindo a sua renúncia, ele foi aposentado.

Se isso tivesse ocorrido no Brasil após o escândalo do mensalão, provavelmente não haveriam tantas passeatas pelo fim da impunidade para corruptos. Por isso, amigo eleitor, não se esqueça: os erros de um adversário não justificam os erros de qualquer grupo político (desculpa comum por aqui); despreze partidos que abrigam corruptos; e tenha sempre em mente que os fins não justificam crimes de corrupção.

 * Wanderley Filho é historiador










ALEC
Atualizado em: 19/10/2011 - 8:07 am


A Comissão de Direitos Humanos da OAB-CE realizará nesta quarta-feira (19) uma audiência pública para apuração de uma ação desastrosa de policiais, exibida pela TV Jangadeiro no dia 9 de agosto deste ano.

As cenas foram gravadas pela câmera da própria viatura e exibidas no programa Barra Pesada. Na ocasião, serão discutidas as agressões praticadas pelos policiais militares no uso de suas atribuições legais.

A audiência acontece no Complexo de Comissões Técnicas da Assembleia Legislativa do ceará, a partir das 14h30.

Relembre o caso
Os jovens Davi Duarte de Souza e David de Abraão Rocha foram acusados de assalto, se entregaram e, mesmo assim, os PMs dispararam três tiros contra os garotos, rendidos no chão, e sem a menor chance de defesa. A dupla, em nenhum momento, reagiu à abordagem.

De acordo com as imagens, um dos policiais se aproxima dos jovens, dá o primeiro tiro, e ,em seguida, solta mais um disparo. O outro policial vê toda a ação e, em vez de interferir, também atira nas vítimas. Mais policiais aparecem em cena e nenhum socorre a dupla.

Consequências
Os dois jovens haviam roubado um carro vermelho, foram perseguidos pela polícia, e a ocorrência acabou em uma rua sem saída. Segundo o Comando Geral da Polícia Militar, todos os envolvidos na ação receberam punição administrativa, passaram pelo conselho de disciplina, mas ainda fazem parte da coorporação.

De acordo com o promotor de justiça, foi aberto inquérito policial apenas como abuso de autoridade, mas o crime realmente se trata de tentativa de homicídio.

Assista às imagens:










Bastidores
Atualizado em: 19/10/2011 - 6:58 am


Médicos da rede municipal de Fortaleza estiveram reunidos na noite de terça-feira (18), na sede do Conselho Regional de Medicina (Cremec), para discutir as condições de trabalho da categoria no Município.

O presidente do Sindicato dos Médicos do Ceará (Simec), José Maria Pontes, afirmou que  a categoria vai realizar nova assembleia, no dia 8 novembro (terça-feira) para decidir os rumos. “Será um novo momento, só aí decidiremos se haverá greve ou não”, destacou.

De acordo com José Maria Ponte, os médicos irão propôr uma reunião com a Secretaria da Saúde do Município no dia 4 de novembro. Ainda segundo ele, existe uma segunda parcela das gratificações atrasadas a serem pagas.

Paralisação dos serviços do SUS
Com o objetivo de chamar atenção da sociedade, da imprensa e do Governo para as más condições de trabalho e para mostrar que estão insatisfeitos com a saúde pública, a categoria ameaçou paralisar os serviços da rede do Sistema Único de Saúde (SUS). Apenas os casos de urgência e emergência seriam atendidos, sendo suspensos os casos eletivos.

Leia mais:
Médicos do Ceará se reúnem para discutir condições de trabalho no SUS
Médicos municipais recebem pagamento e cancelam reunião que aconteceria na quinta-feira
Médicos do SUS de Fortaleza podem decretar greve nesta quinta
Médicos podem paralisar as atividades a partir do dia 19










Greve
Atualizado em: 18/10/2011 - 8:35 pm


A diretoria do Sindicato dos Bancários do Ceará ( SEEB) rejeitou a proposta apresentada pelo Banco do Nordeste do Brasil nesta terça-feira (18), que contém, além do que foi oferecido anteriormente, a promoção dos integrantes da carreira de Analista Bancário, ocupantes dos níveis 1 a 4.

A proposta será apreciada nesta quarta-feira (19) pela Comissão Nacional dos Funcionários do BNB (CNFBNB/Contraf). A Comissão protesta pelo fato de o Banco ter divulgado a proposta aos funcionários antes de formalizar às entidades.

Indiferença
De acordo com o Sindicato dos Bancários do Ceará, a proposta do BNB é discriminatória por só favorecer os quatro primeiros níveis da carreira de Analista Bancário, excluindo os outros 14 níveis do PCR.

O presidente do SEEB, Carlos Eduardo Bezerra, afirma que o Governo tratou de forma indiferente as questões do BNB. “Faltou respeito. Nós do Sindicato orientamos o fortalecimento da greve. Agora é esperar novas negociações ainda sem previsão”, conclui.

Para o diretor do Sindicato e coordenador da CNFBNB/Contraf-CUT, Tomaz de Aquino, ainda precisam ser feitas muitas mobilizações para que o Banco ofereça uma proposta justa. O SEEB/CE aposta na mobilização crescente dos funcionários do BNB para arrancar a mesma proposta concedida aos trabalhadores do Banco do Brasil.

Reivindicações
Os bancários do BNB, que estão em greve há 22 dias, reivindicam isonomia entre novos e antigos funcionários, revisão do Plano de Cargos e Remuneração (PCR), abono das faltas da greve e revisão dos planos de previdência (Capef) e saúde (Camed).

Leia mais:
Proposta do BNB é rejeitada e servidores mantêm greve
Bancários voltam ao trabalho após 21 dias de greve

Da Redação Jangadeiro Online, com informações do Sindicato dos Bancários










Greve
Atualizado em: 18/10/2011 - 7:21 pm


Depois de 21 dias de greve, os funcionários do Banco do Brasil, da Caixa Econômica Federal e dos bancos privados voltaram a trabalhar nesta terça-feira (18). Mas a população sentiu muita dificuldade no atendimento, com  longas filas dentro e fora das agências.

“Já demora normalmente, agora depois da greve é que piorou mesmo”, afirmou o motorista Francisco Cleivan, que reclamou da demora do atendimento na agência do Banco do Brasil, localizada no bairro Aldeota, em Fortaleza.

A aposentada Maria do Socorro Jacob afirma que bancários e empresas deveriam estender o horário de atendimento à população, “pelo menos na primeira semana pra agilizar as coisas que ficaram pendentes; eles ajudariam os clientes”.

A decisão de retornar aos trabalhos saiu na última segunda-feira (17), quando os bancários de todo o país se reuniram em assembleia geral e aprovaram as contra propostas das empresas. O únicos que não aceitaram foram os funcionários do banco do Nordeste, que decidiram manter a greve.

Assista à matéria exibida no Jornal Jangadeiro:

Leia mais:
Bancários começam greve nesta terça com mobilização nos bancos
Bancários marcam assembleia para avaliar ampliação da greve 

Bancários aceitam proposta da Fenaban e greve deve terminar na terça-feira

Da redação do Jangadeiro Online










Câmara Municipal
Atualizado em: 18/10/2011 - 7:01 pm


Vereador João Alfredo visitou o Caps da Secretaria Regional IV

A Câmara Municipal de Fortaleza vai realizar uma audiência para discutir a situação dos Centros de Apoio Psicossocial (Caps), e a política de saúde mental na Capital. O encontro acontece na próxima quarta-feira (19) às 14h30, no auditório Ademar Arruda.

A iniciativa é do vereador João Alfredo (PSOL), que visitou o Caps da Secretaria Regional IV. “Lá constatamos a existência de sérios problemas, como a falta de espaços para a realização de terapia; falta de remédios; alimentação, além de ventilador queimado e telhado quebrado”, relatou o parlamentar.

Para o vereador, a necessidade de superação de entraves burocráticos na relação Caps e Secretaria Executiva Regional (SER), bem como uma maior previsão orçamentária para o suprimento das carências de pessoal e infraestrutura, são algumas das soluções para os problemas detectados.

João Alfredo ainda ressaltou que a proposta de debate sobre a política de saúde mental em Fortaleza não tem como objetivo questionar o modelo de atendimento do Caps, mas busca dar acesso às pessoas acometidas de transtornos mentais, proporcionando um tratamento adequado, evitando ao máximo a necessidade de separá-las do convívio familiar e social.

Leia mais:
MP avalia atenção em saúde mental no Estado
Serviços comemoram o Dia Mundial da Saúde Mental na Praça José de Alencar

Da Redação do Jangadeiro Online com indormações da Câmara Municipal de Fortaleza










Greve
Atualizado em: 18/10/2011 - 6:41 pm


Dentistas e enfermeiros do Programa Saúde da Família de Fortaleza (PSF) decidiram voltar a greve por tempo indeterminado.

A paralisação será retomada uma vez que, segundo servidores, a Prefeitura da Capital não honrou com os compromissos firmados durante o processo de negociação com a categoria. Eles entraram em acordo durante assembleia realizada na tarde desta terça-feira (18).

A categoria vai realizar uma manifestação na manhã desta quarta-feira (19), na Câmara Municipal de Fortaleza. A ideia é cobrar o apoio dos vereadores para ajudar na intermediação com o executivo.

Reivindicações
Os servidores reivindicam aumento salarial, correção de distorções geradas pelo plano de cargos, carreiras e salários e gratificações de incentivo de nível superior.

O movimento paredista pede ainda o pagamento de outros direitos trabalhistas garantidos por lei, como anuênios, quinquênios, retroativos de insalubridade e gratificação por titulação acadêmica.

Os profissionais já haviam realizado uma paralisação em maio deste ano, mas resolveram voltar as atividades no mês de julho, quando iniciaram uma tentativa de negociação. Como não foi aceita nenhuma proposta, o Sindicato dos Odontologistas do Estado do Ceará (Sindiodonto) convocou os trabalhadores, que voltaram a cruzar os braços.

Leia mais:
Dentistas e enfermeiros do PSF participam de audiência na ALCE
Sem acordo, servidores do PSF em Fortaleza continuam greve
Enfermeiros e dentistas do PSF de Fortaleza aceitam trégua de 24 horas para negociar acordo
Servidores do PSF em Fortaleza fazem caminhada e “São João da Joaninha”
Servidores do PSF buscam reabrir negociação