Articulação, Em Brasília
Atualizado em: 06/09/2011 - 2:44 pm


O líder do PSDB na Câmara Federal, deputado Duarte Nogueira (SP), anunciou que o partido decidiu apoiar o fim das votações secretas no Plenário. Nogueira fez menção à votação secreta da semana passada que manteve o mandato da deputada Jaqueline Roriz (PMN-DF). Na ocasião, segundo ele, os deputados tucanos votaram pela perda do mandato da deputada.

“Foi uma questão exaustivamente debatida na bancada e resolvemos trazer agora o resultado para conhecimento da sociedade”, disse o líder do PSDB.

A postura dos tucanos foi elogiada pelo deputado Ivan Valente (Psol-SP). Na semana passada, o Psol lançou uma campanha em defesa do voto aberto, com o recolhimento de assinaturas para a retomada da Frente Parlamentar pelo Fim do Voto Secreto.

Voto secreto em plenário, uma proposta que não é de hoje.

Secreto
A ideia não é nova. No dia cinco de setembro de 2006, exatos cinco anos atrás, os deputados federais chegaram a aprovar, em primeiro turno,  com 383 votos a favor e quatro abstenções, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que estabelecia o fim do voto secreto no Congresso.

A matéria ainda deveria passar pelo segundo turno na Câmara e por outras duas votações no Senado. A proposta englobava os processos de cassação de mandato, as eleições das mesas diretoras da Câmara e do Senado e diversas outras situações como os vetos presidenciais.

É. Mas a proposta não parece ter apoio suficiente quando a votação é “pra valer”. Vamos aguardar mais essa tentativa com atenção para ver se “agora vai!”

Com informações da Agência Câmara de Notícias e do O Globo










Articulação, Corrupção
Atualizado em: 06/09/2011 - 12:51 pm


O presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Ophir Cavalcante.

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) , a Associação Brasileira de Imprensa (ABI) e um grupo de senadores anunciaram oficialmente “total apoio” à Marcha contra a Corrupção que será realizada na quarta-feira (07/09), Dia da Independência, na Esplanada dos Ministérios em Brasília, paralelamente às comemorações da Independência do Brasil.

“É necessário que o Executivo, o Legislativo e o Judiciário ouçam a voz das ruas. É necessário que cada vez mais combatamos esse grande mal, esse grande câncer que está a assolar o Brasil há muito tempo, desviando recursos da educação, da saúde, da segurança, que é a corrupção”, disse o presidente nacional da OAB, Ophir Cavalcante.

Leia ainda: OAB lança na internet o Observatório da Corrupção

Preocupações
O grupo elencou uma pauta de preocupações do movimento com as questões que, conforme análise, levam ao enraizamento e proliferação da corrupção no País. Celeridade nos julgamentos de processos envolvendo casos de corrupção parados na Justiça; reforma política; transparência nos gastos públicos; fim das emendas parlamentares individuais e corte nos numerosos cargos comissionados nas administrações públicas federal e estaduais foram algumas das bandeiras elencadas e que serão trabalhadas pelo comitê.

 “A OAB, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e a Associação Brasileira de Imprensa (ABI) sempre tiveram um papel relevantíssimo dentro da construção da democracia neste País. Mais uma vez se reúnem para combater agora esse grande mal, essa grande chaga que é a corrupção”, enfatizou Ophir Cavalvante.

Expectativa
A convocação do protesto contra a corrupção vem sendo feita pelas redes sociais e tem apoio em diversas capitais brasileiras. De acordo com Rodrigo Montezuma, organizador da marcha, a expectativa é que o evento reúna 30 mil pessoas.

“Nosso objetivo já foi alcançado, que era ter mais inscrições que a Corrida da Cerveja. Temos 22 mil pessoas confirmadas pelas redes sociais, e acreditamos que mais pessoas irão aparecer na hora”, disse.

Com informações da OAB










Opinião
Atualizado em: 06/09/2011 - 10:58 am


Acompanhamos a mobilização dos governos e dos políticos pelo aumento dos impostos, de mais arrecadação, segundo eles, para financiar o sistema público de saúde falido. Acompanhamos também pelo noticiário crianças e adultos morrendo à míngua por falta de atendimento nos hospitais, que alegam falta de condições. A presidente Dilma afirma que faltam recursos para o setor e transfere para seus aliados no Congresso Nacional a tarefa de arrancar o dinheiro, saia de onde sair.

É claro que com esse tipo de convocação, os políticos atrelados ao governo, profissionais que abocanham supersalários sem nunca ter trabalhado e que não derramam o suor e lágrimas do contribuinte, não vão medir as consequência para dar a solução que a presidente cobra. Vemos aqui mesmo no Ceará, os jornais anunciando que o governador Cid Gomes lidera uma articulação de governadores que apoiam a criação de novo imposto para a saúde.

Duvidamos que se mobilize esse tipo de apoio regional e nacional para reaver os bilhões desviados da própria saúde pelos mesmos aliados que se anunciam agora empolgados para meter a mão no bolso do contribuinte, o único que vai terminar apenado por crimes que não cometeu. Duvidamos que governadores, inclusive o do Ceará, se movimentem em prol da CPI que se tentou instalar no Congresso, depois da queda em série de ministros e gestores envolvidos nas denúncias de corrupção no governo.

Duvidamos que os aliados do governo desistam da ideia do financiamento público para as campanhas eleitorais, rejeitada pela maioria da população em pesquisa nacional, mas que continua sendo defendida inclusive aqui na tribuna da Assembléia Legislativa por deputados do PT. Bem que esses recursos que sobram para esse tipo de proposta poderiam ser canalizados para o problema da saúde pública. Por que os bilhões propostos para aumento dos salários dos ministros de tribunais não são poupados para financiar a saúde pública em insolvência?

O governador Cid Gomes teria o apoio de todos os cearenses, se mobilizasse seus colegas governadores, com o seu prestígio e liderança, não para sangrar ainda mais o contribuinte debilitado, mas para ir direto às fontes capazes de bancar a solução do grave problema, mas que continuam sendo toldadas e esgotadas ardilosamente pelas mãos sujas e ambiciosas dos seus aliados. É disso que se precisa cuidar para acabar com as “explosões” que sucedem impunemente dos caixas-fortes públicos do País pelas quadrilhas oficiais.

Wanderley Pereira é jornalista da TV Jangadeiro










Polêmica
Atualizado em: 06/09/2011 - 10:34 am


Eduardo Campos ao lado do governador do Ceará

“O grande controle da mídia vai ser feito pela cidadania. Se vejo uma mídia defender uma causa em que não acredito, simplesmente não consumo aquela mídia, falo mal dela e passo para outra. O grande controle que podemos fazer é dar consciência à sociedade, melhorar a educação e a inclusão para que o cidadão faça este controle, não consumindo a mídia que trabalha com valores que não são de interesse do País”.

A declaração acima é do governador de Pernambuco e presidente nacional do PSB, Eduardo Campos, ao comentar a discussão sobre regulação da mídia, proposta no Congresso do PT.

Leia ainda: PT quer marco regulatório para veículos de comunicação de massa

Campos evitou comentar a decisão afimando que o PT é um “partido parceiro”, mas acabou revelando que “a posição do PSB não é a posição que o PT tomou”.

“Entendemos que a construção de democracia no Brasil foi feita a muito custo e um dos valores importantes da democracia é a imprensa livre”, disse.

Com informações do Estado.com










Articulação, Bastidores, Ceará
Atualizado em: 06/09/2011 - 10:07 am


Da Redação do Jangadeiro Online

Ex-deputado Sérgio Novais (PSB)

Foi convocada, para a próxima quinta-feira (15), uma reunião do diretório municipal do Partido Socialista Brasileiro (PSB), para decidir sobre a renovação da atual direção.

A maioria do diretório do PSB de Fortaleza quer o afastamento do ex-deputado federal Sérgio Novais, irmão da deputada estadual Eliane Novais (PSB), do comando partidário.

Na reunião, que ocorre às 19 horas na sede do PSB em Fortaleza, a atual Comissão Executiva Municipal será destituída, e uma nova eleição será realizada.

Com informações do PSB










Em Brasília
Atualizado em: 06/09/2011 - 9:36 am


Cândido Vaccarezza diz que os gastos permitidos são os investimentos em aeroportos, saúde, educação e projetos sociais.Foto: Larissa Ponce/Agência Câmara

O líder do governo na Câmara Federal, Cândido Vaccarezza (PT-SP), disse que vai conversar com representantes dos servidores do Judiciário de todo o País no dia 21 de setembro sobre as propostas de aumento para os funcionários do Poder Judiciário e do Ministério Público (PLs 6613/09 e 6697/09).

Vaccarezza ressaltou, no entanto, que “não é possível” aprovar o aumento desejado por eles diante do cenário de crise internacional, que pede o controle dos gastos. As propostas preveem um reajuste médio de 56% para as categorias.

“Nós não queremos fazer nenhum gasto que comprometa a administração do País. Os gastos permitidos são os investimentos em portos, aeroportos e aqueles relacionados à saúde, educação e aos projetos sociais”, disse Vaccarezza.

Orçamento
O relator do Orçamento, deputado Arlindo Chinaglia (PT-SP), também considera inviável o aumento. Ele disse que o impacto de R$ 7,7 bilhões causado pelo aumento dos salários prejudicaria a aplicação de recursos em outras áreas e o ajuste fiscal do governo. “O Congresso não está alheio à crise. A prioridade é o equilíbrio fiscal”.

Na opinião do relator, o reajuste beneficiaria apenas uma parcela dos servidores públicos. “Não vejo possibilidade de beneficiar um só Poder com todo este montante”, disse Chinaglia.

Pra todos
O presidente da Câmara dos Deputados, Marco Maia, afirmou que o ideal seria que todas as categorias tivessem o poder de compra recuperado com o reajuste da inflação, mas até isso parece estar distante dos funcionários do Judiciário. “Não sei se nós teríamos condições hoje de reajustar [os salários] de acordo com a inflação, porque o valor é astronômico”. No ano passado a inflação foi 5,9%.

Com informações da Agência Brasil e da Agência Câmara de Notícias.










Congresso, Polêmica
Atualizado em: 06/09/2011 - 8:41 am


O senador Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE) criticou a intenção, manifesta no Congresso do Partido dos Trabalhadores, de aprovar um marco regulatório para a imprensa, “com a imposição de regras que visam tão somente impedir que jornalistas exerçam seu papel democrático de fiscalizar, denunciar e defender os interesses maiores da sociedade”. 

Ao criticar proposta, Jarbas Vasconcelos diz que "Pela lógica do PT, quem deixar de rezar pela cartilha vai ser jogado na fogueira do autoritarismo petista, disfarçado de progressista e democrático"

Segundo o peemedebista, tanto o PT quanto o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva tiveram seu crescimento “fortemente ligado à liberdade de imprensa”, não vendo o senador motivos para as críticas de ambos aos veículos de comunicação.

Cartilha
Para o representante pernambucano, “toda vez que algum malfeito petista aparece nas páginas dos jornais e das revistas, a cúpula do Partido dos Trabalhadores se apressa em ressuscitar o chamado marco regulatório da mídia, nome pomposo para um verdadeiro tribunal inquisidor da comunicação, que os petistas querem implantar no Brasil”.

“Pela lógica do PT, quem deixar de rezar pela cartilha vai ser jogado na fogueira do autoritarismo petista, disfarçado de progressista e democrático”, afirmou.

Veja e Zé
Para Jarbas Vasconcelos, o malfeito atual é a denúncia da revista Veja, segundo a qual o ex-ministro da Casa Civil, José Dirceu, montou um escritório em um hotel em Brasília que funcionaria como um ministério paralelo, já que lá recebe ministros, parlamentares e outras autoridades.

“José Dirceu prefere agir, como sempre fez, nas sombras, incógnito, disfarçado, quase um personagem de filme de espionagem, ou de gângster”, afirmou o senador, lembrando que o ex-ministro “é o mesmo que o procurador-geral da República acusou de ser o chefe de uma sofisticada organização criminosa, no processo do chamado mensalão”.

Liberdade
O senador afirmou que este tipo de comportamento “não combina mais com o Brasil dos tempos atuais”, como também não combina mais “qualquer tentativa de cercear a liberdade de imprensa”. Para ele, já existem instrumentos disponíveis para que eventuais excessos e equívocos sejam punidos.

“É preferível uma imprensa cometendo excessos e buscando reparar seus próprios erros do que uma imprensa tutelada pelo poderoso de plantão. Se os petistas querem ver jornalistas censurados, aconselho-os a visitar seus amigos ditadores, na Venezuela, no Equador ou em Cuba”, afirmou.

Denúncias de Corrupção
Já o líder do PSDB no Senado, Alvaro Dias (PSDB-PR) criticou  a movimentação do Partido dos Trabalhadores (PT) para propor um marco regulatório das comunicações. Para o senador, o partido quer calar a imprensa porque não se conforma com as recentes denúncias de corrupção.

Álvaro Dias associa a tentativa de "calar" a imprensa com as denúncias de corrupção no governo.

“Quando as denúncias explodem nos principais veículos do Brasil fala-se em regulação da mídia, como se desejássemos amordaçar a imprensa para que a corrupção pudesse campear fagueira na clandestinidade do submundo do governo”,  disse o senador em Plenário.

O Documento
O texto aprovado pelos delegados durante o 4º Congresso do PT, realizado no final de semana, fala em “conspiração midiática” apoiada ou dirigida pela oposição para dissolver a base parlamentar do governo e “derrubar a presidente Dilma Rousseff”. De acordo com o documento, o partido deve “repelir com firmeza as manobras da mídia conservadora”.

“Ora, parece-me não ser o PT um instrumento adequado para definir o que é jornalismo marrom e o que é jornalismo sério no País. Mas é inaceitável, sob qualquer pretexto, querer cercear ou regular a mídia, amordaçar a mídia”, protestou Alvaro Dias, que defendeu o judiciário como responsável por julgar os excessos.

O pedetista também fez duras críticas a proposta

Responsabilidade
O senador Pedro Taques (PDT-MT) também criticou duramente a sugestão de “controle da mídia” defendida pelo Partido dos Trabalhadores em sua última convenção. Na opinião do parlamentar, restringir a liberdade de imprensa é uma afronta à Constituição.

“A Constituição estabelece a liberdade de imprensa. É óbvio, é lógico que liberdade rima com responsabilidade. Agora, nós não podemos, sob pena de violarmos a Constituição da República, falar em regulamentação da imprensa”, disse.

Com informações da Agência Senado










Agenda, Câmara Municipal
Atualizado em: 06/09/2011 - 7:07 am


O novo estádio Presidente Vargas

A Câmara Municipal de Fortaleza debate na manhã desta terça-feira (06) os detalhes sobre a reforma do estádio Presidente Vargas. Três secretários da gestão municipal confirmaram presença e prometem se colocar a disposição para esclarecer as dúvidas dos vereadores.

Secretários
Já confirmaram presença o secretário da Regional IV, Estevão Roncy, o secretário de Esporte e Lazer de Fortaleza, Evaldo Lima, e o Secretário de Desenvolvimento Urbano e Infra-Estrutura, Luciano Feijão. A iniciativa atende ao requerimento de autoria do líder da prefeita na Câmara, vereador Ronivaldo Maia (PT).

Leia ainda: Plenário da Câmara de Fortaleza rejeita pedido de informações sobre reforma no PV

Novo PV
Depois de muita polêmica, o Estádio Presidente Vargas, enfim, será reinaugurado na próxima semana, dia 14 de setembro, quando completa 70 anos de fundação. A Prefeitura de Fortaleza está organizando uma homenagem com a participação de campeões mundiais e ex-atletas que fizeram parte da história do futebol cearense.

Com informações da CMFor










Ceará, Greve
Atualizado em: 06/09/2011 - 6:07 am


Servidores do Detran suspenderam a paralisação no dia 17 de agosto

Os servidores do Departamento Estadual de Trânsito (Detran) tem reunião marcada com o secretário do Planejamento do Estado, Eduardo Diogo, nesta terça-feira (06), a partir das 14 horas, na sede da Seplag. Na pauta do encontro, uma tentativa de avançar nas negociações para que os servidores tenham as reivindicações atendidas.

Greve
A categoria entrou em greve em duas ocasiões este ano. Os servidores suspenderam a última paralisação no dia 17 de agosto e aguardam o resultado da negociação marcada para esta terça. Uma assembleia será realizada dois dias depois, às 8 horas, para definir se as propostas apresentadas serão aceitas ou não.

Reinvindicações
De acordo com Eliene Uchôa, presidente Sindicato dos Trabalhadores na Área de Trânsito do Ceará (Sindetran-Ce), o objetivo do movimento é equiparar o salário dos servidores do Detran-Ceará com os demais do Nordeste. “Estamos muito abaixo do salário base de nível médio de outros Estados da nossa região, chega a ser 90% menos”, afirmou.

Leia mais:
Servidores do Detran suspendem a greve até o dia 6 de setembro
Servidores do Detran suspendem greve e retomam atividades nesta sexta
Servidores do Detran suspendem greve e retomam atividades nesta sexta

Servidores do Detran entram em greve nesta terça

Com informações da Redação Jangadeiro Online e do Sindetran










Câmara dos Deputados, Congresso, Nacional
Atualizado em: 06/09/2011 - 5:20 am


Um acordo de lideranças transferiu para esta terça-feira (6) a discussão e votação da Medida Provisória 534/11, que reduz a zero o PIS e a Cofins incidentes sobre a venda de tablets produzidos no Brasil. Os tablets são computadores portáteis com tela fina e sensível ao toque.

Até a sessão extraordinária, marcada para as 9 horas da manhã, os líderes tentarão um acordo sobre o mérito da matéria com a relatora da MP, deputada Manuela D’ávila (PCdoB-RS). Ela apresentou um projeto de lei de conversão, mas alguns pontos são questionados pelo governo e pela oposição. Um deles é a possibilidade concedida ao Centro de Excelência em Tecnologia Eletrônica Avançada (Ceitec) de constituir subsidiárias no Brasil ou no exterior.

A relatora também prevê que o Executivo poderá editar, por decreto, um regulamento simplificado para licitações. Essas mudanças foram questionadas pelo governo e pelo PPS.

Divergências
Para o deputado Roberto Freire (PPS-SP), o texto não dá clareza ao status do Ceitec, se é empresa estatal ou não. “Eu questiono se não está havendo nisso a criação de uma entidade ainda meio aleatória, que não é estatal, mas também não é de mercado”, criticou.

O líder do governo, deputado Cândido Vaccarezza (PT-SP), também discordou desse ponto do texto. “O governo está estudando uma solução para todos esses centros no País, então não cabe [tratar desse assunto] nesta medida provisória”, analisou.

Com informações da Agência Câmara










Nacional, Reforma Política
Atualizado em: 05/09/2011 - 8:05 pm


O Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) ajuizou Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI 4650) no Supremo Tribunal Federal (STF) em que pede que sejam declarados inconstitucionais dispositivos da legislação eleitoral – Leis 9.096/95 e 9.504/97 – que autorizam doações de empresas a candidatos e a partidos políticos. Na ação, a entidade também requer que seja estabelecido um limite para as doações feitas por pessoas físicas.

Para a OAB, “a infiltração do poder econômico nas eleições gera graves distorções”, como a desigualdade política, na medida em que aumenta a influência dos mais ricos sobre o resultado dos pleitos eleitorais, e, consequentemente, sobre a atuação do próprio Estado. Também haveria prejuízos, na visão da entidade, quanto à possibilidade de sucesso eleitoral dos candidatos que não têm patrimônio para suportar os gastos de campanha nem acesso aos financiadores privados.

“Esta dinâmica do processo eleitoral torna a política extremamente dependente do poder econômico, o que se afigura nefasto para o funcionamento da democracia. Daí porque, um dos temas centrais no desenho institucional das democracias contemporâneas é o financiamento das campanhas eleitorais. Além disso, dita infiltração cria perniciosas vinculações entre os doadores de campanha e os políticos, que acabam sendo fonte de favorecimentos e de corrupção após a eleição”, afirma a entidade.

Na ADI, a OAB pede que seja declarada a inconstitucionalidade parcial, sem redução de texto, do artigo 24 da Lei 9.504/97 (Lei Eleitoral), na parte em que autoriza a doação por pessoas jurídicas a campanhas eleitorais, bem como a inconstitucionalidade do parágrafo único do mesmo dispositivo, e do artigo 81, caput e parágrafo 1º, da referida lei, atribuindo-se, em todos os casos, eficácia ex nunc (a partir da decisão). Pede ainda que seja declarada a inconstitucionalidade parcial, sem redução de texto, do artigo 31 da Lei 9.096/95 (Lei dos Partidos Políticos), na parte em que autoriza a realização de doações por pessoas jurídicas a partidos políticos. A entidade pede ainda que o Congresso Nacional edite legislação para estabelecer limite per capita uniforme para doações de pessoas físicas a campanha eleitoral ou a partido político.

No caso das pessoas físicas, a entidade sugere que haja um “diálogo interinstitucional entre o STF e o Congresso Nacional” para a imposição deste limite.

Caso a ADI seja julgada procedente, a OAB pede que o STF pronuncie a inconstitucionalidade do critério, bem como da ausência de limites para uso de recursos próprios pelos candidatos em campanha, mas não retire imediatamente do mundo jurídico as normas em questão, pois isto criaria uma “lacuna jurídica ameaçadora”, decorrente da ausência de outros parâmetros para limitação das doações a campanha de pessoas físicas. naturais. A OAB pede a concessão de liminar para suspender a possibilidade de doação por pessoas jurídicas até o julgamento do mérito da ADI, que tem como relator o ministro Luiz Fux.

Da Agência do STF










Jogo Rápido
Atualizado em: 05/09/2011 - 6:14 pm


A agenda do ex-governador Tasso Jereissati anda dividida entre atividades empresariais e partidárias.

Presidente nacional do Instituto Teotônio Vilela, Tasso embarcou para a Europa no último final de semana para cumprir agenda de negócios nos próximos cinco dias. A primeira parada é em Portugal.

Antes, porém, o líder tucano participou de reuniões com políticos da capital e de diferentes municipios do interior cearense.










Greve
Atualizado em: 05/09/2011 - 5:20 pm


Nesta segunda-feira (5), a partir das 18 horas, será realizado um ato “Em defesa da educação pública, da liberdade e da vida” no pátio da Reitoria da Universidade Federal do Ceará (UFC). Na oportunidade, será instalado um “Fórum de Apoio às Greves”.

A ação é intersindical e envolve as seguintes entidades: CSP/Conlutas – União das Mulheres Cearenses/UMC – Comando de Greve do Sindicato dos(as) Trabalhadores(as) da UFC/SINTUFC – Crítica Radical – Sindicato dos Docentes da UECE/SINDUECE – Sindicato dos Docentes da UFC / ANDES / REGIONAL NE 1 – Assembleia Geral dos(as) Trabalhadores(as) do IFCE / Comando de Greve de Fortaleza – DCE da UECE – DCE da UFC – Sindicato dos Servidores e Empregados Públicos Municipais de Fortaleza/SINDIFORT – MST / Via Campesina – Movimento dos Conselhos Populares – Ocupação 17 de Abril – Movimento Livre – Comissão Pró-Comitê da Memória, da Verdade e da Justiça.

Em nota-convite do evento, as entidades reclamam de “cortes drásticos de verbas no orçamento federal e estadual” o que eles consideram “colocar em risco as universidades, hospitais universitários e escolas públicas”. O ato, de acordo com o SINTUFCe, é motivado pelas medidas tomadas pelo Governo Estadual. que segundo eles “cercam o direito de manifestação dos(as) professores(as) em greve”.

Redação Jangadeiro Online com informações do SINTUFCe










Nacional
Atualizado em: 05/09/2011 - 4:42 pm


O secretário executivo do Ministério das Comunicações, Cezar Alvarez, avalia como “acertada” a estratégia do governo de querer ampliar o acesso à internet de alta velocidade na zona rural por meio da frequência de 450 megahertz (MHz), em vez do uso de satélites.

Ele disse que o Estado tem “uma dívida com o Brasil rural” por ainda não ter concretizado a inclusão digital nessas áreas e acenou com a possibilidade de o governo criar mecanismos para as aproximar lan houses das escolas públicas e dos cursos técnicos promovidos pelo Sebrae.

Ele credita esse atraso a uma decisão estratégica do governo, que optou pela migração da frequência de rádio usada pela Polícia Federal (450 MHz) a fim de abrir espaço para a interiorização da internet. “Atrasarmos em dois anos com o objetivo de evitar preços maiores na transmissão de internet por satélites”, disse Alvarez. O governo ainda está aguardando a migração da PF para outra faixa de frequência para abrir a licitação da faixa de 450 MHz.

O secretário acenou também com a possibilidade de usar os recursos do Fundo de Universalização de Serviços de Telecomunicações (Fust) para facilitar o acesso de mais de 15 milhões de pessoas do meio rural à banda larga.

Cezar Alvarez propôs, ainda, a ampliação dos telecentros e a qualificação das lan houses para torná-las um ambiente de acesso ao conhecimento e à informação. “As lans muitas vezes são vistas de forma preconceituosa, como ambiente de jogo. Isso pode ser mudado e elas podem, inclusive, prestar serviços para o Sistema S”, disse Alvarez.

Alvarez acrescentou que estão sendo analisadas parcerias com o Ministério da Educação com o objetivo de incluir as lan houses no Programa Nacional de Tecnologia Educacional (ProInfo), para usar dessas estruturas na rede pública de ensino.

Da Agência Brasil










Banheiros Fantasmas, Corrupção, Denúncia
Atualizado em: 05/09/2011 - 12:26 pm


Da Redação do Jangadeiro Online

Deputado estadual Téo Menezes (PSDB)

Ficou pra depois! O depoimento do deputado estadual Téo Menezes (PSDB) à Procuradoria dos Crimes contra a Administração Pública (Procap), do Ministério Público Estadual, marcado para a tarde desta segunda-feira (5), foi adiado a pedido do próprio parlamentar. A nova data, por enquanto, ainda não foi definida. 

O pedido de adiamento foi feito pela assessoria do próprio deputado na última sexta-feira (2). Segundo a solicitação, o motivo seria a participação de Téo Menezes em uma audiência pública em Aracati nesta segunda, em que será discutida a criação de um presídio naquela cidade.

Denúncia
O deputado Téo Menezes teria sido um dos beneficiados, nas últimas eleições, com os desvios de recursos para construção de kits sanitários no interior do Ceará. De acordo com a denúncia, o deputado teve a campanha financiada por dinheiro oriundo desses desvios.

Banheiros Fantasmas
O Escândalo conhecido como o esquema dos “banheiros fantasmas” foi financiado com dinheiro desviado do Governo do Ceará, através da secretaria das Cidades. Empresas e prefeituras receberam dinheiro para a construção dos kits sanitários. As obras, no entanto, não saíram do papel.

Leia mais:
Teo Menezes nega acusações e diz que todas suas doações de campanha são lícitas
Denúncias de fraudes na construção de kits sanitários em 5 cidades

Com informações do Ministério Público