Economia
Atualizado em: 01/10/2011 - 2:12 pm


Presidente da Renault-Nissan se encontra com Dilma e confirma nova fábrica no Brasil. Foto: Agência Brasil

Após reunião com a presidente da República, Dilma Rousseff, o presidente mundial do grupo Renault-Nissan, Carlos Ghosn, confirmou neste sábado (1º), em entrevista coletiva no Palácio do Planalto, investimentos na ampliação da fábrica da Renaut em São José dos Pinhais, no Paraná, e construção de uma fábrica da Nissan em Resende, no estado do Rio de Janeiro.

Ghosn disse que a reunião com a presidenta Dilma foi para informá-la dos novos investimentos do grupo no Brasil e da atuação da Renaut-Nissan no mundo. “Explicamos o que estamos fazendo em muitos países em termos de tecnologias novas e sobre nossa liderança no desenvolvimento de carros elétricos”, disse.

Também participaram da reunião com a presidenta Dilma o ministro de Ciência e Tecnologia, Aloizio Mercadante, os governadores do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (PMDB), e do Paraná, Beto Richa (PSDB) e os prefeitos de Resende, José Rechuan, e de São José dos Pinhais, Ivan Rodrigues.

Da Agência Brasil










Nacional
Atualizado em: 01/10/2011 - 1:04 pm


O governo federal quer permitir a contratação de empresa privada para serviços de segurança armada em presídios, transportes coletivos e em eventos, como jogos de futebol e shows. Chamado “estatuto da segurança privada”, o projeto foi apresentado pelo Ministério da Justiça a empresas e sindicato do setor.

Como?
Pela proposta, as empresas poderão atuar na segurança patrimonial dos presídios – inclusive para agente de muralha – mas não assumiriam o papel de carcereiros.

Eventos
Elaborado sob medida para realização dos Jogos Olímpicos e para a Copa, o texto atribui ao organizador de eventos a responsabilidade pela segurança interna nos estádios e praças de show. A intenção seria liberar os PMs hoje dedicados à segurança de jogos e estádios.

O texto autoriza, em até 49%, a participação de capital estrangeiro nas empresas. Hoje, está proibido.

Regulamentação
Um dos responsáveis pelo texto, Guilherme Vargas, da Polícia Federal, explica que a intenção é atualizar regulamentação do setor, de 1983. Frisando que a proposta ainda está em discussão, Vargas afirma que, na prática, as empresas já exercem as atividades previstas no projeto. Mas não há regulamentação.

Debate
Segundo ele, o estatuto é discutido desde 2007. Mas o governo decidiu enviá-lo ao Congresso até o fim do ano. A intenção, diz Vargas, é que as empresas privadas tenham ação complementar à dos órgãos de segurança. Segundo a Associação Brasileira de Empresas de Vigilância, hoje existem 2.000 empresas no país.

Com informações da Folha.com










Nacional
Atualizado em: 01/10/2011 - 9:50 am


Deputado federal Paulo Maluf. Foto: Agência Câmara

Pelo histórico do Supremo Tribunal Federal, o deputado Paulo Maluf (PP-SP), de 80 anos, deve se livrar do processo criminal aberto na quinta-feira (29) pela Corte por suspeitas de que ele tenha cometido o crime de lavagem de dinheiro junto com a mulher, Sylvia, quatro filhos e outros dois parentes.

O tribunal costuma demorar anos para julgar uma ação desse tipo. Parte dos ministros entende que o crime prescreverá em 2014. Depois disso, se não forem julgados, Maluf e família saem impunes. O processo do mensalão, por exemplo, foi aberto em 2007 e a previsão mais otimista é que seja julgado no primeiro semestre de 2012.

Além da demora tradicional do STF para analisar ações penais, há ministros que já têm dúvidas sobre se ainda é possível processar e punir o casal Maluf pelo crime de lavagem de recursos supostamente desviados de obras públicas na época em que o deputado administrava a cidade de São Paulo. O prejuízo ao erário teria sido de cerca de US$ 1 bilhão, de acordo com o ministro Ricardo Lewandowski, relator do processo.

Com informações do Estadão










Eleição
Atualizado em: 01/10/2011 - 9:10 am


Os eleitores do município de Altaneira, na região do Cariri, elegem seu novo prefeito no próximo domingo (2/10). A eleição suplementar acontece por conta da cassação do prefeito e vice, eleitos em 2008, Antônio Dorival de Oliveira e Francisco Fenelon Pereira – ambos do PSDB – por prática de conduta vedada, durante o período eleitoral.

Candidatos
A disputa de domingo será entre as candidaturas de Andréia Carla Davi (DEM) e seu vice, Jackson Feitosa (PSDB), que concorrem com Delvamberto Soares e seu vice, Dedé Pio, ambos do PSB.

Números
Segundo o Tribunal Regional Eleitoral do Ceará, estão aptos a votar, no município de Altaneira, 5683 eleitores, em 25 seções e 9 locais de votação.

 Com informações do TRE Ceará










Partidos
Atualizado em: 01/10/2011 - 8:07 am


“Só com diálogo é possível superar os impasses e divergências para construção de uma proposta que atenda aos anseios da categoria, valorizando a prática do magistério e que não comprometa o equilíbrio financeiro Estado do Ceará”. A declaração faz parte da nota divulgada pela Executiva estadual do PT no Ceará na sexta-feira (1/10).

O documento, encaminhado à imprensa, defende que as negociações entre os professores da rede pública estadual e o Governo Cid Gomes sejam retomadas. A nota afirma ainda que “o projeto, iniciado em 2003, com a eleição do Presidente Lula, inicia em 2011, uma nova fase, desta feita sob o comando da Presidente Dilma. O projeto em curso no País traz como uma das suas mais importantes marcas, a compreensão que as transformações necessárias só estarão consolidadas com um forte investimento em educação, bandeira histórica do Partido dos Trabalhadores”.










Greve
Atualizado em: 30/09/2011 - 8:21 pm


Professores da rede pública estadual estão em greve e cobram do governo do Ceará a implantação do Piso Nacional do Magistério. Foto: Kézya Diniz

Os professores da rede pública estadual de ensino organizam um ato público na próxima segunda-feira (03) em fente ao Palácio da Abolição, em Fortaleza.

Os educadores pretendem sair da Assembleia Legislativa, em passeata de protesto, rumo ao prédio da sede do Governo do Estado, localizado na Avenida Barão de Studart. A mobilização está prevista para começar às 14h.

Nesta sexta-feira, os docentes deixaram o prédio da Assembleia Legislativa, onde estavam acampados desde a última quarta-feira (28), e decidiram durante assembleia da categoria, por unanimidade, dar continuar à greve por tempo indeterminado.

Reivindicações
Os professores reivindicam que a Lei Nacional do Piso do Magistério seja implantada com repercussão para toda a categoria.

Segundo os educadores,  a proposta que o governo pretende implantar não atende aos anseios dos professores por valorização profissional, nem respeita a lei do Piso.

Leia mais:
Fim da ocupação: manifestantes deixam prédio da Assembleia
Assembleia divulga nota sobre tumulto entre policiais e professores estaduais
Tensão continua após confronto entre professores e policiais na Assembleia Legislativa
Polícia e professores entram em confronto na Assembleia










Cassado
Atualizado em: 30/09/2011 - 7:43 pm


Os vereadores pediram mais tempo para a instalação da comissão que pode cassar o mandato do vereador "Fabuloso". Foto: Fagner Freire

Temendo pela própria vida, os vereadores de Ipu (Região da Ibiapaba) adiaram a sessão desta sexta-feira (30) na Câmara Municipal. Na pauta do expediente estava marcada a instalação da comissão processante para julgar o pedido feito pelo Ministério Público Estadual, sobre a cassação do vereador Fábio Borges, o “Fabuloso”.

Os parlamentares pediram um aumento do prazo para que pudessem aprofundar a análise do processo. A nova data para instalação da comissão foi agendada para a próxima sexta-feira (7). Nenhum dos nove vereadores da cidade manifestou interesse em participar da comissão. Opedido tem que ser julgado em 90 dias desde a solicitação feita pelo MP.

Leia mais:
Ministério Público pede cassação do vereador “Fabuloso”, em Ipú

Mesmo foragido da Justiça, Fabuloso é visto com frequência pela cidade. Ele é acusado de dois crimes (homicídio e assalto) pelos quais tem mandado de prisão expedido. O prefeito Sávio Pontes foi ameaçado de morte pelo vereador e precisa de escolta policial para sair de casa.

Fábio Borges está afastado do legislativo desde setembro do ano passado, quando sofreu um atentado. Ele continuaria recebendo o salário de R$ 3.700 pago aos vereadores de Ipú.

O que diz a Câmara
A Câmara Municipal do Ipú enviou comentário à Coluna afirmando que o vereador Fábio Borges “não se encontra na cidade nem tao pouco esta percebendo R$ 3.700,00 (tres mil e setecentos reais), posto que o mesmo encontra-se de licença para tratar de assuntos de interesse particulares”.

Ainda segundo o Legislativo, o vereador “Fabuloso” está “afastado desde setembro do ano passado quando sofreu o atentado, ficado de licença para tratamento de saude (percebendo pelo inss) onde permanenecu até o mes de junho deste ano (2011) sobre licença medica que após cessado o prazo o mesmo pediu licença para tratar de assuntos particulares sem remuneração”.

Com informações do repórter Ricardo Lima










Partidos
Atualizado em: 30/09/2011 - 7:19 pm


José Teodoro é mais um tucano, ligado a Cid Gomes, que deixa o PSDB.

O PSDB cearense recebeu mais dois pedidos de desfiliação de deputados estaduais eleitos pela sigla. Moésio Loiola e José Teodoro manifestaram oficialmente a saída do partido através de ofício enviado à Executiva estadual tucana.

Moésio Loiola e José Teodoro eram, respectivamente, líder e vice-líder da bancado do PSDB na Assembleia Legislativa.

Agora já são quatro deputados estaduais que deixam a bancada tucana na Assembleia Legislativa. Segundo o presidente do PSDB no Ceará, Marcos Cals, antes de Moésio Loiola e de José Teodoro, o deputado Osmar Baquit; e o suplente de deputado, Cirilo Pimenta, já tinham solicitado desfiliação da sigla. Além deles, Gony Arruda, deputado licenciado para assumir a secretaria de Esportes do Estado, já havia deixado o PSDB. 

A tendência é que os ex-tucanos migrem para o recém criado PSD.

Leia também:
Fora do ninho
PSD coleta nome até de morto e é acionado pela oposição
Gony anuncia desfiliação do PSDB para evitar expulsão

Salmito Filho deixa PT e confirma filiação ao PSB
José Maria Pontes pede desfiliação do PT e não esconde decepção

Fidelidade
Com a migração para o Partido Social Democrático, os parlamentares aproveitam a “janela” de infidelidade partidária. Eleitos pelo PSDB, a troca de legenda resultaria, pela lógica de entendimentos anteriores dos Tribunais, na perda do mandato.

A legislação, no entando, permite a troca para siglas “recém criadas” como é o caso do PSD.










Ceará, Greve
Atualizado em: 30/09/2011 - 6:10 pm


Isolda Cela é a títular da Seduc

O governo do Estado do Ceará divulgou nota nesta sexta-feira (30) criticando o comando de greve dos professores da rede estadual, a quem acusa de intransigência no processo de negociação. No texto, o governo afirma estar empenhado para tentar superar a crise e pede bom senso à categoria para evitar a perda do ano letivo para os alunos da rede pública.

A nota, assinada pela Secretaria de Educação do Governo do Ceará (Seduc), apresenta os termos e os números que teriam sido propostos aos professores no processo de negociação. A categoria paralisou as atividades há quase dois meses.

De acordo com a  Seduc,  “desde a primeira semana de greve, o comando de greve vem sendo recebido pelo Governo”. Dessa forma, diz a nota, “a resposta do Sindicato tem sido de uma inexplicável intransigência. Uma greve não se justifica quando não há recusa da parte do Governo em negociar”.

A Seduc afirma ainda que o movimento não leva em consideração “pontos importantes de sua pauta de reivindicações atendidos como, por exemplo, progressão especial de carreira referente aos anos de 2009 e 2010” entre outros.

Por fim, apesar das críticas feitas ao comando de greve, a nota afirma o compromisso inarredável do Governo do Estado com a melhoria da educação faz com que estejamos empenhados na superação desta crise. Se não é possível alcançar o ideal, em função dos limites que a realidade orçamentária impõe, é possível chegar a uma melhor proposta possível e sustentável. Para isso é necessário bom senso e o sentido de responsabilidade com a população a quem prestamos este relevante serviço público”.










Economia, Nacional
Atualizado em: 30/09/2011 - 2:23 pm


A presidente Dilma Rousseff autorizou a liberação de R$ 1,95 bilhão para os estados, o Distrito Federal e os municípios brasileiros, para estimular e incentivar as exportações no país. A decisão está contida na Medida Provisória (MP) 546, publicada no Diário Oficial da União desta sexta-feira (30).

Os recursos serão repassados pelo Tesouro Nacional e pelo Ministério da Fazenda, em três parcelas de R$ 650 milhões, até o último dia útil dos meses de outubro, novembro e dezembro. Do total, os estados ficarão com 75%, e os 25% restantes serão repassados aos municípios.

Critérios de divisão
Pelo decreto, a divisão do dinheiro para os municípios vai seguir os critérios de participação na distribuição da parcela do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) com os respectivos estados ao longo deste ano. O dinheiro será enviado por meio de depósito bancário.

Prestação de informações
O texto estabelece ainda que o Ministério da Fazenda poderá definir regras de prestação de informação pelos estados e pelo Distrito Federal sobre a manutenção e o aproveitamento de crédito pelos exportadores.

Evitar prejuízos da crise
A decisão da presidenta ocorre no momento em que ela destaca sua preocupação com os impactos da crise econômica internacional no Brasil. Segundo Dilma, não há país imune aos efeitos da crise, mas o governo brasileiro se empenha para evitar prejuízos.

Um dos esforços, de acordo com a presidenta, é o estímulo à indústria nacional, com geração de emprego e renda. Para ela, os estrangeiros que quiserem investir no Brasil terão apoio, desde que garantam a abertura de novas vagas de trabalho e geração de renda no país.

Leia mais:
Crise global é também de governança e de coordenação política, afirma Dilma na ONU
Dilma peita STF, mantém Orçamento e tenta controlar reajustes em série

Com informações da Agência Brasil










Greve
Atualizado em: 30/09/2011 - 1:07 pm


Após a saída dos manifestantes, a Assembleia Legislativa tenta retomar a normalidade.

No começo da tarde desta sexta-feira (30), os professores da rede pública estadual que estavam acampados no saguão da Assembleia Legislativa desde a última quarta-feira (28) decidiram encerrar o protesto e deixar o prédio.  Ao todo, 30 pessoas ainda participavam do movimento de resistência. Três delas faziam greve de fome. A mobilização durou 48 horas.

Ao sair do prédio da Assembleia, os manifestantes foram aplaudidos por professores, alunos e representantes de movimentos sociais que estavam do lado de fora e foram impedidos de entrar no local, ainda no começo da manhã de hoje.

Sem fome
Os três professores que faziam greve de fome saíram em uma ambulância, direto para o hospital Frotinha de Messejana. Eles afirmaram que, por orientação médica, ainda não poderiam ingerir alimentos sólidos e que iriam precisar de um tempo para que o organismo voltasse a funcionar normalmente.

De volta
Aos poucos, são retirados do prédio, colchões, faixas e outros materiais de apoio que eram utilizados pelos manifestantes. Enquanto isso as pessoas que estavam no entorno da Assembleia Legislativa também vão deixando o local.

Greve continua!
Apesar de sair da sede do Legislativo, os professores vão continuar em greve. A decisão de não voltar às salas de aula é em protesto pela aprovação da mensagem do governador Cid Gomes pelos deputados. Segundo a categoria, a proposta que o governo pretende implantar não atende aos anseios dos professores por valorização profissional, nem respeita a lei do Piso Nacional do Magistério.

Leia mais:
Deputado chama professores de “hienas loucas e irresponsáveis”
Em assembleia, professores decidem continuar greve
Assembleia divulga nota sobre tumulto entre policiais e professores estaduais
Veja as imagens da confusão entre polícia e professores na Assembleia Legislativa 










Pesquisa
Atualizado em: 30/09/2011 - 12:47 pm


Presidente Dilma Rousseff (PT)

A Confederação Nacional da Indústria (CNI) divulgou nesta sexta-feira (30), números de pesquisa de avaliação do governo federal feita pelo Ibope.

Para 51% dos entrevistados, o governo da presidente Dilma Rousseff ótimo ou bom. Já 34% consideram a gestão regular e 11% a classificam como ruim ou péssimo. Não responderam 4%.

Indagados sobre o desempenho pessoal de Dilma, 71% aprovam (eram 67% no levantamento anterior), enquanto 21% desaprovam (eram 25%). Não responderam 8% (igual a última pesquisa).

Saúde e carga tributárias reprovadas
A pesquisa também avaliou a opinião da população sobre nove áreas de atuação. No total, mais pessoas desaprovam do que aprovam as ações do governo nas áreas de educação, saúde, segurança pública, impostos, combate à inflação e taxa de juros.

A maior desaprovação foi verificada em saúde, com 67%, seguida de impostos (66%), segurança pública e taxa de juros (ambos com 59%), combate à inflação (55%) e educação (51%).

Apenas três iniciativas foram bem avaliadas: Já a maior aprovação foi observada no combate à fome e à pobreza (59%), seguida de meio ambiente (54%) e combate ao desemprego (53%).










Greve
Atualizado em: 30/09/2011 - 10:32 am


Professores bloqueiam ruas próximas à AL (Foto: João Filho)

Professores da rede pública estadual de ensino decidiram, por unanimidade, em assembleia geral realizada na manhã desta sexta-feira (30), em frente à Assembleia Legislativa do Ceará (AL), manter a greve que chega ao seu 57º dia. Os educadores cobram a implantação da Lei do Piso Nacional do Magistério com repercussão para toda a categoria.

União
A categoria, que chegou a ficar dividida em relação à continuidade da greve, manifestou um novo sentimento de união fortalecido como forma de reagir a aprovação da mensagem enviada pelo governador Cid Gomes (PSB) aos deputados, que criou uma nova tabela de vencimentos para professores do nível médio.

Tensão continua
A tensão na sede do Legislativo continua. Policiais do Batalhão de Choque fazem um cordão de isolamento, impedindo a entrada de pessoas no prédio. Por conta das manifestações, a avenida Desembargador Moreira está bloqueada no sentido Sertão – Praia.

Segundo informou o presidente do Sindicato dos Professores do Estado, Anísio Melo, os docentes que estão do lado de fora vão sair em passeata, contornando a assembleia, para se juntar aos outros professores que estão acampados na parte de trás, com acesso pela Rua Barbosa de Freitas.

Leia mais:
Deputado chama professores de “hienas loucas e irresponsáveis”

Confronto
Na quinta-feira (29), professores e policiais do Batalhão de Choque entraram em confronto na Assembleia Legislativa, quando os docentes tentaram entrar no plenário para impedir a votação da matéria. Vários professores ficaram feridos. Alguns docentes foram detidos, mas liberados em seguida.

Veja as fotos da caminhada dos professores e estudantes divulgadas pelo professor da rede pública estadual, João Filho

Veja os vídeos da caminhada dos professores e estudantes no entorno da Assembleia Legislativa

Leia também:
Assembleia divulga nota sobre tumulto entre policiais e professores estaduais
Veja as imagens da confusão entre polícia e professores na Assembleia Legislativa










Greve
Atualizado em: 30/09/2011 - 10:14 am


Carlomano Marques é o vice-líder do governador Cid Gomes na Assembleia Legislativa

Por volta das 9 horas da manhã desta sexta-feira (30), o deputado Carlomano Marques (PMDB), vice líder do governo Cid Gomes, entrou no saguão da Assembleia Legislativa, escoltado por policiais. Ao passar entre os manifestantes, que estavam acampados no prédio desde a última quarta-feira (28), o parlamentar foi vaiado e chamado de “facista”.

Em resposta à forma como foi recepcionado, o deputado disse: “Nós estamos na Casa do povo e veja como eles [manifestantes] estão nos  recebendo. São verdadeiras hienas loucas e irresponsáveis, e eu estou apenas cumprindo o meu papel de deputado”.

O deputado foi um dos 40 parlamentares que votaram à favor da proposta do governador Cid Gomes, contrariando a vontade dos professores, que reivindicam a implantação da Lei Nacional do Piso do Magistério com repersussão em toda a carreira.

A aprovação da mensagem aconteceu na última quinta-feira (29), ocasião em que houve um confronto entre professores e policiais, na Assembleia Legislativa.

Resposta do sindicato Apeoc
Em resposta ao comentário do deputado, o presidente do sindicato Apeoc Anísio Melo disse que “Ele [Carlomano Marques] é um ‘cão de guarda’ do governador Cid Gomes. Não tem legitimidade porque vota apenas para dar o carimbo que o governador manda aprovar”.

Leia mais
Em assembleia, professores decidem continuar greve
Assembleia divulga nota sobre tumulto entre policiais e professores estaduais
Veja as imagens da confusão entre polícia e professores na Assembleia Legislativa

Com informações da repórter Caroline Ribeiro










Opinião
Atualizado em: 30/09/2011 - 9:02 am


Professores cercados pela tropa policial na Assembleia Legislativa

Em 1964, eu já era repórter cobrindo os movimentos populares de rua que se insurgiam contra o Regime Militar implantado em março. Lembro-me, como se fosse hoje, de lideranças sindicais, operárias, intelectuais, profissionais liberais, sofrendo a repressão do sistema e apanhando da polícia nas ruas. Essas cenas, quase apagadas pelo tempo, afloraram agora nas minhas retinas ao acompanhar pela TV Jangadeiro os episódios de truculência contra os professores na Assembleia Legislativa.

As mesmas lembranças fastidiosas já haviam acessado os velhos cenários com o confronto anterior na Câmara de Vereadores. A diferença é que nenhum dos cenários passados da repressão, pelo menos aqui em Fortaleza, teve por palco as instituições legislativas. Pelo contrário, os parlamentos em todos os seus níveis e instâncias associavam-se aos movimentos populares e serviram até de abrigo para muitos dos participantes, até que foram também ocupados pelas forças policiais e militares. Muitos dos seus membros foram também presos e torturados como os dos movimentos de rua.

Essas recordações trouxeram-me ainda conjecturas dolorosas e indesejáveis para quem foi repórter em duas épocas distintas: na ditadura e na reabertura democrática. E nas minhas lucubrações, em face dos episódios de ontem, 29, na Assembleia do Estado, surgiram duas realidades conflitantes: o parlamento como bastião de resistência dos movimentos contra os excessos do regime e os professores reprimidos e surrados como eram os personagens dos cenários de protestos naquela época. Agora, os parlamentares daquele tempo, que sofriam junto com os combatentes de rua, não eram como os que hoje os desprezam ou combatem. E se declaram dos chamados partidos de esquerda eleitos também pelo pessoal da esquerda que hoje apanha deles.

Os que tomam hoje conta do poder, praticamente em todas as hierarquias, nasceram com o voto dos professores, dos estudantes, dos sindicatos, das associações comunitárias, dos intelectuais engajados. Nenhum deles, porém, teve o meu voto, apesar de ser um jornalista procedente da classe proletária, simpatizante e defensor das vítimas do preconceito, da injustiça e da opressão. Estou com a consciência tranqüila por não ter nenhuma responsabilidade pela eleição desses governantes e parlamentares que, ironicamente, em nome dos interesses do povo massacra o povo, suas lideranças e se envolvem nos mais repudiantes escândalos de corrupção e manipulação da opinião pública. Fica então mais uma lição para aqueles que votam sob a premissa do “me engana que eu gosto”.

Wanderley Pereira é jornalista da TV Jangadeiro