Nacional, Polêmica
Atualizado em: 04/08/2011 - 8:29 pm


Nelson Jobim deixa o cargo depois de declarações polêmicas. Fabio Rodrigues Pozzebom/AGÊNCIA BRASIL.

O Palácio do Planalto confirmou, na noite desta quinta-feira (04), a saída do ministro da Defesa, Nélson Jobim. O ministro, que estava em Tabatinga, na fronteira do Brasil com a Colômbia, teve que antecipar o retorno a Brasília, chamado pela presidente Dilma Rousseff.

A ministra da Secretaria de Comunicação, Helena Chagas, informou que o ex-chanceler do governo Lula, Celso Amorim, vai ser o novo ministro da Defesa.

A situação de Jobim se deteriorou depois que foram divulgados trechos de uma entrevista dele à revista Piauí, que circula na sexta-feira (5), com críticas ao governo e, em especial, à ministra de Relações Institucionais, Ideli Salvatti.

Leia ainda: Após declarações polêmicas Nelson Jobim sai do Ministério da Defesa

Na entrevista, Jobim disse que Ideli é uma ministra “muito fraquinha” e que Gleisi Hoffmann, ministra-chefe da Casa Civil, “não conhece Brasília”. Não foi a primeira vez que Jobim causou desconforto à presidente Dilma. Na semana passada, o ex-ministro revelou que, na última eleição presidencial, votou em José Serra, do PSDB, por razões pessoais.

Filiado ao PMDB, Jobim foi presidente do Supremo Tribunal Federal (2004-2006) e ex-ministro da Justiça do presidente Fernando Henrique Cardoso (1995-1997).

Veja também:
Exoneração de Alfredo Nascimento é publicada no Diário Oficial       
A Casa caiu: Palocci pede demissão  

Da Agência Brasil










Polêmica
Atualizado em: 04/08/2011 - 6:18 pm


Joaquim Cartaxo

O Ministério Público Estadual ouviu, nesta quinta-feira (4), os depoimentos dos dois ex-secretários das Cidades, Joaquim Cartaxo e Jurandir Santiago (atual presidente do Banco do Nordeste) no processo que investiga o escândalo envolvendo a construção dos banheiros fantasmas no município de Pindoretama, no Litoral Leste do Ceará.

Cartaxo e Jurandir assinaram convênios entre o governo do Ceará, através da secretaria das Cidades, e as associações que receberam dinheiro para a construção dos banheiros. As obras, no entanto, não foram executadas.

Os depoimentos foram colhidos na sede da Procuradoria Geral de Justiça, em Fortaleza.

Silêncio
Após três horas de depoimento aos promotores de justiça, Jurandir Santiago evitou os jornalistas e saiu sem gravar entrevista, apesar da insistência dos repórteres. Ele prestou esclarecimentos no gabinete da procuradora geral, Socorro França, no segundo andar do prédio. Os depoimentos anteriores foram realizados na sala da Promotoria de Crimes Contra a Administração Pública (Procap).

Desconforto
Durante a permanência de Jurandir Santiago na sede da PGJ, o desconforto de assessores e até de alguns promotores era visível.

Falha
Já o ex-secretário Joaquim Cartaxo, conversou com jornalista após o depoimento e disse que não houve nenhuma irregularidade na assinatura dos convênios. O ex-gestor reconheceu, no entanto, que a liberação da verba sem a devida prestação de contas e sem a informação sobre o andamento das construções configura uma falha no processo.

“Se foi liberado o recurso e não houve prestação de contas, significa que aí houve uma falha. Isso é responsabilidade da parte técnica da secretaria [das Cidades] e é isso que precisa ser averiguado”, disse o ex-secretário.

Ordenador
Além dos dos ex-secretários, os promotores que acompanham o caso também ouviram o ex-ordenador de despesas da Secretaria das Cidades, Fábio Castelo Branco. Ele é tido como uma peça chave do suposto esquema, uma vez que seria o responsável pela liberação do dinheiro para as associações que firmaram convênios com o governo do estado.

Leia mais:
Escândalo dos banheiros: MP continua tomada de depoimentos
Escândalo dos banheiros: caso do Ipu repercute na Assembleia

MP ouve servidores do TCE sobre escândalo de banheiros em Pindoretama

Em depoimento
De acordo com os promotores que realizaram a oitiva, Eloilson Landim e Luiz Alcântara, em depoimento, Joaquim Cartaxo e Jurandir Santiago afirmam não ter conhecimento da lei 13.553, que proíbe convênios com associações que tenham menos de dois anos de existência.

Os promotores afirmaram também que ainda é prematuro dizer se houve conivência ou responsabilidade individual, mas é certo que houve falha. Landim e Alcântara analisam também que há uma fragilidade nos órgãos de controle, que poderiam ter impedido o escândalo.

“O sistema que deveria proteger o Estado mão esta sendo utilizado na sua plenitude”, disse Eloilson Landim

Milhões
Segundo o Ministério Público Estadual, o governo do Ceará pagou 16 milhões de reais em convênios para construção de kits sanitários entre 2009 e 2011.

“O Estado deverá adotar medidas mais serias e rigorosoas”, recomendou Luiz Alcântara.

Camilo
O secretário das Cidades, Camilo Santana, também vai prestar depoimento ao Ministério Público Estadual. A oitiva está marcada para esta sexta-feira (05) na sede da Procuradoria Geral de Justiça, em Fortaleza, a partir das 9h.

Camilo Santana assinou prorrogações de prazos para os convênios. Os promotores de Justiça querem saber porque o dinheiro público foi liberado sem que a obra tenha sido executada. Outra dúvida diz respeito ao controle que a secretaria das Cidades mantém sobre o andamento das obras e convênios firmados entre o governo do Estado e as entidades beneficiadas.

Assista à reportagem exibida no Jornal Jangadeiro:

Redação Jangadeiro Online, com informações da repórter Kamilla Ladeira










Vídeos
Atualizado em: 04/08/2011 - 6:07 pm


Após várias denúncias sobre supostas fraudes em licitações para a construção de banheiros para famílias carentes em vários municípios cearenses, a Ordem dos Advogados do Brasil Secção Ceará (OAB-CE) resolveu criar o Comitê Institucional Permanente de Combate à Corrupção Pública.

O lançamento ocorreu na manhã desta quinta-feira (4). O objetivo, como o nome já sugere, é combater a corrupção pública nos municípios do Ceará. Saiba mais detalhes na entrevista exclusiva de Edimir Martins, coordenador do “Movimento Justiça Já” da OAB, ao Jangadeiro Online:

Redação Jangadeiro Online, com informações da OAB e colaboração da repórter Caroline Ribeiro










Polêmica
Atualizado em: 04/08/2011 - 4:23 pm


Teo Menezes nega que tenha sido beneficiado por recursos desviados do governo

O deputado estadual Teo Menezes (PSDB) compareceu à Assembleia Legislativa nesta quinta-feira (4). Assim que chegou, o deputado passou direto para o gabinete sem falar com ninguém, mas logo depois foi ao plenário para se pronunciar a respeito das acusações de que teria sido beneficiado nas últimas eleições com desvios de recursos para construção de kits sanitários.

Em seu pronunciamento, o deputado disse que todas as doações de sua campanha foram lícitas, “com fontes declaradas e rigorosamente escrutinadas pelo TRE”.

O parlamentar manifestou, ainda, seu “desalento” sobre os fatos que, segundo ele, foram “ventilados” na Casa e na mídia local.

“Querem aproveitar o momento para me crucificar politicamente, me vinculando, sem qualquer prova, a fatos dos quais nunca ouvi falar e que repudio veementemente”, afirmou.

Solidariedade
Diversos colegas de Teo Menezes, dos mais diferentes partidos, prestaram solidariedade. O líder do governo na Assembleia, deputado Antonio Carlos (PT), prestou “solidariedade humana” ao deputado. “Quando acontece algo assim, acabam mexendo na vida da gente”, disse. Já Nenen Coelho, do PSDB, disse que “é preciso esperar que os fatos noticiados sejam apurados para evitar pré-julgamentos que possam levar a uma condenação”.

José Teodoro (PSDB) concordou, acrescentando que a “Casa tem instrumentos, como a Comissão de Fiscalização e Controle, para apurar o caso”. Manoel Duca também pontuou que não precisa ser feita uma CPI sobre o assunto, mas sim uma análise pela Comissão de Fiscalização e Controle. Já Sérgio Aguiar, do PSB, elogiou Teo Menezes, dizendo que ele saberá “encarar de frente este problema”.

Tin Gomes, do PSB, disse que Teo Menezes tinha se pronunciado na hora certa e que acreditava no parlamentar tucano. Cirilo Pimenta (PSDB) afirmou que a presença de Teo era “esclarecedora” e que ele tinha “uma atuação imensa na Casa e foi votado em muitos municípios do Ceará”. Perboyre Diógenes (PSL) ressaltou a “ética, a transparência e o talento de Teo Menezes”, enquanto Fernando Hugo (PSDB) também pediu o debate na Comissão de Fiscalização e Controle. Hugo disse, ainda, que só assinou o pedido de CPI porque o fato existe.

Wellington Landim (PSB) concordou com Hugo que “o fato existe”. Contudo, segundo ele, ninguém pode ser condenado por antecipação. Ele afirmou que não endossou CPI porque o caso é alvo de investigação por vários órgãos como MPE, MPF, TCE, assessoria jurídica da Secretaria das Cidades e Controladoria e Ouvidoria Geral do Estado.

Leia mais:
Escândalo dos kits sanitários derruba mais um
Denúncias de fraudes na construção de kits sanitários em 5 cidades
Secretaria das Cidades é responsável pela fiscalização dos kits sanitários, afirma Valdomiro Távora
Secretaria das Cidades gastou quase R$ 7 milhões em 37 municípios com kits sanitários em 2010

Com informações da Assembleia Legislativa










Em Brasília
Atualizado em: 04/08/2011 - 3:45 pm


Ex Ministro da Defesa, Nelson Jobim

A presidente Dilma Rousseff decidiu na manhã desta quinta-feira (4) demitir o Ministro da Defesa, Nelson Jobim. Em uma entrevista à revista Piauí, Jobim chama o governo Dilma de atrapalhado”, diz que a ministra das Relações Institucionais, Ideli Salvati, é “fraquinha”, e que Gleisi Hoffmann, ministra-chefe da Casa Civil, “não conhece Brasília”. Um dos nomes cotados para substituí-lo é o do atual ministro da Justiça, José Eduardo Martins Cardozo.

Por conta de outras declarações, Jobim já estava na lista dos auxiliares de Dilma que ela deve tirar do governo na primeira reforma ministerial, no final deste ano ou no início de 2012. Agora, com a entrevista à revista, que chega nesta sexta-feira ( 5,) às bancas, a presidente deciciu pela demissão imediata de Jobim, desistindo da ideia de não mexer no governo enquanto não assentar a poeira da base aliada levantada pela crise política no Ministério dos Transportes, Dnit e Valec.

Em recente entrevista concedida ao programa “Poder e Política”, da Folha de S. Paulo e UOL, Jobim criou incomodo no Planalto ao fazer questão de revelar que, nas eleições do ano passado, votou no candidato tucano José Serra, o adversário da candidata vencedora, Dilma Rousseff.

Leia mais:
ISTOÉ revela: “As negociatas do ministro Nascimento”
Ministro da Agricultura presta esclarecimentos sobre denúncias nesta quarta
Governo Dilma decide demitir Ministro dos Transportes

Com informações do Estadão










Jogo Rápido
Atualizado em: 04/08/2011 - 11:22 am


O governador Cid Gomes participa nesta quinta-feira (4) do Primeiro Fórum de Investimentos Colômbia-Brasil, em Bogotá. O evento será aberto pelo presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o pelo Presidente do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), Luis Alberto Moreno.

Cid Gomes vai proferir palestra em que pretende expor o potencial de agronegócios no Estado. Além disso, o Governador conhecerá a experiência colombiana no combate à violência.

Com informações da assessoria de imprensa do Governo do Estado










Corrupção, Denúncia, Nacional
Atualizado em: 04/08/2011 - 11:04 am


Da Redação do Jangadeiro Online

O presidente do Conselho de Administração do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), Miguel Mário Bianco Masella, nomeou, nesta quinta-feira (4), três diretores do Órgão em “caráter excepcional e transitório”. Os nomeados são funcionários de carreira e vão ocupar funções estratégicas.

Leia mais:
Publicadas exonerações de mais três diretores do Dnit
Publicada exoneração de diretores do Dnit e da Conab

O Dnit nomeou Luiz Heleno Albuquerque Filho para a Diretoria Executiva, Eloi Angelo Palma Filho para a Diretoria de Infraestrutura Rodoviária e Marcelo Almeida Pinheiro Chagas para a Diretoria de Infraestrutura Ferroviária. As nomeações estão publicadas no Diário Oficial da União desta quinta-feira.

Após denúncias
Os novos funcionários ocupam as vagas de ex-diretores que deixaram os cargos recentemente, após denúncias de superfaturamento de obras no Dnit, que é vinculado ao Ministério dos Transportes. As denúncias foram publicadas na revista Veja em julho. No total, entre os órgãos vinculados e o Ministério, foram demitidas 28 pessoas.

Pagot negou
Na semana passada, o então diretor-geral do Dnit, Luiz Antônio Pagot, pediu demissão do cargo. Antes disso, ele foi ao Congresso Nacional e negou todas as denúncias sobre a existência de um esquema de superfaturamento de obras e recebimento de propina por funcionários do Ministério dos Transportes e de órgãos vinculados.

Com informações da Agência Brasil










Ceará
Atualizado em: 04/08/2011 - 10:19 am


Usina de Energia Solar de Tauá. Foto: Divulgação.

A primeira usina solar de geração de energia em escala comercial do Brasil, a MPX Tauá, entrou, oficialmente em operação nesta quinta-feira, 4 de agosto.

A inauguração estava prevista para o dia 3 de junho e já havia sido antecipada no perfil oficial, no twitter, do empresário Eike Batista.  

Leia mais:
Usina de energia solar de Tauá entra em operação este mês

Sem Dilma
A presidente Dilma Rousseff foi convidada para o evento, mas por “problemas de agenda” não poderá comparecer a inauguração.

Convidados
Também foram convidados para o evento, o empresário Eike Batista, o governador Cid Gomes, e os ministros de Minas e Energia, Edison Lobão, e Ciência e Tecnologia, Aloisio Mercadante.

A usina
Localizada no município deTauá, no sertão do Ceará, a usina tem capacidade instalada inicial de 1 MW, o suficiente para abastecer 1,5 mil famílias.

Implantada com tecnologia estado da arte em painéis fotovoltaicos, a planta recebeu investimentos totais de cerca de R$ 10 milhões. O Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) apoiou a iniciativa inédita no país com aporte de US$ 700 mil.










Ceará
Atualizado em: 04/08/2011 - 8:59 am


Apesar dos filhos estarem soltos, o ex-prefeito de Tianguá, Gilberto Moita, continua preso (Foto: IbiapabaNews)

O desembargador Paulo Camelo Timbó, do Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE), concedeu, na quarta-feira (3), habeas corpus a Gilberto Moita Filho e Victor Moita, filhos do ex-prefeito de Tianguá, Gil Moita.

Eles foram soltos no final da tarde da quarta-feira, após 35 dias de prisão. De acordo com o advogado dos acusados, Flávio Jacinto, o desembargador tomou a decisão levando em conta que tanto Gilberto como Victor Moita são estudantes universitários e não têm antecedentes criminais.

Filhos presos, pai solto
Apesar dos irmãos terem sido soltos, o ex-prefeito de Tianguá, Gilberto Moita, continua preso. Pai e filhos foram capturados durante a Operação “Caça Fantasma”, deflagrada pela polícia em junho nas cidades de Tianguá, Ubajara e Santana do Acaraú.

Acusação
Segundo a denúncia do Ministério Público, eles estariam envolvidos em fraudes nos processos de licitação pública de serviços de transporte escolar em Santana do Acaraú, município da Região Norte do Estado.

Leia mais:
Último foragido da Operação Caça-Fantasma se entrega à Polícia
Corrupção

Polícia cumpre mandados de prisão em Santana do Acaraú, Tianguá e Ubajara

Redação Jangadeiro Online, com informações do TJCE e do MP










Corrupção
Atualizado em: 04/08/2011 - 8:23 am


O conselheiro estadual e coordenador do Movimento Justiça Já, da OAB, Edimir Martins Filho, está a frente do comitê.

Diariamente nos deparamos com escândalos de corrupção na política que estampam matérias de jornais. Os desvios de dinheiro público atrapalham a vida da população, sobretudo, a de baixa renda, que precisa da ação eficiente dos poderes públicos. 

Pensando nisso, a Ordem dos Advogados do Brasil no Ceará (OAB-CE) decidiu instalar, nesta quinta-feira (4), o Comitê Institucional Permanente de Combate à Corrupção Pública.

Como vai funcionar para os cearenses?
Segundo o conselheiro estadual e coordenador do Movimento Justiça Já, da OAB, Edimir Martins Filho, que está a frente do comitê, a população terá três meios de denunciar: através de um telefone 0800; no próprio portal da OAB; ou presencialmente na sede da entidade, em Fortaleza.

Quem?
Edimir Martins explica que qualquer pessoa pode procurar o serviço para denúnciar possíveis desvios de dinheiro, seja em esfera municipal, estadual ou federal.

A iniciativa é interessante para quem assiste tudo e sente a necessidade de fazer alguma coisa para estancar a torneira da corrupção.

E depois?
Após receber as demandas, o Conselho vai encaminhar as demandas para as comissões da OAB. Segundo Edimir Martins a ideia é estabelecer parcerias com o objetivo de investigar casos de corrupção e, posteriormente, mover ações civis públicas, nos casos em que for detectado o uso de verba públicas processos licitatórios irregulares.

Entrevista

Veja a entrevista exclusiva de Edimir Martins, coordenador do “Movimento Justiça Já” da OAB, ao Jangadeiro Online, sobre o Comitê.










Corrupção
Atualizado em: 04/08/2011 - 5:07 am


Ex-secretário de Cidades e atual presidente do BNB presta depoimento nesta quinta-feira

A Promotoria de Combate aos Crimes Contra a Administração Pública continua a tomada de depoimentos sobre o escândalo envolvendo a construção dos banheiros fantasmas no município de Pindoretama, no Litoral Leste do Ceará. Os depoimentos são colhidos na sede da Procuradoria Geral de Justiça, no centro de Fortaleza.

Nesta quinta-feira (04), prestam depoimento dois ex-secretários de Cidades: Jurandir Santiago (atual presidente do Banco do Nordeste) e Joaquim Cartaxo. Também serão ouvidos Adriano Francisco e Fábio Castelo Branco, servidor exonerado da pasta.

Sexta
Na sexta-feira (05), será a vez de Renata Pinheiro Guerra, presidente da Associação Cultural de Pindoretama. A entidade teria recebido dinheiro para construir os banheiros. A obra não foi realizada.

O MP também vai ouvir Camilo Santana, atual secretário da pasta.

A oitiva dos servidores será realizada pelos promotores Eloilson Ladim (assessor da Procap) e Luiz Alcântara e pelo procurador e coordenador da Procap, Benon Linhares.










Corrupção
Atualizado em: 03/08/2011 - 10:00 pm


Haroldo Lima foi convidado à Câmara para dar explicações

O presidente da Agência Nacional do Petróleo (ANP), Haroldo Lima, e cinco ministros foram convidados à Câmara para esclarecer denúncias de irregularidades em seus respectivos órgãos.

Os requerimentos, apresentados pelo deputado Vanderlei Macris (PSDB-SP), foram aprovados pela Comissão de Fiscalização Finaceira e Controle e têm o objetivode pedir explicações para todas as denúncias contra o governo.

Originalmente, os requerimentos pediam a convocação das autoridades, mas foram convertidos em convite, em razão de acordo com o governo.

Foram convidados:

– o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, para prestar esclarecimentos sobre notícias que apontam seu envolvimento em negociações de contratos para obras rodoviárias e ferrovias em execução ou a serem executadas no Estado do Paraná, “no bojo do descontrole da execução financeira das obras sob a responsabilidade do Ministério dos Transportes”. O suposto envolvimento do ministro teria ocorrido no ano passado, quando era ministro do Planejamento;

– o ministro dos Transportes, Paulo Sérgio Oliveira Passos, para prestar esclarecimentos sobre possíveis irregularidades praticadas no âmbito do Ministério dos Transportes, bem como sobre as medidas adotadas para saná-las e para reduzir os custos de obras e serviços relativos às rodovias brasileiras;

– o ministro das Cidades, Mário Negromonte, para prestar esclarecimentos sobre denúncias de irregularidades na destinação de verbas e possível favorecimento de empresas doadoras de campanhas políticas;

– os ministros do Desenvolvimento Agrário e do Meio Ambiente, Afonso Florence e Izabella Teixeira, para prestar esclarecimentos sobre denúncias de ocupação ilegal de terras em áreas de proteção ambiental e de assentamentos destinados à reforma agrária;

– o presidente da ANP, Haroldo Lima, para prestar esclarecimentos sobre denúncias de irregularidades e indícios de corrupção na agência – como cheques, e-mails, relatos de empresários vítimas de extorsão e até um vídeo em que uma advogada que atua no ramo é intimidada por dois assessores da ANP.

Com informações da Agência Câmara










Denúncia
Atualizado em: 03/08/2011 - 9:31 pm


Deputado estadual Fernando Hugo (PSDB) no plenário da Assembleia

O deputado Fernando Hugo (PSDB) levantou suspeitas, nesta quarta-feira (03/08), em pronunciamento na Assembleia Legislativa, sobre construtoras, que após o pleito passam a se beneficiar com contratos de obras públicas.

O parlamentar citou uma licitação, avaliada em R$ 138 milhões, com a empresa Citeluz, que estaria irregular. Segundo ele, haveria falhas nos critérios de definição das pontuações do certame licitatório. Tais irregularidades favoreciam a Citeluz.

“Na concorrência, a empresa deverá ter conhecimento de todos os pontos de iluminação de Fortaleza. Esses dados ninguém tem, com exceção da Citeluz, demonstrando um claro favorecimento a uma das concorrentes”, frisou.

O deputado tucano disse que o mais preocupante é que não está sendo contratada a empresa com o menor preço, e os critérios técnicos impostos pela licitação são amarras criadas para assegurar a vitória da Citeluz no certame.

“Desse jeito dá pra eleger até estaca de cerca a prefeito de Fortaleza. Pelo menor preço, seriam economizados pelo menos R$ 35 milhões”, disse Fernando Hugo.

Em aparte, o deputado Roberto Mesquita (PV) avisou que a taxa de iluminação pública em Fortaleza é maior do que o IPTU.

“Esse assunto é tão escabroso, que a Coelce foi inabilitada nessa licitação. Isso se iniciou em 2001, na administração de Juraci Magalhães. A prefeita era contra esse contrato, mas foi revitalizado por mais cinco anos e agora termina”, criticou.

Com informações da Agência de Notícias da AL










Bastidores, Partidos, Senado
Atualizado em: 03/08/2011 - 9:10 pm


Líder do PR PR anuncia 'apoio crítico' ao governo Dilma

O líder do PR, senador Magno Malta (ES) anunciou o desligamento do partido do bloco de apoio ao governo no Senado, por meio de comunicado lido na tarde desta quarta-feira (3).

Minutos depois, o Parlamentar fez uma breve intervenção explicando os termos do comunicado:

“Não significa que estamos abandonando a base do governo. Seríamos irresponsáveis. Continuamos apoiando a presidente Dilma, mas agora vamos nos manter líderes de nós mesmos. Daremos, daqui por diante, apoio crítico ao governo”.

O ofício
Segundo o ofício, o PR reitera a posição de apoio ao governo Dilma Rousseff, mas, em respeito ao entendimento da bancada de parlamentares no Senado, exercerá esse apoio, a partir de agora, “de acordo com suas próprias diretrizes e conforme suas convicções e decisões programáticas”.

Magno Malta ainda advertiu: “O PR não estará mais submisso às decisões do líder do bloco de apoio [senador Humberto Costa (PT-PE)]. Será necessário ouvir cada um dos parlamentares, sentar à mesa e negociar com todos”.

Bloco perde seis integrantes
Com essa decisão, o bloco PT-PDT-PSB-PCdoB-PRB perde seis integrantes e deixa de ser o maior do Senado – o número cai de 30 para 24 senadores. O bloco liderado pelo PMDB-PP-PSC-PMN-PV tem 28 parlamentares na Casa.

O PR é composto por seis senadores: Antonio Russo (MS); Blairo Maggi (MT); Clésio Andrade (MG); Magno Malta (ES); Vicentinho Alves (TO); e Alfredo Nascimento (AM). Também filiado ao PR, João Ribeito (TO) está licenciado.

Campanha para Dilma
Magno Malta lembrou que o partido fez campanha para Dilma Rousseff, quando candidata à Presidência da República, apresentando-a como a melhor alternativa para o Brasil, e afirmou que seria “uma irresponsabilidade votar contra a continuidade do novo momento que o País vive”.

O senador assinalou que, em todos os setores da sociedade, “há trigo e joio”, e que é preciso tomar cuidado para “não passar com o carro por cima do trigo”.

Ele também pediu cuidado para que a honra das pessoas “não seja jogada no esgoto”. Em sua opinião, a mídia foi mais incisiva com o PR, apesar de sempre haver crises em todos os governos, e alertou: se a cada “notinha de jornal” houver uma demissão no governo, Brasília pode ficar vazia.

Com informações da Agência Estado










Vídeos
Atualizado em: 03/08/2011 - 7:34 pm


O caso dos banheiros financiados pela Secretaria das Cidades do Estado e que não teriam sido construídos continua dando o que falar. Nesta quarta-feira (03) o deputado Heitor Férrer (PDT) levou à tribuna da Assembleia Legislativa o caso denunciado no município do Ipú.

2 mil kits sanitários
Segundo o Ministério Público, o governo do Estado repassou cerca de três milhões de reais para a construção de 2.108 kits sanitários que a população do Ipu nunca viu. O dinheiro, proveniente do Fecop e repassado pela Secretaria das Cidades, deveria ser destinado a construção das unidades sanitárias que, no entanto, não saíram do papel.

O esquema de corrupção denunciado em Ipu, segue a mesma lógica das associações fantasmas de Pindoretama, Chorozinho, Horizonte, Cascavel e Pacajus, e revela que a prática pode ter alcance muito maior do que imaginado inicialmente.

Leia também:
Banheiros fantasmas: Deputado propõe CPI para investigar escândalo envolvendo secretaria das Cidades
Secretaria das Cidades também financiou banheiros fantasmas em Ipu
 
Vídeo: Denúncias de fraudes na construção de kits sanitários em 5 cidades   

Acompanhe a reportagem exibida no Jornal Jangadeiro