ALEC
Atualizado em: 01/08/2011 - 9:19 am


Plenário 13 de maio/ Assembleia Legislativa do Ceará

Com a efetivação do petista Francisco Pinheiro (professor Pinheiro) no cargo de deputado eleito, após disputa na justiça, Stanley Leão, do PTC, vai perder a cadeira na Assembleia ficando, portanto, ficando fora da composição da Casa. 

Lembrando
Ainda na segunda quinzena de julho, o pleno do Tribunal Regional Eleitoral  decidiu atender ao pedido da coligação PMDB/PT/PRB/PSB e do suplente de deputado estadual Francisco José Pinheiro para refazer a contagem dos votos. (Leia aqui: TRE decide pela retotalização dos votos proporcionais das eleições de 2010 e altera composição da Assembleia )

Pinheiro e Ana Paula
A mudança acontece assim que o comunicado oficial do TRE chegar à Assembleia. Mas Pinheiro fica na Assembleia apenas o tempo necessário para cumprir as formalidades. Ele toma posse, passa a ter os “direitos” de um deputado eleito e volta a pedir licença para seguir no comando da secretaria de Cultura do Estado.

A deputada Ana Paula Cruz (PRB) vem da região do Cariri e assume a vaga no lugar do petista.

E mais
Já no dia 4 de agosto será a vez dos deputados Osmar Baquit e Moésio Loiola (ambos do PSDB) voltarem à Assembleia. Nenhum dos dois pode solicitar licença para “interesse particular” este ano. Com o retornos dos dois, saem da Casa os suplentes Cirilo Pimenta e Nenem Coelho (ambos, também do PSDB).

E tem ainda outras mudanças: o deputado Hermínio Resende (PSL) volta ao parlamento estadual depois de aproveitar sua “licença saúde” e reassume o mandato. O suplente Perboyre Diógenes (PSL) ficaria fora da composição da Assembleia, mas Vanderley Pedrosa (PSL) garantindo a permanência de Perboyre.

Augustinho Moreira (PV) volta ao cargo depois de 120 dias de licença e o suplente, Edisio Pacheco (PV), se despede da Casa.










ALEC, Bastidores, Câmara Municipal, Congresso
Atualizado em: 01/08/2011 - 7:34 am


Após o período recesso do mês de julho, os vereadores de Fortaleza, assim como os deputados estaduais e federais e os senadores retornam ao trabalho. A volta “oficial” acontece na segunda-feira (01/08),mas as sessões em plenário estão marcadas para a terça-feira, dia 2 de agosto.

Fortaleza
Depois de 25 dias de “folga”, os vereadores da capital retomam as atividades com propostas polêmicas na pauta de discussão. Entre as principais matérias estão a criação do Instituto de Planejamento de Fortaleza e as alterações do Plano Diretor, que sequer foi regulamentado.

A oposição promete movimentar os debates com estes dois temas. Polêmica certa no segundo semestre legislativo.

Assembleia
O recesso no parlamento estadual durou 15 dias e na volta dos trabalhos o pedido da “CPI dos banheiros” deve movimentar o primeiro dia de sessões do segundo semestre na Assembleia Legislativa. Os deputados estaduais também voltam ao batente na terça-feira (2).

A proposta de Heitor Ferrer é abrir uma Comissão Parlamentar de Inquérito na Assembleia Legislativa do Ceará para investigar a denúncia do esquema de desvio de verbas públicas, através da secretaria das Cidades, para a construção de banheiros que nunca saíram do papel.

Câmara Federal e Senado
Durante o recesso, a base aliada do governo Dilma não escondeu o descontentamento com a demora em nomeações, a não liberação de emendas parlamentares e falta de interlocução.

Agora, na volta dos trabalhos a partir da segunda-feira (01/08) deputados e senadores ameaçam dificultar as ações do Executivo para o segundo semestre.

Do outro lado, a oposição pretende criar uma CPI para investigar o setor de transportes, alvo de denúncias. No Senado, um requerimento para abrir uma investigação já conta com 23 assinaturas e faltam apenas quatro para formalizar o pedido.










Primeiro Plano
Atualizado em: 31/07/2011 - 6:34 pm


O programa Primeiro Plano do dia 30 de julho recebe um dos maiores sanfoneiros em atividade do Brasil: Waldonys. A jornalista Kézya Diniz conversou com o músico, que falou sobre a vida fora dos palcos, o encontro com grandes nomes da música brasileira e sobre a paixão pela sanfona. Assista ao programa na íntegra.

Parte 1:

Parte 2:










Corrupção, Nacional
Atualizado em: 31/07/2011 - 4:22 pm


Ministro dos Transportes, Paulo Sérgio Passos

O governo federal anunciou que as licitações do governo, especialmente no setor de transportes, vão dar preferência a obras com projeto executivo, que contém as informações técnicas detalhadas sobre o empreendimento. A orientação foi divulgada durante a apresentação do primeiro balanço do Programa de Aceleração do Crescimento para o período de 2011 a 2014 (PAC 2), na sexta-feira (29) em Brasília.

O ministro dos Transportes, Paulo Sérgio Passos, explicou que o projeto executivo minimiza a possibilidade de imprevistos, porque são mais detalhados do que o projeto básico, que é exigido antes da licitação.

“Os projetos básicos normalmente não são da melhor qualidade. Se partimos para trabalhar com projetos executivos, minimizamos a possibilidade de imprevistos, porque eles são detalhados e são de boa qualidade”. Segundo ele, isso não significa que os aditivos nos contratos não vão mais ocorrer, mas serão utilizados de forma mais controlada.

De acordo com a ministra do Planejamento, Miriam Belchior, a ausência de projetos executivos antes da licitação levou à contratação de obras com base em projetos básicos insuficientes, o que resultou em vários aditivos de prazos e de valores das obras. Ela disse que a ideia do governo é adotar a necessidade de projeto executivo para todas as obras novas em todas as áreas.

Da Agência Brasil










Corrupção
Atualizado em: 31/07/2011 - 1:48 pm


Depois dos esquemas de corrupção descobertos no ministério dos Transportes e das denúncias de desvio de verba pública e mais corrupção no ministério da Agricultura e na Agência Nacional do Petróleo, a revista “IstoÉ” revela que um partido político mantém um esquema de corrupção no Ministério das Cidades. Os trens urbanos de Fortaleza estão entre as obras com suspeitas questionadas pelo Tribunal de Contas da União. Confira abaixo os principais trechos da reportagem.

O ministro das Cidades, Mário Negromonte, nega todas as denúncias. Foto: Renato Araujo/Agência Brasil

Uma reportagem da revista ‘IstoÉ’, que chega às bancas de todo país esta semana, afirma que políticos favoreciam empreiteiras que contribuíram com campanhas eleitorais do Partido Progressista (PP)  no ano passado. Segundo a denúncia, o tesoureiro da sigla, Leodegar Tiscoski, e outros executivos ligados ao partido liberavam recursos para obras consideradas irregulares pelo Tribunal de Contas da União (TCU), algumas delas com recomendação de “retenção dos pagamentos”.

Ceará
A revista afirma que três grandes construtoras, Andrade Gutierrez, Camargo Corrêa e Queiroz Galvão, repassaram um total de R$ 7,5 milhões para as campanhas do PP. Os trens urbanos de Fortaleza, sob responsabilidade da Camargo Corrêa e Queiróz Galvão estão entre as obras com suspeitas questionadas pelo TCU e apontadas pela reportagem.

E mais
São citadas ainda as obras relacionadas aos trens urbanos de Salvador (BA), a cargo da Camargo Corrêa e Andrade Gutierrez; à implementação da linha 3 do metrô do Rio de Janeiro, tocada pela Queiroz Galvão e Carioca Christiani-Nielsen; e o complexo viário Baquirivu-Guarulhos, em São Paulo, a cargo da construtora OAS.

Esquema
A reportagem afirma que, dos gabinetes do Ministério das Cidades, comandado pelo PP, os políticos favoreciam empreiteiras que contribuíram financeiramente com campanhas eleitorais do partido no ano passado. O ministro das Cidades, Mário Negromonte, negou com veemência as acusações.

Segundo a revista, documentos do Tribunal Superior Eleitoral mostram que, em dezembro de 2010, Tiscoski,  secretário de saneamento do ministério desde 2007, assinou a prestação de contas do partido. Ele afirmou à revista que não assina mais cheques ou ordens bancárias como tesoureiro, mas admitiu que “encaminhou” a prestação de contas ao Tribunal.

Progressista
O PP informou que as finanças do partido estão a cargo do primeiro tesoureiro, o ex-deputado Feu Rosa, que, segundo a revista, é assessor especial do ministérios das Cidades, cuidando do relacionamento do ministério com o Congresso.

A reportagem diz ainda que as empreiteiras contribuíram oficialmente com R$ 15 milhões nas campanhas do PP em 2010, sendo a maior parte (R$ 8,7 milhões) na forma de doações ocultas. “Isso significa que o dinheiro foi para a conta do partido, durante a campanha eleitoral, e imediatamente distribuído entre seus candidatos”, afirma a publicação.

Leia mais:
Publicada exoneração de diretores do Dnit e da Conab 
Exoneração de Alfredo Nascimento é publicada no Diário Oficial  
Ministro dos Transportes é o segundo a cair no governo Dilma    
Após crise nos Transportes, assessor do Planalto diz que “Não há caça às bruxas” nos ministérios   
Líder do governo lamenta fala do irmão contra ministro da Agricultura  
“Alí só tem bandido”, diz irmão de Romero Jucá ao denunciar corrupção no Ministério da Agricultura 

 










Bastidores
Atualizado em: 31/07/2011 - 12:02 pm


Do Jangadeiro Online

Dimitri Almeida Sena, de 24 anos, foi sepultado na manhã deste domingo (31). A cerimônia de despedida aconteceu no cemitério Jardim Metropolitano, em Eusébio, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF). Ele era filho do presidente da Câmara Municipal de Fortaleza (CMF), vereador Acrísio Sena (PT).

O jovem faleceu na manhã do último sábado (30), após a colisão entre uma motocicleta e uma Kombi no cruzamento da Avenida Domingos Olímpio com a Rua Assunção, no Centro da Capital cearense.

Leia ainda: Filho do presidente da Câmara morre em acidente de trânsito

De acordo com o assessor do parlamentar, Edvaldo de Araújo Filho, durante o sepultamento, o vereador agradeceu a presença e solidariedade de todos que estiveram com a família nesse momento difícil. Também afirmou que a “melhor forma de lembrar do filho é continuar a caminhada“.

A Câmara retoma aos trabalhos legislativos nesta segunda (1º). O assessor ainda não sabe se Acrísio Sena participará da solenidade de abertura.

Acidente
Dimitri Sena conduzia a motocicleta e usava capacete, mas, devido ao forte impacto, teve morte instantânea. Uma agente de plantão na Central da AMC disse ao Jangadeiro Online que o veículo menor bateu na traseira da Kombi.

O condutor do carro compareceu ao 34º Distrito Policial (Centro) ainda na tarde desse sábado. O teste do bafômetro deu negativo. Ele prestou depoimento e foi liberado após a conclusão.


Redação Jangadeiro Online, com informações da assessoria do vereador Acrísio Sena e da AMC










Nacional
Atualizado em: 31/07/2011 - 9:27 am


Romero Jucá (PMDB-RR) disse que foi surpreendido com as declarações

O líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), disse em entrevista ao jornal O Globo que foi surpreendido com as declarações do irmão, Oscar Jucá Neto, à Revista “Veja”. O peemedebista afirmou que apenas fez a indicação do irmão para a Conab e que, diante dos problemas, teria concordado com sua saída da empresa. O líder governista garantiu que não sabia do teor da entrevista.

Na entrevista à revista “Veja”, Jucá Neto disse que existe um esquema de corrupção na Conab e que o ministro da Agricultura, Wagner Rossi, estaria envolvido. (Leia em: “Alí só tem bandido”, diz irmão de Romero Jucá ao denunciar corrupção no Ministério da Agricultura )

“Me solidarizo com o ministro. Conversei isso com o Rossi e não concordo com essa postura dele. Discordo das informações e lamento essa posição. Fui surpreendido. Estou envolvido involuntariamente e lamento. Mas o cargo de líder é de confiança da presidente”, disse Jucá.

A Denúncia
Demitido da direção da Conab depois de ser acusado de autorizar um pagamento para uma suposta empresa de fachada, Oscar Jucá Neto denunciou que há um esquema de corrupção e desvio de recursos na companhia estatal maior do que os escândalos do Dnit.

Em entrevista à revista Veja , Jucá Neto, o Jucazinho, diz que na Conab “só tem bandido” e acusa o ministro da Agricultura, Wagner Rossi, de envolvimento em irregularidades , embora admita que não tem como provar.

Demissão
O ministro nega participação e desqualifica as acusações. Oscar Jucá Neto foi exonerado na quarta-feira . Segundo Jucazinho, depois de demiti-lo, Rossi o teria chamado para uma conversa em que ofereceu uma compensação pela perda do cargo. Conforme relatou à revista, na conversa, o ministro teria dito que ele teria “participação em tudo”.

“Só tem bandido”
Jucazinho alega ter entendido que a oferta era de propina. “O ministro sugeriu que eu pensasse na possibilidade de mudar de cargo e disse num tom de voz enigmático: fica tranquilo que você vai participar de tudo”.

Jucazinho disse que não aceitou a proposta. E afirmou, segundo a revista: “Ali só tem bandido e não vou trabalhar com bandidos.”

Com infomações do jornal O Globo










Nacional
Atualizado em: 31/07/2011 - 7:30 am


O ministro da Agricultura, Wagner Rossi, nega todas as acusações

Na edição da revista VEJA que chega às bancas de todo o país esta semana, Oscar Jucá Neto, irmão do senador Romero Jucá (PMDB), líder do Governo Dilma Rousseff,  diz que o ministério da Agricultura, sob o comando de Wagner Rossi, foi loteada por PMDB e PTB com o objetivo de arrecadar dinheiro ilegal.

A reportagem levanta indícios da participação do Ministério da Agricultura no esquema de corrupção, tendo a Companhia Nacional de Abastecimento, a Conab, como posto avançado, e o ministro Wagner Rossi, do PMDB, como virtual comandante do esquema.

Denúncia
O esquema de corrupção foi denunciado por Oscar Jucá Neto, o Jucazinho, irmão do senador Romero Jucá, líder do governo no Senado. Jucazinho foi exonerado na semana passada do cargo de diretor financeiro da Conab. A demissão aconteceu depois de VEJA revelar que ele havia autorizado um pagamento de 8 milhões de reais a uma empresa-fantasma que já foi ligada à sua família e que hoje tem como “sócios” um pedreiro e um vendedor de carros -laranjas dos verdadeiros donos, evidentemente.

Azedou
Jucazinho decidiu contar o que sabe porque atribuiu sua saída a uma armação de peemedebistas contra seu irmão – e também porque se sentiu humilhado com a exoneração. O caso azedou as relações entre o senador Jucá e o vice-presidente, Michel Temer, padrinho do ministro Wagner Rossi. Os dois trocaram ameaças e xingamentos por telefone.

Consórcio para corrupção
Em entrevista à VEJA, Jucazinho contou que existe um consórcio entre o PMDB e o PTB para controlar a estrutura do Ministério da Agricultura com o objetivo de arrecadar dinheiro. Suas informações incluem dois casos concretos de negócios nebulosos envolvendo a Conab. Em um deles, a estatal estaria protelando o repasse de 14,9 milhões de reais à gigante do mercado agrícola Caramuru Alimentos. O pagamento foi determinado pela Justiça e se refere a dívidas contratuais reclamadas há quase vinte anos.

O motivo da demora: representantes da Conab negociam um “acerto” para aumentar o montante a ser pago para 20 milhões de reais. Desse total, 5 milhões seriam repassados por fora a autoridades do ministério. O segundo caso envolve a venda, em janeiro deste ano, de um terreno da Conab numa das regiões mais valorizadas de Brasília, distante menos de 2 quilômetros do Congresso e do Palácio do Planalto.

Apesar de ser uma área cobiçada, uma pequena empresa da cidade apareceu no leilão e adquiriu o imóvel pelo preço mínimo: 8 milhões de reais –um quarto do valor estimado de mercado. O comprador, Hanna Massouh, é amigo e vizinho do senador Gim Argello do PTB, mandachuva do partido e influente na Conab.

“Só tem bandido”
Nas mais de seis horas de entrevista, Oscar Jucá Neto não poupa seus antigos companheiros de ministério. Diz que o ministro Wagner Rossi lhe ofereceu dinheiro quando sua situação ficou insustentável. “Era para eu ficar quieto”, afirma. “Ali só tem bandido.”

Em nota, o ministro da Agricultura negou todas as denúncia de Jucazinho.

Leia mais:
Líder do governo lamenta fala do irmão contra ministro da Agricultura  
Ministro dos Transportes é o segundo a cair no governo Dilma    

Após crise nos Transportes, assessor do Planalto diz que “Não há caça às bruxas” nos ministérios   

Com informações do Blog do Noblat










Bastidores
Atualizado em: 30/07/2011 - 3:07 pm


A colisão entre uma motocicleta e uma Kombi resultou na morte de Dimitri Almeida Sena, 24, filho do presidente da Câmara Municipal de Fortaleza (CMF), Acrísio Sena (PT). O acidente ocorreu na manhã deste sábado (30), no cruzamento da avenida Domingos Olímpio com a rua Assunção, no Centro.

Dimitri conduzia a moto e usava capacete, mas devido o forte impacto,  teve morte instantânea. Uma agente de plantão na Central da AMC, disse ao Jangadeiro Online que a motocicleta bateu na traseira da Kombi. O velório acontece a partir das 17 horas na funerária “Ternura” e o enterro está marcado para às 11 horas deste domingo (31), no cemitério Parque da Paz.

O condutor da Kombi compareceu ao 34º Distrito Policial (Centro). Devido à greve dos policiais civis, ele aguardou ser chamado para prestar declarações por ocasião da lavratura do Auto de Apresentação Espontânea. O teste do bafômetro deu negativo.

<em Pesar: Me associo a corrente de Fé para o vereador Acrísio Sena e toda a sua família nesse momento difícil. Pedimos que Deus lhes dê força diante desta tragédia.










Jogo Rápido
Atualizado em: 30/07/2011 - 2:27 pm


Gabrielli não descarta aumento do preço da gasolina

O presidente da Petrobras, José Sergio Gabrielli, afirmou que é impossível manter o preço da gasolina eternamente diferente das cotações do mercado internacional. Ele indicou, porém, que, devido à instabilidade do mercado, é preciso aguardar para que haja uma definição melhor de preços.

Gabrielli voltou a dizer que é necessário, a longo prazo, fazer uma adequação de preços, mas que isso depende de vários fatores.

“Se ficar acima do preço internacional muito tempo, os distribuidores buscarão o produto [no exterior] e as importações crescerão. Se ficar abaixo, alguns irão comprar e exportarão. [Mas é] impossível, do ponto de vista econômico, manter o preço descolado do mercado internacional se houve uma estabilização”, disse durante o balanço do Programa de Aceleração do Crescimento 2 (PAC 2), na sexta-feira (29), em Brasília.

Segundo Gabrielli, o governo tem acompanhado atentamente o preço da gasolina no mercado internacional e a redução da produção de etanol no mercado interno. Na última quarta-feira (27), ficou decidido que não haverá, por enquanto, alteração no percentual de etanol anidro adicionado à gasolina, que hoje é 25%, pois o mercado, na avaliação do governo, encontra-se estável, sem risco de desabastecimento.

Uma nova reunião está marcada para o dia 30 de agosto, para decidir se a mistura será alterada. Se houver alguma modificação, ela passará a valer a partir do final de setembro.

Com informações da Agência Brasil










Primeiro Plano
Atualizado em: 30/07/2011 - 10:21 am


O programa Primeiro Plano deste sábado (30) recebe um dos maiores sanfoneiros em atividade do Brasil. Vamos entrevistar o sanfoneiro Waldonys. Ele vai falar sobre a vida fora dos palcos, sobre o encontro com grandes nomes da música brasileira e sobre a paixão pela sanfona.

Não perca! O Primeiro Plano começa logo depois da série Supernatural, às 22h45min.










Nacional
Atualizado em: 30/07/2011 - 8:32 am


O partido organizado por Kassab recebe apoio em 15 estados

Segundo levantamento do TSE, o PSD de Gilberto Kassab, prefeito de São Paulo, foi a legenda que reuniu apoio em maior número de estados da federação. A informação está na reportagem de Carolina Spillari para o estadão.com.br .

Pelo menos 20 novos partidos políticos buscam registro na Justiça Eleitoral brasileira, informou na sexta-feira (29), o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), após levantamento em parceria com Tribunais Regionais Eleitorais (TREs).

A obtenção do registro de um novo partido deve ser feita um ano antes da eleição a qual pretende concorrer, determina a Lei 9.504/97. Nos próximos 70 dias, o TSE deverá conceder os registros aos partidos que desejam concorrer às eleições de 2012, já o primeiro turno será realizado no dia 7 de outubro de 2012. Os candidatos que pretendem pleitear cargo político também estão inclusos nesse prazo.

Pela Lei 9.096/95, a nova legenda deve ter o apoio de eleitores por meio de assinatura acompanhada do respectivo número do título eleitoral. O número de assinaturas deve equivaler a 0,5% dos votos dados para a Câmara dos Deputados, não computados os votos brancos e nulos, na última eleição geral.

Com base nas eleições de 2010 para a Câmara, um novo partido deve reunir cerca de 490 mil assinaturas, em pelo menos nove estados.

Nos Estados
O futuro partido com atuação em maior número de Unidades da Federação é o Partido Social Democrático (PSD), segundo levantamento baseado em informações de 18 TREs. O PSD comunicou sua busca por assinaturas em 15 diferentes Estados.

Depois vem o Partido da Pátria Livre (PPL) e o Partido Novo (PN), que divulgaram assinaturas em 12 estados. O Partido Ecológico Nacional (PEN) busca do apoio de eleitores em 11 Unidades da Federação.

Fonte: Estadão.com










Em Brasília
Atualizado em: 29/07/2011 - 7:41 pm


O primeiro balanço do PAC 2, o Programa de Aceleração do Crescimento do período de 2011-2014, mostra que apenas 9% das ações previstas estavam concluídas até 30 de junho. Segundo os dados oficiais do governo, 76% das obras estão sendo executadas em ritmo “adequado”, 12% necessitam de atenção e outros 3% estão com execução considerada preocupante. O balanço foi apresentado nesta sexta-feira (29) em Brasília.

Os investimentos do PAC 2 somam R$ 955 bilhões para o período entre 2011 e 2014. O programa reúne as principais ações do governo nas áreas de transporte, energia, mobilidade urbana e recursos hídricos.

 1% dos Transportes
A área de Transportes é a que mais preocupa. Entre as ações previstas no PAC 2 para esta área, no período de 2011 a 2014, 1% das obras foi concluído, segundo avaliação do governo. Outras 83% das ações estão em ritmo adequado, 11% das obras merecem atenção e 5% estão em situação preocupante.

A ministra do Planejamento, Miriam Belchior, explicou que ausência de projetos executivos antes da licitação levou à contratação de obras com base em projetos básicos insuficientes, o que resultou em inúmeros aditivos de prazos e de valores.

Segundo a ministra, o governo decidiu, no PAC 2, apenas licitar as novas obras de rodovias e ferrovias com projeto executivo, além de fazer a revisão dos projetos das obras em andamento ou em licitação.

No primeiro semestre de 2011, foram iniciados 431 quilômetros de trechos de rodovias, e mais 6,5 mil quilômetros estão em andamento. Em ferrovias, 3,5 mil quilômetros de obras estão sendo executados, incluindo as ferrovias Norte-Sul e a Nova Transnordestina. 

Com infomações da Agência Brasil










Corrupção, Denúncia
Atualizado em: 29/07/2011 - 6:34 pm


As irregularidades no caso dos kits sanitários construídos por uma empresa fantasma no município do Ipu, conforme denuncia feita pelo Ministério Público (MP) e pelo Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), e apresentado em primeira mão pelo Jornal Jangadeiro, foram contestadas pelos envolvidos. No entanto, os números apresentados pela prefeitura e a Secretaria das Cidades divergem em relação ao total de construções realizadas.

Pelo convênio celebrado em março de 2009 entre a Prefeitura do Ipu e o Governo do Estado, 2.108 banheiros deveriam ter sido construídos, que custariam pouco mais de 3 milhões de reais.

Em nota, o prefeito Sávio Pontes (PMDB) afirmou que 90% dos dos banheiros previstos no convênio celebrado com o Governo do Estado em 2009 já foram construídos, apesar das imagens que mostram construções inacabadas e material abandonado.

A Secretaria das Cidades afirma ter recebido relatório de construção e entrega, com fotos e declaração de recebimento dos moradores, de 1.098 banheiros no município de Ipu. A reportagem da TV Jangadeiro mostra vários moradores do município afirmando terem assinado papéis antes de receberem qualquer benefício.

Diferença
O problema é que a soma das partes não fecha. Pelos cálculos de Sávio Ponte, os 90% alegados correspondem a 1897 banheiros construídos.

Já nas contas da Secretarias das Cidades, os 1098 documentos que comprovariam a existência dos banheiros correspondem a 52% do total.

A diferença entre os dois é de 799 kits sanitários. Segundo auditoria feita pelo do TCM, em janeiro de 2010, a fiscalização feita por técnicos do órgão não encontrou a “documentação imprescindível” para localizar os kits sanitários, e que as vistorias feitas por indicação dos moradores, algumas obras tinham sido apenas iniciadas “sem nenhum controle de execução e plano de trabalho”.

Esclarecimento
Ainda de acordo com o relatório, as seguintes informações poderiam esclarecer quaisquer dúvidas sobre os banheiros de Ipu:

1 – Relação das pessoas beneficiadas;
2 – Relatório atualizado de execução das obras, com as respectivas medições;
3 – Croquis de localização, estabelecendo as localidades e as quantidades de kits já executados ou em execução.

Mais números
População de Ipu: 40.841 (dados de 2008 – IBGE);
Com a suposta construção de 2.108 kits, daria um banheiro para cada 20 pessoas;
Considerando uma média de 5 pessoas por família, seria um kit para cada quatro famílas da cidade.










Polêmica
Atualizado em: 29/07/2011 - 5:15 pm


O Ministério dos Transportes confirmou nesta sexta-feira (29), por meio de sua assessoria, a exoneração de Marcelino Augusto Rosa do cargo de coordenador de Operações Rodoviárias do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit). Segundo a assessoria, a decisão do ministro Paulo Sérgio Passos já foi encaminhada ao Diário Oficial da União e deverá ser publicada no início da próxima semana.

Leia mais:
Publicada exoneração de diretores do Dnit e da Conab
Pagot pede demissão do Dnit
Oposição apresenta pedido para convocar comissão e ouvir ministro dos Transportes 

Exoneração de Alfredo Nascimento é publicada no Diário Oficial 
Ministro dos Transportes é o segundo a cair no governo Dilma  

21 afastados
Com a demissão, chega a 21 o número de funcionários do governo afastados por causa de denúncias de corrupção no setor de transportes. Entre os demitidos estão o ex-ministro dos Transportes Alfredo Nascimento, o ex-diretor-geral do Dnit Luiz Antonio Pagot e o ex-diretor de Infraestrutura Rodoviária, Hideraldo Caron.

Na quarta-feira (27), Geraldo Lourenço de Souza Neto pediu exoneração do cargo de diretor de Infraestrutura Ferroviária.

Da Agência Brasil