Com a palavra
Atualizado em: 06/04/2011 - 6:22 pm


Artigo publicado no Portal Jangadeiro Online em 03 de março de 2011.

Momento repeteco II – Conforme prometido, retomo o assunto do artigo anterior sobre a sucessão em Fortaleza.

Para refrescar a memória
No texto anterior defendi que “Se os demais atores políticos insistirem em permanecer sem enxergar o início das mobilizações do processo eleitoral, o fracasso é certo e a única luz do fim do túnel será a do poste que Luizianne já garantiu eleger”.(Leia o artigo completo: Opinião: Entre a luz do poste e a escuridão das urnas  )

Disse ainda que “Se a oposição não mostra força, Luizianne tem preocupação de sobra com aliados e correligionários. O governador e presidente do PSB, Cid Gomes, por exemplo, já disse disse que pretende apoiar o candidato indicado pelo Partido dos Trabalhadores desde que este não seja ‘um poste’”.

Vamos adiante
A “derrota” de Luizianne, se é que se pode falar assim, diante do cenário que se vislumbra, seria interna e partidária. Explico: o governador e presidente do PSB, Cid Gomes, já disse disse que pretende apoiar o candidato indicado pelo Partido dos Trabalhadores desde que este não seja “um poste”. Pela preferência de Cid, o petista ideal seria Camilo Santana, secretário das Cidades. Quem trabalha perto de Camilo revela que a “ordem” nos próximos meses é garantir a exposição do secretário, dando a ele visibilidade necessária para uma eventual disputa.

Cenário Cidista
No Cenário ideal para os cidistas, Camilo Santana poderia formam uma chapa tendo como vice, o também secretário, Ferrúcio Feitosa (PSB). Na brincadeira de prever o futuro, alguns vão além e já imaginam (contando com a vitória de Camilo) que o petista poderia suceder o próprio Cid em 2014. Seria a hegemonia desejada por uns, com Camilo (que pode ser mais cidista do que petista) no Governo e Ferrúcio (que como vice e com a saída de Camilo assumiria o cargo) na prefeitura, além de Cid ou Ciro no Senado (deixando o atual senador Inácio Arruda sem espaço na coligação).

Claro que este é apenas um dos cenários. O nome de Camilo, por exemplo, também é citado para a disputa no Cariri. É preciso pensar ainda no espaço reservado ao atual vice-governador, Domingos Filho (PMDB), e por aí vai. São muitos os caminhos possíveis e como dizem por aí, até 2012 “ainda tem muita água pra rolar”.










Com a palavra
Atualizado em: 06/04/2011 - 5:02 pm


Momento repeteco – Aproveito a coluna, ainda em fase experimental, para concentrar em um só espaço e, ao mesmo tempo, dividir com vocês alguns textos que escrevi para o Portal Jangadeiro On Line.  Neste, o assunto é a disputa pela prefeitura de Fortaleza em 2012.

Segue o texto publicado no dia 28 de fevereiro de 2011:

Está clara a intenção da prefeita Luizianne Lins de dar “luz” a um dos “postes” que pretende colocar na rua como opção para sucedê-la em 2012.

Prefeito interino
Durante os dez dias de férias da prefeita da capital, Acrísio Sena (PT) encarnou o papel de gestor interessado. Homem de ação que se empenha em acompanhar o drama da população e conhecer as demandas do município que “administra”. Em três dias fez, ou pelo menos mostrou fazer, mais do que Luizianne faria em três meses. Acrísio abriu diálogo com vereadores de oposição, visitou obras, chamou à responsabilidade os coordenadores de postos de saúde da capital, ciceroneou um ministro, concedeu dezenas de entrevistas, isso pra citar só um pedacinho da agenda. Em resumo: Acrisio mostrou que agora Fortaleza tem…. PREFEITO!

Até aí tudo bem. É legítimo. Luizanne se antecipa e mexe as peças no complicado xadrez eleitoral. Ponto para ela. Acrisio, fiel aliado, aproveita o espaço e tenta angariar simpatia de todos os lados.

Oposição aplaude
Resultado: a oposição caiu na lábia do bom gestor e comemorou a ascensão de Acrísio Sena desde o primeiro dia. “Ele deveria passar mais dez, mais vinte, ficar logo por lá e assumir o lugar da prefeita”, disse um dos principais opositores da petista na Câmara Municipal. O que a oposição não entende é que é justamente isso que Luizianne deve comemorar. As críticas a atual gestão podem ter efeito na eleição de 2012, mas Luizianne não é candidata e a apresentação de um sucessor que “trabalha” pode minimizar a influência indireta da avaliação negativa que Luizanne vem acumulando diante de parte do eleitorado.

Ao mesmo tempo, PCdoB, PDT e PCS gritam a necessidade de ter candidatura própria. Partidos menores como PHS, PTC, PCB, PSTU e PMN também pode surgir no cenário. Uns para cobrar a fatura de apoios anteriores, outros para garantir espaço futuro na administração caso decidam “abrir mão da candidatura”. Há também os que apenas querem dar vizibilidade ao partido e ampliar a bancada na Câmara Municipal.

Poucas opções
Não dá pra esquecer de Moroni Torgan (DEM), que ainda pode pintar por aqui. Isso mesmo. É pouco provável que dispute as eleições municipais, mas se o fizer, não será propriamente uma supresa. Enquanto isso o PSDB continua perdido. A oposição ficaria mesmo só com o Psol, que não possui envergadura para, em uma eleição nos moldes atuais, fazer frente ao bloco governista.

Se os demais atores políticos insistirem em permanecer sem enxergar o início das mobilizações do processo eleitoral, o fracasso é certo e a única luz do fim do túnel será a do poste que Luizianne já garantiu eleger.

Testes e disputas
Se a oposição não mostra força, Luizianne tem preocupação de sobra com aliados e correligionários. O governador e presidente do PSB, Cid Gomes, por exemplo, já disse disse que pretende apoiar o candidato indicado pelo Partido dos Trabalhadores desde que este não seja “um poste”. Volto ao tema no próximo artigo.










Eita mah!
Atualizado em: 05/04/2011 - 8:32 pm


O deputado estadual Mário Hélio (PMN) afirmou, durante o pronunciamento na sessão da Assembleia Legislativa desta terça-feira (5) , que Fortaleza corre o risco de não ser subsede da Copa 2014. Segundo o parlamentar, a Prefeitura capital já teria admitido não ter condições de alcançar as metas estabelecidas pela Fifa para a realização do mundial.

De acordo com o deputado, os principais entraves seriam os projetos de melhoria da mobilidade urbana da Capital (de competência do município). Mário Hélio afirmou que a situação seria tão crítica que até mesmo o titular da Coordenadoria de Projetos Especiais, Relações Institucionais e Internacionais, da prefeitura de Fortaleza, Geraldo Accioly, teria admitido a impossibilidade de concluir alguns projetos. O parlamentar também fez duras críticas a gestão municipal.

Confira a entrevista:

 [youtube]http://www.youtube.com/watch?v=iuFh9EVvaIk&feature=player_embedded[/youtube]

 Prefeitura nega
O coordenador de projetos especiais e relações institucionais e internacionais da Prefeitura de Fortaleza (Cooperii), Geraldo Accioly, que se encontra acompanhando a prefeita em reunião em Brasília até o final da próxima quinta-feira (7), afirmou que, em momento algum, ele ou qualquer outro representante da Prefeitura de Fortaleza tenha declarado a impossiblidade da execução dos projetos para a Copa 2014.

Segundo ele, todo o processo que envolve as obras municipais de mobilidade urbana para a Copa 2014 está sendo acompanhado pela Caixa Econômica Federal, que também está analisando os projetos executivos e estudos ambientais dessas obras. A documentação referente à situação da Prefeitura de Fortaleza para execução das obras também já se encontra em análise por parte da Secretaria do Tesouro Nacional. Na próxima sexta-feira (8), a Prefeitura de Fortaleza e o Governo do Estado participarão de reunião em Brasília com o Ministério do Planejamento, na Casa Civil, para acompanhamento desse processo.

Em nota enviada à imprensa, Accioly afima: “tanto a Secretaria do Tesouro Nacional quanto a Caixa Econômica Federal, pelo fato de a Prefeitura de Fortaleza ter enviado a documentação e os projetos nas datas corretas, estão dentro do prazo adequado para cumprimos o cronograma pensado inicialmente, com início das obras físicas em setembro de 2011 e finalização das mesmas até o final da gestão, em dezembro de 2012”.

Com informações do site da AL










Câmara Municipal, Eleições 2012
Atualizado em: 05/04/2011 - 6:26 pm


A vez é dos suplentes! A Câmara Municipal de Fortaleza empossou, na sessão desta nesta terça-feira (5), três suplentes de vereadores. Os títulares das cadeiras – Dr.Ciro, Marcelo Mendes (ambos do PTC) e Leonelzinho Alencar (PTdoB) – pediram  licença de 120 dias por “motivo particular” abrindo caminho para os suplentes Átila Bezerra e Edson Nogueira (ambos do PTC)  e Alan Terceiro (PTdoB).

A mudança é uma espécie de “rodízio” que os partidos de menor porte fazem para dar voz e vez aos quadros que não conquistaram votos suficientes para garatir a eleição em 2008. Tudo, é claro, com o objetivo de dar visibilidade a integrantes dessas siglas, pensando nas próximas eleições.

A ocasião é perfeita para que os vereadores (suplentes) mostrem trabalho e disputem a simpatia dos eleitores de Fortaleza na contagem regressiva para o próximo pleito.

Na troca de cadeiras do PTC, o vereador  Átila Bezerra (que já cumpriu três mandatos e foi, inclusive, presidente da Câmara) fica no lugar de Dr. Ciro (PTC). Já Edson Nogueira ocupa a cadeira de Marcelo Mendes .

Na mudança do PTdoB, Alan Terceiro estreia no parlamento municipal na vaga de Leonelzinho Alencar.










ALEC
Atualizado em: 05/04/2011 - 5:11 pm


Ubiratan de Paula

O ex-superintendente da Polícia Rodoviária Federal, Ubiratan de Paula, esteve na Assembleia Legislativa nesta terça-feira (5) e surpreendeu os jornalistas ao revelar o motivo da visita: apresentar aos deputados estaduais o superintendente interino da PRF no Ceará, Cícero Guedes.

Ora, Ubiratan foi exonerado do cargo no último dia 27 de março depois da divulgação de denúncia sobre o suposto favorecimento de autoridades públicas abordadas pela PRF no Ceará. Como pode, agora, aparecer para “apresentar” o sucessor aos deputado? É no mínimo… diferente. Chama atenção.

Na conversa com os jornalistas, Ubiratan disse que as imagens foram divulgadas depois do pedido de transferência para a reserva da PRF e que tudo não passou de um “complô”.

Para lembrar o caso
Em uma gravação, feita em 2006, durante uma reunião entre o superintendente e cerca de 30 policiais, Ubiratan fala sobre um deputado federal que teve o carro apreendido. Na gravação, divulgada pelo programa Fantástico, da TV Globo, Ubiratan Roberto de Paula pede aos colegas que sejam mais tolerantes antes de multar políticos e empresários, chamados de parceiros pelo superintendente.

A “vítima” do complô
Mesmo com a insistência da imprensa, na tentativa de revelar o nome do deputado federal supostamente favorecido com a liberação do veículo apreendido pela polícia rodoviária, o ex-superintendente evitou citar nomes e, a cada questionamento sobre o tema, repetia apenas que teria sido vítima de um complô formado por adversários dentro da PRF.

Nos bastidores, Ubiratan foi visto procurando os deputados Ely Aguiar (PSDC), Neto Nunes (PMDB) e Osmar Baquit (PSDB).  

O superintendente interino, inspetor Cícero Guedes, também evitou comentar o assunto afirmando que todas as informações já teriam sido prestadas publicamente. Guedes garantiu que a PRF não distingue cidadãos. Ele ainda avaliou que o caso não vai abalar a credibilidade da Polícia rodoviário junto a população.










ALEC
Atualizado em: 05/04/2011 - 3:59 pm


Entra e sai na Assembleia Legislativa. Os deputados estaduais aprovaram nesta terça-feira (5), durante sessão em plenário, a concessão de licença aos deputados Augustinho Moreira (PV) e Hermínio Resende (PSL). Desta forma, durante os próximos 120 dias, as cadeiras serão ocupadas por Edísio Pacheco (PV) e Perboyre Diógenes (PSL).

A licença de Augustinho Moreira, por 120 dias, foi justificada como “interesse particular” por isso, o parlamentar não deve receber remuneração enquanto estiver fora do exercício do mandato.

Já o deputado Hermínio Resende (PSL), solicitou a licença, em igual período, para tratamento de saúde. O parlamentar deve ser submetido a uma cirugia na Alemanha para a retirada de uma hérnia de disco. A licença, neste caso, é remunerada.










Com a palavra
Atualizado em: 05/04/2011 - 12:31 pm


Oi gente,

Ao buscarmos o nome para esta coluna nos deparamos com uma dúvida: qual título poderia representar a junção de pensamentos e o misto de notícia e opinião que pretendemos dar a este espaço? Encontramos a resposta no dicionário: PolitiKá.

A Política “com K” é muito mais do que a referência óbvia da relação entre o assunto abordado aqui e a colunista. Do grego, Politiká (escrito assim, com K e acento no A) remete a “assuntos políticos”. E o político (personagem frequente desta coluna), chamado na Grécia antiga de politikós, tem em seu significado o que é “relativo aos cidadãos”.

O propósito desta coluna é levar ao leitor os diversos discursos e ações desse universo, com ênfase na política local e seus desdobramentos na conjuntura nacional.

O compromisso é ir além da notícia, revelando as informações que estão por trás do declaratório. As motivações, encontros e desencontros dos bastidores, os conflitos de interesses, a disputa pelo poder de modo que a prática política possa ser confrontada com a missão primeira de garantir o bem comum.

É uma forma de ver os contrastes entre o real e o ideal, assumindo a postura de cobrar que o interesse público prevaleça. Não se trata de um fiscal da moralidade, do que é certo ou errado, mas apenas um espaço para lembrar que a política está acima dos políticos e vai muito além dos gabinetes.

Em suma, o compromisso com a informação e com o debate honesto, aberto à colaboração de convidados que irão oferecer as diferentes interpretações e avaliações sobre mundo político.

Sejam bem-vindos e obrigada.






Páginas«1 ...20552056205720582059