Eleições 2018
Atualizado em: 21/09/2018 - 10:00 am


Sem conseguir votos de Haddad, Ciro foca eleitores de Alckmin e Marina. Foto: Leo Canabarro

Com dificuldades em desidratar a candidatura de Fernando Haddad (PT), que tem crescido nas pesquisas eleitorais, o candidato do PDT à sucessão presidencial, Ciro Gomes, mudou sua estratégia eleitoral e agora priorizará os eleitores do campo de centro.

Considerado a principal segunda opção na disputa deste ano, como mostrou pesquisa Datafolha, ele moldará o discurso público para tentar se viabilizar como a “terceira via” e avançar sobre aqueles que hoje declaram intenção de votar em Geraldo Alckmin (PSDB) ou Marina Silva (Rede).

A ideia dele é de se apresentar como um candidato moderado e que poderá evitar um segundo turno entre os dois polos radicais desta campanha eleitoral: PT e PSL. Para isso, ele reforçará propostas nas áreas de saúde e educação, que possuem mais apelo entre o eleitorado de centro. “A estratégia é não ser nem coxinha nem mortadela, mas ser rapadura: duro, porém doce”, resumiu o presidente nacional do PDT, Carlos Lupi.

Sem efeito
Inicialmente, com a entrada de Haddad na disputa presidencial, o objetivo de Ciro era tentar herdar as intenções de voto do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, argumentando que era aposta mais competitiva e preparada do campo de esquerda. O esforço, contudo, não surtiu o efeito desejado. Haddad tem tido êxito na transferência de votos de Lula e tem se isolado em segundo lugar na disputa eleitoral, ficando atrás apenas de Jair Bolsonaro, do PSL.

Sudeste
Para viabilizar a nova estratégia, Ciro irá dedicar as duas últimas semanas de campanha eleitoral a caminhadas e encontros no Sudeste, onde Alckmin tem seu melhor desempenho no país e onde o percentual de indecisos é maior.

Segunda opção
Segundo a última pesquisa Datafolha, Ciro é hoje a principal segunda opção de voto dos eleitores que pretendem votar em Haddad e Marina. Entre os que tem preferência em Alckmin, ele fica atrás apenas de Marina.

Nordeste
Em uma derradeira tentativa de desidratar Haddad, Ciro fará neste final de semana seu último périplo pelo Nordeste. Na viagem, pretende poupar Lula da críticas e dirá que tem mais chances que Haddad de vencer Bolsonaro.










Eleições 2018
Atualizado em: 21/09/2018 - 9:00 am


Bolsonaro aposta no Nordeste para tirar votos do PT e tentar vitória no 1º turno

Nos celulares dos aliados de Jair Bolsonaro (PSL) pululam vídeos de manifestações de apoio ao presidenciável em cidades do Nordeste: adesivaços, panfletagem, carreatas.

Essa região do Brasil virou o novo objeto de desejo da campanha do capitão reformado do Exército, que acredita que uma possível vitória no primeiro turno passa por roubar votos dos adversários, especialmente do PT.

Nas próximas semanas, os filhos de Bolsonaro, os deputados Eduardo e Flávio, e outros aliados devem começar a colocar destinos nordestinos em seus roteiros de campanha. Em reunião nesta terça-feira (18), em São Paulo, eles se encontraram com uma produtora contratada pelo PSL e gravaram vídeos destinados a eleitores de estados como a Bahia.

“A surpresa virá do Nordeste. Essa falácia [do PT] dizer ‘o Nordeste é nosso’ porque fizeram um chiqueiro, trataram todo mundo como carneiro e porco, deram Bolsa Família e [dizem] ‘o povo é idiota’. Vocês vão ver como mudou essa nação com as redes sociais, que pode mostrar com clareza quem é quem. O Brasil vai presenciar a eleição no primeiro turno com a surpresa do Nordeste”, diz o senador Magno Malta (PR-ES), que foi cogitado para a vaga de vice de Bolsonaro e é um dos aliados mais próximos do candidato.

Terra de Lula
Luciano Bivar, fundador do PSL e apoiador da candidatura, mostra orgulhoso o vídeo de uma carreata pró-Bolsonaro da qual ele participou no sábado (15) em Garanhuns (PE), terra onde nasceu o ex-presidente Lula (PT). Sobre um caminhão de som, ele diz que o brasileiro quer se livrar “do socialismo e do comunismo”.

Paraíba
Julian Lemos, vice-presidente do PSL, mostra outro vídeo, gravado em João Pessoa, na Paraíba. O conteúdo é semelhante: uma longa fila de carros, bandeiras verde e amarelas e gritos de “Brasil acima de tudo, Deus acima de todos”.

Faro
O deputado federal Onyx Lorenzoni (DEM-RS), coordenador da campanha, diz não acreditar em levantamentos de institutos de pesquisa. Ele afirma que se guia “por faro”, falando com pessoas na rua e com aliados nos diferentes estados. Ele passou a última semana conversando por telefone com correligionários do Nordeste e crava que Bolsonaro já tem o apoio necessário na Bahia para ganhar no primeiro turno. “Tenho escritórios de advocacia por todo o Nordeste: Recife, João Pessoa, Natal, Fortaleza, Salvador. Em todos os lugares eu percebo um apoio muito forte nas ruas”, completa o advogado Antonio de Rueda, parte do núcleo forte bolsonarista.

Para todos eles, a grande influência do PT na região faz com que eleitores de Bolsonaro tenham medo de manifestarem sua opção pelo candidato publicamente. Haveria, assim, uma grande massa de votos nordestinos “escondidos” para o candidato do PSL, que se revelariam somente no dia da eleição.

Pesquisa
Pesquisa Datafolha divulgada nesta quinta-feira (20) mostra Bolsonaro com 28% das intenções de voto, seguido por Fernando Haddad (PT), com 16%, Ciro Gomes (PDT), 13%, Geraldo Alckmin (PSDB), 9%, e Marina Silva (Rede), 7%. O Nordeste é a região em que Bolsonaro tem seu pior desempenho, atrás de Haddad (26%) e empatado com Ciro Gomes, com 17% das intenções de voto. É a única na qual ele não lidera. No Sul, no Sudeste e no Centro Oeste, o candidato abre larga vantagem sobre os demais. No Sul, conta com 37% das intenções contra 10% de Haddad e Álvaro Dias (Pode). No Sudeste, tem 30% ante 13% do petista. No Centro Oeste, alcança 36%, o triplo em relação ao ex-prefeito de São Paulo.

Estratégia
Além de investir forças no Nordeste, os bolsonaristas têm outra estratégia complementar para tentar resolver a eleição no dia 7 de outubro e evitar o segundo turno: apelar ao voto útil. O plano passa a ser, então, convencer eleitores de Álvaro Dias, Henrique Meirelles (MDB), João Amôedo (Novo) ou Alckmin de que são a única alternativa viável para evitar a volta do PT à Presidência. Os discursos nesse sentido já começaram a ser feitos.

“Os eleitores deles já perceberam a importância de dar um voto no primeiro turno em Bolsonaro para evitar que a gente volte a ter qualquer risco do câncer chamado PT voltar a comandar o país. Estamos a um Amoêdo de ganhar a eleição no primeiro turno, tenho certeza”, diz Flávio Bolsonaro, candidato ao Senado no Rio. “A facada no meu pai fez com que as pessoas adiantassem a escolha delas. O eleitor costuma deixar para escolher mais em cima da hora.” “Só não digo que estamos a um Alckmin de vencer porque ele é muito ‘pequenininho’, quase não tem voto”, completa, provocando gargalhadas nos aliados presentes.










Ceará
Atualizado em: 21/09/2018 - 8:00 am


.

Ailton Lopes (Psol)

  • 7h – Panfletagem em frente ao CH1/UFC, no Benfica
  • 11h – Panfletagem em frente ao Restaurante Universitário/UFC, no Benfica
  • 17h – Panfletagem em frente ao CH1/UFC, no Benfica
  • 19h – Dia Mundial da Inclusão na Casa do Sol, Benfica

Camilo Santana (PT)

  • 7h – Caminhada em Fortaleza
  • 17h – Caminhada em Quixeramobim

Gonzaga (PSTU)

  • 4h – Panfletagem e conversa com rodoviários em Caucaia
  • 6h – Panfletagem e conversa com operários no Centro de Fortaleza

Hélio Góis (PSL)

  • Não terá agenda pública de campanha

Mikaelton Carantino (PCO)

  • Não terá agenda pública de campanha

Theophilo (PSDB)

  • 10h – Visita ao município de São Gonçalo do Amarante
  • 16h – Visita ao município de Itapajé









Fortaleza
Atualizado em: 20/09/2018 - 6:34 pm


O cabeamento conecta o Brasil ao país Africano e deverá desenvolver, em Fortaleza, um novo Hub de telecomunicações

O prefeito Roberto Cláudio recebeu, na tarde desta quinta-feira (20), no Paço Municipal, uma delegação da República de Camarões composta pelo embaixador de Camarões no Brasil, H.E Martin A. MBeng; bem como o diretor do responsável por Assuntos Americanos, o Ministro de Relações Externas, o Ministro das Telecomunicaçães, um consultor técnico, dois representantes da empresa de telecomunicações de Camarões (CAMTEL) e um representante de rádio e televisão de Camarões.

A pauta da reunião foi o lançamento do novo cabo de fibra ótica submarino SAIL, cuja instalação, finalizada em 4 de setembro, realiza uma nova ligação entre o Brasil e o continente africano. Este é o segundo cabo instalado em Fortaleza que liga o Brasil a África.

O grupo também esteve reunido na última quarta-feira (19) com representantes do Governo Federal em Brasília. A instalação do cabo dá início a um estreitamento das relações entre o Brasil e Camarões, consolidando-se brevemente como uma oportunidade de crescimento das economias por meio de um novo Hub de telecomunicações.

Estratégico
O interesse da República de Camarões em Fortaleza, conforme o embaixador MBeng, é estratégico devido a localização da cidade em relação ao continente africano, envolvendo também outros países da África. Ele espera que o funcionamento dos cabos seja iniciado em novembro deste ano. “Gostaríamos de contar com a Prefeitura de Fortaleza para realizar este lançamento simultaneamente dos dois lados do Atlântico e se envolver a longo prazo neste processo, levando esta parceria a outro nível”, disse.

Potenciais
O prefeito Roberto Claudio, pontuou que esta é uma oportunidade, ainda, de trocar informações e detectar outros potenciais entre Fortaleza e Camarões, prestando total apoio ao projeto. “A comunicação que antes precisava passar pela estrutura nos Estados Unidos agora poderá, portanto, vir direto para o Brasil de forma mais rápida e mais eficiente“.

Nova instalação
A instalação dos quatro pares de cabos de fibra ótica tiveram financiamento de empresas da China (China Unicom e Huawei) e de Camarões (CamTel), com companhia de telecomunicações espanhola (Telefónica) também parcialmente no fornecimento. Com capacidade inicial de 32 terabits por segundo, o cabo tem cerca de 6 mil km de extensão, atravessando Oceano Atlântico de Fortaleza (Brasil) a Kribi (Camarões). A ligação Brasil-África deverá se interconectar, ainda, com 11 cabos terrestres da entidade chinesa que atravessam o Oriente Médio. A expectativa é a geração de pelo menos 45 milhões de dólares por mês.

Com informações da Assessoria










Bastidores
Atualizado em: 20/09/2018 - 5:27 pm


PF pede prorrogação de inquérito sobre ataque a Bolsonaro. Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil

A Polícia Federal pediu à 3ª Vara Federal em Juiz de Fora a prorrogação, por mais 15 dias, do prazo para concluir o inquérito sobre a agressão ao candidato Jair Bolsonaro (PSL). A medida, segundo os investigadores, é necessária para encerrar diligências consideradas indispensáveis.

“Com tais elementos probatórios a serem recolhidos nas próximas semanas, a PF pretende avançar no sentido de caracterizar a autoria e materialidade do ato criminoso, bem como determinar as motivações do agressor e delimitar eventuais co-participações”, informou a PF em nota.

Andamento
Por ora, os policiais entrevistaram 38 pessoas e colheram 15 depoimentos de testemunhas. O autor do ataque, Adelio Bispo de Oliveira, prestou três interrogatórios. “Foram pleiteadas e obtidas junto ao Poder Judiciário várias medidas cautelares, como quebra de sigilo bancário, telefônico e telemático”, afirmou a PF.

E ainda
Já foram analisados dois terabytes de imagens. Houve diligências de investigação em Juiz de Fora, Montes Claros, Uberaba, Uberlândia, Pirapitinga, Belo Horizonte e Florianópolis. A PF concluiu cinco laudos periciais, sendo que outros quatro estão em andamento.

Com informações da Folha










Eleições 2018
Atualizado em: 20/09/2018 - 4:28 pm


Datafolha aponta que 29% não dão nenhuma importância ao candidato a vice

Pesquisa do Datafolha aponta que a maior parte do eleitorado dá pouca ou nenhuma importância ao candidato a vice na eleição presidencial.

Em levantamento feito entre a terça (19) e a quarta-feira (20), 29% dos entrevistados disseram que não há nenhuma importância no nome a vice no pleito presidencial, e 25% consideram a questão com “um pouco de importância”.

Consideram o vice uma questão de “muita importância” na eleição 43% dos eleitores entrevistados, e 3% não souberam responder.

Haddad
Os vices ganharam um peso maior na eleição deste ano por dois fatores. Primeiro, o PT inicialmente escolheu Fernando Haddad para essa função em sua chapa, antes de o ex-presidente Lula ter o registro de sua candidatura avaliado na Justiça Eleitoral. Com Lula preso em Curitiba, Haddad atuou em agendas de campanha em nome do ex-presidente. No último dia 11, Haddad foi colocado pelo partido como cabeça da chapa.

Mourão
Outro vice ganhou importância na corrida eleitoral: Hamilton Mourão (PRTB), general da reserva, passou a ser um representante de Jair Bolsonaro (PSL) em atividades da campanha, já que o presidenciável está hospitalizado desde que foi esfaqueado, há duas semanas.

Temer
Além disso, o PT costuma ser criticado na campanha por ter escolhido para vice em 2014 Michel Temer (MDB), que assumiu a Presidência com o impeachment de Dilma Rousseff em 2016.

Ficha Técnica
A pesquisa Datafolha ouviu 8.601 eleitores em 323 municípios brasileiros, nos dias 18 e 19 de setembro de 2018. A margem de erro é de 2 pontos percentuais, para mais ou para menos. O nível de confiança é de 95%. O levantamento está registrado no Tribunal Superior Eleitoral com o número BR-06919/2018. Os contratantes da pesquisa são a Folha de S. Paulo e a TV Globo.










Corrupção
Atualizado em: 20/09/2018 - 2:21 pm


PF desarticula esquema de fraudes contra a Previdência

Em conjunto com a Força Tarefa Previdenciária, a Polícia Federal deflagrou na manhã desta quinta-feira (20) a Operação Em Família, para desarticular um esquema de fraudes na obtenção de benefícios previdenciários no município do Rio de Janeiro.

Segundo informações da Polícia Federal, foram cumpridos quatro mandados de busca e apreensão, expedidos pela 7ª Vara Criminal da Justiça Federal do Rio de Janeiro.

“A Operação investiga grupo criminoso formado por uma advogada e seus familiares, que atua desde a década de 90 fazendo uso de documentos falsos para criar segurados e dependentes com o intuito de receber benefícios previdenciários”.

E ainda
Foram identificados o pagamento irregular de 14 benefícios, e que levaram ao desvio estimado pela Força Tarefa Previdenciária de aproximadamente R$ 2,9 milhões. Os investigados responderão pelos crimes de uso de documento falso e de estelionato previdenciário. Ao denominar a ação como Operação Em Família, a PF faz alusão ao fato de que os fraudadores pertencem todos à mesma família e usavam os próprios nomes ou de personagens criados por eles.

Com informações da Agência Brasil










Eleições 2018
Atualizado em: 20/09/2018 - 1:28 pm


‘Parece até filme de terror’, diz programa de Alckmin sobre 2º turno entre Bolsonaro e Haddad

Estagnado nas pesquisas de intenção de voto, o candidato do PSDB à Presidência, Geraldo Alckmin, elevou o tom em seu programa no rádio nesta quinta-feira (20).

A estratégia é tentar convencer o eleitor bolsonarista que o voto no capitão reformado vai recolocar o PT no governo.

“Parece até filme de terror. Um não tem experiência e outro quer vencer na base do grito”, afirma a campanha tucana sobre um eventual segundo turno entre Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT).

Pesquisa
Pesquisa Datafolha divulgada nesta quinta (20) mostra o parlamentar com 28% das intenções de voto, seguido pelo petista, que tem 16%. Na simulação do segundo turno, ambos estão empatados com 41%. Já o candidato do PSDB tem 9%, mas venceria o petista num segundo turno, com 39% contra 35%, e ficaria tecnicamente empatado com Bolsonaro, com 40% contra 39% do capitão reformado.

Críticas
Dessa vez, as críticas aos dois rivais também aparecem na voz de Alckmin, que equipara o cenário a um “salto no escuro” e cita os impeachments de Fernando Collor (PTC) e Dilma Rousseff (PT) para exemplificar que o país não pode ser governado por alguém sem apoio e experiência ou por “um poste vermelho”. “Não podemos repetir os mesmos erros. Convido você a pensar com o espírito desarmado”, diz.

A mensagem é reforçada pela vice Ana Amélia (PP), que diz que muitos querem votar em Bolsonaro para não eleger o PT, mas que o efeito será o contrário.

Cilada
Na campanha de Haddad, o PT critica Michel Temer (MDB), dizendo que, com ele, “o povo está em uma cilada”. O petista ainda apresenta propostas para retomar a geração de empregos no país, e sua vice, Manuela D’Ávila (PC do B), promete luta pela igualdade salarial entre homens e mulheres.

E ainda
A pesquisa Datafolha entrevistou 8.601 eleitores de 323 municípios na terça (18) e na quarta (19). A margem de erro é de dois pontos percentuais. O nível de confiança da pesquisa é de 95%. O levantamento, registrado no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) com o número BR-06919/2018, foi contratado pela Folha de S.Paulo e pela TV Globo.










Bastidores
Atualizado em: 20/09/2018 - 12:27 pm


Patrícia Pillar declara voto em Ciro ao rebater boatos com seu nome

Patrícia Pillar, 54, compartilhou em suas redes sociais na noite desta quarta (19) um vídeo em que afirma ter sido alvo de fake news, além de ter sua imagem associada erroneamente ao candidato à presidência Jair Bolsonaro (PSL).

A atriz foi casada por 12 anos com Ciro Gomes (PDT), de quem se separou em 2011. Em um meme que circula na internet com sua foto, consta a frase “gente, eu nunca fui casada com o Bolsonaro, quem me batia era o Ciro Gomes”. Segundo ela, a afirmação é falsa.

“Estão usando a minha imagem para divulgar notícias falsas, favorecendo um candidato que jamais seria o meu. Eu nunca sofri nenhum tipo de violência por parte de ninguém. Isso é totalmente falso”, afirma.

Manifestação
A atriz já havia se manifestado contra Jair Bolsonaro, compartilhando a hastag #elenão em seu Instagram. “Quero dizer também que independente de quem é o seu candidato o que a gente precisa agora é de paz e de respeito. Eu desejo uma excelente eleição para todos nós, porque é o que o Brasil precisa”, completou a atriz, que esteve na série “Onde Nascem os Fortes” (Globo).

Política
Em um segundo vídeo, a atriz disse que sempre gostou de política. “Política como possibilidade de diálogo, como uma troca de ideias, uma coisa positiva pra vida das pessoas . E o que eu defendo é um caminho novo, diferente do que está aí”, afirmou, declarando seu voto em Ciro Gomes. “O meu candidato é o Ciro Gomes, porque eu acredito no projeto que ele tem para o Brasil. Eu conheço o Ciro e voto no Ciro Gomes. Boas eleições para todos nós e não deixe de votar. O seu voto é muito importante”, finalizou.

E ainda
Assim como ela, outros famosos tiveram suas imagens associadas a certos candidatos e foram pressionados a revelar seu voto, como Anitta, que usou as redes sociais para pedir respeito por escolher não declarar seu candidato. “É totalmente incoerente dizer que eu apoio a morte à comunidade LGBTQ+ quando eu faço parte dela. Estaria apoiando minha própria morte”, escreveu a cantora em sua conta no Twitter.










Eleições 2018
Atualizado em: 20/09/2018 - 11:25 am


Estagnado no Datafolha, Ciro pede a eleitores que desconsiderem pesquisas

Após aparecer estagnado com 13% das intenções de voto na pesquisa Datafolha, o presidenciável Ciro Gomes (PDT) fez um apelo contra o voto útil nesta quinta-feira (20), além de levantar dúvidas sobre a honestidade dos institutos de pesquisa.

O candidato disse que espera que o eleitor não mude o voto por influência das pesquisas, feitas quase que diariamente, e que, ao menos no primeiro turno, vote com convicção no candidato que julgue o mais preparado e com melhor projeto para o país.

“Não é razoável que um cidadão amadurecido politicamente entregue sua decisão e da sua família a institutos de pesquisa, nem porque podem ser desonestos -porque estamos no país em que até deputado se compra quanto mais instituto de pesquisa-, mas porque estamos num sistema em que podemos ter duas opções, uma no primeiro turno e outra no segundo, por isso devemos votar em quem achamos melhor”, disse.

Agenda
Ciro participou de um encontro no Instituto dos Arquitetos do Brasil, na região central de São Paulo, em que falou de suas propostas para a economia e habitação. Ele também assinou a carta “Nossas cidades pedem socorro”, documento com 53 propostas de planejamento urbano para o país, entre elas a democratização do acesso ao crédito imobiliário e investimento na ampliação da rede ferroviária e hidroviária. O mesmo documento foi apresentado aos demais candidatos à Presidência e já assinado por Guilherme Boulos (PSOL).

Bolsonaro
O candidato também aproveitou para criticar o voto em Bolsonaro. “O pior é que uma fração da população, por um misto de desânimo e revolta sem causa descamba para o nazismo, para a violência e para a ruptura da prática democrática e do diálogo”, disse. Ao sair do encontro, Ciro classificou o candidato como um “fenômeno nazista, militarista e extremista”.

Pesquisa
No recente levantamento do Datafolha, o pedetista aparece tecnicamente empatado com ex-prefeito Fernando Haddad (PT), que atingiu 16% -a margem de erro é de dois pontos percentuais. Jair Bolsonaro lidera com 28% das intenções de voto.

Segundo turno
As simulações do Datafolha para segundo turno mostram que Ciro é o único candidato que venceria todos os rivais. Ele bateria Bolsonaro com 45% das intenções, vantagem de 6 pontos sobre o capitão.

Ficha
O instituto entrevistou 8.601 eleitores de 323 municípios na terça e na quarta (19). A pesquisa foi contratada pela Folha de S.Paulo e pela TV Globo. O nível de confiança da pesquisa é de 95%. O levantamento registrado no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) com o número BR-06919/2018.










Eleições 2018
Atualizado em: 20/09/2018 - 9:07 am


Bolsonaro vai a 28% e Haddad, a 16%; Ciro lidera no 2º turno, mostra Datafolha

​​Afastado da campanha nas ruas há duas semanas, o deputado Jair Bolsonaro (PSL) manteve a liderança da corrida presidencial, de acordo com uma nova pesquisa feita pelo Datafolha.

Conforme o levantamento, concluído nesta quarta (19), o capitão reformado do Exército oscilou dois pontos para cima e alcançou 28% das intenções de voto, mantendo a trajetória de crescimento observada desde o início da campanha.

Empate
O ex-prefeito Fernando Haddad (PT), que cresce desde sua confirmação como substituto do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na corrida, atingiu 16% das preferências, três pontos a mais do que na semana passada. O candidato petista continua tecnicamente empatado com Ciro Gomes (PDT), que ficou estagnado, com 13%.

Região
As menções espontâneas a Bolsonaro também cresceram nos últimos dias, assim como as citações a Haddad. Bolsonaro cresceu no Sudeste, Norte e Sul, onde atingiu sua melhor marca (37%), e ganhou pontos entre jovens e até entre mulheres, apesar da grande rejeição no segmento. O petista cresceu no Sudeste e no Nordeste -onde alcança a melhor pontuação (26%) e única região em que está à frente de Bolsonaro.

Em baixa
O ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB), que tem quase metade do tempo de TV, está estagnado na pesquisa, com 9%. O tucano aparece empatado com Marina Silva (Rede), que agora soma 7% das preferências, menos da metade do que tinha no início da campanha.

Segundo turno
As simulações do Datafolha para segundo turno mostram que Ciro é o único candidato que venceria todos os rivais.
Ele bateria Bolsonaro com 45% das intenções, vantagem de 6 pontos sobre o capitão. Nos outros cenários, Bolsonaro empata com Haddad, Alckmin e Marina.

Rejeição
A rejeição a Bolsonaro continua alta, e a de Haddad cresceu. Segundo a pesquisa, 43% dos eleitores dizem que não votariam de jeito nenhum no capitão e 29% rejeitam o petista.

Certeza do voto
Os eleitores de Bolsonaro e Haddad são os mais convictos. Apenas um de cada quatro apoiadores dos candidatos admite escolher outro nome. No conjunto do eleitorado, 40% dizem que podem mudar o voto. Entre eles, 15% indicam Ciro como segunda opção, 13% apontam Marina, 12% optam por Haddad e Alckmin e 11% indicam Bolsonaro. Os eleitores de Ciro, Alckmin e Marina são os menos decididos. Mais da metade admite escolher outro candidato, e muitos têm trocado de camisa nas últimas semanas.

Número
O instituto também perguntou aos entrevistados se sabem o número de seu candidato. Responderam corretamente 48%, e 42% não souberam dizer o número certo.

Ficha técnica
O instituto entrevistou 8.601 eleitores de 323 municípios na terça e na quarta (19). A margem de erro é de dois pontos percentuais. A pesquisa foi contratada pela Folha de S.Paulo e pela TV Globo. O nível de confiança da pesquisa é de 95%. O levantamento registrado no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) com o número BR-06919/2018.










Agenda
Atualizado em: 20/09/2018 - 8:00 am


.

Ailton Lopes (Psol)

  • 6h30 – Panfletagem em frente à UECE
  • 9h – Assinatura de Compromisso em defesa da população LGBTI+
  • 14h – Panfletagem em frente ao North Shopping
  • 19h – Acompanha candidaturas do PSOL ao Senado em debate na UNI7
  • 20h30 – Jantar de apoiadores da candidatura de deputado estadual no Benfica

Camilo Santana (PT)

  • 7h – Caminhada em Fortaleza
  • 17h – Adesivaço na Av. Barão de Studart com Av. Santos Dumont

Gonzaga (PSTU)

  • 6h – Panfletagem e conversa com trabalhadores no Mucuripe
  • 7h30 – Entrevista na Rádio FM DOM BOSCO
  • 8h – Panfletagem no Centro de Fortaleza
  • 18h – Plenária interna com militantes do partido

Hélio Góis (PSL)

  • Manhã – Reunião com candidatos no comitê
  • 15h – Sessão solene na Câmara Municipal de Fortaleza

Mikaelton Carantino (PCO)

  • 10h30 – Conversa com professores da rede estadual em Pacajus
  • 16h30 – Conversa com professores da rede estadual em Fortaleza

Theophilo (PSDB)

  • 10h – Visita ao município de Acopiara
  • 15h – Visita ao município de Icó









Bastidores
Atualizado em: 19/09/2018 - 6:34 pm


Em vídeo, Ciro diz que pesquisas internas do PDT dão números diferentes do Ibope

Estagnado em 11% nas últimas duas pesquisas Ibope e ultrapassado por Fernando Haddad (PT), hoje com 19%, o candidato do PDT ao Planalto, Ciro Gomes, publicou no Twitter um vídeo para acalmar seu eleitorado.

Nele, Ciro diz que as pesquisas internas do partido, que não podem ser divulgadas porque não são registradas, “dão números completamente diferentes” dos do Ibope, que indicam segundo turno entre Haddad e Jair Bolsonaro (PSL).

“Dá pra gente trabalhar animado”, diz, depois de pedir que sua militância continue “aguerrida e entusiasmada” nas ruas.

Comparando
Ciro também fez uma comparação indireta da sua situação com a do tucano Aécio Neves nas últimas eleições, quando as pesquisas apontavam, duas semanas antes, um segundo turno entre Dilma Rousseff (PT) e Marina Silva, então do PSB. Segundo o pedetista, “as pesquisas estão saindo quase todo dia, e trazem números que, às vezes, podem confundir o eleitor”. “Eu quero lembrar o que aconteceu na reta final das últimas eleições, as de 2014, quando as pesquisas davam um quadro completamente diferente de resultado verdadeiro que saiu depois”, diz Ciro.

“Lição”
O vídeo reproduz então um trecho do Jornal Nacional divulgando a pesquisa Ibope de 23 de setembro de 2014, em que Dilma tinha 38%, Marina, 28% e Aécio, 19%. “Tá vendo aí? O resultado das urnas foi completamente diferente”, afirma Ciro. “Então, meu povo, a lição que fica mesmo é que a gente nunca pode transferir a nossa decisão e o nosso entusiasmo para os institutos de pesquisa.”










Bastidores
Atualizado em: 19/09/2018 - 5:22 pm


Candidata do PSDB pede que PF identifique responsáveis por vazamento de fotos íntimas

A candidata ao Senado da coligação Tá na Hora de Mudar, Dra. Mayra, ingressou na Polícia Federal com uma notícia/crime para apurar, identificar e punir os responsáveis pelo compartilhamento criminoso de fotos íntimas dela nas redes sociais e aplicativos de mensagens.

“Incomodados com o crescimento da nossa campanha, pessoas inescrupulosas e com motivação política, estão fazendo uso criminoso dessas imagens para atacar a minha integridade e atingir meus familiares”, afirmou ela.

Crime digital
A candidata relata que em 2015 foi vítima de um crime digital. “Tive o meu computador roubado, à semelhança do que aconteceu com a atriz Carolina Dieckmann, fotos íntimas minhas que estavam na lixeira do meu computador foram roubadas e divulgadas como forma de me extorquir e me causar prejuízo”, contou.

Na rede
Agora, quando ela se coloca como candidata ao Senado, as imagens voltam a circular incluindo legendas políticas. “Provavelmente por pessoas que tentam impedir o crescimento de minha candidatura. Mas não vão me impedir. Isso me causa somente uma indignação muito grande por eu ser mulher e isso me faz ser solidária a todas as mulheres que já foram vítimas e que sofreram essa tentativa de ultraje”, afirmou.

Lei
Dra. Mayra informa que é preciso que a sociedade compreenda que esse tipo de atitude é crime digital previsto em lei. “Todas as pessoa que repassam essas imagens também estão incorrendo em crime. É uma violência, um desrespeito contra nós mulheres num contexto em que nós estamos sendo protagonistas”. Dra. Mayra disse, ainda que, elegendo-se senadora, pretende apresentar um projeto de lei no qual preveja que os crimes digitais julgados possam constar numa lista e apresentada à sociedade.










Em Brasília
Atualizado em: 19/09/2018 - 4:24 pm


Proposta é de autoria do senador Tasso Jereissati. Foto: Pedro França/Agência Senado

Uma nova forma de parceria entre o poder público e a iniciativa privada está sendo estudada pelo Senado. É o Contrato de Impacto Social (CIS), previsto em um projeto de lei em análise na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE).

O CIS é o acordo de vontades por meio do qual uma entidade pública ou privada, com ou sem fins lucrativos, se compromete a atingir determinadas metas de interesse social, mediante o pagamento de contraprestação do poder público.

O autor da proposta (PLS 338/2018), senador Tasso Jereissati (PSDB-CE), explica que, em linhas gerais, é um contrato público a ser firmado com agente privado que fica responsável pela prestação de serviço de impacto social no qual são previstos pagamentos públicos condicionados ao atingimento de metas de resultados pelo contratado.

Modelo
Segundo ele, o modelo já vem sendo implantado com sucesso em outros países do mundo, e até mesmo por grandes metrópoles, como Nova Iorque. Além disso, seria uma forma de se ampliar as possibilidades de engajamento da iniciativa privada em projetos sociais para além dos limites da filantropia.

“A grande vantagem do CIS é o fato de o risco do atingimento das metas de interesse social ser exclusivo do parceiro privado. Se forem atingidas as metas, o poder público realiza o desembolso devido; se não, nada é devido, e o parceiro privado arca integralmente com esse fracasso. Não são poucos os espaços para a atuação de sucesso desse instrumento, mas especialmente na gestão educacional seu campo de relevância será enorme”, explicou ao apresentar o projeto.

Tramitação
O PLS 338/2018 vai passar pelas Comissões de Assuntos Econômicos e de Constituição e Justiça (CCJ), que vai dar decisão terminativa — ou seja, sem necessidade de análise posterior do Plenário, a menos que haja recurso para isso.

Com informações da Agência Senado






Páginas12345678... 1816»