Congresso
Atualizado em: 01/06/2011 - 10:52 pm

Por Gabriel Castro, da Veja.com

Marco Maia, presidente da Câmara Federal. Foto: Luiz Cruvinel/Agência Câmara

Marco Maia, presidente da Câmara Federal. Foto: Luiz Cruvinel/Agência Câmara

O presidente da Câmara dos Deputados, Marco Maia (PT-RS), tornou sem efeito a convocação do ministro da Casa Civil, Antonio Palocci, para dar explicações de como multiplicou seu patrimônio por 20 em um período de apenas quatro anos. Pelo menos até terça-feira, quando sai a decisão em defintivo, Palocci está livre de ter de comparecer ao Legislativo.

Acusações
O requerimento de convocação do ministro foi aprovado em votação simbólica na Comissão de Agricultura da Casa, na manhã desta quarta-feira. A base aliada acusou a oposição de fraudar o resultado. Tudo isso porque a decisão, em caráter simbólico, não pressupunha uma contagem individual dos votos. Quem era contra o requerimento deveria erguer o braço, o que nem todos os governistas fizeram.

Revisão
O deputado Paulo Piau (PMDB-MG) apresentou uma questão de ordem ao presidente da Câmara, pedindo a revisão do resultado. Marco Maia disse que irá analisar a situação com equilíbrio, mas já deu um sinal de que a pressão da base pode funcionar: “É muito ruim uma decisão tomada por uma comissão e que é questionada pela ampla maioria dos integrantes dessa comissão”, declarou.

Oposição
O líder do DEM na Câmara, ACM Neto (BA), disse que a revogação da decisão seria inaceitável: “A oposição cumpriu o regimento. Não podemos ser golpeados. Aí nós iremos ao Supremo”, adiantou.

O líder do PSDB, Duarte Nogueira (SP), também não aceita um recuo: “O ministro está convocado. A votação foi regimental”.



0 comentários







0 comentários
Topo | Home