Primeiro Plano
Atualizado em: 09/11/2011 - 6:08 pm

A entrevista foi gravada no jardim do Paço Municipal.

Na segunda entrevista do Primeiro Plano Especial – A Copa do Mundo também é nossa, a prefeita de Fortaleza Luizianne Lins (PT) conversou com a jornalista Kézya Diniz nos jardins do Paço Municipal.

Se na primeira entrevista o secretário especial da Copa citou a construção do Castelão como principal trunfo para a escolha de Fortaleza como sede da Copa das Confederações em 2013 e da Copa do Mundo em 2014, Luizianne agora ressalta que fundamentais mesmo foram os investimentos realizados na cidade ao longo últimos dos anos. Ações de curto, médio e longo prazos que ultrapassariam, segundo a prefeita, “coisas pontuais”.

“Qual foi o governo municipal que fez a quantidade de obras que está sendo feita no nosso governo? Eu não me lembro!”, indagou a prefeita.

Projetos Megalomaníacos
Luizianne também fez um alerta sobre a expectativa geral para a construção de grandes obras em virtude da competição. Citando a Copa do Mundo da África do Sul, a prefeita de Fortaleza adverte que todas as obras devem “dialogar” com a cidade, sob o risco de ficarem sem serventia após a competição.

“Eu sou contra essa visão provinciana no sentido de se pensar que você tem que ter projetos megalomaníacos”. “A gente não quer que Fortaleza seja um exemplo disso”, disse.

Para a prefeita, em alguns casos soluções simples podem poupar tempo e dinheiro do consumidor, como a sugestão de decretar feriados nos dias de jogos para evitar problemas de mobilidade. Ideia da presidente Dilma Rousseff (PT), lançada numa reunião com prefeitos de capitais e governadores, segundo o relato de Luizianne.

Leia também:
Ferruccio Feitosa: “O mais importante é ter o estádio”

Copa eleitoral
Sobre o potencial eleitoral da Copa, a petista acredita que o povo saberá analisar. Para ela, gerir Fortaleza não se resume ao preparo da competição.

“Nós estamos investindo dois bilhões de reais até 2012, dinheiro que eu corri para buscar, passando o pires em Brasília, indo a banco atrás de empréstimo. (…) Entra prefeito, sai prefeito, daqui em diante o dinheiro está assegurado. Quem vier, só não faz quem não quiser”.

Na conversa, a prefeita também falou sobre outros assuntos, como o combate ao turismo sexual e qualificação da cidade para o turismo, o estádio Presidente Vargas e os prazos para as obras da Copa. Confira a entrevista completa nos vídeos abaixo:

Parte 1

Parte 2

Parte 3

Parte 4

Próxima entrevista
As entrevistas do Primeiro Plano especial “A Copa do Mundo também é nossa” são exibidas às 15 horas no canal 37 da NET e no portal Jangadeiro Online. Na TV Jangadeiro, o programa vai ao ar após o Jornal do SBT. Na quinta-feira (10) o convidado será Ricardo Teixeira, Presidente da CBF.



2 comentários







2 comentários
Topo | Home


Francisco Lima | quinta-feira novembro 10 2011 | 01:15

Acho que a prefeita não tem cérebro. Ela não lembra de Juracy, no primeiro mandato dela ela não fez nada, há não ser limpar a lagoa da Maraponga. Agora no segundo mandato já está terminando o mandato dela e ela não acaba aquele elefante branco chamado de hospital da mulher, que comecou ainda no primeiro mandato. A Bezerra de Meneses antes da copa terá que ser refeita, porque o piso do canteiro central está todo se desfazendo em muitos pontos. Pense num monte de dinheiro público mal administrado foi a obra da Bezerra. As alças do túnel até agora, ainda não está pronta. Prefeita quando a Senhora vai começar a realmente administrar a cidade? Os hospitais estão em estado de miséria, sejam estaduais ou municipais, as escolas as duas redes públicas a greve come de esmola porque os poderes executivos tanto do município quanto do estado não tem nenhum interesse na educação. Educação e saúde serve apenas como plataforma de enganar os menos instruídos na época da campanha política. Eu gostaria de saber como a prefeitura vai manter o hospital da mulher? será como está mantendo os postos de saúde e os frotinhas? sem medicamentos e sem profissionais? e o estado como vai manter o aquário se não paga os professores?

Olsen Azevedo | quinta-feira novembro 10 2011 | 10:49

Graças a deus que o mandato dela acaba em 2012, a mulher não quer que Fortaleza se desenvolva, se tiver algum projeto grande ela ver defeito, a administração da prefeita é muito ruim e as entrevistas de qualquer pessoa da prefeitura enrola e falando coisas que ninguém quer saber fugindo do foco da entrevista, ela ver assim o pessimista ver defeito nas coisas que aparecem era para ela ser otimista e ver oportunidade nas coisas que aparece.