Câmara Municipal
Atualizado em: 24/05/2011 - 1:50 pm

Professores da rede pública municipal fazem assembleia no pátio da Câmara de Vereadores de Fortaleza. Foto: Kézya Diniz.

Os professores municipais ocuparam, na manhã desta terça-feira (24), o pátio da Câmara Municipal Fortaleza (CMF), para protestarem contra o projeto apresentado pela Prefeitura para o reajuste da categoria.

Duas classes
Na proposta, o município pretende dividir a categoria em duas classes. Uma, de profissionais com o ensino médio e outra de professores graduados, com especialização, mestrado ou doutorado. Esta segunda faixa receberia apenas 2% de reajuste salarial.

Rápido
Segundo o vereador João Alfredo (PSOL), a matéria chegou à Câmara na última quinta-feira (19), passou muito rápido pelas comissões técnicas e já estava pronta para ser votada em plenário. A votação, no entanto, não aconteceu, por conta do apagão que deixou o prédio da CMF sem energia nesta quarta-feira (24).

Comparação
O vereador Guilherme Sampaio (PT), saiu em defesa da prefeitura e disse que a gestão já fez muito pela categoria nos últimos anos. Já o líder da prefeita, Ronivaldo Maia (PT) fez comparações e ressaltou que os salários pagos pelo município são melhores que os do Governo do Estado e por cidade bem menores como Maracanaú e Maranguape.

Justiça
Os professores de Fortaleza não concordaram com o argumento do líder da prefeita e a polêmica continua. Na próxima segunda-feira (30), a implantação do Piso Nacional dos professores vai ser tema de uma audiência no Tribunal de Justiça do Ceará. 

Acompanhe a matéria exibida no Jornal Jangadeiro desta terça-feira (24):

Com Redação do Jangadeiro On Line.



3 comentários







3 comentários
Topo | Home


RENATA | terça-feira maio 24 2011 | 19:02

Olá, Kezya! excelente reportagem, pena que esses vereadores , q na maioria foi colocado la por professores, hj querem lhes retirar direitos, pois nao tem compromisso com a sociedade, mas sim com a prefeita…fazem da escola apenas currais eleitorais com indicação de diretores…muito triste. Enquanto isso , a educação vai de mal a pior, com a prefeita enlouquecida desobedecendo uma lei do STF..onde ja se viu?

Rogerio | terça-feira maio 24 2011 | 21:41

Kézia, parabéns pela matéria! Pelo menos hje a ‘marmota’ da prefeita e vereadores em torno dessa vergonhosa proposta aos professores não aconteceu. Resta a categoria continuar lutando, mantendo a pressão e mostrando a sociedade quem são os verdadeiros desinteressados pela escola pública. Isto só é possível quando os trabalhadores da educação forem tratados com o mesmo respeito que dedicamos aos nossos alunos no do dia a dia das salas de aula. Um vexame a maneira como esse governo municipal e a maioria desses vereadores se posicionam contra a categoria, os frustrados ainda não somos nós!

FRANCISCA EBENEIDE | quarta-feira maio 25 2011 | 18:03

O Brasil é um dos países que mais tem Leis e que não são cumpridas. Será que temos que ficar calados diante disso? Não, de forma nenhuma temos que ficar calados . Temos si que buscar nossos direitos adquiridos, seja o pedreiro,o motorista, o medico , professores etc..Temos que lutar e fazer valer os nossos direitos. Quem a prefeita acha que é para querer tirar esse direito? Prefeita o seu mandato estar acabando. Você precisará do nosso voto. Nós lhe colocamos nesse cargo para vc trabalhar para ciddão. E nós professores fazemos parte desta classe. Então não seja omissa na sua função. Você não irá nos dar nosso direito, pois ele nós já ganhamos. Você precisa apenas cumprir o que a Lei manda.