Greve
Atualizado em: 04/11/2011 - 9:57 pm

Professores durante mobilização na Assembleia

Os professores da rede estadual de ensino receberam uma proposta nesta sexta-feira (4), do Governo do Estado do Ceará para reajuste de salário. Os professores podem receber 15% de acréscimo que seria implantado em duas parcelas. A primeira, de 7,5%, retroativa a 1º de novembro, já seria recebida neste mês; e a segunda, de outros 7,5%, valeria a partir de 1º de janeiro de 2012.

Segundo o Governo, o aumento vale para toda a categoria. Professores com doutorado receberiam uma gratificação de 30%, e professores com mestrado, de 10%.

O educadores estiveram reunidos na tarde desta sexta (4) com representantes da Secretaria da Educação, no Sindicato dos Professores do Estado do Ceará (Apeoc). Também participaram da reunião, representantes da Assembleia Legislativa e da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). Os professores da rede pública estão com a greve suspensa desde o último dia 10 de outubro.

Tempo de Planejamento
O governo ainda propôs iniciar em 2012 a implantação progressiva do regime que reserva 1/3 da carga horária do professor para planejamento de aulas, que seria concluída até o ano de 2014.

Reivindicações
O reajuste salarial, da forma que foi proposto pelo governo, não estava como prioridade na pauta de reivindicações apresentada pela categoria. Os educadores citam como reivindicações os seguintes pontos: o ganho real para toda a carreira; a valorização dos profissionais com pós-graduação; a implementação de um terço de hora para atividades extra-classe a partir de 2012; a realização de concurso público; descompressão da carreira; o retorno da gratificação de incentivo profissional. 

Mesmo assim, o presidente do sindicato Apeoc, Anízio Melo, considerou importante a proposta do governo e disse que espera um aumento do percentual de recursos oriundos do Fundeb para 2012. O sindicalista avaliou que ainda são necessários “alguns ajustes” na proposta do governo, mas disse que durante a reunião foi possível dialogar “com os 11 pontos que eram os parâmetros para a negociação”.

Assembleia
No dia 11 de Novembro, os professores realizam assembleia geral para decidir se aceitam ou não a proposta do governo. Caso não seja cheguem a um consenso, o movimento grevista corre o risco de ser retomado com a volta da greve, que está apenas suspensa.

Leia mais:
Professores da rede estadual protestam pedindo greve imediata 
Professores do Estado se reúnem para avaliar negociações  
Professores realizam plenária para discutir negociações 
Professores voltam as aulas após 63 dias de greve 

Com a Redação do Jangadeiro Online



5 comentários







5 comentários
Topo | Home


Felipe | sábado novembro 5 2011 | 17:09

explicação da proposta:

PROPOSTA DE 15% = 5% que faltou do ajuste diferenciado de 2010, e 10% que ele ia dar mesmo agora em 2011. Na realidade o governo só esta dando o aumento que já ia dar em 2010 e o que é nosso por direito em 2011.

COMO SEMPRE USANDO DE ARTIMANHAS PARA NOS ENGANAR.

Educadora | sábado novembro 5 2011 | 21:57

Está mais do que claro que apenas um pequeno grupo se beneficiou, os especialistas ficarão com apenas 10% da regência , como já era antes! inaceitável, vamos a luta, pois se não temos mestrado ou doutorado é porque o governo não investe na educação.

bruna natalia | quinta-feira novembro 10 2011 | 23:08

Maiss.. sera q ocorrera .risco dessa greve?

bruna natalia | quinta-feira novembro 10 2011 | 23:11

oww por favor!não entrem de greve :/

neuma | sábado novembro 12 2011 | 09:46

A greve é essencial, mas como conseguem cumprir a carga horaria obrigatória?






You must be logged in to post a comment.