Câmara Municipal
Atualizado em: 02/03/2016 - 9:00 am

O projeto será encaminhado para análise da Câmara ainda esta semana. Matéria precisa da aprovação dos vereadores. Foto: Genilson de Lima

O projeto será encaminhado para análise da Câmara ainda esta semana. Matéria precisa da aprovação dos vereadores. Foto: Genilson de Lima

O projeto de lei, de autoria do Poder Executivo, que trata do índice de reajuste salarial do funcionalismo da capital cearense nem chegou à Câmara Municipal, mas já causa discussão. Para o líder da oposição na Câmara, vereador Ronivaldo Maia (PT), “a Prefeitura aparenta gastar mais em pagamento de cargos comissionados e por trabalho técnico relevante do que no reajuste salarial de seus servidores”.

O petista lembrou ainda que a inflação cresceu mais de 10% e que, em conversa com o sindicato, a Prefeitura anunciou que dará o reajuste de forma escalonada, chegando até a 10,67%.

“A desculpa é a de sempre, é de que o Governo enfrenta dificuldades, resultado da crise econômica. Mas esse mesmo governo que fala isso é o mesmo que gasta R$ 53 milhões a mais com cargos comissionados e trabalho técnico relevante. Não falo de política de concurso, apenas gratificação, para acomodação política, faz farra com o dinheiro do fortalezense”, lamentou.

Por fim, Ronivaldo afirmou que, se o prefeito quer demonstrar que valoriza os servidores do município, o mínimo que ele precisa fazer é propor um reajuste que, pelo menos, seja equivalente ao aumento da inflação.

Proposta
Na última segunda-feira (29), o prefeito Roberto Cláudio, durante reunião da Mesa Permanente de Negociação, com representantes dos sindicatos de servidores, o índice de reajuste do funcionalismo de Fortaleza. Pela proposta, o salário terá aumento de 10,67% em 2016, de forma parcelada – sendo um reajuste de 2% a ser pago a partir de março, com o retroativo de janeiro e fevereiro sendo pago, respectivamente, em abril e maio, acumulando 10,67% ao longo do ano.

Mais
Além disso, o vale-alimentação terá reajuste de 25%, subindo de R$ 8 para R$ 10 e ainda R$ 1 milhão para complementar o adicional noturno dos servidores que trabalham neste período; e que os integrantes da segunda turma aprovada no concurso da Guarda Municipal e que já fizeram o curso de formação serão convocados até o mês de dezembro.

Avanços
Se aprovada, segundo Roberto Cláudio, a proposta garante avanços e conquistas “maiores do que os já anunciados em outras capitais no País”. O Governo espera votar a matéria rapidamente para que o aumento entre ainda na folha de março.

Em debate
A proposta, segundo informou a presidente do Sindicato dos Servidores e Empregados Públicos do Município (Sindifort), Nascelia Silva, será discutida durante assembleia da categoria.

Na terça-feira (01), profissionais enfermeiros e dentistas lotaram a galeria da Câmara Municipal para cobrar o reajuste salarial da categoria. Uma comissão chegou a ser recebida pelos vereadores, onde reclamou da “falta de desprestígio” por parte da atual gestão. A categoria reivindica uma reposição de 11,6% e incorporação da Gratificação de Incentivo de Nível Superior (GINS).

Silêncio
A reportagem tentou conversar com vereadores da base aliada, mas, até a publicação da matéria, nenhum dos parlamentares atendeu as chamadas nos telefones celulares. A assessoria do prefeito Roberto Cláudio garantiu que a matéria será encaminhada até sexta-feira (4) para análise dos vereadores.

Com informações do OE



0 comentários







0 comentários
Topo | Home