Bastidores
Atualizado em: 04/02/2012 - 2:23 pm

A troca em três ministérios foi apenas o início da reforma “conta-gotas” promovida pela presidente Dilma Rousseff. Fechados os principais problemas no primeiro escalão, a hora agora é de voltar atenções para posições do segundo, além de bancos e estatais. E elas prometem ser bem mais intensas do que as promovidas na Esplanada dos Ministérios.

Leia ainda:
Reforma ministerial de Dilma não será ‘sangria desatada’

Logo de cara, o Planalto deve trocar o presidente da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), Evangevaldo Santos, que acusou o líder do PTB na Câmara, Jovair Arantes (GO), de cobrar um mensalinho para garantir sua permanência no cargo. Ele deve ser substituído por João Carlos Bona, atual diretor financeiro da autarquia.

Do Correio Braziliense



1 comentário







1 comentário
Topo | Home


tinho | segunda-feira fevereiro 13 2012 | 18:48

ueu acho que encronto nao acabar com a barqaia politica nos orqo codevasf denoc icra conab nao vai melhora tem que colocar jente do quadro e de carreira com responsabilidade ok