ALEC
Atualizado em: 10/10/2018 - 9:00 am

Zezinho Albuquerque deu entrevista coletiva antes da primeira sessão após as eleições. As questões que devem ser tratadas como prioridades nas primeiras sessões pós-eleição dizem respeito a pendências do TCE, do Tribunal de Justiça e do Porto de Roterdã. Foto: Máximo Moura.

O ritmo dos trabalhos na Assembleia Legislativa do Estado do Ceará (AL-CE) só deve voltar ao normal a partir da próxima semana, indica o presidente da casa Zezinho Albuquerque (PDT). “Os deputados aí estão cansados ainda, a coisa vai andar um pouquinho lenta por enquanto”, disse ele à imprensa na terça-feira (9), referindo-se ao período de campanha eleitoral, que se encerrou na última semana.

Com o período menor de campanha este ano – tendo sido reduzido de 90 para 45 dias – e as novas regras que restringem as propagandas políticas nas ruas, reforça-se a necessidade do contato com o eleitor durante o período eleitoral, avalia, de modo que a rotina de campanha acaba sendo mais extenuante.

“Precisa-se ir pro interior conversar com as pessoas, onde não tinha carro de som, muro pintado, não se podia fazer reuniões públicas grandes, só com o candidato, então uma eleição totalmente atípica”, conta ele.

Ao retomar os trabalhos, a Assembleia deve priorizar algumas pendências em específico: “Temos aí uma mensagem do Tribunal de Contas do Estado (TCE), que está há muito tempo aqui, com reformulação do Tribunal, que foi entre aqui pelo presidente do TCE faz tempo. Temos mensagem também do desembargador Glaydson, presidente do Tribunal de Justiça, esperamos no mês de outubro fazer essas duas mensagens”, conta o presidente. Está sendo votada também, continua, a parceria do Governo do Estado com o Porto de Roterdã, da Holanda. Essas questões, segundo ele, devem ser resolvidas até o final deste mês.

Além disso, continua, está previsto para o início de novembro que se trabalhe o projeto Ceará Sem Drogas, que tem um equivalente sendo implantado em São Paulo “e que foi discutido até pelos presidenciáveis no Brasil”, completa.

Resultados
O presidente da casa comentou a surpresa com a derrota de Eunício Oliveira (MDB) para o Senado. “Não só a mim, surpreendeu a todos, porque nos guiamos por pesquisa. A pessoa tem 39, o outro tem 12, como dá certo isso? Mais uma vez as pesquisas erraram”, conta ele, em referência à diferença entre o que as últimas pesquisas de intenção de voto indicavam e o resultado das urnas, onde o empresário Eduardo Girão (Pros) derrotou o presidente do Senado por menos de 12 mil votos.

PDT
Sobre a eleição presidencial, Zezinho conta que está esperando a convocação da reunião do PDT, que vai decidir através de votação a posição do partido quanto a apoio no segundo turno.

Cid e Camilo
Ele elogiou as campanhas do governador reeleito Camilo Santana (PT) e de Cid Gomes (PDT), que foi eleito para o primeiro mandato ao Senado. “Foi muito trabalho, eu que acompanhei tive o privilégio de andar com o governador em todo o estado do Ceará e dizer que, mesmo o Brasil passando por crise econômica e política, aqui no Ceará não é a ilha da prosperidade, mas estamos com folha em dia, inaugurando obra o tempo todo, dando ordem de serviço e a população do Ceará reconheceu isso”, conta, avaliando também que Cid “transformou o estado do Ceará”, destacando os investimentos feitos em educação e segurança em seus governos.

Juventude
Perguntado sobre as críticas de André Fernandes (PSL), o deputado eleito mais jovem do país que começa a atuar na AL a partir do ano que vem, o pedetista foi diplomático. “Primeiro, por ser tão jovem e bem votado, ele tem responsabilidade de representar grande parcela de cearenses, e é isso que espero não só dele, mas de todos que venham somar essa casa. Todos aqui só têm um objetivo, o desenvolvimento do estado do Ceará, e tenho certeza que com sua inteligência e juventude vai ajudar isso também”, pontua.



0 comentários







0 comentários
Topo | Home